Breves

  • Manita de Vasco Luís atropela Física

    Regresso ao “inferno” do Gimnodesportivo de Turquel para a receção à Física de Torres Vedras e uma baixa forçada por lesão na equipa de João Simões. O defesa/médio Pedro Vaz não pôde dar o seu contributo à formação alvinegra neste encontro, por se encontrar a recuperar de uma lesão no pulso, contraída num jogo-treino na Marinha Grande. Em sentido contrário, regresso saudado de Samuel Santos à competição, quase uma volta depois (lesionou-se a 21 de novembro de 2015 no jogo em casa frente ao Benfica), ele que se sentou no banco para ver a sua equipa mostrar mais uma vez argumentos suficientes para replicar o bom momento de forma que atravessa, frente a uma formação da Física frágil e com o destino quase traçado. Para tal, muito contribuiram os cinco golos marcados pelo capitão Vasco Luís, ele que ascendeu ao 6º lugar na lista de melhores marcadores do Nacional da 1ª divisão, com 27 golos apontados. O jogo teve equilíbrio no primeiro tempo, tendo mesmo chegado ao intervalo empatado (2-2), mas um início de segundo tempo “galopante” por parte dos alvinegros que lhes permitiu chegar ao 7-2, destruiu por completo as aspirações forasteiras em levar pontos de Turquel.

    Primeiro tempo com entrada muito forte por parte dos de Turquel, que impuseram uma dinâmica avassaladora na circulação de bola em ataque organizado e subjugaram a formação da Física ao último terço da sua zona defensiva. Aos quatro minutos o HCT inaugurou o marcador, com a jogada da noite, Vasco Luís descobriu Luís Silva na área, este fez um fantástico passe à meia-volta e assistiu Xanoca que só teve de encostar no 1-0. Um minuto depois, Luís Silva desperdiçou uma penalidade, mas aos seis minutos, Vasco Luís num lance e insistência, fez o 2-0 e pensou-se que a noite poderia ser tranquila. Foi pura ilusão, pois a equipa orientada por João Simões baixou a guarda e permitiu à Física uma reação forte. Aos nove minutos Carlos Garrancho desviou com oportunismo um bom passe do capitão Carlos Godinho e dois minutos depois Vicente Alves igualou a partida a duas bolas, aproveitando uma sobra na área após um livre frontal. Neste momento do jogo a formação turquelense abanou e teve o seu pior período no encontro. Aos treze minutos Luís Silva viu a cartolina azul por rasteirar João Lima, mas Filipe Bernardino desperdiçou o devido livre direto. A incerteza pairou no resultado e antes do intervalo o azul a João Lima levou Xanoca para a marca do livre direto. O camisola 79 alvinegro não conseguiu ultrapassar Pedro Chambel na conversão do castigo e o HCT saiu para o intervalo com um empate (2-2), mas com mais um elemento em rinque durante pouco mais de um minuto.      

    A superioridade numérica acabou por fazer a diferença no início do segundo tempo, pois a equipa da casa entrou decidida a passar para a frente do marcador e conseguiu-o logo no primeiro minuto com Luís Silva a conseguir um remate enrolado na cabeça da área que fez o 3-2. Esta fase mostrou um HCT “agressivo” e confiante e que em três minutos colocou o resultado em 7-2. Aos seis e aos sete Vasco Luís completou o seu “hat trick” com duas bombas de meia distância colocando o score em 5-2. No mesmo minuto o mesmo jogador fez o “póker” na transformação de um livre direto por azul mostrado a Carlos Garrancho e dois minutos depois Vasco Luís finalizou a sua noite de sonho completando uma manita com mais uma bola parada convertida, desta feita uma grande penalidade por falta de João Lima sobre Xanoca. Com o resultado em 7-2 houve descompressão e todos os presentes desfrutaram, mas foi a Física que, até final, conseguiu encurtar distâncias. Aos 12 minutos, Filipe Bernardino bateu Tuga pela terceira vez na conversão de um livre direto por azul mostrado a Luís Silva e no mesmo minuto, o mesmo Bernardino desperdiçou um segundo livre direto a castigar a 10ª falta de equipa do HCT. Aos quinze, Vasco Luís não conseguiu o seu sexto tento, tendo em conta que não fez golo no livre direto da 10ª falta de equipa da Física. A um minuto do término do encontro, Filipe Bernardino fechou as contas em 7-4, na transformação de uma penalidade cometida pelo júnior Francisco Santos, ele que, conjuntamente com Tiago Mateus, teve oportunidade de se mostrar durante alguns minutos.          

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 9 de abril de 2016, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2015/16 (20ª jornada)

    Árbitros: António Santos (Aveiro), Paulo Almeida (Aveiro) e Paulo Oliveira (3º árbitro) (Aveiro)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [24] André Pimenta, [22] Luís Silva (1), [9] Vasco Luís (C) (5), [79] Alexandre Marques “Xanoca” (1), [3] German Dates, [47] Xavier Lourenço, [53] Tiago Mateus e [4] Francisco Santos. Não jogou: [10] Samuel Santos (GR).

    Treinador: João Simões

    A.E. Física D.: [11] Pedro Chambel (GR), [4] Carlos Godinho (C), [6] Carlos Garrancho (1), [84] Vicente Alves (1), [25] João Lima, [88] Filipe Bernardino (2), [82] Sandro Santos, [23] Emanuel Amâncio e [7] André Pereira. Não jogou: [10] Ricardo Miranda “Gordini” (GR),

    Treinador: André Gil

    Faltas de Equipa: 12-13

    Disciplina: Cartão Azul a [22] Luís Silva (HCT) [2X], [25] João Lima (AEFD) [2X] e [6] Carlos Garrancho (AEFD)

    Resultado ao intervalo: 2-2

    Resultado Final: 7-4

    Neste fim-de-semana há Taça de Portugal, o HCT já não está em prova (foi eliminado nos 16 avos de final em Barcelos com derrota por 6-1) e os alvinegros só voltam à ação na Luz, a 16 de abril de 2016 pelas 19 horas, defrontando o Campeão Nacional, S.L. Benfica. Na primeira volta em Turquel a equipa de João Simões somou a derrota mais conclusiva da época, tendo sucumbido por 2-9 e espera-se que a história agora seja bem diferente, num jogo que marcará o regresso de Xanoca ao pavilhão do clube que detém o seu passe (está emprestado pelos encarnados ao HCT), bem como o reencontro dos manos Tiago e Diogo Rafael com o seu clube de formação (H.C. Turquel). Imperdível!

     

    Seniores Femininos lideram e têm teste de fogo

    Seis vitórias em outros tantos jogos dão liderança bipartida da Fase Final do Campeonato Nacional de Seniores Femininos ao H.C. Turquel e ao S.L. Benfica. A equipa comandada por Hélder Coelho está de “stick quente” e venceu os seis encontros que disputou até à data, entrando para a última jornada da primeira volta, precisamente a receção às encarnadas, a depender apenas de si para se poder isolar no comando da tabela classificativa. O último triunfo das “brutas dos queixos” foi no difícil rinque do Carvalhos por 1-3 e neste momento o sonho começa a tomar forma, com a equipa a lutar de forma inabalável contra todas as adversidades externas e internas que a têm assolado. Confira as incidências do jogo em Carvalhos e todos os resultados e marcadoras dos golos, nos jogos realizados até agora pela formação turquelense nesta Fase Final.

    Em Carvalhos Inês Vicente inaugurou o marcador logo aos seis minutos e Margarida António ampliou para 0-2 aos treze quando a equipa alvinegra se encontrava com mais um elemento em rinque, fruto de uma cartolina azul mostrada à carvalhense Mafalda Silva, com o jogo parado. Um minuto depois a equipa da casa reduziu por intermédio de Catarina Costa e logo em seguida Margarida António viu a cartolina azul. O empate esteve iminente mas Maria Sofia Silva não conseguiu bater Ana Santos na transformação do respetivo livre direto e ao intervalo a vantagem (1-2) era visitante. A abrir o segundo tempo Inês Vicente “bisou” e desferiu um rude golpe nas aspirações anfitriãs. Um minuto depois Lígia Oliveira (regressou a uma casa que bem conhece) desperdiçou uma penalidade e cinco minutos depois Catarina Costa não conseguiu desfeitiar Cláudia Vicente na transformação de um livre direto. A partida arrastou-se até ao fim, sempre com maior ascendente das forasteiras, mas sem mais alterações no marcador.

    Confira todos os resultados e marcadoras:

    21/02: A.J. Salesiana (1) – H.C. Turquel (4) | Golos: Inês Vicente (2), Sofia Vicente, Margarida António.

    28/02: H.C. Turquel (3) – A.D. Sanjoanense (1) | Golos: Margarida António, Inês Vicente, Sofia Vicente.

    06/03: A. Stuart H.C. Massamá (1) – H.C. Turquel (5) | Golos: Sofia Vicente (2), Inês Vicente (2), Isa Ricardo.

    13/03: A. Académica Coimbra (1) – H.C. Turquel (2) | Golos: Isa Ricardo (2).

    20/03: H.C. Turquel (3) – A.C.D. Vila Boa Bispo (1) | Golos: Sofia Vicente (2), Margarida António.

    26/03: C.H. Carvalhos (1) – H.C. Turquel (3) | Golos: Inês Vicente (2), Margarida António.

    Neste domingo, 3 de abril de 2016 pelas 18 horas, o HCT joga “tudo” frente ao Campeão Nacional e Europeu, S.L. Benfica, recebendo as encarnadas num Gimnodesportivo de Turquel que se espera bem composto e efervescente. A claque oficial do clube Brutus 1964 já fez saber da sua presença e todos seremos poucos para podermos levar as nossas meninas a um patamar mais alto.

  • Exibição menos conseguida atira HCT para fora da Taça

    O sorteio dos 16 Avos-de-final da Taça de Portugal ditou um Barcelos-Turquel na primeira eliminatória da competição em que entraram equipas da 1ª Divisão. Duas notas de destaque no pós-jogo, primeiramente a ausência forçada de Marco Barros “Tuga” (o júnior Mário Rosa assumiu a baliza) por banda dos turquelenses, ele que padeceu de uma amigdalite, chegando mesmo a visitar uma unidade hospitalar no dia anterior ao jogo. Em segundo lugar, o falecimento de um adepto barcelense, mais precisamente Martins Arezes, ele que se encontrava no Municipal de Barcelos em serviço para a Rádio Cávado, caiu inanimado no solo, junto ao rinque, aquando do aquecimento das duas equipas. Apesar das tentativas de reanimação dos responsáveis médicos dos dois clubes e dos Bombeiros Voluntários de Barcelos, Arezes não resistiu e acabou por falecer antes do jogo. Uma notícia que chocou todos os presentes e que, apesar de não ter condicionado o normal funcionamento do jogo, fez pairar uma “nuvem negra” sobre a partida. No jogo jogado o Barcelos conseguiu ser melhor nos momentos cruciais do jogo, chegou ao intervalo a vencer por 2-0 e dilatou a seu belo prazer no segundo tempo até estagnar no 6-0, com Xanoca a fechar as contas em 6-1, numa partida em que ficou algo por dar por parte dos de Turquel.

    Primeiro tempo com entrada desconcentrada do lado turquelense, os pupilos de João Simões sentiram a ausência de Tuga na baliza e foi o seu substituto, o júnior de primeiro ano Mário Rosa, que teve de “segurar as pontas” até cerca de nove minutos do descanso, altura em que Reinaldo “Rei” Ventura inaugurou o marcador com uma stickada de meia distância. Logo em seguida Luís Querido viu a cartolina azul por protestos com o jogo parado, mas em Power Play os turquelenses não lograram desfeitiar Ricardo Silva. Como “quem não mata…morre“, a quatro minutos do intervalo Luís Querido aproveitou uma penalidade cometida por Luís Silva para ampliar para 2-0. A dois minutos das equipas irem para o balneário caiu a 10ª falta de equipa dos visitados, mas Xanoca na conversão do respetivo livre direto, não conseguiu aproximar os alvinegros no marcador.   

    A etapa complementar teve entrada desconcertante por parte dos barcelenses, que aos quatro, seis e nove minutos conseguiram três golos sem resposta por intermédio de Joca, Luís Querido (“bisou”) e Reinaldo Ventura (“bisou”) repetivamente, acabando com qualquer tipo de esperança dos visitantes em poderem tirar algo da eliminatória. Aos treze minutos Hugo Costa “cavou” diferenças fazendo o 6-0 e o melhor que o HCT conseguiu foi reduzir para o 6-1 final, que chegou pelo stick de Xanoca, numa grande jogada de contra-ataque, com o camisola 79 a finalizar ao 2º poste uma excelente assistência de German Dates. No final, a festa foi barcelense, mas teve sabor agridoce, tendo em conta a morte em pleno pavilhão de Martins Arezes alguns minutos antes do encontro se iniciar.             

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Municipal de Barcelos

    Dia/Hora: 12 de março de 2016, às 21:30H

    Competição: Taça de Portugal de Hóquei em Patins 2015/16 (16 Avos-de-Final)

    Árbitros: Paulo Almeida (Aveiro) e António Santos (Aveiro)

    O.C. Barcelos SAD: [01] Ricardo Silva (GR), [19] Luís Querido (C) (2), [66] Reinaldo “Rei” Ventura (2), [49] Pedro Mendes, [9] Hugo Costa (1), [4] Zé Pedro, [7] João “Joca” Guimarães (1), [74] Miguel Vieira “Vieirinha” e [5] Pedro Silva. Não jogou: [10] João Pereira “Ginho” (GR).

    Treinador: Paulo Freitas

     H.C. Turquel: [12] Mário Rosa (GR), [53] Pedro Vaz, [24] André Pimenta, [9] Vasco Luís (C), [22] Luís Silva, [79] Alexandre Marques “Xanoca” (1), [3] German Dates, [47] Xavier Lourenço e [4] Francisco Santos. Não jogou: [13] André Ferreira (GR).

    Treinador: João Simões

    Faltas de Equipa: 11-15

    Disciplina:

    Cartão Azul: [19] Luís Querido (C) (OCB) (protestos), [9] Hugo Costa (OCB) (protestos) e [9] Vasco Luís (HCT).

    Resultado ao intervalo: 2-0

    Resultado Final: 6-1

    No próximo fim de semana, sábado 19 de março de 2016 pelas 18 horas, o HCT joga novamente fora de portas, viajando até Vale de Cambra para defrontar o Hóquei Académico local, equipa que “navega” no último posto da tabela classificativa, com apenas seis pontos averbados. Na primeira volta em Turquel os “brutos dos queixos” venceram confortavelmente por 5-1, num jogo que ficou marcado pela lesão grave de Tuga no baixo ventre.

    Fotos: Frank Araújo

    Xanoca conquista Taça Latina pela Seleção Nacional de Sub-23

    O jovem jogador dos Seniores Masculinos do HCT, Alexandre Manuel Madeira Marques, popularmente conhecido por “Xanoca”, conquistou, conjuntamente com os seus colegas da Seleção Nacional de Sub-23 de Portugal, a XXVIII edição da Taça Latina, que ainda se disputa neste fim de semana da Páscoa, entre os dias 24 e 26 de março, na cidade de italiana de Follonica, mais concretamente no pavilhão Palagolfo daquela cidade da região da Toscana e província de Grosseto.

    A competição divide-se em três jornadas espaçadas pelos três dias, num formato todos contra todos entre as Seleções Nacionais de Sub-23 de Portugal, Espanha, França e Itália, mas ao fim do segundo dia a equipa das quinas, orientada por Luís Sénica, já conquistou o ceptro, fruto de dois triunfos frente à anfitriã Itália por 3-4 e frente à arqui-rival Espanha por concludentes 5-1. A vitória da Itália diante da França (4-1), no segundo dia de competição, antecipou os festejos lusos, que viram da bancada Portugal arrebatar a 14ª Taça Latina do seu historial, 55 anos depois da última conquista fora de portas.

    Depois de ter sido Campeão do Mundo de Sub-20 em Cartagena na Colômbia em 2013, Xanoca volta a conquistar um título com o símbolo de Portugal ao peito.

    Todos os turquelenses e em particular o HCT, estão orgulhosos pelo feito alcançado por um dos seus e sentem esta conquista como sendo sua. O trabalho compensa e a qualidade demonstrada enchem-nos a alma.

    Obrigado e muitos parabéns Xanoca!

  • Vasco Luís e Luís Silva ficam no HCT em 2016/2017

    A Direção do HCT continua a trabalhar antecipadamente na constituição do plantel de Seniores Masculinos para a temporada 2016/2017. Como tal, acertou a renovação com mais dois atletas preponderantes na manobra da equipa sénior na temporada que ainda decorre.

    O HCT.pt avança, em primeira mão, que o capitão Vasco Luís (nunca conheceu outro clube na sua carreira) e Luís Silva (fará a 2ª temporada no clube) acertaram as respetivas renovações contratuais e, desse modo, manter-se-ão no plantel para a próxima temporada, em mais uma decisão que se reveste de extrema importância para a estabilidade de um grupo que terá pela frente um campeonato ainda mais exigente que o corrente.

    Depois do “resgate” de Daniel Matias (regressa ao clube após uma época de interregno) e das renovações de Marco Barros “Tuga”, de Pedro Vaz, do capitão Vasco Luís e de Luís Silva, sobe para cinco o número de elementos que farão parte do plantel sénior alvinegro em 2016/2017, mantendo-se uma base sólida das últimas temporadas, sendo que estão guardadas mais novidades para os próximos tempos.

    Exibição qb dá triunfo em Cambra

    O bom momento turquelense dos últimos meses sofreu um revés nos 16 avos de final da Taça de Portugal, com derrota pesada por 6-1 em Barcelos e era importante para os de Turquel sairem de casa do último classificado, H.A. Cambra, com um triunfo. Foi o que veio a acontecer, apesar da exibição ter sido bem abaixo da média (uma das piores da temporada). Os alvinegros colocaram-se em vantagem bem cedo por Xanoca, mas “adormeceram no pedaço” e deixaram os cambrenses igualar antes do intervalo. O segundo tempo trouxe um golo de Luís Silva que viria a recolocar os de Turquel na frente (1-2), vantagem que se manteve até ao final dos cinquenta minutos, ainda que os acontecimentos tivessem estado sempre um pouco tremidos para o lado visitante.

    Na primeira parte os “brutos dos queixos” entraram a mandar e inauguraram o marcador logo aos três minutos, por intermédio de Xanoca. O natural de Oliveira do Hospital combinou de forma perfeita com Pedro Vaz e bateu Ricardo Pereira pela primeira vez. A entrada forasteira foi “fogo de vista” pois a partir do golo a equipa comandada por João Simões “baixou a guarda” e colocou em prática um hóquei previsível e inseguro. Foi por isso sem espanto que aos dezasseis minutos Eduardo Brás tivesse igualado, com uma stickada de meia distância à frente de Luís Silva, levando a bola a ultrapassar um Tuga encoberto na baliza do HCT. Ao intervalo a igualdade (1-1) era mais do que justa.        

    No segundo tempo ocasião soberana para os de Turquel se voltarem a adiantar logo aos três minutos, mas Vasco Luís desperdiçou uma penalidade que ele próprio conquistou, mantendo o score (1-1) no marcador. Com maior ascendente sobre o adversário, o Cambra fez das tripas coração e jogou tudo numa das últimas cartadas para se poder manter na 1ª divisão, mas o momento era de pressão e todas as bolas “queimaram” no stick dos jogadores visitados. Um pouco contra a corrente do jogo, aos catorze minutos, Luís Silva concluiu uma excelente assistência do capitão Vasco Luís num ataque rápido 4x3, fazendo o 1-2 e os da casa ficaram numa situação bastante desconfortável, a terem de ir atrás do resultado, mas sem condições anímicas para o fazerem. Até final, destaque apenas para o livre direto da 10ª falta de equipa do Cambra que Xanoca viria a desperdiçar. O apito final trouxe alívio às hostes turquelenses, que alcançaram mais uma importante vitória rumo aos oito primeiros, e desgosto aos cambrenses que perderam qualquer réstia de esperança mínima que ainda tinham para assegurarem a permanência.      

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Municipal de Vale de Cambra

    Dia/Hora: 19 de março de 2016, às 18H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2015/16 (19ª jornada)

    Árbitros: Joaquim Pinto (Aveiro), José Pinto (Aveiro) e Rui Azevedo (3º árbitro) (Aveiro)

    H.A. Cambra: [10] Ricardo “Ricky” Pereira (GR), [7] Nuno Maia, [6] João Marques “Joãozinho”, [4] Daniel “Dani” Bastos (C), [5] Ricardo Ramos “Piolho” e [8] Eduardo Brás “Rato”. Não jogaram: [1] Marcelo Silva “Cêllô” (GR), [18] Francisco Almeida, [19] Pedro Nuno e [27] Luís Carlos.

    Treinador: Ricardo Geitoeira

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [22] Luís Silva (1), [9] Vasco Luís (C), [79] Alexandre Marques “Xanoca” (1), [24] André Pimenta e [3] German Dates. Não jogaram: [12] Mário Rosa (GR), [4] Nuno Ribeiro e [47] Xavier Lourenço.

    Treinador: João Simões

    Faltas de Equipa: 11-9

    Disciplina: Nada a assinalar.

    Resultado ao intervalo: 1-1

    Resultado Final: 1-2

    No próximo fim de semana há paragem nas competições em virtude da Taça Latina e das festividades da Páscoa, pelo que o HCT só voltará à ação no próximo dia 2 de abril de 2016 pelas 21 horas, na 20ª jornada do Nacional da 1ª Divisão. A equipa turquelense recebe em casa mais uma equipa em dificuldades na tabela classificativa, a A.E. Física. Na primeira volta em Torres Vedras o encontro terminou com um empate a três bolas.

  • Páscoa em Patins já tem Calendário definido

    A vigésima oitava edição do Torneio "Páscoa em Patins" - 2016 já tem calendário definitivo e está no ar. Três dias de muita emoção e qualidade, com Hóquei em Patins ao mais alto nível. Durante a tarde/noite de quinta-feira (24/03) e todo o dia na sexta-feira (25/03) e sábado (26/03) vários jovens dos mais variados pontos do país exibirão as suas qualidades no Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel numa competição cheia de tradição, com a marca registada do H.C. Turquel.

     

    Confira o calendário completo do evento:

    Quinta-feira, 24/03/16

    Jogo

    Escalão

    Equipas/Balneários

    Hora

    1

    Iniciação

    H.C.Turquel

    B2

    Biblioteca I.R.

    B4

    18h45m

    2

    Femininos Sub 20

    H.C.Turquel

    B6

    A.P. Lisboa

    B7

    19h30m

    3

    Iniciados Sub15 “B”

    H.C.Turquel

    B8

    H.A. Cambra

    B4

    20h30m

    4

    Juvenis Sub 17

    H.C.Turquel

    B2

    H.A. Cambra

    B6

    21h30m

    5

    Juniores Sub 20

    H.C.Turquel

    B7

    H.A. Cambra

    B8

    22h30m

    Sexta-feira, 25/03/16

    Jogo

    Escalão

    Equipas/Balneários

    Hora

    6

    Infantis Sub 13 “A”

    H.C.Turquel

    B2

    H.C. Braga

    B4

    10h00m

    7

    Iniciados Sub15 “B”

    H.A. Cambra

    B6

    A.D. Sanjoanense

    B7

    11h00m

    8

    Femininos

    A.P. Lisboa

    B8

    H.C. Mealhada

    B4

    12h00m

    9

    Juvenis Sub 17

    H.A. Cambra

    B7

    H.C. Braga

    B6

    13h00m

    10

    Juniores Sub 20

    H.A. Cambra

    B4

    H.C. Braga

    B8

    14h00m

    11

    Infantis Sub 13 “A”

    H.C. Braga

    B7

    A.D. Valongo

    B6

    15h00m

    12

    Iniciados Sub15 “B”

    H.C.Turquel

    B2

    A.D. Sanjoanense

    B4

    16h00m

    13

    Femininos

    H.C.Turquel

    B6

    H.C. Mealhada

    B7

    17h00m

    Apresentação de todos as equipas do H.C.Turquel e “amigos” do clube

    14

    Iniciação

    H.C.Turquel

    B2

    H.C.Turquel

    B2

    18h30m

    15

    Infantis Sub 13 “A”

    H.C.Turquel

    B4

    A.D. Valongo

    B6

    19h15m

    16

    Juvenis Sub 17

    H.C.Turquel

    B7

    H.C. Braga

    B8

    20h15m

    17

    Juniores Sub 20

    H.C.Turquel

    B2

    H.C. Braga

    B4

    21h15m

    Sábado, 26/03/16

    Jogo

    Escalão

    Equipas/Balneários

    Hora

    18

    Bambis

    H.C.Turquel

    B2

    H.C. Lourinhã

    B4

    9h00m

    19

    Escolares

    H.C.Turquel “A”

    B6

    H.C. Mealhada

    B7

    9h45m

    20

    Benjamins

    H.C.Turquel “A”

    B8

    H.C. Mealhada

    B4

    10h30m

    21

    Iniciados Sub15 “A”

    H.C.Turquel

    B2

    H.C. Braga

    B6

    11h15m

    22

    Infantis Sub 13 “B”

    H.C.Turquel

    B7

    A.D. Limianos

    B8

    12h15m

    23

    Benjamins

    H.C.Turquel “B”

    B2

    A.D. Valongo

    B4

    13h15m

    24

    Escolares

    H.C.Turquel “B”

    B6

    A.D. Valongo

    B7

    14h00m

    25

    Bambis

    H.C. Mealhada

    B8

    H.C. Lourinhã

    B4

    14h45m

    26

    Infantis Sub 13 “B”

    A.D. Valongo

    B6

    A.D.Limianos

    B7

    15h30m

    27

    Iniciados Sub15 “A”

    H.C. Braga

    B8

    F.C.Porto

    B4

    16h30m

    28

    Benjamins

    Vencido j20

    B6

    Vencido j23

    B7

    17h30m

    29

    Escolares

    Vencido j19

    B8

    Vencido j24

    B4

    18h15m

    30

    Bambis

    H.C.Turquel

    B2

    H.C. Mealhada

    B6

    19h00m

    31

    Benjamins

    Vencedor j20

    B7

    Vencedor j23

    B8

    19h45m

    32

    Escolares

    Vencedor j19

    B2

    Vencedor j24

    B4

    20h30m

    33

    Infantis Sub 13 “B”

    H.C.Turquel

    B6

    A.D. Valongo

    B7

    21h15m

    34

    Iniciados Sub15 “A”

    H.C.Turquel

    B8

    F.C. Porto

    B4

    22h15m

    Todas as cerimónias de encerramento se realizam logo após o ultimo jogo do respetivo escalão

     

     

     

    Marco Barros “Tuga” e Pedro Vaz renovam contrato com o HCT

    Depois da surpreendente re-contratação de Daniel Matias, que voltará ao clube depois de uma época de interregno, a Direção do HCT continua a trabalhar antecipadamente na constituição do plantel de Seniores Masculinos para a temporada 2016/2017. Como tal, acertou a renovação com dois dos atletas mais importantes da equipa nas últimas três temporadas e meia.

    Numa decisão que é oficial, o HCT.pt avança, em primeira mão, que o guardião Marco Barros “Tuga” (vai para a 6ª temporada no clube) e o defesa, Pedro Vaz (vai para a 5ª temporada no clube) acertaram as respetivas renovações contratuais e, como tal, manter-se-ão no plantel para a próxima temporada, em mais uma decisão que se reveste de extrema importância para a estabilidade de um grupo que terá pela frente um campeonato ainda mais exigente que o corrente.

    Nas próximas semanas os responsáveis do clube contam “fechar” mais alguns casos pendentes, relativamente aos restantes elementos que constituirão o plantel.

  • Daniel Matias regressa e é reforço do HC Turquel para 2016/17

    É oficial, e foi confirmado pela Direção do H.C. Turquel, Daniel Matias (28 anos), depois de uma temporada de interregno por razões pessoais e profissionais, regressa ao H.C. Turquel e é o primeiro reforço dos Seniores Masculinos do HCT para a temporada 2016/17.

    Tendo iniciado o seu percurso no hóquei na extinta secção de hóquei em patins do C.R.P. Ribafria, desde cedo Daniel se mudou para Turquel e foi um produto quase exclusivo da excelente escola de formação turquelense. Depois de uma época de interregno, o ex-camisola 4 alvinegro regressa agora pela mão de uma Direção que nunca deixou cair a hipótese de tentar o seu regresso. É um reforço de peso para atacar a próxima temporada, num clube que o viu brilhar intensamente na temporada 2011/12, atingindo a subida de divisão e a Final Four da Taça de Portugal. Nas três temporadas em que atuou na 1ª Divisão (2012/13, 2013/14 e 2014/15) Daniel Matias foi sempre um das peças fundamentais do xadrez do técnico João Simões pela sua qualidade a todos os níveis.

    Ainda com 28 anos (fará 29 em outubro de 2016), possuidor de um percurso muito interessante e que lhe confere muita experiência, este é um regresso que se saúda efusivamente e uma contratação que confere ao plantel, trabalho, estabilidade e muita qualidade. Daniel Matias caracteriza-se por ser um atleta polivalente, com excelentes capacidades físicas e que tem na velocidade de execução uma das suas maiores virtudes.

    A Direção do clube está a trabalhar ponderadamente na composição do plantel para a próxima temporada, tendo em conta as vicissitudes antecipativas de um mercado que se define muito cedo. Para já, o reforço é de peso e tem o selo de qualidade da escola de formação turquelense.

    Conheça, “à lupa”, a primeira contratação alvinegra, versão 2016/2017:

    QUEM É QUEM?

    Nome Completo: DANIEL Ventura Policarpo MATIAS

    BI: Caldas da Rainha (Portugal), 19-10-1987,28 anos, 1,79m, 80 kg

    Posição: Defesa/Médio

    Clubes: C.R.P. Ribafria [Iniciação] (até 1993/94), H.C. Turquel [Infantis C_Benjamins] (1994/95 e 1995/96), H.C. Turquel [Infantis B_Escolares] (1996/97 e 1998/99), H.C. Turquel [Infantis A_Sub-13] (1999/00 e 2000/01), H.C. Turquel [Sub-15] (2001/02 e 2002/03), H.C. Turquel [Sub-17] (2003/04 e 2004/05),H.C. Turquel [Sub-20] (2004/05, 2005/06, 2006/07), H.C. Turquel [2ª Divisão] (2007/08, 2008/09, 2009/10, 2010/11, 2011/12), H.C. Turquel [1ª Divisão] (2012/13, 2013/14 e 2014/15)

    Estreia na 1ª Divisão: H.C. Turquel (2012/13)

    Feitos relevantes - Clubes

    H.C. Turquel

    2011/2012 Subida de divisão (Seniores)

    2011/2012 Presença na Final Four da Taça de Portugal (Seniores)

    2013/2014 6º lugar no Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Seniores)

    2013/14 Chegada aos quartos-de-final da Taça CERS (Seniores)

    Contrato: Até Julho de 2017

    Alvinegros afundam mais um favorito

    Jogo em atraso da 15ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª Divisão e deslocação dos turquelenses a Valongo para mais um embate contra um forte candidato aos lugares cimeiros da tabela classificativa. Num momento de forma impressionante, a equipa de João Simões vinha de quatro vitórias (Barcelos, Candelária, Porto e Viana) nos últimos cinco jogos, tendo perdido apenas por uma vez (Oliveirense) no espaço de pouco mais de um mês. A visita a Valongo foi compensadora nas duas temporadas anteriores, sendo que os alvinegros venceram em 2013/2014 por 2-3 e empataram a três bolas em 2014/2015. Desta vez a história não foi diferente, pois a vitória sorriu novamente à formação da Aldeia do Hóquei, por tangencial 2-3, após 0-2 ao intervalo. O guardião Marco Barros “Tuga” voltou a estar em destaque, rubricando mais uma portentosa exibição na baliza turquelense e os golos de Luís Silva, Pedro Vaz e Xanoca serviram para voltar a escrever história por terras nortenhas.

    Primeira parte com entrada fulgurante por parte dos da casa, que mostraram um ritmo impressionante em todas as ações realizadas e a baliza de Tuga esteve em constante sobressalto. O guardião turquelense iniciou então um final de tarde memorável, e permitiu à sua equipa poder contra atacar de forma venenosa a baliza de Leonardo Pais. Com uma pressão defensiva bastante acentuada, os da casa tentaram limitar desde cedo os movimentos dos de Turquel e conseguiram-no até certo ponto. Quando o ímpeto inicial dos visitados se desvaneceu o HCT aproveitou para se adiantar, com um grande passe de André Pimenta a rasgar a defensiva contrária e Luís Silva a desviar na cara do guardião da casa para fazer o 0-1. Foi um golo que poderia ter caído para qualquer um dos lados e o Valongo teve dificuldades em lidar com o facto de este não ter caído para o seu lado, forçando em demasia e pressionando sem grande coordenação. Esse “descontrolo” foi punido com mais um golo sofrido, cinco minutos antes do descanso, depois de Xanoca aproveitar um trpoeção de um contrário e assistir Pedro Vaz ao segundo poste para este fazer o 0-2 com que se chegou ao intervalo. 

    Na etapa complementar nova entrada com tudo por parte dos visitados e o HCT teve de sofrer bastante para manter a baliza de Tuga inviolada. O keeper alvinegro continuou a brilhar entre os postes e à sua frente sobressaíu André Pimenta que “limpou” toda a área, saindo a jogar a contento. Contudo, a resistência turquelense durou apenas oito minutos, altura em que Rúben Pereira começou a sobressair com uma meia distância muito poderosa desde a direita do seu ataque para fazer o 1-2. No mesmo minuto, a dupla de arbitragem do Porto descortinou uma falta grave de Pedro Vaz sobre Hugo Azevedo, quando foi o avançado do Valongo a provocar a queda e o espalhafato que levou à amostragem de um injusto cartão azul ao camisola 53 turquelense. Na conversão do respetivo livre direto o especialista Nuno Araújo não conseguiu desfeitiar Tuga e a vantagem dos forasteiros manteve-se. Com grande espírito de sacrifício os de Turquel aguentaram todas as investidas dos valonguenses e a três minutos do fim, numa grande jogada de contra-ataque 2x1, Pimenta combinou com Xanoca para que este último marcasse o 1-3, tento que funcionou como um autêntico “soco no estômago” dos da casa. Ainda assim a vantagem foi curta, pois a cerca de um minuto do fim Rúben Pereira “bisou”, com mais uma stickada de meia distância muito bem colocada, reduzindo para 2-3 e colocando incerteza no marcador. Até final, destaque para as nove faltas de equipa averbadas pelo HCT, sendo que a 10ª nunca caiu, apesar das tentativas dos jogadores do Valongo em conquistar o devido livre direto, que poderia dar o empate.      

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Valongo

    Dia/Hora: 5 de março de 2016, às 18:30H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2015/16 (15ª jornada)

    Árbitros: Jerónimo Moura (Porto), Orlando Panza (Porto) e Manuel Leite (3º árbitro) (Porto)

    A.D. Valongo: [10] Leonardo Pais (GR), [4] Nuno Araújo, [88] Henrique Magalhães, [39] Xavier “Xavi” Cardoso, [3] Hugo Azevedo (C), [23] João Almeida, [6] João Guimarães, [57] Rúben Pereira (2) e [20] Luís Melo. Não jogou: [81] Pedro Freitas (GR).

    Treinador: Miguel Viterbo

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz (1), [22] Luís Silva (1), [9] Vasco Luís (C), [79] Alexandre Marques “Xanoca” (1), [24] André Pimenta, [3] German Dates e [47] Xavier Lourenço. Não jogaram: [12] Mário Rosa (GR) e [4] Francisco Santos.

    Treinador: João Simões

    Faltas de Equipa: 7-9

    Disciplina: Cartão Azul a [53] Pedro Vaz (HCT).

    Resultado ao intervalo: 0-2

    Resultado Final: 2-3

    No próximo sábado, 12 de março de 2016 pelas 21:30 horas, o HCT vai até Barcelos, para enfrentar um dos ambientes mais adversos do momento no hóquei em patins português, em jogo a contar para os 16 avos de final da Taça de Portugal. O popular Óquei Clube de Barcelos é a equipa sensação da temporada 2015/2016, “patinando” num fantástico quarto posto no Nacional da 1ª divisão e tendo já garantido um lugar na Final Four da Taça CERS. O veterano Reinaldo “Rei” Ventura é o elemento em maior destaque nos minhotos, levando a incrível soma de 38 golos apontados em 18 jogos jogados, liderando a lista de melhores marcadores. No embate recente entre as duas formações, em Turquel no passado dia 23 de janeiro deste ano, os alvinegros levaram a melhor por concludentes 4-1, com um “hat trick” de Luís Silva e um outro tento de Xanoca, sendo que o inevitável Reinaldo Ventura marcou o golo solitário dos barcelenses.

  • Femininos entram com o pé direito na Fase Final

    Dois jogos duas vitórias nas duas primeiras jornadas da Fase Final do Campeonato Nacional de Seniores Femininos, dão a liderança tripartida a Benfica, Carvalhos e H.C. Turquel. A equipa comandada por Hélder Coelho entrou muito bem na fase de apuramento de Campeão Nacional e “colou-se” aos primeiros com triunfos no Estoril frente à A.J. Salesiana por 1-4 e em Turquel frente à A.D. Sanjoanense por 3-1.

    Na 1ª jornada a viajem ao Estoril antevia um jogo complicado, tendo em conta que na primeira fase as turquelenses tinham sentido algumas dificuldades para derrotar este adversário fora de portas, alcançando um resultado exatamente igual (1-4), mas com a tranquilidade a chegar apenas no fim. Desta vez a história não foi muito diferente, e o facto de o jogo ter sido algo quezilento, acabou por trazer alguma incerteza no marcador. A valadense Isa Ricardo desperdiçou uma penalidade logo aos cinco minutos, mas Inês Vicente inaugurou o marcador três minutos depois colocando o HCT em vantagem (0-1) ao intervalo. No segundo tempo, logo aos quatro minutos, caiu a 10ª falta de equipa das alvinegras, mas Joana Cruz não conseguiu desfeitiar Ana Santos na baliza turquelense. Como quem não marca, arrisca-se a sofrer, volvidos dois minutos, Inês Vicente “bisou” de livre direto a punir cartão azul mostrado a Sofia Cabrita. Quatro minutos depois a mesma Inês Vicente desperdiçou a oportunidade de completar o seu “hat trick”, ao não conseguir desfeitiar Ana Rita Sequeira na conversão do livre direto da 10ª falta de equipa das “canárias” e cinco minutos depois Beatriz Alves reduziu para um perigoso 1-2, quando faltavam apenas cinco minutos para jogar. Logo de seguida Sofia Vicente também não aproveitou um livre direto relativo à 15ª falta de equipa adversária, mas a maior experiência das visitantes permitiu que a mesma Sofia Vicente e Margarida Antónia conseguissem dois golos em dois minutos consecutivos (18’ e 19’) para sentenciarem uma partida com arbitragem complicativa de Manuel Gonçalves (Lisboa) e que foi mais complicada do que aquilo que o resultado deixa transparecer.

    Na 2ª jornada, em casa frente à A.D. Sanjoanense orientada pelo popular Rui Andrade “Ruca” (ex-H.C. Turquel), Luís Raimundo (treinador coadjuvante que emigrará) foi homenageado antes do encontro, mas as meninas alvinegras rubricaram uma exibição algo cinzenta, apesar de aos quatro minutos já se encontrarem em vantagem, fruto de um golo de Margarida António. O tento madrugador como que adormeceu a equipa e dois minutos depois Inês Ferreira igualou (1-1) a contenda. A melhor marcadora da equipa turquelense, a capitã Inês Vicente, colocou as “brutas dos queixos” novamente em vantagem (2-1) aos dez minutos e antes do descanso destaque para uma penalidade desperdiçada por Alexandra Francisco. No segundo tempo, Joana Reis brilhou na baliza forasteira e as visitadas mostraram alguma ansiedade, apenas conseguindo o golo da tranquilidade a quatro minutos do apito final do árbitro de Leiria, Vítor Roxo. A experiente Sofia Vicente fixou o resultado final em 3-1 e a segunda vitória em dois jogos surgiu para dar a liderança tripartida no campeonato à equipa comandada por Hélder Coelho.

    Neste domingo, 6 de março de 2016 pelas 18:15 horas, o HCT joga a liderança em Massamá, frente à Stuart local, um encontro que terá arbitragem de Joaquim Sequeira de Lisboa. De referir que o HCT ainda não venceu este adversário este ano, tendo perdido em Turquel na primeira fase por 3-5 e na última jornada dessa competição, as duas equipas jogaram em Massamá o posicionamento no segundo posto da tabela classificativa e um empate a uma bola foi o score final, com o HCT a liderar durante quase todo o encontro, perdendo uma vantagem que lhe servia, já dentro do último minuto de jogo. Espera-se uma história diferente desta vez.

    Dinâmica de vitória para chegar à frente

    Num momento de forma invejável, interrompido apenas pela derrota pela margem mínima (4-3) em Oliveira de Azeméis, os turquelenses (três vitórias nos últimos quatro jogos) receberam e venceram por 5-2 a forte formação da Juventude Viana, num jogo algo estranho, com ascendente repartido e que mostrou um HCT confiante, mesmo nos momentos de maior aperto. Com uma vantagem de 3-1 ao intervalo, os comandados de João Simões contaram com um Tuga a bom nível na baliza e com um Xavier Lourenço eficaz na transformação de duas penalidades (ainda que num delas só tenha feito golo na recarga) para chegarem a meio do segundo tempo bastante confortáveis no jogo. A partir daí os visitados, sob a batuta do veterano André Azevedo (fará 40 anos no final do mês de Março), pegaram no jogo e foram agressivos na hora de finalizar para reduzirem para 3-2. Uma ponta final de jogo muito forte por parte dos “brutos dos queixos” permitiu mais dois golos marcados até ao 5-2 final, para gáudio do muito público presente que mais uma vez “empurrou” a sua equipa para uma vitória concludente, perante um adversário teoricamente superior, mas que em rinque não o conseguiu demonstrar.

    Primeiro tempo com entrada forte por parte dos turquelenses que desde cedo colocaram à prova o guardião Francisco Veludo na baliza minhota. A Juventude Viana, por seu turno, teve sempre uma atitude efetiva no ataque à baliza de Tuga e inaugurou o marcador aos cinco minutos por intermédio de mais um veterano, Tó Silva (completará 40 anos em outubro deste ano), que de penalty converteu o 0-1, após falta de Xanoca sobre Gonçalo Suíssas no interior da área do Turquel. A resposta alvinegra foi servida na mesma “bandeja”, depois de Francisco Silva derrubar Luís Silva à entrada da área vianense e de Xavier Lourenço, saído diretamente do banco, converter superiormente a penalidade para restabelecer a igualdade (1-1). Cinco minutos depois, novo penalty na área visitada, mas desta feita Tó Silva permitiu excelente intervenção a Tuga à primeira e um desarme primoroso à segunda. Como “quem não mata…morre”, dois minutos depois nova penalidade, agora na área visitante, e Xavier Lourenço voltou a saltar do banco para atirar ao lado numa primeira instância e recargar com êxito à segunda. Estava desfeita a igualdade (2-1) e a euforia foi geral, tendo-se alastrado três minutos depois quando André Pimenta (grande momento de forma) recargou com êxito no coração da área forasteira, fazendo o 3-1 com que se chegou ao descanso.

    Na etapa complementar esperava-se entrada forte dos de Viana do Castelo, o que se veio a verificar, mas foi o HCT a primeira equipa a dispor de grande oportunidade para voltar a mexer com o marcador, ainda que Xanoca não tenha conseguido desfeitiar Veludo no livre direto da 10ª falta de equipa dos visitantes. Alguns minutos depois, Gonçalo Suíssas também não teve arte nem engenho para ultrapassar Tuga no livre direto da 10ª falta de equipa do HCT e a altura era de estabilizar jogo, perante um adversário sempre afoito nas suas investidas. O HCT carregou sobre o último reduto dos minhotos e viu o guardião contrário ser protagonista. Do outro lado Tuga teve menos trabalho, mas também viu duas bolas acertarem nos ferros da sua baliza. Aos quinze minutos, depois de uma excelente recuperação de bola em zona perigosa, Luís Silva distraíu-se e permitiu que o veterano Nuno Félix (40 anos) lhe roubasse a bola e fizesse o 3-2, perante um Tuga completamente desamparado. A incerteza pairou no ar e a equipa alvinegra sentiu o toque, mas foi em busca de algo mais e com alguma sorte à mistura, o capitão Vasco Luís aproveitou uma bola vinda da tabela de fundo para facturar o 4-2 e voltar a fazer saltar os adeptos dos seus assentos. Três minutos depois, André Pimenta entrou pelo meio da defensiva contrária e assistiu primorosamente Luís Silva que encostou para fazer o 5-2, perante um Francisco Veludo já fatigado de tanto ter sido chamado a intervir. Antes do apito final, destaque para mais uma excelente intervenção de Tuga no livre direto da 15ª falta de equipa dos visitados, negando mais uma vez o golo a Tó Silva e garantindo uma vitória mais sofrida do que aquilo que o resultado transparece.               

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 27 de fevereiro de 2016, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2015/16 (18ª jornada)

    Árbitros: José Pinto (Aveiro), Manuel Fernandes (Aveiro) e Paulo Silva (3º árbitro) (Lisboa)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [22] Luís Silva (1), [9] Vasco Luís (C) (1), [79] Alexandre Marques “Xanoca”, [24] André Pimenta (1) e [47] Xavier Lourenço (2). Não jogaram: [12] Mário Rosa (GR), [3] German Dates e [4] Tiago Mateus.

    Treinador: João Simões

    A. Juventude Viana: [20] Francisco “Xico” Veludo (GR), [27] André Azevedo “SAHG”, [6] Francisco “Chico” Silva, [8] “Tó” Silva (1), [17] Gonçalo Suíssas, [7] Diogo Fernandes, [37] Nelson Pereira, [9] Nuno Félix (C) (1) e [2] Gustavo Lima. Não jogou: [28] Jorge Correia (GR).

    Treinador: Pedro Sampaio

    Faltas de Equipa: 15-14

    Disciplina: Nada a assinalar.

    Resultado ao intervalo: 3-1

    Resultado Final: 5-2

    No próximo sábado, 5 de março de 2016 pelas 18:30 horas, o HCT vai até Valongo, disputar o jogo em atraso referente à 15ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª Divisão, iniciando uma série de três jogos consecutivos a atuar fora de casa. Na primeira volta em Turquel o Valongo triunfou por 2-4, mas de lá para cá trocou de treinador e tem mostrado alguma irregularidade, apesar de estar oito pontos acima dos turquelenses. Será um encontro importante para as aspirações dos dois conjuntos.

  • Xanoca convocado para a Seleção Nacional de Sub-23

    O jovem jogador dos Seniores Masculinos do HCT, Alexandre Manuel Madeira Marques, conhecido no mundo do hóquei como “Xanoca”, foi convocado pelo selecionador nacional, Luís Sénica, para englobar a lista dos dez convocados finais que representarão Portugal na Seleção Nacional de Sub-23, na Taça Latina. Os “Ursos” enfrentarão, num sistema de todos contra todos, Itália, Espanha e França e a prova terá lugar no fim de semana da Páscoa, entre os dias 24 e 26 de março, na cidade italiana de Follonica, mais concretamente no pavilhão Antonio Armeni.

    Os trabalhos do selecionado de Luís Sénica, que apenas convocou atletas que militam em equipas da 1ª divisão nacional e um da OkLliga (Espanha), têm início marcado para 20 de março, decorrendo até 23 do mesmo mês na vila do Luso, com sessões de trabalho bi-diárias e dois jogos de preparação previstos, frente a adversários ainda a confirmar.

    O camisola 79 do HCT voltará a vestir a camisola das quinas, depois de em 2013 se ter sagrado Campeão do Mundo de Sub-20 em Cartagena, Colômbia.

    O universo HCT, em particular a Direção do clube, tem o prazer de endereçar os parabéns ao Xanoca e a toda a equipa sénior do clube, que ajudou o atleta a chegar a esta convocatória, sendo que o sentimento do trabalho e da dedicação foram recompensados de forma muito feliz e enriquecedora.

    Parabéns Xanoca, parabéns HCT!

    Melhor a exibição que o resultado

    Vindos de três fantásticas vitórias frente a Barcelos em casa (4-1), Candelária fora (1-5) e Porto novamente em casa (8-5), os Seniores Masculinos do HCT chegaram a Oliveira de Azeméis no seu melhor momento da época, para defrontar uma equipa da Oliveirense dotada de “super altetas”, mas que para este jogo não contou com os argentinos Carlitos Lopez e Martin Montivero, ambos lesionados. O encontro foi intenso e bem jogado mas os da casa pareceram sempre muito despreocupados e o HCT mostrou-se sempre muito perigoso no último terço do seu meio rinque ofensivo. A Oliveirense inaugurou o marcador, mas os turquelenses responderam na mesma moeda, sendo que antes do intervalo Caio fez um de dois golos da sua conta pessoal para deixar o resultado em 2-1 no descanso. A segunda parte foi muito equilibrada e só nos últimos oito minutos houve ação para mexer com o marcador, sendo que os visitados se adiantaram por 4-1, mas, em dois momentos de inspiração individual, Luís Silva “bisou” e colocou o HCT no jogo, ainda que o forcing final não tenha dado para colocar justiça no score e pelo menos dividir os pontos entre os dois conjuntos.

     

    Primeira parte algo atípica, com os pupilos de Tó Neves a entrarem ritmados, mas a mostrarem sempre pouco empenho, sendo que esse facto foi algo que se verificou até final do jogo. Aos dez minutos Caio fugiu a Vasco Luís pela esquerda e assistiu primorosamente João Souto que, nas costas de Luís Silva, parece ter tocado a bola  com o patim para dentro da baliza de Tuga. A dupla de arbitragem minhota (Paulo Rainha e Cláudia Rego) não viu qualquer irregularidade e estava feito o 1-0. Três minutos depois Luís Silva descobriu Xanoca no coração da área visitante, este recebeu e em afastamento da baliza stickou à meia-volta e rasteiro para restabelecer a igualdade (1-1). No minuto seguinte João Souto viu a cartolina azul por agarrão ostensivo a André Pimenta aquando de uma transição turquelense, mas na conversão do respetivo livre direto Xanoca não conseguiu enganar o catalão Puigbi. A jogar em Power Play os “brutos dos queixos” não atingiram as redes contrárias e a apenas dois minutos do intervalo Caio aproveitou um bloqueio para se libertar e disparar em zona frontal para colocar o resultado em 2-1 à saída para os balneários.        

    Na segunda metade o equilíbrio adensou-se com os turquelenses com as linhas bem fechadas e os oliveirenses a mostrarem pouca vontade, em tarde de desinspiração por parte dos homens comandados por Tó Neves. Com poucas oportunidades de parte a parte, só a pouco mais de sete minutos do final do encontro é que o marcador voltou a mexer, num lance em que Vasco Luís robou uma bola a Caio no seu meio rinque, patinou isolado perante Puigbi, não conseguindo desfeitiar o guardião dos da casa, para no contra golpe Pedro Moreira aproveitar a posição de Ricardo Barreiros e assistir primorosamente o camisola 77 para este fazer o 3-1. No minuto seguinte caiu a 10ª falta de equipa do HCT e na conversão do devido livre direto Caio “bisou” para fazer o 4-1 e dar aquela que se pensava ser a “machadada” final nas aspirações turquelenses. Contudo, nos segundos seguintes, Luís Silva entrou pela esquerda do seu ataque e colocou a bola ao segundo poste para dar fôlego aos de Turquel no 4-2. Quatro minutos depois, numa transição rápida, o mesmo jogador “bisou” com uma bomba de meia-distância, à qual o guardião da Oliveirense não ficou isento de culpas. O 4-3 trouxe incerteza para os dois últimos minutos e os alvinegros carregaram sobre a baliza adversária, mas já não foram a tempo de pelo menos empatar a contenda, apesar de Xavier Lourenço ter atirado uma bola ao poste de longa distância e de Vasco Luís ter caído na área, num lance bastante duvidoso, que na sequência levou a que o capitão alvinegro visse a cartolina azul por protestos.      

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Dr. Salvador Machado – Oliveira de Azeméis

    Dia/Hora: 20 de fevereiro de 2016, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2015/16 (17ª jornada)

    Árbitros: Paulo Rainha (Minho), Cláudia Rego (Minho) e José LaSalette (3º árbitro) (Aveiro)

    U.D. Oliveirense/Simoldes: [88] Xavier “Xevi” Puigbi (GR), [7] Pedro Moreira, [77] Ricardo Barreiros (1), [29] Ricardo “Caio” Oliveira (2), [44] João Souto (1), [3] Albert Casanovas e [8] Diogo Silva (C). Não jogaram: [26] Domingos Pinho (GR) e [18] Jorge Almeida.

    Treinador: António “Tó” Neves

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [22] Luís Silva (2), [9] Vasco Luís (C), [79] Alexandre Marques “Xanoca” (1), [24] André Pimenta, [3] German Dates e [47] Xavier Lourenço. Não jogaram: [12] Mário Rosa (GR) e [4] Nuno Ribeiro.

    Treinador: João Simões

    Faltas de Equipa: 8-14

    Disciplina: Cartão Azul a [44] João Souto (UDO), [9] Vasco Luís (HCT).

    Resultado ao intervalo: 2-1

    Resultado Final: 4-3

    No próximo sábado, 27 de fevereiro de 2016 pelas 21 horas, o HCT recebe a Juventude Viana, equipa que tem feito um campeonato muito regular e que segue em 6º lugar, a apenas quatro pontos do 5º (Sporting C.P.) e com menos um jogo que os leões. Na primeira volta em Viana do Castelo o HCT saiu derrotado por tangenciais 5-4, mas desta vez as coisas estão diferentes, a equipa alvinegra está num bom momento e uma vitória pode deixar os comandados de João Simões a apenas seis pontos do adversário deste sábado. Desloque-se ao Gimnodesportivo de Turquel e apoie a nossa equipa!

  • “Brutos dos Queixos” tombam Porto em tarde histórica

    Após dois triunfos consecutivos frente a Barcelos em casa (4-1) e Candelária fora (1-5), os turquelenses receberam no domingo 14 de fevereiro, dia de S. Valentim, o F.C. Porto orientado pelo catalão Guillem Cabestany. Jogo televisionado e com poucas expetativas para o lado turquelense, que mereceu honras de casa quase cheia, com um ambiente fantástico que emanou das bancadas, muito por culpa da claque oficial alvinegra, os imparáveis Brutus 1964. Num momento incrível de superação e qualidade a equipa de João Simões transcendeu-se, iniciou de forma sublime, conseguindo uma incrível vantagem de 4-0 ao intervalo, perante a perplexidade de todos os presentes. No segundo tempo o Porto reduziu, mas sofreu em seguida três golos de uma assentada de um HCT tremendamente eficaz, o que deixou o resultado nuns inimagináveis 7-1. Até final houve aproximação no marcador, mas a vitória dos turquelenses por 8-5 (números finais) foi tão surpreendente quanto justa e as exibições individuais de Vasco Luís, que fez um “póker” (quatro golos na conta pessoal), de Marco Barros “Tuga, um autêntico muro dentro e fora dos postes da baliza dos da casa e de Luís Silva, um portento de força e velocidade, realçaram ainda mais uma exibição coletiva a roçar a perfeição. Esta foi apenas e só a terceira vitória da história do clube frente ao F.C. Porto, depois de em 1990/91 o HCT ter batido os Dragões nos penalties por 7-5, nas meias-finais da Taça de Portugal (derrota na final da competição para o Benfica por 1-3) e em 1995/96, mais precisamente no dia 1 de janeiro de 1996, vitória por 4-2 para o campeonato, num ano em que os alvinegros desceram de divisão, para só voltarem a subir seis anos depois, em 2001/2002.

     

    Primeira metade com entrada avassaladora dos da casa e com um nome como expoente máximo nos primeiros vinte e cinco minutos, Vasco Luís. O camisola nove e capitão de equipa brilhou com bastante intensidade e começou a fazê-lo logo no primeiro minuto, aproveitando uma bola rematada contra si próprio por Hélder Nunes para se isolar e fuzilar o “gigante” Nelson Filipe na baliza dos visitantes. Cinco minutos depois, num lance de laboratório com execução coletiva fantástica, André Pimenta (entrou muito bem) descobriu Vasco Luís solto ao segundo poste e este “bisou” no 2-0. Completamente atordoados com a entrada dos turquelenses, os portistas forçaram bastante e sofreram o 3-0 dois minutos depois, num contra-ataque 2x1 conduzido por Luís Silva com este a assistir Vasco Luís ao segundo poste para o “hat-trick” do capitão e o delírio nas bancadas foi total. O Porto reagiu e intensificou a pressão, mas usou e abusou da meia-distância, permitindo a Tuga ganhar confiança para mais uma exibição de sonho na baliza dos “brutos dos queixos”. Com oito minutos para jogar no primeiro tempo Xavier Lourenço cometeu penalty sobre Vítor Hugo, mas Gonçalo Alves desperdiçou o castigo, permitindo uma intervenção a Tuga que “levou abaixo” um pavilhão em completa ebolição. Para adensar ainda mais a surpresa, no mesmo minuto Telmo Pinto viu a cartolina azul por stickada dura nas mãos de Xanoca e no respetivo livre direto Vasco Luís permitiu a defesa a Nelson Filipe. No entanto, a jogar com um elemento a mais, o HCT mexeu as pedras e trocou as voltas à defensiva “tripeira”, com German Dates a descobrir Xanoca na direita e este por sua vez a endossar no “stick quente” de Vasco Luís que encostou fácil para o seu “póker”, deixando os adeptos em completa loucura, pensando viver um autêntico “conto de fadas” com o 4-0 que se registava ao intervalo.     

    No início da etapa complementar o HCT teve o seu pior período no encontro, que coincidiu com maior pressão dos visitantes. Logo aos três minutos Hélder Nunes reduziu diferenças após concluir de primeira uma assistência de Reinaldo Garcia, mas contrariamente a todas as previsões, os turquelenses não esmoreceram, antes pelo contrário, “cavalgaram” para cima de uma equipa do Porto asfixiante em ataque, mas completamente macia no processo defensivo. Aos cinco minutos, Luís Silva (grande exibição) combinou com Pedro Vaz (enorme raio de ação na marcação defensiva ao pivôt ofensivo azul e branco) e finalizou uma bola no coração da área que deixou a diferença em 5-1. O “escândalo” assumiria maiores proporções nos dois minutos seguintes quando Xanoca marcou o 6-1 de livre direto, a castigar a 10ª falta de equipa do Porto, e Xavier Lourenço o 7-1 de penalty, após falta de Gonçalo Alves sobre Vasco Luís. Todos os presentes estavam incrédulos com a diferença registada, não tanto pela qualidade exibicional dos turquelenses, que mostraram crescendo nas últimas jornadas, mas sim com o facto do F.C. Porto se revelar incapaz de dar a volta ao resultado. Um minuto depois do 7-1, Joaquim Pinto descortinou um livre direto por corte com o patim de André Pimenta e na conversão do castigo Hélder Nunes forçou a cartolina azul a Tuga, por este se ter mexido duas vezes antes da bola partir. Chamado à ação para o frente a frente com o talentoso jogador portista, o júnior Mário Rosa saltou do banco para defender com classe num primeiro momento e importunar num segundo, mantendo a diferença no marcador e levando os adeptos a terem nova explosão de alegria, numa altura em que qualquer corte ou defesa era mais festejado que um golo. Em Under Play os turquelenses aguentaram as investidas dos forasteiros, mas não conseguiram adiar o 7-2 por muito tempo, já que uns segundos depois da equipa repor a igualdade numérica de atletas sofreu um golo da autoria de Jorge Silva, após passe de Hélder Nunes. O mesmo Hélder que segundos depois viu a cartolina azul por falta dura sobre Luís Silva, mas Xavier Lourenço falhou a conversão do devido livre direto. No entanto, alguns segundos depois, o camisola 47 alvinegro redimiu-se ao “bisar” na transformação de uma penalidade a castigar nova falta sobre Luís Silva, fazendo o 8-2 com cerca de treze minutos para jogar. A partir deste momento a equipa turquelense quebrou um pouco em termos físicos, mas manteve sempre um espírito incrível de entreajuda e disso sofreram na pele Reinaldo Garcia e Rafa que desperdiçaram, em momentos quase consecutivos, uma grande penalidade e um livre direto respetivamente. A nove minutos do fim Vítor Hugo assistiu Reinaldo Garcia e este disparou de longe para o 8-3 e um minuto depois Rafa, num momento brilhante de técnica individual marcou o 8-4 de “picadinha”. Com sete minutos para jogar, pairou no ar a hipótese de uma recuperação azul e branca, que a acontecer seria épica. Contudo, os turquelenses aguentaram firme, conseguiram ter bola e colocar sempre em sentido o último reduto do Porto. A três minutos do fim Gonçalo Alves fez o 8-5 de livre direto, depois de Xanoca ter visto um azul muito duvidoso, sendo que um minuto depois Luís Silva desperdiçou novo livre direto correspondente à 15ª falta de equipa visitante. O encontro arrastou-se até ao fim, não sem antes Gonçalo Alves desperdiçar mais uma penalidade a trinta segundos do fim, permitindo a Tuga fechar com “chave de ouro” uma exibição individual estupenda e porque não dizer também coletiva, de uma equipa fantástica, que esteve sempre em perfeita comunhão com os seus adeptos, eles que mais uma vez foram inexcedíveis.             

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 14 de fevereiro de 2016, às 15H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2015/16 (16ª jornada)

    Árbitros: Joaquim Pinto (Aveiro), Paulo Almeida (Aveiro) e Pedro Silva (3º árbitro) (Porto)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [9] Vasco Luís (C) (4), [22] Luís Silva (1), [79] Alexandre Marques “Xanoca” (1), [12] Mário Rosa (GR), [24] André Pimenta, [47] Xavier Lourenço (1) e [3] German Dates. Não jogou: [4] Francisco Santos.

    Treinador: João Simões

    F.C. Porto/Fidelidade: [10] Nelson Filipe “Filipão” (GR), [78] Hélder Nunes (1), [57] Reinaldo “Nalo” Garcia (1), [77] Gonçalo Alves (1), [8] Jorge Silva (1), [9] José “Rafa” Costa (1), [58] Vítor Hugo e [5] Telmo Pinto. Não jogaram: [47] Edo Bosch (GR) (C) e [74] Álvaro Morais “Alvarinho”.

    Treinador: Guillem Cabestany

    Faltas de Equipa: 12-16

    Disciplina:

    Cartão Azul: [5] Telmo Pinto (FCP), [13] Marco Barros “Tuga” (GR) (HCT), [78] Hélder Nunes (FCP) e [79] Alexandre Marques “Xanoca” (HCT).

    Resultado ao intervalo: 4-0

    Resultado Final: 8-5

    No próximo sábado, 20 de fevereiro de 2016, a partir das 21 horas, o HCT viaja até Oliveira de Azeméis para defrontar uma Oliveirense que possui um dos melhores plantéis do hóquei nacional, que conta com vários internacionais de diversos países, mas que tem sido a desilusão da prova, ocupando a quarta posição a três pontos do segundo classificado, F.C. Porto/Fidelidade, e a treze pontos do primeiro, S.L. Benfica. Na primeira volta em Turquel a Oliveirense venceu por tangencial 3-4.

    Triunfo importante nos Açores

    No início da segunda volta do Nacional da 1ª divisão o HCT viajou até aos Açores para capitalizar o excelente momento de forma que atravessa, após o fantástico triunfo frente ao Barcelos (4-1). Num jogo vital para que os de Turquel possam encarar o segundo turno com outra tranquilidade e confiança, o grupo deu mais uma vez uma imagem de solidariedade e sacrifício em prol do colega do lado, funcionando como uma verdadeira equipa. Depois de um primeiro tempo intenso por parte dos da casa e de uma vantagem (0-1) contra a corrente do jogo ao intervalo, os turquelenses revelaram muita qualidade nas transições na segunda metade e dilataram o marcador até ao 1-5 final, “afundando” o Candelária e dando um “salto moral” muito grande na tabela classificativa. Tuga voltou a estar em evidência na baliza e Vasco Luís “bisou” numa exibição coletiva muito consistente.

    Primeira parte com entrada muito forte por parte dos picarotos, que impuseram um ritmo frenético ao seu ataque organizado, sob a batuta dos experientes Tiago Resende e Pedro Afonso. Paulatinamente, com o passar dos minutos, os turquelenses “saíram da toca” e foram chegando com mais perigo à baliza de Matraco, chegando à vantagem aos catorze minutos, depois de Pedro Vaz conduzir uma transição rápida e disparar uma bomba que só parou no fundo da baliza visitada. Até ao descanso, os “brutos dos queixos” controlaram as incidências com longas trocas de bola e foram para o intervalo com a vantagem mínima (0-1).

    Na etapa complementar o HCT entrou bem melhor que o seu adversário, estancou sempre o jogo exterior do Candelária e chegou ao 0-2 aos seis minutos, na melhor jogada da noite, consequência de um contra-ataque 3x2, com André Pimenta a dar em Luís Silva na esquerda e com este último a assistir ao segundo poste o seu capitão Vasco Luís, que só teve de encostar para marcar. No minuto seguinte, o árbitro portuense Jerónimo Moura descortinou uma falta, no interior da área turquelense, de Luís Silva sobre Alan Fernandes e o treinador/jogador Tiago Resende reduziu diferenças, batendo Tuga pela primeira e única vez. A reação dos da casa foi forte, mas com pouca qualidade no processo ofensivo e quem se aproveitou disso foi a equipa que viajou desde o concelho de Alcobaça, explorando os desequilíbrios ofensivos do seu oponente e o espaço para contra atacar. Caindo abruptamente na condição física, a formação do Candelária abriu muitos espaços nas costas e o HCT aproveitou para “matar” o jogo com pouco mais de seis minutos para jogar. Primeiro, num lance em que Xavier Lourenço descobriu André Pimenta no coração da área contrária, com este a contornar Matraco, fazendo o 1-3. Um minuto depois, Luís Silva, em grande momento de forma, finalizou com sucesso uma fantástica jogada individual conduzida pela direita, acabando com qualquer tipo de dúvida. Até final, tempo ainda para mais três situações relevantes. Primeiro o facto de ter “caído” a 10ª falta de equipa do HCT, o que levou Tiago Resende para a marca do livre direto, mas com Tuga a responder a grande nível, evitando a aproximação dos açoreanos no marcador. No mesmo minuto, Vasco Luís entrou pelo corredor central e disparou um míssil que trouxe uma diferença de quatro golos (5-1) e a poucos segundos do término do encontro, German Dates desperdiçou o livre direto da 10ª falta de equipa do Candelária, sem prejuízo no resultado final. Vitória saborosa e importante por parte dos de Turquel, frente a um adversário que terá muitas dificuldades para sair debaixo da linha de água.                  

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo da Candelária, Ilha do Pico, Açores

    Dia/Hora: 30 de janeiro de 2016, às 21H dos Açores, 22H em Portugal Continental

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2015/16 (14ª jornada)

    Árbitros: Jerónimo Moura (Porto), Orlando Panza (Porto) e José Pereira (3º árbitro) (Pico)

    Candelária S.C.: [10] Diogo Rodrigues “Matraco” (GR), [3] Tiago Resende (C) (1), [23] Pedro Afonso, [8] Alan Fernandes, [6] André Moreira, [4] João Vieira “Johe” e [20] Edgar Pereira “Piló”. Não jogaram: [11] Milton Jorge (GR) e [17] Micael Pereira.

    Treinador/jogador: Tiago Resende

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz (1), [9] Vasco Luís (C) (2), [22] Luís Silva (1), [79] Alexandre Marques “Xanoca”, [24] André Pimenta (1), [47] Xavier Lourenço e [3] German Dates. Não jogou: [12] Mário Rosa (GR).

    Treinador: João Simões

    Faltas de Equipa: 10-10

    Disciplina: Nada a assinalar.

    Resultado ao intervalo: 0-1

    Resultado Final: 1-5

    Em virtude do adiamento do jogo entre a A.D. Valongo e o H.C. Turquel, que era para ter lugar na próxima quarta-feira dia 10 de fevereiro de 2016 em Valongo pelas 21 horas, e que só se realiza no dia 5 de março pelas 18:30 horas, o fim de semana de Carnaval não terá competição oficial para os alvinegros, sendo que os pupilos de João Simões apenas voltam à ação no domingo, dia 14 de fevereiro pelas 15 horas, aquando da receção ao F.C. Porto de Cabestany, atual segundo classificado. Na primeira volta no Dragão Caixa os turquelenses sucumbiram por concludentes 5-1, com Tuga a cotar-se como o melhor elemento em rinque para os forasteiros.

    Foto Entrada: Facebook "BDQ A Aldeia"

  • Exibição a roçar a perfeição acordou “monstro adormecido”

    Último jogo da primeira volta do Nacional da 1ª divisão de Seniores Masculinos e receção do HCT ao surpreendente O.C. Barcelos, segundo classificado, só atrás do líder Benfica. Uma vitória alvinegra seria um tónico importante para enfrentar uma segunda volta em que se antevêm muitas dificuldades e isso veio mesmo a acontecer. Num ambiente frenético de cor, som e comunhão entre equipas e adeptos, a claque afeta ao H.C. Turquel, Brutus 1964, e a sua homóloga minhota, Kaos Barcelense, foram os expoentes máximos do fervorismo que se fez sentir num gimnodesportivo de Turquel com cerca de um milhar de adeptos nas bancadas. O jogo foi de loucos e teve ascendente inicial por parte dos visitantes, pairando no ar mais um desaire turquelense. No entanto, com exibições individuais fantásticas de Tuga na baliza e de Luís Silva (três golos) na frente, os visitados foram embalados pelo ritmo que emanou das bancadas e rubricaram a melhor exibição da época, reduzindo o Barcelos a um hóquei demasiado direto e previsível, que nem o melhor marcador do campeonato, o “veterano” Reinaldo Ventura, conseguiu disfarçar. O triunfo teve números expressivos (4-1), mas a equipa de João Simões fez por merecer a vantagem conquistada no final dos cinquenta minutos, pois foi solidária defensivamente e muito astuta no plano ofensivo, acordando um “monstro” que estava hibernado há já algum tempo nas profundezas das bancadas do inferno alvinegro.

     

    No primeiro tempo, entrada motivada dos forasteiros que se fizeram valer do grande momento que atravessam para imporem o seu jogo. Os turquelenses pareceram, ao contrário de outros jogos, estar muito concentrados e focados na tarefa, não dando nenhum lance como perdido. Ainda assim, foi o Barcelos que dispôs da primeira grande ocasião para marcar, numa grande penalidade cometida pelo capitão Vasco Luís sobre o jovem Vieirinha. Do alto dos seus 37 anos, Reinaldo Ventura não teve arte nem engenho para concretizar, tendo pela frente um Tuga inspiradíssimo, que defendeu o primeiro remate e mais duas recargas do 66 barcelense, levando à loucura os adeptos turquelenses. Estava dado o mote para uma noite memorável do guardião alvinegro e de toda a equipa do HCT. Já com mais de meio da primeira metade jogada, o guardião Ricardo Silva derrubou Pedro Vaz quando este tentava entrar na área adversária e viu-lhe ser admoestada a cartolina azul. Perante o recém entrado Ginho, Vasco Luís desperdiçou o devido livre direto e em Power Play a equipa visitada não conseguiu chegar à vantagem. Como “quem não mata…morre”, logo depois da reposição do quinto atleta minhoto, André Pimenta derrubou um contrário, deixando o stick entre as suas pernas, a dupla de arbitragem considerou ser uma falta passível da amostragem da cartolina azul e na conversão do respetivo livre direto, Reinaldo Ventura desta vez não deixou os seus créditos por mãos alheias, desfeitiando Tuga com muita categoria. O 0-1 despertou os da casa e trouxe ao de cima a velocidade, irreverência e qualidade de Luís Silva. Com cinco minutos por jogar na primeira parte, o atleta formado nos vizinhos da BIR Valado dos Frades igualou a contenda com uma magnífica “picadinha” desde trás da baliza e um minuto depois desfez a igualdade na conversão exímia de um livre direto, após Zé Pedro ter visto a cartolina azul por falta dura sobre Xanoca. Antes do intervalo, Joca viu também ele o azul por derrube a Luís Silva, quando este se escapava no contra-ataque, mas desta feita o camisola 22 alvinegro não conseguiu bater Ricardo Silva e o resultado no descanso cifrava-se em 2-1.   

    No segundo período houve pouco ataque à baliza de parte a parte, o HCT tentou gerir os acontecimentos e o resultado, com agrupamento defensivo e saídas rápidas no contra ataque, sendo que o Barcelos pareceu sempre muito “preso” em ataque, explorando em demasia a relação do passe para o interior da área, à espera que Hugo Costa pudesse desviar para dentro da baliza dos da casa, mas o camisola 9 minhoto esteve em noite completamente desinspirada, tendo tido mesmo alguns momentos de desespero no jogo, com muitos protestos e picardias com adversários. Só aos dez minutos o marcador voltou a funcionar e depois de um lance algo duvidoso em que Luís Querido vê o cartão azul, por suposto derrube a Xanoca, o lance não foi claro, mas quem não se importou com isso foi o mesmo Xanoca que bateu Ricardo Silva com classe na conversão do livre direto correspondente. O 3-1 deu tranquilidade aos pupilos de João Simões, que passaram a gerir os acontecimentos com maior tempo de posse de bola e obrigaram o Barcelos a subir as linhas, cometendo algumas faltas de equipa que levaram rapidamente à 10ª. Na conversão do devido livre direto, Xanoca desta vez acertou na luva de Ricardo Silva, com a bola ainda a bater na trave. Sem se conseguirem afastar no marcador, os alvinegros intranquilizaram-se um pouco, Vasco Luís perdeu uma bola a meio-campo que deixou Reinaldo Ventura isolado, mas Tuga respondeu afirmativamente e manteve o 3-1 no marcador, assim como um minuto depois, aquando da chegada do HCT à 10ª falta de equipa, Tuga, no duelo particular com Reinaldo Ventura, a levar outra vez a melhor perante o “Rei”, mostrando que está de regresso aos “bons velhos dias”. O jogo conheceu então um período de estagnação e os da casa dominaram de forma algo surpreendente, com longas trocas de bola e duas situações claras de 2x1 que André Pimenta, em ambas, desperdiçou perante um desamparado Ricardo Silva na baliza barcelense. A dois minutos do fim, Luís Silva fechou com “chave de ouro” uma exibição fantástica, enviando uma “bomba” para o fundo da baliza do Barcelos, numa transição rápida, que acabou com todas as dúvidas quanto ao vencedor final. O delírio nas bancadas foi total e quase que o pavilhão vinha abaixo quando Reinaldo Ventura viu a cartolina azul por protestos com o jogo em andamento, ainda que Luís Silva não tenha conseguido desfeitiar o guardião contrário na transformação de mais um livre direto. No final, 4-1 favorável à melhor equipa em rinque que, em comunhão com os seus fantásticos adeptos, rubricou a melhor exibição da temporada.             

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 23 de janeiro de 2016, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2015/16 (13ª jornada)

    Árbitros: Jaime Vieira (Alentejo), Ricardo Leão (Lisboa) e Armando Henriques (3º árbitro) (Leiria)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [9] Vasco Luís (C), [22] Luís Silva (3), [79] Alexandre Marques “Xanoca” (1), [24] André Pimenta e [3] German Dates. Não jogaram: [12] Mário Rosa (GR), [4] Tiago Mateus e [47] Xavier Lourenço.

    Treinador: João Simões

    O.C. Barcelos SAD: [01] Ricardo Silva (GR), [19] Luís Querido (C), [66] Reinaldo “Rei” Ventura (1), [74] Miguel Vieira “Vieirinha”, [9] Hugo Costa, [10] João Pereira “Ginho” (GR), [4] Zé Pedro, [49] Pedro Mendes e [7] João “Joca” Guimarães. Não jogou: [5] Pedro Silva.

    Treinador: Paulo Freitas

    Faltas de Equipa: 11-12

    Disciplina:

    Cartão Azul: [01] Ricardo Silva (GR) (OCB), [24] André Pimenta (HCT), [4] Zé Pedro (OCB), [7] João “Joca” Guimarães (OCB), [19] Luís Querido (C) (OCB) e [66] Reinaldo Ventura (OCB) (protestos).

    Resultado ao intervalo: 2-1

    Resultado Final: 4-1

    No próximo fim de semana o HCT viaja até à ilha do Pico nos Açores para iniciar a segunda volta do Nacional da 1ª divisão frente ao Candelária S.C.. Na primeira volta em Turquel o HCT venceu por tangenciais 2-1 e uma vitória em terras açoreanas poderá catapultar a equipa de João Simões para um segundo turno mais tranquilo que o primeiro. O jogo realiza-se no sábado, 30 de janeiro de 2016, a partis das 21 horas locais, 22 horas em Portugal Continental.

    Despedida da Europa com sabor a pouco

    Depois de uma derrota por margem de um golo (2-3) em casa na primeira mão dos oitavos de final da Taça CERS, o HCT deslocou-se até à vizinha Espanha para defrontar o Reus Deportiu na segunda mão da eliminatória. Sempre em desvantagem no marcador e cometendo alguns erros primários, os alvinegros andaram sempre atrás do resultado e o jogo foi quase sempre controlado pelos pupilos de Enrico Mariotti, até aos minutos finais, altura em que o HCT se encheu de brio e “colou” no marcador, colocando em sentido os catalães. O pouco rigor nas ações defensivas e uma atuação desastrosa de uma dupla de arbitragem italiana, que pôs os “pés pelas mãos” em muitos momentos decisivos, levaram a que a derrota final por 7-5 trouxesse uma sensação final de que o HCT poderia ter levado a discussão desta eliminatória até às últimas consequências.

    Entrada no primeiro tempo com o HCT a mostrar atitude para tentar “virar” a desvantagem de um golo (2-3) que trouxe da 1ª mão em Turquel e com o Reus a controlar as incidências, assumindo longas trocas de bola em ataque organizado, sem se deixar surpreender. Logo aos quatro minutos Xavi Rubio, num ataque rápido, passou por André Pimenta e já dentro da área alvinegra foi derrubado pelo camisola 24 turquelense, que viu-lhe ser admoestada a cartolina azul. Na conversão do devido livre direto, o especialista Raul Marin enganou Tuga e fez o 1-0. Com desvantagem de dois golos o HCT carregou, mas foi o Reus a marcar novamente, num lance em que Marc Coy (ex-S.L. Benfica) conquistou um ressalto em falta com o patim, após uma bola aliviada por Tuga e esta caprichosamente entrou na baliza dos turquelenses. Quatro minutos depois Marc Coy fez penalty sobre German Dates e Luís Silva, na recarga, reduziu diferenças (2-1). A equipa ganhou então ânimo e saiu com maior vontade para o contra golpe, mas desprotegeu as costas e num contra-ataque bem gizado, Marc Coy assistiu o capitão Matias Platero que à meia volta, perante Tuga, fixou o 3-1 com que se chegou ao intervalo.    

    Na segunda metade a dinâmica manteve-se, o Reus sempre com ascendente no ataque organizado e o HCT a tentar o contra golpe, tendo sido feliz aos oito minutos, numa combinação fantástica de 2x2, entre Pedro Vaz e Xanoca, com o segundo a assistir o primeiro no 3-2. Este golo encurtou distâncias e fez despertar a equipa da casa que voltou a aumentar para dois golos de diferença três minutos depois, num lance em que os turquelenses falharam uma transição rápida e permitiram a Marc Ollé isolar Marc Coy, para este surpreender Tuga com uma fantástica “picadinha”. Apesar deste “soco no estômago” os de Turquel não esmoreceram, mas sofreram um revés com uma cartolina azul mostrada, com o jogo parado, ao técnico João Simões. A inferioridade numérica momentânea revelou-se fatal, já que na sequência Raul Marin “bisou”, num lance em que mais uma vez um jogador do Reus ganhou o ressalto com o patim, antes de introduzir a bola na baliza de Tuga. O 5-2 parecia deixar tudo arrumado, mas dois minutos depois, num grande contra ataque 2x1, Vasco Luís assistiu Luís Silva e este fez o 5-3, num jogo de loucos com constante parada e resposta. Dois minutos depois, o mesmo Luís Silva poderia ter aproximado ainda mais a sua equipa no marcador, mas permitiu ao guardião Roger Molina uma boa intervenção na tentativa de conversão de uma grande penalidade a castigar falta de Marc Ollé sobre um alvinegro. Como quem não marca sofre, três minutos depois Marc Ollé redimiu-se do erro cometido na área contrária e aproveitou uma transição rápida para stickar forte e colocado no 6-3. Faltavam pouco mais de três minutos para o apito final e tudo parecia “arrumado”, mas no minuto seguinte Luís Silva completou o seu “hat trick” desferindo uma “bomba” desde a direita do seu ataque no 6-4 e logo de seguida Vasco Luís aproveitou uma sobra junto da baliza de Molina para fazer o 6-5 e colocar em sentido os visitados. Faltavam mais de dois minutos e a pressão visitante intensificou-se, com Vasco Luís a ter a grande oportunidade de empatar o jogo e deixar a sua equipa a apenas um golo de empatar a eliminatória,. No entanto Raul Marin cortou a bola com o patim, quando esta se encaminhava para a baliza do Reus, sendo que a dupla de arbitragem nada assinalou. Na sequência, Vasco Luís viu a cartolina azul por se envolver com o mesmo Marin e João Simões voltou também ele a ver o azul por protestos. Na conversão do devido livre direto Raul Marin não deixou os seus créditos por mãos alheias e fechou as contas em 7-5, estabelecendo uma diferença que não espelha o que se passou em rinque, nem o que se passou no conjunto dos dois jogos da eliminatória.

    Ficha Técnica:

    Local: Palau d’Esports de Reus – Reus (Catalunha, Espanha)

    Dia/Hora: 16 de janeiro de 2016, às 21H locais (20H em Portugal Continental)

    Competição: Oitavos-de-final da Taça CERS (2ª Mão)

    Árbitros: Massimiliano Carmazzi (Itália) e Luca Molli (Itália)

    Reus Deportiu: [89] Roger Molina (GR), [2] Xavier “Xavi” Rubio, [8] Matias Platero (C) (1), [9] Raul Marin (3), [5] Joan Salvat, [23] Marc Coy (2) e [11] Marc Ollé (1). Não jogaram: [10] David Toda (GR), [3] Sergi Torné e [6] Marc Pujol.

    Treinador: Enrico Mariotti

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz (1), [24] André Pimenta, [9] Vasco Luís (C) (1), [79] Alexandre Marques “Xanoca”, [22] Luís Silva (3), [3] German Dates e [47] Xavier Lourenço. Não jogou: [12] Miguel Silva (GR).

    Treinador: João Simões

    Faltas de Equipa: 8-9

    Disciplina: Cartão Azul: [24] André Pimenta (HCT), [9] Vasco Luís (HCT) e [Treinador] João Simões (HCT) (2 vezes).

    Resultado ao intervalo: 3-1

    Resultado Final: 7-5

    Resultado agregado das duas mãos: 10-7

    No próximo sábado, 23 de janeiro pelas 21 horas, o HCT termina a primeira volta com uma receção à equipa sensação do campeonato, o histórico O.C. Barcelos. A formação orientada por Paulo Freitas tem surpreendido a crítica e encontra-se num fantástico 2º lugar da tabela classificativa, a sete pontos do líder Benfica e dois acima do 3º classificado, o F.C. Porto. Será uma tarefa dura para a equipa orientada por João Simões, que precisa de pontos como de “pão para a boca”, mas a crença em levar de vencida um adversário superior pode originar uma surpresa.

    Fotos: Laia Solanellas

  • Diferença de intensidade fez-se sentir

    Primeiro jogo de 2016 e deslocação complicada dos turquelenses até Torres Vedras para defrontar o Sporting C.P., num jogo que ficou marcado desde o início pela alteração de pavilhão. Depois do pavilhão do Livramento ter ficado húmido após a intempérie que se abateu sobre o nosso país, o pavilhão do Sporting Clube de Torres foi o escolhido para acolher o jogo entre verde e brancos e alvinegros. No duelo, diferença abissal entre os dois conjuntos em dois capítulos, no físico, onde a diferença se marcou profundamente e no plano técnico individual, com os da casa a mostrarem argumentos muito fortes e que nunca conseguiram ser contrariados por uma equipa de Turquel apática e com pouca chama. O 4-0 ao intervalo marcou o destino do encontro e quando os números chegaram a 6-0 o Sporting tirou o pé do acelerador, com os mais jovens que compõem o plantel turquelense a responderem de forma positiva, encurtando distâncias até ao 9-4 final.

    Primeira parte com pouca história para contar, tendo em conta que desde cedo o Sporting se mostrou muito agressivo e inaugurou o marcador logo no primeiro minuto, numa “pintura” de Luís Viana que, à frente de Pimenta, levantou a bola e bateu Tuga pela primeira vez. Entrando quase a perder, os turquelenses tentaram reagir, mas cometeram erros de palmatória na organização do seu ataque e desprotegeram constantemente as costas da sua defesa. Aos onze minutos, numa perca de bola displicente por parte dos visitantes na transição defesa-ataque, João Pinto deu a Viana e este assistiu Centeno ao segundo poste para o 2-0. Cinco minutos depois, num livre frontal à entrada da área do Sporting, desorganização na marcação do mesmo, Luís Silva atirou contra as caneleiras de João Pinto e este saiu isolado para fazer o 3-0. A dois minutos do descanso, erro primário de Vasco Luís, que fez um 2x1 em zona alta e Tuco conseguiu sair para dar a Cacau, com este a assistir Centeno ao segundo poste, “bisando” de forma fácil e colocando o resultado num justíssimo 4-0 ao intervalo.

    Na etapa complementar o “sentido do jogo” manteve-se, o HCT voltou dos balneários com pouco poder de reação e logo aos três minutos Poka disparou um míssil numa transição rápida para fazer o 5-0. Alguns segundos depois, Tiago Losna surgiu pela esquerda do seu ataque e assistiu Cacau no meio que, perante a oposição de Pedro Vaz, atirou mesmo assim a contar para fazer o 6-0. Estava sentenciado o encontro à alguns golos atrás e o Sporting tirou nitidamente o “pé do acelerador” a partir deste momento. Foi então que se deu a reação dos forasteiros que, feridos no orgulho, reduziram numa bomba do capitão Vasco Luís. No entanto logo em seguida caiu a 10ª falta de equipa do HCT e Cacau “bisou” de forma decidida no livre direto, perante um Tuga desmoralizado. Assistiu-se então a uma fase do jogo de “ora marcas tu, ora marco eu”, já que alguns minutos depois Xanoca fez o 7-2 de meia distância, depois de ele mesmo ter desperdiçado o livre direto da 10ª falta de equipa do Sporting. Numa transição muito rápida Centeno completou o seu “hat trick” numa recarga de “picadinha” e dois minutos depois Xavier Lourenço reduziu para 8-3 após assistência de Xanoca para as costas da defesa verde e branca. A seis minutos do término do encontro caiu a 15ª falta de equipa dos “brutos dos queixos” e Luís Viana, na transformação do respetivo livre direto fez uma maldade a Tuga, “bisando” com uma stickada por entre as pernas. No minuto seguinte foi o júnior de primeiro ano Tiago Mateus (dois golos nos últimos dois jogos do campeonato) a fechar as contas em 9-4, após um contra-ataque 3x2 em que recebeu uma assistência de Xanoca e enrolou a bola por cima de Girão. Ainda assim, houve mais uma oportunidade para que os de Turquel encurtassem distâncias, mas Xavier Lourenço permitiu a defesa a Girão na conversão do livre direto da 15ª falta de equipa dos visitados.             

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão do S.C. Torres – Torres Vedras

    Dia/Hora: 9 de janeiro de 2016, às 16H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2015/16 (12ª jornada)

    Árbitros: Rui Torres (Minho), Joaquim Pinto (Aveiro) e Miguel Torres (3º árbitro) (Minho)

    Sporting C.P.: [61] Ângelo Girão (GR), [6] Esteban “Tuco” Abalos, [22] André Centeno (3), [16] João Pinto “Mustang” (1), [44] Luís Viana “Zorro” (2), [5] Cláudio Filho “Cacau” (2), [18] Daniel Oliveira “Poka” (1), [9] Tiago Losna e [4] Ricardo Figueira (C). Não jogou: [91] José Diogo Macedo (GR)

    Treinador: Nuno Lopes

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [24] André Pimenta, [9] Vasco Luís (C) (1), [79] Alexandre Marques “Xanoca” (1), [22] Luís Silva, [47] Xavier Lourenço (1), [3] German Dates e [4] Tiago Mateus (1). Não jogou: [12] Mário Rosa (GR).

    Treinador: João Simões

    Faltas de Equipa: 15-17

    Disciplina: Nada a assinalar.

    Resultado ao intervalo: 4-0

    Resultado Final: 9-4

    No próximo fim de semana o campeonato volta a parar e tem lugar a 2ª Mão dos oitavos de final da Taça CERS, com o HCT a deslocar-se já este sábado, 16 de janeiro de 2016 pelas 20:30 horas locais (19:30 horas em Portugal Continental), ao recinto dos espanhóis do Reus Deportiu, clube catalão dos arredores de Barcelona. Na 1ª Mão em Turquel o HCT perdeu por 2-3 e vai agora a Reus para tentar discutir a passagem aos quartos de final, frente a um conjunto da casa muito forte no plano individual e que se encontra em 4º lugar na OkLliga.

    Jogo entre Sporting e HCT realiza-se em Torres Vedras

    Por ter sido solicitado pelo Sporting C.P., devido ao mau estado do piso do pavilhão do S.C. Livramento (sua atual casa), e de acordo com o artigo 58 do Regulamento Geral do Hóquei em Patins, vai ser alterado o local de realização do jogo da 12ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª Divisão de Seniores Masculinos, marcado para este sábado, 9 de Janeiro de 2016 pelas 16 horas, e que coloca frente a frente os “leões” de Nuno Lopes e os “brutos dos queixos” de João Simões.

    O encontro realizar-se-á no “renovado” Pavilhão do Sporting Clube de Torres, na cidade de Torres Vedras, no mesmo dia e à mesma hora. A todos os interessados em acompanharem in loco a equipa alvinegra nesta deslocação, fica a chamada de atenção para esta mudança, sendo importante passar a palavra.

  • Manita de Vasco Luís atropela Física

    Regresso ao “inferno” do Gimnodesportivo de Turquel para a receção à Física de Torres Vedras e uma baixa forçada por lesão na equipa de João Simões. O defesa/médio Pedro Vaz não pôde dar o seu contributo à formação alvinegra neste e
  • Seniores Femininos lideram e têm teste de fogo

    Seis vitórias em outros tantos jogos dão liderança bipartida da Fase Final do Campeonato Nacional de Seniores Femininos ao H.C. Turquel e ao S.L. Benfica. A equipa comandada por Hélder Coelho está de “stick quente” e venceu os seis encontros
  • Exibição menos conseguida atira HCT para fora da Taça

    O sorteio dos 16 Avos-de-final da Taça de Portugal ditou um Barcelos-Turquel na primeira eliminatória da competição em que entraram equipas da 1ª Divisão. Duas notas de destaque no pós-jogo, primeiramente a ausência forçada de Marco Barros
  • Xanoca conquista Taça Latina pela Seleção Nacional de Sub-23

    O jovem jogador dos Seniores Masculinos do HCT, Alexandre Manuel Madeira Marques, popularmente conhecido por “Xanoca”, conquistou, conjuntamente com os seus colegas da Seleção Nacional de Sub-23 de Portugal, a XXVIII edição da Taça Latina, q
  • Vasco Luís e Luís Silva ficam no HCT em 2016/2017

    A Direção do HCT continua a trabalhar antecipadamente na constituição do plantel de Seniores Masculinos para a temporada 2016/2017. Como tal, acertou a renovação com mais dois atletas preponderantes na manobra da equipa sénior na temporada que
pub1.png

Video da Semana

Publicidade jogos

Turquel x Academica Site 01

Formação

facebook

 
 

.

Localização

Contactos

Telefone: 262919 244

email: secretaria@hct.pt

web: www.hct.pt