Breves

  • Vitória inequívoca sobre pressão

    Pressionada com a obrigatoriedade da vitória, de modo a entrar com força na luta pela manutenção, a equipa do HCT rubricou uma boa exibição frente a um rival direto, o Riba d’Ave HC, diante dos seus adeptos mais fiéis. Um início de primeiro tempo demolidor (2-0 logo aos 3 minutos) trouxe a tranquilidade necessária para encarar um resto de jogo que foi bem mais difícil do que o resultado final (6-1) deixa transparecer. O capitão Vasco Luís “fez as pazes” com os golos e assinou um “hat-trick” ainda no primeiro tempo, o defesa/médio André Pimenta saiu do banco para dar outra vida à equipa, assinando um “bis” que curiosamente também tinha obtido na primeira volta em Riba d’Ave (vitória dos turquelenses por 1-7) e Tuga voltou a demonstrar as credenciais que o tornaram num dos melhores guarda-redes nacionais, parando cinco bolas paradas (3 livres diretos e dois penaltys) e rubricando uma exibição bastante segura, naquela que foi uma vitória sem mácula da melhor equipa em rinque.

    Primeiros minutos da primeira parte e a equipa da casa mostrou ao que vinha, com “bis” do capitão Vasco Luís logo aos três minutos, fruto de duas meias-distâncias frontais ao seu estilo que “furaram” João Gomes Ferreira na baliza minhota. O Riba d’Ave reagiu dois minutos depois, por intermédio do jogador/treinador, Hugo Azevedo, que do alto da sua experiência conseguiu um golo através do jogo atrás da baliza, algo que é uma das suas imagens de marca. O 2-1 ainda fez tremer os alvinegros, mas as mexidas no cinco, com as entradas de Luís Silva e principalmente de André Pimenta, vieram dar outra vivacidade e consistência à equipa orientada por João Simões. A meio do primeiro tempo e quando o Riba d’Ave tinha acabado de pedir o seu desconto de tempo, André Pimenta entrou pela direita do seu ataque e surpreendeu tudo e todos, incluindo o guardião João Gomes Ferreira, colocando a bola ao primeiro poste para fazer o 3-1. Dois minutos depois caiu a 10ª falta de equipa dos forasteiros e Vasco Luís “soltou a bomba” para fazer o seu “hat-trick” e completar o 4-1, que dava muita margem aos da casa. Até ao intervalo destaque para dupla cartolina azul mostrada a Luís Silva (HCT) e a Vítor Hugo Moreira (RAHC), com o jogo parado, eles que se desentenderam momentaneamente. No descanso a vantagem (4-1) era mais do que justa.                   

    O início da segunda metade trouxe um Turquel demasiado cauteloso, à bica com nove faltas de equipa e os visitantes tiveram algum ascendente. Aos seis minutos caiu a 10ª falta de equipa do HCT, e na transformação do devido livre direto Bruno Pinto “Serôdio” avançou para a marca, mas permitiu a Tuga a defesa e o início de uma segunda parte brilhante por parte do “keeper” alvinegro. Quatro minutos depois, Nuno Pereira “Miccoli” caiu na área visitada e Jaime Vieira (Alentejo) assinalou penalty. O mesmo Serôdio, no cara a cara com Tuga, voltou a não conseguir desfeitear o guardião da casa. Dois minutos depois foi a vez do Turquel ter direito a um livre direto, derivado da 15ª falta de equipa do Riba d’Ave, mas Vasco Luís atirou ao poste e na recarga permitiu boa defesa a João Gomes Ferreira. No entanto, no mesmo minuto, o guardião visitante foi impotente para travar o desvio oportuno de André Pimenta (“bis”) na área, após excelente assistência da esquerda por parte de Luís Silva. O 5-1 adensou diferenças, que podiam ter sido ainda maiores dois minutos depois, após cartolina azul mostrada a Hugo Azevedo (derrubou ostensivamente Daniel Matias). Chamado à conversão do respetivo livre direto André Pimenta atirou por cima e não logrou o seu “hat-trick”. Num jogo muito quezilento que acabou com quarenta faltas de equipa no total (vinte para cada lado), o HCT somou quinze à passagem dos quinze minutos e na tentativa de transformação do devido livre direto Tiago Pimenta foi desarmado por Tuga. Foi já nos últimos dois minutos que o jogo voltou a animar, primeiro foi Luís Silva e Hugo Azevedo a verem mais um azul para cada um no encontro, após se desentenderem e depois foi a 20ª falta de equipa do Riba d’Ave que caiu para dar origem ao 6-1, num livre direto superiormente convertido por Daniel Matias, ele que parece estar de volta à sua “velha forma”. No mesmo minuto, Serôdio “cavou” a 20ª falta de equipa do Turquel num lance com André Pimenta, mas o jovem Ricardo Lopes voltou a não levar a melhor sobre Tuga, que se mostrava um “muro” intransponível. O guardião alvinegro finalizou a sua exibição de luxo com nova bola parada defendida, desta feita um penalty que o ainda júnior, Daniel Pinheiro, não conseguiu transformar em golo. A partida terminou logo de seguida, o HCT afastou-se da “linha de água” e poderá encarar os próximos jogos com maior tranquilidade, sabendo que um mau resultado poderá colocar tudo em risco.    

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 22 de abril de 2017, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2016/17 (20ª jornada)

    Árbitros: Jaime Vieira (Alentejo), Paulo Carvalho (Leiria) e António Peça (3º árbitro) (Leiria)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [4] Daniel Matias (1), [9] Vasco Luís (C) (3), [79] Alexandre Marques “Xanoca”, [22] Luís Silva e [24] André Pimenta (2). Não jogaram: [10] Samuel Santos (GR), [57] João Silva “Janeka” e [58] Tiago Mateus.

    Treinador: João Simões

    Riba d’Ave H.C.: [10] João Gomes Ferreira (GR), [55] Bruno Pinto “Serôdio”, [9] Nuno Pereira “Miccoli”, [5] Raul Meca Lopes (C), [33] Hugo Azevedo (1), [6] Tiago Pimenta, [85] Vítor Hugo Moreira, [4] Daniel Pinheiro e [3] Ricardo Lopes. Não jogou: [20] Afonso Ferro (GR).

    Treinador/Jogador: Hugo Azevedo

    Faltas de Equipa: 20-20

    Disciplina: Cartão Azul a [22] Luís Silva (HCT) [2X], [33] Hugo Azevedo (RAHC) [2X] e [85] Vítor Hugo Moreira (RAHC).

    Resultado ao intervalo: 4-1

    Resultado Final: 6-1

    Na próxima jornada, a 21ª, o HCT tem uma deslocação complicada ao pavilhão do O.C. Barcelos. O jogo com a equipa minhota disputa-se apenas na próxima quarta-feira, 3 de maio de 2017, pelas 21:30h, em virtude da participação do Barcelos na Final Four da Taça CERS (defendem o título conquistado em 2016) no fim-de-semana de 29 e 30 de abril. Na primeira volta em Turquel o Barcelos venceu por 1-4, num jogo em que os turquelenses andaram sempre a correr atrás do prejuízo.

    Suster ritmo adversário mas sem conseguir pontuar

    Encontro de vital importância para as aspirações de ambos os conjuntos e visita do HCT a Valongo onde nos últimos anos tinha conseguido sempre resultados positivos. Jogo muito intenso, com ritmo alto imposto pelos locais ao longo de quase todo o encontro e com um Turquel a tentar jogar no erro do adversário. Ao intervalo registava-se um nulo que deixava ambos os guarda-redes como as figuras do jogo, principalmente Tuga. No segundo tempo o Valongo fez dois golos quase consecutivos logo no reatamento e Xanoca ainda reduziu num desvio oportuno, fazendo o momentâneo 2-1, mas a equipa turquelense nunca esteve confortável na partida e não teve forças para trazer pelo menos um ponto de Valongo.

    Primeira parte com entrada demolidora por parte dos visitados, que pressionaram logo na saída dos forasteiros e criaram muitas dificuldades ao último reduto turquelense. No entanto, foi o HCT a primeira equipa a dispor de soberana ocasião para inaugurar o marcador, mas com Vasco Luís a desperdiçar uma penalidade sofrida por ele mesmo (falta de Xavi Cardoso). O capitão turquelense permitiu tripla intervenção ao guardião da casa, Leonardo Pais, e o marcador não funcionou. Alguns minutos depois foi a vez do Valongo ter também uma grande penalidade a seu favor, por falta de Pedro Vaz sobre Xavi Cardoso (houve dúvidas se a falta foi fora ou dentro da área), mas a história repetiu-se e Xavi Cardoso atirou por cima da baliza à guarda de Tuga. Com menos de um segundo para terminar a primeira parte e com os dois conjuntos à bica com nove faltas de equipa, Luís Melo fez a 10ª falta de equipa do Valongo de forma intencional sobre André Pimenta, num lance com interpretação dúbia e que poderia ter valido a cartolina azul ao avançado valonguense. A interpretação dos árbitros Rui Torres (Minho) e Orlando Panza (Porto) não foi essa e na marca de livre direto Vasco Luís teve de bater direto, não tendo acertado na baliza. Ao intervalo o 0-0, tendo em conta o caudal ofensivo dos da casa, era lisonjeiro para os forasteiros

    No início do segundo tempo o Valongo voltou a entrar melhor e em dois minutos conseguiu dois tentos que se viriam a revelar decisivos para as contas finais do encontro. Primeiro foi João Almeida que aproveitou a “floresta de jogadores” à frente de Tuga e do meio da rua disparou uma bomba que só parou no fundo da baliza alvinegra. Logo depois foi Pedro Mendes, numa cavalgada desde junto da sua baliza, a ludibriar Vasco Luís e Tuga para fazer o 2-0 com remate ao primeiro poste. O HCT sofreu dois ”murros no estômago” de forma consecutiva, mas teve o condão de reagir e ter o seu melhor momento no encontro, naquela que foi uma exibição globalmente negativa, a contrastar com os sinais positivos que o grupo tinha dado recentemente. Antes da reação dos “brutos dos queixos” destaque para o livre direto da 10ª falta de equipa do Turquel, desperdiçado por Rúben Pereira, ele que permitiu tripla intervenção a Tuga. O Valongo não “matou” o encontro e logo de seguida Vasco Luís disparou do meio da rua para Xanoca desviar à frente de Leonardo Pais, anotando o 2-1 que trazia esperança aos alvinegros, com mais de dez minutos para jogar. A equipa subiu linhas, mas nunca conseguiu importunar o último reduto visitado e até podia ter sofrido pelo menos mais um golo, em nova penalidade desperdiçada pelos da casa, desta feita pelo capitão Rúben Pereira, ele que não conseguiu desfeitear um recém-entrado Samuel Santos. A partida arrastou-se para o fim e terminou mesmo com um 2-1 no marcador que castigou a inoperância visitante, num jogo em que a equipa turquelense deveria ter feito bem mais.  

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Municipal de Valongo

    Dia/Hora: 8 de abril de 2017, às 18:30H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2016/17 (19ª jornada)

    Árbitros: Rui Torres (Minho), Orlando Panza (Porto) e Manuel Leite (3º árbitro) (Porto)

    A.D. Valongo: [10] Leonardo Pais (GR), [39] Xavier “Xavi” Cardoso, [6] João Guimarães, [57] Rúben Pereira (C), [23] João Almeida (1), [81] Pedro Freitas (GR), [9] Guilherme Silva, [49] Pedro Mendes (1), [20] Luís Melo e [8] Diogo Seixas.

    Treinador: Miguel Viterbo

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [4] Daniel Matias, [53] Pedro Vaz, [22] Luís Silva, [9] Vasco Luís (C), [10] Samuel Santos (GR), [79] Alexandre Marques “Xanoca” (1), [24] André Pimenta e [57] João Silva “Janeka”. Não jogou: [58] Tiago Mateus.

    Treinador: João Simões

    Faltas de Equipa: 13-13

    Disciplina: Nada a assinalar.

    Resultado ao intervalo: 0-0

    Resultado Final: 2-1

    No próximo sábado, 22 de abril de 2017 pelas 21 horas, jogo fundamental para as aspirações turquelenses, que depois de terem caído abaixo da “linha de água”, recebem um adversário direto na luta pelas contas pela manutenção, o Riba d’Ave HC. Os minhotos estão três pontos acima dos “brutos dos queixos” e uma vitória visitada coloca o Turquel com vantagem no confronto direto, tendo em conta que na primeira volta em Riba de Ave os comandados de João Simões somaram a primeira e única vitória fora de portas, triunfando por expressivos 1-7. A não perder!

  • Vitória tangencial mantém equipa na luta

    Depois do desaire pela margem mínima (2-3) em casa frente ao Benfica, a equipa de Seniores Femininos do HCT deslocou-se até São João do Estoril para defrontar a A.J. Salesiana na 6ª jornada da Fase Final de Seniores Femininos. Na primeira fase as duas equipas tinham empatado a duas bolas no mesmo local e neste momento o triunfo era vital para as alvinegras não deixarem Benfica e Stuart fugirem no topo da tabela classificativa. A equipa turquelense acabou por rubricar uma primeira parte de bom nível e “cavou” uma diferença importante de 1-3 para depois gerir os acontecimentos na segunda parte e triunfar pela margem mínima.

    A primeira metade foi crucial para o desfecho do encontro, com as alvinegras a rubricaram uns primeiros vinte minutos de grande categoria, criando um “fosso” perante um adversário muito físico. Sofia Vicente “bisou” e Beatriz Várzeas fez um golo contra apenas um tento de Joana Cruz. Ao intervalo o 1-3 registado no marcador marcou toda a diferença.

    No segundo tempo Beatriz Alves reduziu para 2-3 e colocou em perigo o triunfo alvinegro, mas as forasteiras controlaram sempre as incidências e, apesar de não mais terem conseguido desfeitear Ana Rita Sequeira na baliza das da casa, “levaram a água ao seu moinho” e trouxeram os três pontos para Turquel, num jogo duro e intermitentemente bem apitado por José Nave de Lisboa.     

    Neste domingo, 2 de abril de 2017 pelas 17:30h, as alvinegras recebem o CH Carvalhos na 7ª jornada da prova, num jogo que será importante para “dar uma sapatada” num adversário que está a apenas a três pontos da formação orientada por Hélder Coelho.

    Foto de Arquivo: Carmo Honório

    Campanha solidária ajuda Rodrigo

    Em paralelo com a realização dos dois jogos de Seniores Masculinos entre o HC Turquel e o SL Benfica, a contar para os 16 Avos-de-Final da Taça de Portugal e para a 18ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª Divisão respetivamente, realizados no final do mês de Março, ambos os clubes “deram as mãos” numa campanha de solidariedade para ajudar Rodrigo Marques e seus pais, na angariação de fundos para a compra de um aparelho de mobilidade (andarilho) para o jovem residente em Turquel.

    Foram sorteadas duas camisolas, uma do HCT e outra do SL Benfica, sendo que a da casa calhou em sorte ao portador do bilhete nº 19848 e a dos visitantes ao portador do bilhete nº 19804. Ambos os artigos renderam um pouco mais de três centenas de euros, mais precisamente 315,54€, numa ação de louvar e que marca a postura preocupada e solidária de ambas as instituições perante a população envolvente.

    O HC Turquel expressa por esta via o seu agradecimento a todos os que contribuíram para ajudarem o Rodrigo Marques a ter um dia a dia mais produtivo, remetendo também os seus agradecimentos ao S.L. Benfica, pela cedência da camisola autografada por todos os elementos do seu plantel do hóquei em patins.

  • Uma história diferente com o mesmo desfecho

    No “remake” do jogo da Taça realizado sete dias antes e que apurou os encarnados para os oitavos-de-final da Taça de Portugal, no golo de ouro (3-4), o HCT voltou a receber o S.L. Benfica, num jogo de “lotação esgotada” e que teve honras de transmissão televisiva (TVI24). Cerca de 1800 pessoas puderam assistir a mais um grande espetáculo e quem pagou bilhete não pode ter dado o seu dinheiro por mal empregue. Os pupilos de Pedro Nunes entraram melhor e tentaram passar uma imagem diferente daquela que tinham dado na Taça, conseguiram-no com uma ligeira ajuda de uma dupla de arbitragem de Lisboa que viu um penalty inexistente logo no início e que admoestou André Pimenta com uma cartolina azul surreal e caricata. Ao intervalo, o golo de Luís Silva não chegou para os tentos de João Rodrigues, Diogo Rafael, Jordi Adroher e Valter Neves, sendo que a diferença (1-4) no marcador já era substancial. Com Trabal de regresso, após castigo de dois jogos, mais indisposto (saiu ao intervalo), Diogo Almeida surgiu na baliza encarnada no segundo tempo, mas não conseguiu evitar que Vasco Luís reduzisse de livre direto, ainda que, o filho da terra Diogo Rafael (“hat-trick”), em dois momentos quase consecutivos, tenha colocado uma diferença no marcador que levou a equipa forasteira a relaxar perigosamente. Aproveitou João Silva “Janeka” ao marcar dois golos de belo efeito, que colocaram em sentido um adversário que demonstrou alguma sobranceria, principalmente no segundo tempo. Luís Silva com um grande golo e uma exibição de raça, assim como Janeka, com alguns apontamentos de fino recorte técnico, destacaram-se de entre os turquelenses, num encontro com mais uma boa exibição coletiva e em crescendo por parte dos visitados.

    Primeiro tempo começou com o golo forasteiro logo aos dois minutos, num lance de penalidade, que deixou muitas dúvidas. João Rodrigues caiu na área, mas os jogadores do Turquel pareceram jogar apenas a bola. O mesmo João Rodrigues não se amedrontou com os protestos e mostrou ser um especialista na arte do penalty inaugurando o marcador. No mesmo minuto e na outra área, Vasco Luís parece ter sido derrubado, mas desta vez o critério não foi o mesmo e a atuação da dupla Luís Peixoto/João Duarte começava a ser contestada pelos da casa desde cedo. Cinco minutos depois, Diogo Rafael, a jogar na terra que o viu crescer para a modalidade, fez o 0-2 num lance em que encurralou Luís Silva contra Tuga e à meia volta fez o golo. A equipa comandada por João Simões parecia aturdida, mas reagiu sete minutos depois, num momento de inspiração de Luís Silva, que colocou a bola ao primeiro poste, de ângulo reduzido, surpreendendo tudo e todos, incluindo Trabal. Tudo parecia nivelado de novo e o Benfica acumulava faltas de equipa, chegando rapidamente às nove. Com seis minutos para jogar no primeiro tempo Luís Peixoto voltou a ser protagonista, admoestando o recém-entrado André Pimenta por este supostamente ter prensado Miguel Rocha na tabela, quando se percebeu claramente que o camisola 24 turquelense tinha ganho apenas e só a frente ao “gigante” encarnado, com este último a aproveitar o contacto para fazer o cenário que Peixoto acabou por corroborar. Na transformação do livre direto Jordi Adroher reeditou o duelo do golo de ouro com Tuga e conseguiu mais uma vez levar a melhor sobre o guardião alvinegro. No mesmo minuto caiu a 10ª falta de equipa do Benfica, mas Luís Silva não conseguiu converter o respetivo livre direto, permitindo boa intervenção de Trabal. Não marcou o Turquel, marcou o Benfica, num ataque rápido muito bem desenhado por Carlos Nicolia e Miguel Rocha, até ao toque final do capitão Valter Neves. O jogo chegou ao intervalo com um resultado de 1-4, que não espelhava a boa réplica dada pelos da casa.                 

    Na etapa complementar o “portero” catalão, Guillem Trabal, ficou no banco com uma indisposição e Diogo Almeida assumiu a baliza dos visitantes e o guardião que tinha estado na guarda das redes no jogo da Taça foi testado logo no início do segundo tempo, no “frente a frente” com Vasco Luís, num livre direto a castigar azul mostrado a Miguel Rocha (enganchou Luís Silva). O capitão turquelense levou mesmo a melhor e colocou o resultado em 2-4, trazendo uma réstia de esperança aos adeptos da casa. Contudo, dois minutos depois, Diogo Rafael “bisou” num livre saído do “laboratório” encarnado, esfriando os ânimos dos adeptos da sua terra. Um minuto depois, o mesmo jogador, depois de um lance infeliz de Daniel Matias, aproveitou mais uma assistência de Carlos Nicolia e completou o seu “hat-trick”. Estava feito o 2-6 e os forasteiros, do alto do seu favoritismo, baixaram a guarda e mostraram alguma altivez que foi benéfica para os turquelenses. Aos onze minutos caiu a 15ª falta de equipa do Benfica e Vasco Luís voltou a enfrentar Diogo Almeida em novo livre direto, mas desta feita o capitão alvinegro atirou ao travessão da baliza contrária e na recarga Diogo Almeida mostrou qualidade a tapar o ângulo de remate ao avançado visitado. No minuto seguinte, Pedro Vaz viu a cartolina azul por derrubar com o pé Nicolia e entrou Samuel Santos para assumir a tentativa de parada do livre direto a Jordi Adroher. O guardião turquelense teve sucesso e conseguiu também, juntamente com três companheiros, suster os dois minutos de inferioridade numérica a que a equipa foi sujeita, antes de voltar a dar lugar de novo a Tuga. A partir daqui João Simões arriscou e colocou em rinque um conjunto de atletas com características marcadamente ofensivas, composto por Daniel Matias, Vasco Luís, Janeka e pelo jovem Tiago Mateus e a equipa respondeu positivamente ao risco. A seis minutos do fim Janeka abriu o livro e desde trás da baliza desafiou os limites da lei para levantar o pavilhão no 3-6, antes de João Rodrigues desperdiçar nova penalidade, desta feita frente ao reentrado Samuel Santos (ficou na baliza turquelense até ao fim do jogo a partir daqui). O desperdício do camisola nove benfiquista foi punido logo em seguida com mais um momento de puro génio de Janeka que passou a toda a velocidade por Miguel Rocha e com Diogo Almeida pela frente colocou a bola por entre as pernas do guardião visitante, levando ao delírio um pavilhão a “rebentar pelas costuras”. Faltavam quatro minutos para o término do encontro, Pedro Nunes mostrou mais comedimento nas suas mexidas, o Turquel tentou subir linhas mas foi sempre tímido nas suas tentativas e o jogo arrastou-se até final, com o sinal da excelente réplica dos da casa a prevalecer mas a não chegar para tirar pontos do segundo encontro entre as duas equipas na mesma semana.              

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 26 de março de 2017, às 17H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2016/17 (18ª jornada)

    Árbitros: Luís Peixoto (Lisboa), João Duarte (Lisboa) e Rui Nave (3º árbitro) (Lisboa)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [4] Daniel Matias, [22] Luís Silva (1), [9] Vasco Luís (C) (1), [10] Samuel Santos (GR), [79] Alexandre Marques “Xanoca”, [24] André Pimenta, [57] João Silva “Janeka” (2) e [58] Tiago Mateus.

    Treinador: João Simões

    S.L. Benfica: [10] Guillem Trabal (GR), [2] Valter Neves (C) (1), [4] Diogo Rafael “Chiquinho” (3), [5] Carlos Nicolia, [9] João Rodrigues (1), [23] Diogo Almeida (GR), [7] Jordi Adroher (1), [44] Miguel Rocha e [55] João Sardo. Não jogou: [6] Gonçalo Pinto.

    Treinador: Pedro Nunes

    Faltas de Equipa: 8-17

    Disciplina: Cartão Azul a [24] André Pimenta (HCT), [44] Miguel Rocha (SLB) e [53] Pedro Vaz (HCT).

    Resultado ao intervalo: 1-4

    Resultado Final: 4-6

    Neste fim-de-semana não há jogo em virtude da realização dos oitavos-de-final da Taça de Portugal e da 2ª Mão dos quartos-de-final da Liga Europeia, pelo que o HCT apenas volta à ação no sábado, dia 8 de abril de 2017 pelas 18:30h, com uma deslocação tremendamente complicada a Valongo. As equipas já se defrontaram por quatro vezes esta temporada, três delas no espaço de menos de quinze dias, na pré-temporada, com o HCT a vencer por 6-2 em jogo a contar para o Torneio Dr. Joaquim Guerra em Turquel, depois os alvinegros voltaram a triunfar sobre os de Valongo por 3-2 na Elite Cup em Coimbra, e por fim, no Torneio Cidade de Valongo – Memorial Carlos Figueira, os comandados de Miguel Viterbo triunfaram por 4-3. Em novembro, na 6ª jornada da primeira volta do Campeonato Nacional da 1ª Divisão, em Turquel, as equipas empataram 3-3, num jogo que ficou decidido já dentro do último minuto, num livre direto a favor dos valonguenses, que na altura deu o empate a três bolas. Prevê-se equilíbrio e muita emoção num jogo vital para as aspirações de ambos os conjuntos.

    [18ªJ CN1ªD HCT-Benfica] Adquira já o seu Bilhete

    Já estão à venda os bilhetes para o grande embate de Seniores Masculinos entre o H.C. Turquel e o S.L. Benfica, que se realiza no próximo Domingo, 26 de Março de 2017 pelas 17 horas, no Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel. Este encontro é referente à 18ª Jornada do Campeonato Nacional da 1ª Divisão, sendo que na primeira volta na Luz os encarnados venceram os “brutos dos queixos” por tangencial 6-5. Será ainda uma reedição do duelo do passado sábado em que o Benfica venceu em Turquel por 3-4 no “golo de ouro”, em partida a contar para os 16 Avos-de-Final da Taça de Portugal.

    Devido à previsão de grande afluência às bancadas do anfiteatro turquelense, a direção do HC Turquel, tal como em situações anteriores, já colocou à venda os bilhetes, para este encontro. Os ingressos estão disponíveis nos locais habituais, ou seja na secretaria do clube, nos dias úteis das 14h às 20h, e no HCTCafé, todos os dias das 7h às 23h, com o preço unitário para sócio ou não sócio de 5€ (Dia do Clube).

    Será aconselhável os adeptos adquirirem o seu ingresso com antecedência, pois a direção do H.C. Turquel prevê uma casa muito bem composta. Aconselham-se também a todos os adeptos, principalmente os que levem crianças ao jogo que, no próprio dia, se desloquem com antecedência para o pavilhão, garantindo o seu lugar sem sobressaltos ou atropelos.

    Garanta já o seu lugar naquele que é um dos maiores espetáculos do desporto em Portugal e não falte a mais esta chamada, apoiando a equipa sénior do HCT, pois todos juntos seremos muito mais fortes e poderemos reescrever história.

  • Excelente exibição coletiva merecia um pouco mais

    Vindas de uma jornada tranquila em Vila Boa do Bispo (vitória por 0-6), o HCT recebeu no Gimnodesportivo de Turquel a formação do S.L. Benfica na 5ª jornada da Fase Final do Campeonato Nacional de Seniores Femininos, num jogo que marcou novo regresso das gémeas Rita e Rute Lopes à casa que as viu crescer para o Hóquei em Patins. Com uma exibição coletiva acima de um adversário que teoricamente era favorito, as turquelenses demonstraram progressão, qualidade e só esbarraram na excelente exibição individual da guardiã contrária, Maria Celeste Vieira. O jogo foi emotivo e “rasgadinho”, sendo que ao intervalo se verificava o empate a uma bola. O Turquel chegou a estar na frente (2-1) do marcador, mas permitiu a reviravolta e nos minutos finais a incerteza pairou no ar, com o HCT a poder empatar mas a não conseguir pelo menos a divisão de pontos, que era um prémio mais que merecido para as comandadas de Hélder Coelho. A partida foi arbitrada por António Gameiro (Ribatejo), que substituiu Rui Taborda, da mesma associação, que estava inicialmente nomeado para dirigir o encontro.

    Os primeiros minutos do primeiro tempo foram de estudo mútuo e tiveram uma componente algo física, com o Benfica a forçar e o HCT a defender de forma compacta, para depois conseguir contra-atacar bem e fazer uma boa gestão da posse de bola. Aos treze minutos, Beatriz Várzeas inaugurou o marcador para as da casa, para gáudio dos muitos adeptos que quase lotaram a bancada central, e as “brutas-dos-queixos” colocaram em sentido a equipa comandada por Paulo Almeida. Três minutos depois Sofia Vicente viu a cartolina azul numa falta que pareceu normal, não no entender de Gameiro. No entanto, Marlene Sousa, na tentativa de conversão do respetivo livre direto, não conseguiu ultrapassar Cláudia Vicente na baliza alvinegra. Ainda assim, o intervalo não chegaria sem o golo do empate, com a chilena “Maca” Ramos a aproveitar uma falha da defensiva turquelense para refazer a igualdade, desta feita a uma bola, a poucos segundos do descanso.

    No início da segunda metade as da casa pareceram entrar em rinque mais decididas que as encarnadas e Inês Vicente “picou o ponto”, desfazendo novamente a igualdade, dando uma vantagem (2-1) que só surpreendeu quem não estava a ver o jogo. O Benfica sentiu o toque e reagiu de imediato pelo stique da sua jogadora mais evoluída no plano técnico individual, Marlene Sousa igualou a duas bolas, dois minutos após o golo da vantagem das visitadas e cinco minutos depois “Maca” Ramos “bisou” para colocar as visitantes pela primeira vez em vantagem (2-3). O jogo aproximou-se do fim e ambas as equipas começaram a ficar tapadas com faltas de equipa. Tudo parecia ir decidir-se nas bolas paradas e a primeira oportunidade foi para Rita Lopes, ela que no regresso a Turquel e no livre direto da 10ª falta de equipa do HCT, não conseguiu superar Cláudia Vicente. A cinco minutos do fim Marlene Sousa viu a cartolina azul por tentar enganar tudo e todos, deslocando a baliza com a mão para tentar marcar golo à margem da lei, mas António Gameiro descortinou a situação e puniu a camisola dois das encarnadas. Na transformação do devido livre direto Cláudia Vicente permitiu a intervenção de Maria Celeste Vieira, ela que foi claramente a melhor atleta em rinque. Pouco tempo depois, nova oportunidade para a igualdade, no livre direto da 10ª falta de equipa do Benfica, mas Sofia Vicente voltou a não conseguir desfeitear Maria Celeste Vieira e o encontro arrastou-se até ao fim sem mais alterações no marcador.     

    No próximo domingo, 26 de março de 2017 pelas 17:30h, as turquelenses deslocam-se até ao Estoril, para defrontar a A.J. Salesiana. Na primeira fase (Zona Sul) o Turquel venceu em casa por 5-2 e empatou a duas bolas fora de portas, pelo que este será um jogo duro para as alvinegras, que terão de colocar tudo em rinque para conseguirem a terceira vitória em três jogos, nos encontros fora de portas.

    Fotos de Arquivo: Carmo Honório

    Assembleia Geral é esta sexta-feira…participe!

    É já na próxima sexta-feira, dia 24 de março de 2017, às 20:30 horas, que se realiza a Assembleia Geral do H.C. Turquel para a aprovação das contas do ano fiscal de 2016, eleição dos órgãos sociais e para tratar de outros assuntos relacionados com o quotidiano do clube. A presença de todos é fundamental, portanto se é sócio do HCT e se quer exercer o seu direto à decisão dos destinos da nossa instituição…faça-se ver e ouvir!

  • Golo de Ouro voltou a ditar lei em noite de Tuga e de “outros protagonistas”

    Num encontro de cariz especial, a contar para os 16 Avos-de-Final da Taça de Portugal, o Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel engalanou-se para receber mais um grande jogo de hóquei em patins, na receção do HCT ao Benfica. Mais de um milhar de pessoas puderam assistir a um espetáculo de alto nível, protagonizado por duas equipas com enorme qualidade, sendo que a terceira equipa, a de arbitragem, teve protagonismo mas pelas piores razões. O Benfica entrou melhor, mas desde cedo Tuga mostrou ao que vinha. O guardião alvinegro rubricou uma das melhores exibições com a camisola do Turquel ao peito no conjunto dos seis anos em que já está a jogar na aldeia do hóquei e levou ao desespero os avançados encarnados. Entre alternâncias no marcador e muita emoção junto de ambas as balizas, o jogo chegou a intervalo com um empate a duas bolas. No segundo tempo Tuga voltou a mostrar atributos, sendo que no geral, ao todo no encontro, o “keeper” natural de Paço de Arcos defendeu três bolas paradas (um livre direto e dois penaltys) e mais duas mãos cheias de situações cara a cara com os avançados do Benfica. O jogo encaminhou-se para o fim, com 3-3 no marcador e os árbitros da partida foram protagonistas, com decisões apressadas e de foro bastante duvidoso, principalmente na hora de apitar contra os visitados. No segundo jogo consecutivo em prolongamento (golo de ouro), o Turquel voltou a cair na armadilha das faltas de equipa e, de livre direto, Adroher voltou a tirar os turquelenses de uma competição a eliminar, tal como tinha sucedido em Sarzana, oito dias antes.

    Início da partida e Carlos Nicolia, no espaço de pouco mais de trinta segundos, a surgir duas vezes isolado na cara de Tuga, com o guardião da casa a responder de forma afirmativa. Estava dado o mote para o que se iria passar ao longo de todo o jogo, no duelo particular entre estes dois protagonistas. A má entrada turquelense teve o condão de despertar a equipa e aos sete minutos, um pouco contra a corrente do jogo, Vasco Luís “tirou da cartola” um excelente lance individual, ludibriando o “filho da terra”, Chiquinho (exibição algo apagada e errática), para depois sofrer penalty por derrube de Nicolia. O mesmo Vasco Luís atirou a contar, fazendo explodir as bancadas, num canto a uma só voz. No minuto seguinte, na área contrária, Nicolia foi derrubado por Daniel Matias e na tentativa de conversão do respetivo penalty o especialista João Rodrigues esbarrou na dupla intervenção de Tuga, que fez levantar ainda mais o pavilhão. Os minutos foram passando e os visitantes, pouco habituados a não conseguirem marcar golos em catadupa, pressionaram mais alto e conseguiram virar os acontecimentos em dois momentos quase consecutivos. Primeiro foi Adroher que aproveitou uma excelente iniciativa e assistência de Nicolia para empatar a uma bola e depois foi João Rodrigues, com um excelente movimento de rotação na entrada da área a dar sequência a uma assistência de Miguel Rocha para fazer o 1-2. Faltavam cerca de quatro minutos para o intervalo e pensou-se que os forasteiros iriam tomar conta dos acontecimentos, mas um minuto depois do golo da vantagem visitante, João Silva puxou dos galões, montou uma “armadilha” a Chiquinho atrás da baliza e depois do camisola quatro encarnado ter caído no engodo, Janeka entrou na área, rodou e fez o golo do empate, num momento sublime, que levantou novamente o pavilhão e levou o jogo empatado (2-2) para o intervalo.          

    Na etapa complementar o Benfica trouxe vontade de resolver a contenda a seu favor logo nos minutos iniciais e aos cinco minutos teve oportunidade para se adiantar, num penalty cometido por Daniel Matias por pé na bola na área alvinegra. No frente a frente entre Carlos Nicolia e Tuga o guardião turquelense voltou a levar a melhor, defendendo o primeiro remate e mais três recargas, naquele que foi o momento da noite e que embalou os turquelenses para uma segunda parte cheia de espírito de sacrifício e de crença. Quatro minutos depois, num lance com algum excesso de zelo por parte de Miguel Guilherme, um dos árbitros da partida, Janeka viu a cartolina azul por toque sem stique em João Rodrigues. Chamado à conversão do devido livre direto Jordi Adroher deitou Tuga, e de baliza aberta atirou fácil, mas no último momento o guarda-redes visitado tirou a bola de forma incrível e por instinto com o stique, levando à loucura os adeptos nas bancadas. Em inferioridade numérica o HCT não conseguiu suster a grande qualidade do adversário e depois de uma bola colocada em Nicolia na direita, o argentino mostrou toda a sua classe na assistência para o catalão Adroher que encostou fácil ao segundo poste, “bisando” e fazendo o 2-3. O jogo arrastou-se, mas o Benfica nunca conseguiu disparar no marcador como se esperava. O Turquel, apesar de nunca ter criado grandes calafrios a Diogo Almeida, conseguiu manter a diferença mínima no marcador e a cerca de oito minutos do fim o capitão Vasco Luís surgiu embalado no 1x1 frente a Miguel Rocha, puxou para a esquerda e atirou a contar para fazer o seu “bis” e o 3-3. A euforia e o êxtase estavam no máximo e mais ficaram depois de cair a 10ª falta de equipa do Benfica, a cerca de dois minutos do fim do encontro. Numa primeira instância Vasco Luís desperdiçou o livre direto, mas o lance foi mandado repetir por Diogo Almeida se ter mexido antes de a bola partir. Na segunda tentativa trocou o executante, mas Janeka permitiu uma boa intervenção a Diogo Almeida e o jogo seguiu para prolongamento (golo de ouro), não sem antes Miguel Guilherme ter descortinado a oitava falta de equipa do HCT de forma caricata, num lance em que Chiquinho se atira contra Pedro Vaz, impedindo um contra-ataque de 2x1.

    Repetindo o que lhe tinha acontecido em Itália, nos quartos-de-final da Taça CERS em Sarzana, os turquelenses chegaram ao tempo extra numa situação de…“quem marcar, ganha”, a duas faltas de equipa de sofrer um livre direto, e com o adversário com onze faltas averbadas. Aos dois minutos Daniel Matias cometeu a nona falta de equipa sobre Carlos Nicolia e a um minuto do intervalo do prolongamento Chiquinho simulou claramente uma queda em lance com Luís Silva, sendo que Miguel Guilherme e Ricardo Leão pareceram não ter tido as dúvidas que todo o pavilhão teve, tendo sido este um lance que se desenrolou mesmo em frente ao primeiro. Na conversão do livre direto da 10ª falta de equipa dos “brutos dos queixos” Jordi Adroher ludibriou Tuga, fez o 3-4 e garantiu um apuramento amplamente sofrido, a uma equipa do Benfica que foi embalada por um “empurrãozinho”, frente a um Turquel que se bateu galhardamente e que, pelo segundo jogo consecutivo, voltou a cair de livre direto no “golo de ouro”. 

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 18 de março de 2017, às 21H

    Competição: Taça de Portugal de Hóquei em Patins 2016/17 (16 Avos-de-Final)

    Árbitros: Ricardo Leão (Lisboa), Miguel Guilherme (Lisboa) e David Barros (3º árbitro) (Leiria)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [4] Daniel Matias, [22] Luís Silva, [9] Vasco Luís (C) (2), [79] Alexandre Marques “Xanoca”, [24] André Pimenta e [57] João Silva “Janeka” (1). Não jogaram: [10] Samuel Santos (GR) e [58] Tiago Mateus.

    Treinador: João Simões

    S.L. Benfica: [23] Diogo Almeida (GR), [2] Valter Neves (C), [4] Diogo Rafael “Chiquinho”, [5] Carlos Nicolia, [9] João Rodrigues (1), [7] Jordi Adroher (3) e [44] Miguel Rocha. Não jogaram: [10] Daniel “Danny” Machial (GR), [6] Gonçalo Pinto e [55] João Sardo.

    Treinador: Pedro Nunes

    Faltas de Equipa: 10-11

    Disciplina: Cartão Azul a [57] João Silva “Janeka” (HCT).

    Resultado ao intervalo: 2-2

    Resultado Final Tempo Regulamentar: 3-3

    Resultado Após Prolongamento: 3-4*

    *Golo de Ouro

    No próximo domingo, dia 26 de março de 2017 pelas 17 horas, reedição do duelo deste sábado, com o HCT a receber pela segunda vez consecutiva o Benfica, desta feita sem prolongamento ou golo de ouro, na 18ª jornada do Nacional da 1ª Divisão. Será um remake do encontro da Taça, mas com uma história necessariamente diferente e com honras de transmissão televisiva, por parte da TVI24. É mais um grande espetáculo a não perder, em que será aconselhável os adeptos adquirirem o seu bilhete com antecedência, pois a direção do H.C. Turquel prevê que estes possam esgotar rapidamente. Aconselham-se também a todos os adeptos, principalmente os que levem crianças ao jogo que, no próprio dia, se desloquem com antecedência para o pavilhão, garantindo o seu lugar sem sobressaltos ou atropelos.

    Viagem tranquila antes da receção ao Benfica

    Depois do desaire em casa frente à Stuart Massamá por 2-4 e da vitória frente à Académica de Coimbra por 5-3, a equipa de Seniores Femininos do HCT fez uma longa viagem até Vila Boa do Bispo, no Norte do país, e venceu confortavelmente o clube local por 0-6 na 4ª jornada da Fase Final do Campeonato Nacional. Vem aí uma prova de fogo frente ao líder Benfica e o encontro frente ao Vila Boa serviu para ganhar confiança e dar minutos a todos os elementos convocados. 

    Num jogo com pouca história e com arbitragem muito tranquila de Nazareno Duarte (Porto), o HCT carregou no acelerador desde cedo e aos onze minutos já vencia por claros 0-4, com Inês Vicente e Margarida António a fazerem um “bis” cada uma e acabando rapidamente com as dúvidas quanto ao vencedor deste encontro. O jogo chegou ao intervalo sem mais alterações no marcador.

    No segundo tempo só aos nove minutos é que o “score” voltou a mexer e foi Inês Vicente, sempre irrequieta, a completar o seu “hat-trick”, fazendo o 0-5 e nove minutos depois foi Beatriz Várzeas a fechar as contas, marcando um golo à sua anterior equipa, dado que chegou esta época a Turquel proveniente da formação de Vila Boa do Bispo, depois de se ter formado no H.C. Mealhada.  

    No próximo domingo, 19 de março de 2017 pelas 17h, dia do pai, as turquelenses recebem no Gimnodesportivo de Turquel o S.L. Benfica, líder do campeonato só com vitórias, num jogo que será arbitrado pelo ribatejano Rui Taborda. Será mais um teste duro à resistência das comandadas de Hélder Coelho, frente a uma formação orientada por Paulo Almeida, que venceu na primeira fase o HCT por duas vezes, 1-6 em Turquel e 5-4 na Luz, tendo ainda batido as turquelenses uma terceira vez esta temporada, 4-1 na Luz, em jogo a contar para os oitavos-de-final da Taça de Portugal.

    Foto de Arquivo: Carmo Honório

  • Tiago Mateus chamado aos trabalhos da Seleção Nacional de Sub-20

    O atleta e capitão dos Juniores do H.C. Turquel, que também pertence aos quadros dos Seniores, Tiago Susano Mateus, foi chamado para integrar o 1º Centro de Treinos da Seleção Nacional de Sub-20 de Hóquei em Patins, que se realiza na vila do Luso no final de Março.

    Este Centro de Treinos da referida Seleção Nacional vai ter lugar nos dias 27 e 28 do corrente mês e visa a preparação da mesma para o Campeonato do Mundo do escalão em 2017.  

    No escalonamento para os trabalhos dos Sub-20 o selecionador nacional, Luís Duarte, escolheu treze atletas, provenientes de diversos clubes de diferentes pontos do país e que irão esgrimir argumentos para poderem ser opção nos dez finais daqui a uns meses.

    Confira em baixo os treze atletas convocados, bem como a sua proveniência:

    Associação Desportiva de Valongo (AP Porto)

    Rui Bernardo Fonseca Mendes

    Tomás Magalhães Pereira

    União Desportiva Oliveirense (AP Aveiro)

    Tiago Carvalho Rodrigues

    Tiago Bastos Oliveira

    Óquei Clube de Barcelos (AP Minho)

    Bruno Filipe Cunha da Guia

    Pedro Miguel Costa Silva

    Hóquei Clube de Turquel (AP Leiria)

    Tiago Susano Mateus

    Hóquei Clube de Braga (AP Minho)

    Gonçalo Meira Cunha Pereira

    António Lopes Pereira Vieira Trabulo

    Sporting Clube de Portugal (AP Lisboa)

    Rafael Fidalgo Lourenço

    Sport Lisboa e Benfica (AP Lisboa)

    Frederico Miguel Borga Neves

    Filipe Rodrigues Alves Nunes Fernandes

    Futebol Clube do Porto (AP Porto)

    João Bernardo Leal Lima

    Não merecíamos cair no “golo de ouro”

    Depois de uma 1ª Mão em Turquel em que o HCT rubricou uma exibição pouco condizente com o seu real valor, o empate a duas bolas levado de Turquel mostrou-se curto para levar de vencida uma equipa de Sarzana que colocou todos os seus esforços nesta eliminatória e no jogo da 2ª mão em particular. A pequena cidade italiana mobilizou-se para apoiar o seu clube, mas foi completamente silenciada por uma primeira parte imaculada por parte dos turquelenses, que mostraram ter a lição bem estudada, chegando ao intervalo a vencer por 0-1 (Daniel Matias), com a ajuda do grande apoio dos quatro turquelenses que viajaram mais de 2000Km de carro de Turquel até Sarzana. O segundo tempo trouxe outra “nuance” e uma reação forte dos da casa, que se apoiaram na sua maior estrela, Sérgio Festa, para virarem (2-1) os acontecimentos. Ainda assim, o empate dos turquelenses por intermédio de Vasco Luís colocou tudo igual e o prolongamento foi ingrato para os alvinegros, que sucumbiram na injustiça do “golo de ouro”, num livre direto superiormente convertido pelo “carrasco” turquelense, Sérgio Festa, que acabou por castigar de forma pesada uma 1ª Mão menos conseguida por parte da equipa de João Simões. O capitão Vasco Luís destacou-se com um golo e uma assistência do lado visitante, mas a equipa orientada por João Simões fez um jogo muito consistente no seu todo e rubricou uma exibição de qualidade que não merecia tal desfecho.

         

    No primeiro tempo esperava-se uma entrada muito forte dos italianos, embalados por um pavilhão muito bem composto e jogando com as dimensões reduzidas do seu rinque. Contudo, o Sarzana não conseguiu impor a sua lei, muito por culpa de uma equipa do HCT que mostrou argumentos para baixar o ritmo do jogo e para silenciar o “Vecchio Mercato”. Logo aos cinco minutos, num fantástico contra-ataque 3x2, o capitão Vasco Luís assistiu Daniel Matias e este último, com uma stickada forte e muito colocada, inaugurou o marcador, dando sequência ao grande momento de forma individual que vem vivendo. A reação dos sarzanenses foi no sentido de acelerar o jogo pelos corredores laterais e criar mossa com constantes “chuveirinhos” para junto da baliza de Tuga, mas a defensiva alvinegra estava muito compacta e chegou para todas as encomendas até ao descanso. Ao intervalo o 0-1 era justo e deixava os responsáveis italianos em estado de alerta.

    Na etapa complementar os turquelenses conseguiram suster o ímpeto inicial dos visitados e pareciam estar a “levar a água ao seu moinho”, mas perderam saída para o ataque e capacidade de deixar os da casa em sentido nas transições. Num lance inesperado e com a situação aparentemente controlada pelos visitantes, a estrela da companhia, Sérgio Festa, stickou de longa distância e igualou a uma bola desde trás do meio-campo, num lance em que Tuga pareceu estar encoberto e que fez eclodir um pavilhão ávido por sucessos. Cinco minutos depois caiu a 10ª falta de equipa do HCT e numa decisão muito polémica, protagonizada pelo árbitro espanhol, Alberto Lopez, Tuga viu a cartolina azul por se mexer duas vezes antes de a bola partir no livre direto. Na segunda vez Festa parece simular um pequeno movimento com o stique e houve excesso de zelo por parte do segundo árbitro. Chamado para o lugar de Tuga, Samuel Santos negou o golo a Festa e manteve o HCT em igualdade no marcador. No entanto, um minuto depois, ainda com os “brutos dos queixos” em inferioridade numérica, o treinador-jogador Francesco Dolce, aproveitou uma assistência de Davide Borsi para finalizar de primeira desde a direita do seu ataque e colocar os da casa em vantagem (2-1) pela primeira vez. Como que levando um “murro no estômago”, os turquelenses levantaram a cabeça e foram em busca de retomar o caminho da Final Four, tendo tido algumas oportunidades para o fazer. A mais flagrante foi desperdiçada por João Silva “Janeka” a sete minutos do fim do encontro, na tentativa de transformação do livre direto da 10ª falta de equipa do Sarzana, permitindo a defesa por instinto ao guardião Simone Corona. Com pouco tempo para jogar o HCT carregou sobre o adversário e forçou muitos contactos que foram dando faltas de equipa para os visitados, chegando facilmente às quinze, a cerca de dois minutos do fim da partida. Na transformação do devido livre direto o capitão Vasco Luís assumiu a enorme responsabilidade e “disparou um míssil” que só parou no ângulo superior esquerdo da baliza de Corona, fazendo o 2-2 que deixava tudo na primeira forma. Antes do tempo regulamentar terminar, destaque ainda para um golo anulado a Vasco Luís, num lance confuso na área sarzanense, que deixou muitas dúvidas e em que o árbitro José Gomez assinalou bola alta ao HCT, quando esta parece ter sido levantada por um contrário.

    No prolongamento prevalecia a lei do “golo de ouro”, ou seja, quem marcasse primeiro, dentro dos dez minutos totais (cinco minutos cada parte) do tempo extra, venceria a partida e consequentemente chegaria à Final Four da Taça CERS. Os turquelenses chegaram ao prolongamento com treze faltas de equipa acumuladas e não podiam ser demasiado agressivos nas disputas de bola, correndo o risco de somarem quinze faltas e colocarem o adversário na marca do livre direto. No entanto, logo no primeiro minuto, Daniel Matias cometeu a 14ª falta de equipa, num lance muito forçado, em que Davide Borsi parece impor o cenário de infração. Logo depois, aos dois minutos de jogo do tempo extra, novamente Daniel Matias no lance, a quase nem tocar em Francesco De Rinaldis, mas com o camisola 88 a aproveitar o momento para se atirar para o solo e enganar a dupla de arbitragem espanhola. Chamado à conversão do livre direto, o especialista Sérgio Festa teve um verdadeiro “match point” no stique e mostrou toda a sua classe ludibriando Tuga, “bisando” e atirando os turquelenses para fora da competição de forma cruel e imerecida. “A festa fez-se pelo stique de Festa” e em tons de vermelho e preto, com os de Turquel a mostrarem classe na hora de felicitar o adversário pelo seu sucesso, saindo por cima de um jogo que teve um desfecho falacioso e que não pode apagar aquilo que se passou em rinque.        

    Ficha Técnica:

    Local: Centro Polivalente Vecchio Mercato - Sarzana

    Dia/Hora: 11 de março de 2017, às 21H locais (20H em Portugal Continental)

    Competição: Quartos-de-final da Taça CERS (2ª Mão) [1ª Mão: empate 2-2]

    Árbitros: José Gomez (Espanha), Alberto Lopez (Espanha) e Matteo Righetti (3º árbitro) (Itália)

    CARISPEZIA Hockey Sarzana [ITA]: [10] Simone Corona (GR), [88] Francesco De Rinaldis, [11] Davide Borsi, [9] Sergio Festa (2), [17] Edoardo Di Donato, [57] Francesco “Kiko” Rossi, [5] Francesco Dolce (1). Não jogaram: [46] Alessio Perroni (GR), [7] Luca Sterpini (C) e [18] Matteo Pistelli. 

    Treinador/Jogador: Francesco Dolce

    H.C. Turquel [POR]: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [4] Daniel Matias (1), [9] Vasco Luís (C) (1), [79] Alexandre Marques “Xanoca”, [10] Samuel Santos (GR), [22] Luís Silva e [57] João Silva “Janeka”. Não jogaram: [24] André Pimenta e [58] Tiago Mateus.

    Treinador: João Simões

    Faltas de Equipa: 16-15

    Disciplina: Cartão azul a [13] Marco Barros “Tuga” (HCT) [Mexeu-se 2X no Livre Direto].

    Resultado ao intervalo: 0-1

    Resultado Final Tempo Regulamentar: 2-2

    Resultado Após Prolongamento: 3-2*

    *Golo de Ouro

    O sonho da Final Four da Taça CERS esfumou-se e resta ao HCT lutar por duas competições. Uma delas, a Taça Portugal, joga-se já este sábado, 18 de março de 2017 pelas 21 horas, com jogo grande entre os alvinegros e o campeão nacional e europeu, S.L. Benfica, a disputar-se no Gimnodesportivo de Turquel. As equipas já se defrontaram por três vezes este ano com os encarnados a saírem por cima nas três ocasiões, a primeira na Elite Cup em Coimbra em setembro (6-1), a segunda na 5ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª Divisão na Luz no início de novembro (6-5), e a última num jogo-treino realizado em Turquel no final de dezembro (4-8). Apesar dos resultados menos positivos dos últimos tempos, a equipa não está só nem abandonada e no sábado iremos mostrar a nossa força, todos juntos para puxarmos por eles a uma só voz…os nossos atletas merecem!

  • “Cancela” não abriu para os de Turquel

    Frente a uma das equipas mais fortes do Nacional da 1ª Divisão, o HCT viajou até Oliveira de Azeméis para, à partida para este jogo, defrontar o vice-líder do campeonato e tentar mudar o rumo dos acontecimentos, fruto das derrotas em São João da Madeira (4-2) e em casa com o Porto (2-7). A equipa rubricou uma excelente exibição mas não conseguiu contrariar o maior poderio individual de um adversário recheado de estrelas que teve no galego Pablo Cancela a sua grande arma, ao anotar um “poker” (quatro golos), com tentos carregados de oportunismo. Os turquelenses entraram bem, mas não aproveitaram os muitos momentos que tiveram em frente da baliza do catalão Xavier Puigbí e pagaram cara a ineficácia, com três golos sofridos quase consecutivamente antes do intervalo. O segundo tempo trouxe novamente equilíbrio e alguns momentos de excelente hóquei, com os turquelenses infortunadamente a acertarem uma “mão cheia” de bolas nos ferros da baliza oliveirense, não conseguindo nunca aproximar o score, até ao 5-2 final. No plano individual Pedro Vaz voltou a destacar-se com uma exibição muito positiva e concentrada, sendo que a entrada de João Silva “Janeka” no segundo tempo também deu muita acutilância ofensiva à equipa.

    Primeira parte com entrada muito forte por parte dos visitados, algo que era expectável até pelo facto de minutos antes o líder Benfica ter perdido pontos em casa frente à Juventude Viana, num empate a sete bolas, e em caso de vitória frente aos turquelenses a Oliveirense poderia passar para a frente do campeonato. Os visitantes não facilitaram em nada a vida aos comandados de Tó Neves, antes pelo contrário, entraram a defender de forma muito positiva, conseguindo recuperar inúmeras bolas que deram muitos contra-ataques para a baliza de Puigbí, mas que na sua grande maioria não foram bem definidos. Foi já com catorze minutos de jogo que o marcador mexeu pela primeira vez, com Ricardo Barreiros a aproveitar um escorregão de Daniel Matias para assistir o galego Pablo Cancela que de primeira iniciou um fim de tarde fantástico em termos de concretização no plano individual. No minuto seguinte a diferença acentuou-se, já que num ataque rápido Jordi Bargalló descobriu de forma magistral Pablo Cancela ao segundo poste, num golo com sotaque castelhano. Cinco minutos depois o árbitro Manuel Fernandes intercetou involuntariamente um passe fácil de Luís Silva pela tabela e a Oliveirense saiu em contra-ataque 4x3 que culminou com uma fantástica assistência de Pedro Moreira para Pablo Cancela fazer o seu “hat-trick” de forma fácil, deixando tudo muito difícil para os alvinegros. Com três minutos para jogar Vasco Luis sofreu penalty numa rotação para a baliza de Puigbí, mas Luís Silva na tentativa de transformação da penalidade atirou ao poste. Antes do descanso, e no mesmo minuto, Cancela teve oportunidade de completar o seu “poker” na transformação do livre direto da 10ª falta de equipa do HCT, mas Tuga não teve pelos ajustes e manteve a diferença em 3-0 ao intervalo.      

    No segundo tempo a entrada do Turquel foi forte, a equipa apesar de ter mantido as linhas baixas, e mesmo estando a perder por três bolas, conseguiu sempre sair com perigo em rápidas transições e o capitão Vasco Luís atirou à trave num livre direto a punir falta dura sobre Xanoca. Um minuto depois os comandados de João Simões reduziram mesmo diferenças, também de livre direto, desta feita a punir a 10ª falta de equipa da Oliveirense, numa execução superior de João Silva “Janeka”, que bateu Puigbí pela primeira vez no 3-1. A equipa do HCT teve nesta fase o seu melhor momento do jogo e enviou três bolas aos ferros da baliza visitada, conseguindo sempre transições muito rápidas e pondo em sentido uma equipa da Oliveirense que não fez muito para chegar ao 4-1. Esse golo chegou mesmo a treze minutos do fim, por intermédio do suspeito do costume, Pablo Cancela, que desviou uma excelente assistência de Pedro Moreira e completou um “poker” que nem nos seus melhores sonhos parecia possível. Quatro minutos depois Pedro Moreira voltou a mostrar qualidade no passe e descobriu “Jepi” Selva no coração da área para este fazer o 5-1 e tirar as dúvidas por completo quanto ao vencedor deste jogo. Até final, destaque para o livre direto da 15ª falta de equipa do HCT que Nuno Araújo desperdiçou, após nova boa intervenção de Tuga, e para o 5-2 final anotado por Vasco Luís na conversão de uma grande penalidade, a castigar bola presa por parte do guardião da casa.      

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Dr. Salvador Machado – Oliveira de Azeméis

    Dia/Hora: 4 de março de 2017, às 17H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2016/17 (17ª jornada)

    Árbitros: Florindo Cardoso (Minho), Manuel Fernandes (Porto) e Marco Gomes (3º árbitro) (Aveiro)

    U.D. Oliveirense/Simoldes: [88] ­Xavier “Xevi” Puigbí (GR), [9] Jordi Bargalló, [7] Pedro Moreira, [77] Ricardo Barreiros (C), [44] João Souto, [4] Nuno Araújo, [74] Pablo Cancela (4) e [29] Josep “Jepi” Selva (1). Não jogaram: [26] Domingos Pinho (GR) e [8] Bruno Fernandes.

    Treinador: Tó Neves

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [4] Daniel Matias, [53] Pedro Vaz”, [9] Vasco Luís (C) (1), [79] Alexandre Marques “Xanoca”, [22] Luís Silva, [24] André Pimenta e [57] João Silva “Janeka” (1). Não jogaram: [10] Mário Rosa (GR) e [58] Tiago Mateus.

    Treinador: João Simões

    Faltas de Equipa: 11-15

    Disciplina: Nada a assinalar.

    Resultado ao intervalo: 3-0

    Resultado Final: 5-2

    No próximo fim-de-semana o campeonato irá parar para os diversos compromissos europeus dos clubes portugueses e no sábado, dia 11 de março de 2017 pelas 21 horas locais (menos uma em Portugal Continental), o HCT desloca-se até Itália, mais precisamente à cidade de Sarzana, no município de Spezia, para defrontar o 11º classificado da Serie A italiana, na 2ª Mão dos quartos-de-final da Taça CERS. Na 1ª Mão em Turquel o jogo terminou empatado a duas bolas e a presença histórica na Final Four é o aliciante para esta deslocação dos alvinegros a terras transalpinas.

    Escorregão em casa frente a adversário consistente

    Após um excelente triunfo (1-6) em São João da Madeira na 1ª jornada da Fase Final do Campeonato Nacional de Seniores Femininos, o HCT recebeu no Gimnodesportivo de Turquel a formação do Stuart de Massamá na 2ª jornada. Nos dois confrontos frente às comandadas de Hélder Coelho na primeira fase da competição a equipa do concelho de Sintra tinha vencido 2-0 em Massamá e 3-5 em Turquel. Desta vez a história não foi diferente, pois um primeiro tempo muito abaixo por parte das turquelenses, deixou a equipa com três golos à menor na saída para os balneários e fez com que o segundo tempo decorresse em esforço até ao 2-4 final.

    Primeira parte atípica com o HCT a mostrar alguma intranquilidade e com as visitantes a adiantarem-se no marcador logo aos quatro minutos, por intermédio de Tânia Freire “Pulga”. As alvinegras tentaram reagir e tiveram um bom período na partida, mas a formação orientada por Cristiano Agulhas mostrou boa organização defensiva e teve em Inês Caldeira uma guardiã sempre segura. Com algumas oportunidades para igualar, mas sem efeitos práticos, a equipa abriu espaços e aos dezasseis minutos sofreu dois golos consecutivos, com Sofia Moncóvio e Ana Catarina Ferreira a baterem Ana Santos para deixarem as forasteiras a vencer por 0-3 ao intervalo.

    No descanso Hélder Coelho parece ter corrigido posicionamentos e dado um safanão à equipa, que sentiu o toque e foi em busca de algo mais. Logo aos cinco minutos Beatriz Várzeas reduziu diferenças e pensou-se que as da aldeia do hóquei poderiam almejar algo mais, mas as visitantes demonstraram mais uma vez uma consistência que tem pautado a sua época e conseguiram suster as investidas das turquelenses. A ação ficou guardada para os últimos dez minutos de jogo, com Ana Catarina Ferreira a “bisar” aos quinze minutos, fazendo o 1-4, sendo que dois minutos depois o azul mostrado a Tânia Freire “Pulga” deu a possibilidade a Inês Vicente de voltar a colocar o marcador a apenas dois golos de diferença, mas Inês Caldeira não permitiu a transformação do respetivo livre direto. Um minuto depois Isa Ricardo conseguiu mesmo fazer o 2-4, mas nos sete minutos que restaram os números não se viriam a alterar e a vitória sorriu mesmo às forasteiras.   

    No próximo domingo, 5 de março de 2017 pelas 17h, as turquelenses jogam novamente em casa, desta feita frente à A. Académica de Coimbra, terceiro classificado na Zona Norte. As equipas ainda não se defrontaram esta temporada e este será um jogo que marcará o regresso da guardiã Alice Vicente, formada no HCT, a Turquel. A não perder!

    Foto de Arquivo: Carmo Honório

  • OIST da AP Leiria realiza-se em Turquel

    O Programa de “Observação, Identificação e Seleção de Talentos” (OIST) para os atletas da Associação de Patinagem de Leiria (APL), que é promovido pela Federação de Patinagem de Portugal (FPP) por todo o país, incluindo ilhas, terá lugar no Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel na próxima 3ª Feira, dia 7 de Março de 2017.

    Vários atletas do distrito terão a oportunidade de mostrar o seu valor aos responsáveis federativos num programa (OIST) suportado estrategicamente nas realidades locais, de modo a gerar sinergias que possam promover e incentivar o desenvolvimento individual e coletivo dos jovens atletas. Em conjunto com as Associações de Patinagem Regionais a FPP, desenvolve um trabalho de prospeção, fomento e desenvolvimento do Hóquei em Patins, com objetivo principal de abastecer as diversas Seleções Nacionais.

    O dia no Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel será preenchido por duas ações bi-diárias diversificadas de trabalho, a primeira para o género masculino, composta por atletas de último ano de Sub-13 (nascidos em 2004) e primeiro de Sub-15 (nascidos em 2004), a segunda para atletas do género feminino (nascidas entre 1999 e 2004). Irão realizar-se ainda dois treinos (um de manhã e outro à tarde) dedicados somente aos guarda-redes, designado como “Escola de Guarda-Redes” e que se destinam apenas e só a três atletas de primeiro ano de Sub-13 (nascidos em 2005). De referir que este último não é num primeiro momento um trabalho imediato para as Seleções Nacionais, mas sim, uma ação que promova a evolução dos jovens praticantes em todas as suas áreas de intervenção na posição específica de Guarda-Redes.

    Com a escassez de atletas em outros clubes representativos do distrito, dos 26 atletas convocados, 23 fazem parte dos quadros do Hóquei Clube de Turquel, sendo essa realidade preocupante por um lado, mas que deve ser motivo de regozijo para os responsáveis do clube, no mais variados quadrantes.

    Confira os convocados para cada categoria e o Planeamento das Unidades de Treino que serão à porta aberta:

    Sub-13 e Sub-15 Masculinos:

    Nome

    Clube

    Categoria

    Data Nasc.

    Posição

             

    Afonso Alberto António Costa

    H.C. Turquel

    Sub-15

    30-01-2003

    JR

    Afonso Joina Guilherme

    H.C. Turquel

    Sub-13

    06-08-2004

    JR

    Guilherme da Silva Duro

    H.C. Turquel

    Sub-13

    11-05-2004

    GR

    Guilherme Paciência Luís

    H.C. Turquel

    Sub-13

    25-05-2004

    JR

    José Eduardo Mateus Tiago

    H.C. Turquel

    Sub-13

    13-01-2004

    JR

    Lucas Honório Santos

    H.C. Turquel

    Sub-15

    05-05-2003

    JR

    Lucas Marques Gonçalves

    H.C. Turquel

    Sub-13

    30-08-2004

    JR

    Martim Alexandre Pavoeiro Coelho

    H.C. Turquel

    Sub-15

    02-01-2003

    GR

    Miguel Filipe Sousa Graça

    H.C. Turquel

    Sub-13

    25-05-2004

    GR

    Salvador Ferreira de Matos André

    H.C. Turquel

    Sub-15

    06-05-2003

    JR

    Tomás Moura Adam

    H.C. Turquel

    Sub-15

    17-07-2003

    JR

    Vasco Jorge Alexandre

    H.C. Turquel

    Sub-15

    09-09-2003

    JR

    Legenda: GR = Guarda-Redes; JR = Jogador de Rinque.

    Femininos:

    Nome

    Clube

    Categoria

    Data Nasc.

    Posição

             

    Beatriz Alexandra Luís dos Santos

    A. Alcobacense CD

    Sub-13

    08-01-2004

    JR

    Bertina Miguel Coelho Roquete

    H.C. Turquel

    Sub-15

    02-06-2002

    JR

    Catarina Matos Viola

    BIR Valado Frades

    Sub-20

    07-03-1999

    GR

    Catarina Mateus Lourenço de Sousa Henriques

    H.C. Turquel

    Sub-15

    06-05-2003

    JR

    Cláudia Susano Vicente

    H.C. Turquel

    Sub-20

    05-07-1999

    GR

    Gabriela Ferreira Cunha

    H.C. Turquel

    Sub-17

    22-08-2001

    JR

    Inês Susano Vicente

    H.C. Turquel

    Sub-20

    05-07-1999

    JR

    Isa Mara Alhada Ricardo

    H.C. Turquel

    Sub-20

    17-05-1999

    JR

    Joana Filipa Rodrigues Santos

    H.C. Turquel

    Sub-13

    24-04-2004

    JR

    Maria Beatriz Lucas de Almeida da Silva

    BIR Valado Frades

    Sub-15

    20-08-2003

    JR

    Sandy Malhó Machado

    H.C. Turquel

    Sub-17

    14-03-2001

    JR

    Legenda: GR = Guarda-Redes; JR = Jogador de Rinque.

    Escola de Guarda-Redes:

    Nome

    Clube

    Categoria

    Data Nasc.

    Posição

             

    Gonçalo Lopes Costa

    H.C. Turquel

    Sub-13

    13-10-2005

    GR

    Lucas de Oliveira Alexandre

    H.C. Turquel

    Sub-13

    26-03-2005

    GR

    Martim Raimundo Pereira

    H.C. Turquel

    Sub-13

    06-11-2005

    GR

    Planeamento das Unidades de Treino:

    09:30h – Concentração;

    10:00h – Início do Treino – Masculinos;

    11:15h – Escola de Guarda-Redes;

    11:45h – Início do Treino – Femininos;

    12:15h – Almoço – Masculinos;

    13:15h – Almoço – Femininos + Escola de Guarda-Redes;

    15:00h - Início do Treino – Masculinos;

    16.00h – Escola de Guarda-Redes;

    16:30h – Início do Treino Femininos.

    Gémeas Cláudia e Inês Vicente voltam a estar juntas nos treinos da Seleção Nacional

    Depois de apenas Inês Vicente ter estado presente no 1º Centro de Treinos da Seleção Nacional de Seniores Femininos de Hóquei em Patins, que se realizou no Luso no final de Janeiro de 2017, desta feita, para o 2º Centro de Treinos, o selecionador Carlos Pires convocou também a sua irmã gémea, Cláudia Vicente (Guarda-Redes), sendo que Inês repete a convocatória.

    O 2º Centro de Treinos da Seleção Nacional vai ter lugar nos dias 13 e 14 de Março de 2017, novamente na vila do Luso, tendo em vista a preparação desta Seleção Nacional para o Campeonato do Mundo do corrente ano.  

    No escalonamento para este Centro de Treinos Carlos Pires escolheu treze atletas, provenientes de diversos pontos do país, sendo que entre as eleitas está outra atleta formada no HCT, Rute Lopes, que representa atualmente o S.L. Benfica.

    Confira em baixo as treze atletas convocadas:

    A Stuart HC Massamá (AP Lisboa)

    Inês Cordeiro Caldeira.

    Associação Académica de Coimbra (AP Coimbra)

    Beatriz Maria Campos Figueiredo

    Margarida Ruela Florêncio.

    Hóquei Clube de Turquel (AP Leiria)

    Cláudia Susano Vicente

    Inês Susano Vicente

    Clube Hóquei dos Carvalhos (AP Porto)

    Maria Sofia Pinheiro Silva

    Renata Pires Alves Reis Balonas

    Catarina Torres Costa.

    Sport Lisboa e Benfica (AP Lisboa)

    Rute Tereso Lopes

    Marlene Teixeira Sousa,

    Maria Celeste Gomes Vieira

    Associação Desportiva Sanjoanense (AP Aveiro)

    Joana Silva Teixeira

    Bárbara Inês Almeida Marques

  • Mau início ditou desfecho negativo

    Receção do HCT a um F.C. Porto/Fidelidade ferido no orgulho após a derrota em Barcelos (4-3), em jogo de grande estímulo para o povo turquelense, que acorreu em massa ao Gimnodesportivo de Turquel. “Escaldados” com a derrota da temporada passada (8-5) em Turquel, os comandados do catalão Guillem Cabestany não facilitaram um milímetro e inverteram a história, conseguindo três golos em pouco mais de quatro minutos, logo a abrir o jogo, o que deixou a equipa orientada pelo ex-capitão André Luís (João Simões cumpriu sete dias de suspensão, após a derrota da sua equipa em São João da Madeira por 4-2) a correr atrás de um prejuízo enorme, que viria a pagar caro. Ao intervalo a cifra já estava em 2-5, ainda que a reação dos da casa aos golos iniciais dos forasteiros tenha sido muito positiva. No segundo tempo houve mais equilíbrio e menos vertigem por parte dos visitantes, sendo que o 2-7 final não espelha aquilo que se passou realmente em rinque. Saído do banco e com uma exibição a fazer lembrar os bons velhos tempos, Pedro Vaz saiu da sombra e teve grandes momentos, que se esperam que o catapultem para uma última metade da época em grande.

    Entrada vertiginosa do Porto, que entre os três e os quatro minutos já venciam por 0-3, fruto de um grande golo de longa distância do capitão Hélder Nunes, de um outro de Gonçalo Alves, aproveitando a passividade e a confusão na área turquelense e um terceiro por intermédio de Rafa que ludibriou André Pimenta e desviou uma excelente assistência de Gonçalo Alves. Como que atordoados pelos três golos sofridos de forma consecutiva, os turquelenses ajustaram posições na pausa técnica e foram em busca de outras soluções para contrariarem a avalanche ofensiva dos azuis e brancos. O objetivo foi conseguido, já que a equipa melhorou, com Pedro Vaz e o capitão Vasco Luís a saírem do banco para darem maior acutilância ao ataque alvinegro. Aos treze minutos os “brutos dos queixos” reduziram com Luís Silva a assistir de forma fantástica Pedro Vaz com um passe aéreo e este último, ao segundo poste, encostou para fazer o 1-3. Mas, no minuto seguinte, o Porto voltou a repor diferenças com Hélder Nunes a assistir Vítor Hugo na área e com este a mostrar qualidade na posição de pivô, rodando sobre Vasco Luís e batendo Tuga pela quarta vez. Ainda assim os turquelenses não baixaram os braços e foram em busca de outro resultado, conseguindo reduzir a seis minutos do intervalo, num desvio oportuno de um rejuvenescido Daniel Matias, após stickada do meio da rua de Luís Silva. Os visitados estavam a viver o seu melhor período na partida e podiam ter chegado ao descanso com apenas um golo de desvantagem, mas num contra-ataque de 2x1, Pedro Vaz, assistido primorosamente por Janeka, permitiu a defesa da noite ao “gigante” Nelson Filipe e na contraofensiva Reinaldo Garcia disparou um míssil perfeito, que só parou no fundo da baliza de Tuga. Na ida para os balneários o resultado cifrava-se num pesado e injusto 2-5.                  

    No segundo tempo o ritmo abrandou, mas o HCT voltou a entrar bem e conseguiu carregar sobre o último reduto portista, obrigando os forasteiros a recorrerem à falta. Aos oito minutos caiu a 10ª falta de equipa do Porto e chamado à conversão do devido livre direto, Janeka não conseguiu desfeitear Nelson Filipe. No mesmo minuto os papéis inverteram-se e foi o Porto a dispor de livre direto a castigar a 10ª falta de equipa do Turquel. Na tentativa de transformação o capitão Hélder Nunes viu frustradas as suas expetativas, com Tuga a mostrar qualidade na baliza alvinegra. Contudo, um minuto depois, num contra-ataque 3x2 muito bem definido, Ton Baliu assistiu Vítor Hugo na direita e este com um remate seco e rasteiro fez o seu “bis” e matou o jogo ao assinar o 2-6. A partir daqui jogou-se muito mais com o coração do que com a cabeça e só nos minutos finais voltou a haver emoção. Com sete minutos para jogar Rafa enganchou Luís Silva tendo visto a cartolina azul, mas Vasco Luís não conseguiu bater Nelson Filipe na conversão do livre direto, sendo que na sequência o capitão turquelense rasteirou o seu homónimo portista, Hélder Nunes, tendo ele também visto a cartolina azul. Perante Tuga, o especialista Gonçalo Alves não conseguiu ultrapassar o guardião turquelense, mas viria a redimir-se três minutos depois, com uma assistência primorosa por trás das costas para Jorge Silva fechar as contas em 2-7, um resultado que penaliza uma equipa do Turquel que fez por merecer muito mais do que aquilo que os números transparecem.             

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 25 de fevereiro de 2017, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2016/17 (16ª jornada)

    Árbitros: Rui Torres (Minho), Paulo Rainha (Minho) e Carlos Tadeia (3º árbitro) (Porto)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [4] Daniel Matias (1), [24] André Pimenta, [22] Luís Silva, [79] Alexandre Marques “Xanoca”, [9] Vasco Luís (C), [53] Pedro Vaz (1), [57] João Silva “Janeka” e [58] Tiago Mateus. Não jogou: [10] Mário Rosa (GR).

    Treinador: João Simões

    F.C. Porto/Fidelidade: [10] Nelson Filipe (GR), [78] Hélder Nunes (C) (1), [57] Reinaldo “Nalo” Garcia (1), [77] Gonçalo Alves (1), [9] José “Rafa” Costa (1), [4] Vítor Hugo (2), [15] Jorge Silva (1), [88] Anton “Ton” Baliu e [5] Telmo Pinto. Não jogou: [1] Carles Grau (GR).

    Treinador: Guillem Cabestany

    Faltas de Equipa: 14-14

    Disciplina: Cartão Azul a [9] José “Rafa” Costa (FCP) e [9] Vasco Luís (C) (HCT).

    Resultado ao intervalo: 2-5

    Resultado Final: 2-7

    No próximo sábado, dia 4 de março de 2017 pelas 17 horas, o HCT joga no reduto da U.D. Oliveirense/Simoldes, que é atualmente a equipa em melhor forma na principal divisão portuguesa, depois de no início da época ter feito novo investimento de monta no seu plantel, contando com atletas de grande nível nas suas fileiras. As duas formações já se defrontaram por duas vezes esta época, ambas em Turquel, com duas vitórias para o lado oliveirense. A primeira foi na pré-temporada, na 2ª jornada do Torneio Dr. Joaquim Guerra, com os comandados de Tó Neves a vencerem por 0-4, e a segunda foi na 4ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª Divisão, com novo triunfo dos de Oliveira de Azeméis, dessa feita por 3-7, um resultado tremendamente enganador.

    Femininos entram com o patim direito na segunda fase

    O início da Fase Final do Campeonato Nacional de Seniores Femininos foi excelente para a equipa do HCT, tendo em conta que as comandadas de Hélder Coelho foram ao Caldeirão de São João da Madeira, um dia depois de no mesmo local os Seniores Masculinos terem sido derrotados (4-2), vencer por 1-6 a equipa da Sanjoanense, que foi segunda classificada na Zona Norte. Numa partida com um resultado a indiciar um desequilíbrio que nunca existiu, Inês Vicente destacou-se com um “hat-trick”, e o encontro só ficou decidido nos minutos finais.

    No primeiro tempo o HCT entrou forte e logo aos quatro minutos Isa Ricardo inaugurou o marcador. Três minutos depois a equipa da casa desperdiçou uma grande penalidade, com Ana Sofia Silva, por duas vezes (penalty foi mandado repetir) a não conseguir bater a guardiã Cláudia Vicente na baliza turquelense. O jogo arrastou-se até ao intervalo, sempre com um equilíbrio de forças que foi a nota dominante ao longo de toda a partida.

    Para a segunda metade previam-se emoções fortes e logo aos oito minutos a guardiã da casa, Joana Reis, viu a cartolina azul por derrubar Isa Ricardo numa transição rápida das visitantes. Na transformação da respetiva penalidade Inês Vicente bateu a recém-entrada Filipa Campos e aumentou para 0-2. No entanto, três minutos depois, com o jogo a decorrer, Sofia Vicente viu a cartolina azul por contestar uma decisão do árbitro da partida, André Portal (Aveiro), e na transformação do devido livre direto Joana Teixeira reduziu diferenças, batendo Ana Santos (jogou o segundo tempo) no 1-2. Dois minutos depois Inês Vicente teve hipótese de voltar a colocar a diferença de dois golos no marcador, mas não conseguiu desfeitear a guardiã contrária no livre direto da 10ª falta de equipa da Sanjoanense. Na entrada para os últimos cinco minutos da etapa complementar a equipa do HCT “puxou dos galões” e decidiu o encontro em pouco mais de quatro minutos. Primeiro foi o reforço Beatriz Várzeas a fazer o 1-3 aos quinze minutos, depois foi Inês Vicente a marcar consecutivamente aos dezassete (1-4) e dezoito minutos (1-5), completando o seu “hat-trick”, e finalmente foi Margarida António, na transformação superior de um livre direto por azul mostrado à capitã da Sanjoanense, Inês Ferreira, a fechar as contas no 1-6 final. Vitória mais suada do que aquilo que os números fazem transparecer, mas justa, pela maior qualidade evidenciada pelo conjunto da aldeia do hóquei.  

    No próximo sábado, 25 de fevereiro de 2017 pelas 15:15h, as turquelenses recebem no Gimnodesportivo de Turquel a equipa da A. Stuart H.C. Massamá, segunda classificada na Zona Sul apenas atrás do S.L. Benfica, tendo sido a única equipa a tirar pontos às encarnadas esta temporada (empate 2-2 na Luz). Será um encontro duro, frente ao conjunto orientado por Cristiano Agulhas, que venceu na primeira fase o HCT por duas vezes, 2-0 em Massamá e 3-5 em Turquel. Na primeira jornada desta Fase Final, a equipa do concelho de Sintra venceu o Carvalhos (primeiro classificado da Zona Norte) em casa por 5-3. Venha ao pavilhão no sábado apoiar as nossas meninas.

    Foto: Dinis Vicente

  • Empurrados no Caldeirão

    Regresso aos jogos fora de portas, após três encontros consecutivos em casa e visita ao Caldeirão de São João da Madeira, o ambiente mais infernal da 1ª Divisão. A história escreveu-se com muita polémica e com o HCT a sair claramente prejudicado pela arbitragem da dupla de Aveiro, Paulo Almeida e António Santos, que rubricaram uma atuação simplesmente deplorável, virando claramente os acontecimentos a favor da equipa da casa. Quanto ao jogo em si, Xanoca deu vantagem de dois golos aos alvinegros até ao início da segunda parte, mas depois a equipa de João Simões foi sendo empurrada para trás, de forma ostensiva e a Sanjoanense virou mesmo o marcador, conseguindo quatro golos de bola parada e vencendo um encontro que os coloca “bem vivos” na luta pela manutenção.

    O primeiro tempo marcou a tendência do jogo, com o HCT a defender muito bem e a conseguir anular todas as investidas de uma equipa da Sanjoanense que recorria às meias-distâncias e às simulações de falta junto da área de Tuga, sem efeitos práticos, mas já com um acumular de faltas de equipa a serem atribuídas aos turquelenses de forma exacerbada. Com dezasseis minutos decorridos o jovem Xanoca entrou pela direita do seu ataque e com uma fantástica “picadinha” bateu o guardião Marco Lopes pela primeira vez, colocando os turquelenses a vencer por 0-1. Dois minutos antes do intervalo caiu a 10ª falta de equipa do HCT (acabou a primeira parte com onze faltas de equipa somadas, contra cinco da Sanjoanense), mas Diogo Casanova não conseguiu bater Tuga e o intervalo chegou com a vantagem mínima dos visitantes.              

    Na segunda parte o Turquel voltou a entrar melhor, continuou a defender a contento, mas recuou perigosamente, apesar de aos cinco minutos Xanoca ter voltado a marcar, agora numa meia-distância frontal num contra-ataque de 3x2. Foi o “bis” do camisola 79 alvinegro que estava longe de sequer pensar naquilo que estava para vir. A partir daqui o critério da dupla de arbitragem de Aveiro ficou bastante apertado para o lado dos turquelenses, que foram sendo empurrados para junto da sua baliza e qualquer momento de perigo que pudessem criar ia sendo anulado por faltas de equipa absurdas contra si, que deram alguma instabilidade à equipa e muita força ao adversário. Ainda assim, os forasteiros tiveram uma postura de campeões e, perante a injustiça premeditada de que estavam a ser alvo, conseguiram controlar as emoções e dignificar o emblema trazido ao peito. Aos dez minutos Chico Barreira reduziu para 1-2 no livre direto da 15ª falta de equipa do HCT, seis minutos depois novamente Chico Barreira a marcar (2-2), numa grande penalidade a beneficiar um autêntico mergulho de Filipe Sousa na área de Tuga. Aos vinte minutos o técnico João Simões viu a cartolina azul por afirmar que os jogadores da Sanjoanense estavam “sempre a simular quedas aparatosas para conquistarem faltas e que nada era marcado”, e na sequência, de novo Chico Barreira, desta feita frente ao recém-entrado Samuel Santos, não teve problemas em fazer o seu “hat trick”, deixando o marcador em 3-2, favorável aos da casa. No mesmo minuto caiu a 20ª falta de equipa do Turquel (Janeka viu a cartolina azul na sequência dos protestos) e Chico Barreira, mais uma vez, a fazer o seu “póker” com nova transformação de sucesso de mais um livre direto. Até final o HCT tentou tudo, conseguiu algumas situações para marcar, sofreu duas penalidades claras, ambas sobre o capitão Vasco Luís, que não foram assinaladas, mas não conseguiu encurtar distâncias, num jogo que teve tudo de falso e de mentiroso.

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão dos Desportos – São João da Madeira

    Dia/Hora: 18 de fevereiro de 2017, às 18H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2016/17 (15ª jornada)

    Árbitros: Paulo Almeida (Aveiro), António Santos (Aveiro) e Sérgio Silva (3º árbitro) (Aveiro)

    A.D. Sanjoanense: [10] Marco Lopes (GR), [3] Filipe Sousa, [9] Pedro Cerqueira, [8] Afonso Santos, [7] Diogo Casanova, [96] Francisco “Chico” Barreira (C) (4), [4] Alexander “Alex” Mount, e [6] Tiago Almeida. Não jogaram: [24] David Nogueira (GR) e [11] João Cruz.

    Treinador: José Carvalho

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [24] André Pimenta, [4] Daniel Matias, [22] Luís Silva, [79] Alexandre Marques “Xanoca” (2), [10] Samuel Santos (GR), [9] Vasco Luís (C), [53] Pedro Vaz, [57] João Silva “Janeka” e [58] Tiago Mateus.

    Treinador: João Simões

    Faltas de Equipa: 8-22

    Disciplina: Cartão Azul a [Treinador] João Simões (HCT) e [57] João Silva “Janeka”.

    Resultado ao intervalo: 0-1

    Resultado Final: 4-2

    O próximo fim-de-semana é de Carnaval e o HCT recebe no sábado, dia 25 de fevereiro de 2017 pelas 21h, o vice-campeão nacional, o F.C. Porto/Fidelidade. No passado dia 14 de fevereiro completou-se um ano desde a histórica vitória (8-5) dos comandados de João Simões sobre os dragões de Guillem Cabestany e seria fantástico que a história se assemelhasse, ainda que o enquadramento seja outro. O apoio de todos é fundamental e juntos poderemos alcançar o inimaginável. Todos ao pavilhão!

    Fotos de Arquivo: Catarina Maria

    “Não nos irão silenciar…pela verdade desportiva”

    Assunto: Arbitragem do jogo da 15ª Jornada do Campeonato Nacional da 1ª Divisão de Hóquei em Patins de Seniores Masculinos, entre a Associação Desportiva Sanjoanense e o Hóquei Clube de Turquel, realizado no dia 18 de Fevereiro de 2017, às 18 horas, no Pavilhão dos Desportos em São João da Madeira.

    O Hóquei Clube Turquel não pode deixar de manifestar a sua indignação e revolta com a arbitragem realizada durante o jogo referido em assunto.

    Numa altura em que as transmissões televisivas e online estão cada vez mais consolidadas no seio da modalidade, não podemos deixar passar em claro aquilo que as imagens por si só traduzem, acreditando que a visualização das mesmas contribuirá para que situações destas não voltem a acontecer nos diversos jogos do campeonato.

    Nota: O Hóquei Clube de Turquel não quer com isto retirar qualquer tipo de mérito à equipa da Associação Desportiva Sanjoanense, que venceu dignamente.

    Veja o vídeo aqui.

  • Vitória inequívoca sobre pressão

    Pressionada com a obrigatoriedade da vitória, de modo a entrar com força na luta pela manutenção, a equipa do HCT rubricou uma boa exibição frente a um rival direto, o Riba d’Ave HC, diante dos seus adeptos mais fiéis. Um início de primeiro
  • Suster ritmo adversário mas sem conseguir pontuar

    Encontro de vital importância para as aspirações de ambos os conjuntos e visita do HCT a Valongo onde nos últimos anos tinha conseguido sempre resultados positivos. Jogo muito intenso, com ritmo alto imposto pelos locais ao longo de quase todo o
  • Vitória tangencial mantém equipa na luta

    Depois do desaire pela margem mínima (2-3) em casa frente ao Benfica, a equipa de Seniores Femininos do HCT deslocou-se até São João do Estoril para defrontar a A.J. Salesiana na 6ª jornada da Fase Final de Seniores Femininos. Na primeira fase a
  • Uma história diferente com o mesmo desfecho

    No “remake” do jogo da Taça realizado sete dias antes e que apurou os encarnados para os oitavos-de-final da Taça de Portugal, no golo de ouro (3-4), o HCT voltou a receber o S.L. Benfica, num jogo de “lotação esgotada” e que teve honras
  • [18ªJ CN1ªD HCT-Benfica] Adquira já o seu Bilhete

    Já estão à venda os bilhetes para o grande embate de Seniores Masculinos entre o H.C. Turquel e o S.L. Benfica, que se realiza no próximo Domingo, 26 de Março de 2017 pelas 17 horas, no Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel. Este encontro é refe
pub6.png

Video da Semana

Publicidade

Assembleia Site

Formação

facebook

 
 

.

Localização

Contactos

Telefone: 262919 244

email: secretaria@hct.pt

web: www.hct.pt