Breves

  • Lígia brilhou em tarde de superioridade inequívoca

    Estreia em casa no Campeonato Nacional Feminino – Zona Sul em 2014/2015 para a jovem equipa do H.C. Turquel, na receção à congénere do Alverca, na 2ª jornada da competição, no passado domingo à tarde. Depois da derrota na 1ª ronda em Massamá as turquelenses teriam obrigatoriamente de vencer um adversário direto, para poderem ambicionar ao objetivo de se posicionarem num dos quatro primeiros lugares da tabela classificativa.

    Fotos: Carmo Honório

    Primeiro tempo com a equipa turquelense a mostrar ao que vinha e a não estar disposta a facilitar a vida a uma equipa do Alverca que apresentou em Turquel um bloco muito baixo, com um sistema defensivo misto zona e homem a homem e que confundiu um pouco o ataque organizado das alvinegras. No entanto dois golos sem resposta da inspiradíssima Lígia Oliveira acabaram por colocar o marcador em 2-0 ao intervalo, resultado que se ajustava, face ao domínio exercido pela equipa orientada por Hélder Coelho.

    Na segunda parte foi mais do mesmo, o Alverca, apesar da desvantagem, nunca saiu da sua “zona de conforto”, nunca logrou incomodar as guardiãs Cláudia Vicente e Sandra Coelho. Lígia Oliveira completou o seu “hat-trick” no início do segundo tempo, antes da veterana ex-HCT, Filipa Paiva, reduzir para as forasteiras e colocar o resultado num perigoso 3-1. Ainda assim, o perigo foi relativo, pois a equipa orientada pela treinadora/guarda-redes, Cláudia Leal, nunca conseguiu mais do que alguns fogachos quer em contra-ataque, quer em ataque organizado, e foi sem surpresa que chegou mais um golo das turquelenses, com Lígia Oliveira a fechar com “chave de ouro” uma tarde simplesmente inesquecível no capítulo individual, completando o seu “póker” e fixando o resultado final em 4-1, favorável às alvinegras.

    No próximo sábado, dia 29 de novembro de 2014 às 20 horas, o HCT desloca-se até ao Estoril na 3ª jornada desta Zona Sul, para defrontar a equipa da A.J. Salesiana que perdeu em Alverca por 4-3 na 1ª jornada e venceu o Tojal por 4-1 na 2ª. É mais um encontro com um grau de importância elevado, frente a um adversário que tem mostrado valor em ano de estreia nestas andanças e que se quererá intrometer na luta pelo apuramento para a 2ª fase da prova.

    Estreia positiva apesar da derrota

    Estreia no Campeonato Nacional Feminino – Zona Sul em 2014/2015 para a jovem equipa do H.C. Turquel e a formação orientada por Hélder Coelho a viajar até Massamá para defrontar a favorita Stuart na 1ª jornada da prova.

    Fotos: Dinis Vicente

    No primeiro tempo a equipa turquelense teve arte e engenho para contrariar o favoritismo e o maior ímpeto das visitadas, que inauguram primeiro o marcador com um golo de Joana Jorge. A resposta das alvinegras chegou ainda antes do intervalo e Inês Vicente refez a igualdade, desta feita a uma bola, resultado com que se chegou ao descanso.

    Na etapa complementar a entrada da formação do concelho de Sintra foi muito forte e coincidiu com um período de maior desnorte por parte das visitantes. A “bombardeira” Rita Dias desfez a igualdade e pouco tempo depois Joana Jorge “bisou” no encontro, colocando o resultado em 3-1. Mais tarde a tarefa das de Turquel complicou-se ainda mais quando Rita Dias também “bisou” e cifrou a diferença em três golos no marcador (4-1). Contudo, enchendo-se de brio e de vontade, as turquelenses reagiram, foram em busca de outro resultado com uma pressão muito forte nos últimos seis minutos e conseguiram reduzir diferenças. A irreverente Inês Vicente ainda desperdiçou um livre direto, mas o reforço Lígia Oliveira (ex-C.H. Carvalhos), também de livre direto depois da 10ª falta de equipa da Stuart, conseguiu reduzir para 4-2. Numa jogada corrida Inês Vicente “bisou” no encontro e deixou incerteza no marcador para os últimos três minutos. As forças faltaram e apesar de terem tido duas boas ocasiões para chegarem ao empate, as meninas da “aldeia do hóquei” não lograram a divisão de pontos, num encontro dirigido pelo árbitro Nuno Sousa de Lisboa que não esteve à altura das incidências da partida.

    No próximo domingo, dia 23 de novembro de 2014 às 17 horas, o HCT recebe o FC Alverca (venceu a Salesiana em casa por 4-3 na 1ª ronda) na 2ª jornada desta Zona Sul, num jogo que terá algum grau de importância para as de Turquel que não quererão desperdiçar pontos na luta pelos quatro primeiros lugares da tabela classificativa.

    “Venha ao hóquei apoiar a equipa feminina do H.C. Turquel!”

  • Todos apurados para os Nacionais e na luta pelos títulos Regionais

    Terminadas as primeiras fases dos regionais dos escalões de formação/competição. O HCT fez o pleno, no que ao apuramento para os Nacionais diz respeito, algo que só teve paralelo nas provas organizadas pela A.P. Lisboa, até ver, com o S.L. Benfica que alcançou o mesmo feito. Isto significa que todos os escalões, exceptuando os Infantis (Sub-13), H.C. Turquel “A”, poderão lutar pelos respetivos títulos regionais. Pelo segundo ano consecutivo a funcionar em provas organizadas pela A.P. Lisboa, desde o início da época, o HCT conseguiu colocar quase todas as suas equipas no primeiro lugar das respetivas séries e garantiu assim o primeiro objetivo da época (apuramento para os Nacionais em todos os escalões de formação/competição). Com a 2ª Fase dos Regionais prestes a iniciar-se (29 e 30 de novembro de 2014) e com os Nacionais no horizonte, o HCT.pt dá-lhe uma retrospectiva do percurso efetuado pelas cinco equipas alvinegras nos respetivos Regionais e o que poderão ter pela frente na 2ª Fase dos mesmos, assim como na Prova 1 dos Nacionais.

    Juniores (Sub-20) ainda a carburar a meio gás

    Os Juniores (Sub-20) de Nelson Lourenço e de Daniel Fialho tiveram uma 1ª Fase de Regional só com vitórias, num campeonato jogado apenas a quatro equipas, sendo que o triunfo mais tagencial foi por 5-4 em casa frente aos “Águias” da Memória logo à 1ª jornada. A equipa mostrou boa capacidade concretizadora (44 golos marcados e melhor ataque da série), mas também alguma inconsistência defensiva (16 golos sofridos) numa série com adversários menos competitivos como foram os casos de Tomar e Tigres de Almeirim. A equipa apurou-se tranquilamente para a fase de disputa do campeão regional e consequentemente para o Campeonato Nacional, conseguindo o primeiro lugar, com uns contudentes nove pontos à frente dos “Águias” da Memória. O agremiado alvinegro terá agora desafios importantes pela frente na Série F do Regional, sabendo que adversários como o Benfica, o Paço d’Arcos ou o Sporting poderão ser oponentes de peso na Prova 1 do Nacional e numa possível chegada às fases decisórias mais avançadas da época, nomeadamente na luta por um lugar na Prova 2 do Nacional.

    Juvenis (Sub-17) com 1ª Fase muito competitiva terão de dar continuidade

    Os Juvenis (Sub-17), também eles comandados pela dupla Nelson Lourenço/Daniel Fialho, contrariamente aos Juniores, tiveram uma 1ª Fase de Regional muito competitiva, tendo ficado inseridos na Série C e consentido dois empates (4-4 em casa e 2-2 fora) frente ao outro grande candidato a vencer a Série, o C.D. Paço d’Arcos. Os turquelenses conseguiram ainda oito vitórias nos restantes jogos. Enfrentando uma 1ª Fase de Regional muito competitiva em que teve também o Sintra a intrometer-se na luta, a equipa alvinegra além das oito vitórias e dois empates, marcou 70 tentos (2º melhor ataque) e sofreu 21 (melhor defesa), partindo para a Série F, na 2ª Fase, pronta a enfrentar adversários de grande calibre, que a poderão preparar de forma ainda mais assertiva para encarar o Nacional com seriedade e realismo. Equipas como Benfica, Sporting, Tomar, Alenquer e Grândola poderão ser adversários mais à frente no Nacional, e deverão ser já observados para que no futuro próximo se possa dar resposta aos desafios para ambicionar a chegar o mais longe possível esta temporada.

    Iniciados (Sub-15) em ano de crescimento

    Os Iniciados (Sub-15), orientados por Vasco Luís, tiveram uma 1ª Fase de Regional com apenas um precalço em seis jogos (3-3 em casa frente ao S.C. Tomar “B” à 2ª jornada) e contaram cinco vitórias nos restantes cinco jogos efetuados. O primeiro lugar da Série B acabou por ser uma realidade, apesar da oposição intermitente do Santarém (terminou a seis pontos do HCT) e os 24 golos marcados (melhor ataque), juntamente com os 7 sofridos (melhor defesa), trouxeram um pecúlio interessante a uma equipa que terá de “patinar” muito para superar a oposição de adversários poderosos, principalmente no capítulo físico, como Benfica, Paço d’Arcos, Sporting e Tomar “A”. Desfrutar o momento e aprender terá de ser o lema, para depois se poder ambicionar a algo mais, numa fase mais adiantada da temporada no Nacional da categoria.    

    Infantis B (Sub-13) mostraram ascendente e vão à procura de outro tipo de desafios

    Comandados por Hélio Gonçalves os Infantis (Sub-13), H.C. Turquel “B”, tal como os Sub 20 venceram todos os oito jogos da sua série na 1ª Fase do Regional e partem para a Série G (apuramento do Campeão Regional) com o intuito de poderem bater-se com as equipas mais fortes. Seguindo o seu caminho de aprendizagem, iniciado no raiar da temporada passada (2013/14), na 1ª Fase do Regional a vitória mais “apertada” dos jovens “brutos dos queixos” foi por 5-4 em casa frente ao Stª cita “B” na 8ª jornada, sendo que os 80 golos marcados (melhor ataque) e apenas 8 sofridos (melhor defesa), deixaram a concorrência (A.C.R. Stª Cita “B”) a seis pontos de distância. Na 2ª Fase espera-se outro tipo de oposição e os adversários que calharam em sorte, casos de Benfica, Paço d’Arcos “A”, Física, Sintra e Tomar “A”, serão oponentes de Nacional, pelo que a preparação terá de ser naturalmente melhor e mais profícua.

    Infantis A (Sub-13) a corrigirem debilidades técnico/táticas

    Conjunto constituído, na sua grande maioria, por atletas de primeiro ano, incluindo um atleta ainda um guarda-redes rotativo com idade de Escolar, a equipa “A” dos Sub-13 do H.C. Turquel, comandada por Rui Andrade “Ruca”, evoluiu de forma exponencial ao longo de uma 1ª Fase de Regional que foi muito benéfica para todos os que fazem parte integrante deste grupo. A equipa posicionou-se em 3º lugar, logo atrás das duas candidatas a vencerem a Série A, Tomar “A” e Santarém, e alcançou seis vitórias e quatro derrotas em dez jogos disputados. As dificuldades técnico-táticas têm aparecido, mas os princípios têm sido corrigidos, com os atletas a mostrarem empatia e vontade de aprenderem, sendo um grupo pioneiro no clube nos treinos ao domingo. A  equipa não estará no Nacional da categoria, mas continuará a competição na Série I do Regional, enfrentando adversários como Lourinhã, Cascais “B”, Tojal, “Os Corujas” e Alenquer “A”, com o intuito de progredir cada vez mais e melhor, preparando desafios futuros e quiçá com alguns elementos a poderem ser chamados à equipa “B”, mais à frente, no Nacional.

    Com o apuramento para os Nacionais garantido, a 2ª Fase do Regional servirá não só para lutar pelos títulos subjacentes, mas acima de tudo para preparar a prova mais importante do calendário português do hóquei em patins de formação, frente a adversários que colocarão “obstáculos” mais difíceis de transpor.

    “A formação do HCT mostra qualidade e vitalidade, por isso não deixe de apoiar estes jovens…eles merecem!”

    Três pontos importantes conquistados na Póvoa de Varzim

    Após quatro jornadas consecutivas sempre a perder (Benfica, Valongo, Tigres e Sporting), o HCT deslocou-se à Póvoa de Varzim para defrontar o recém promovido C.D. Póvoa num jogo que tinha crucial importância para os turquelenses, tendo em conta as derrotas antecedentes. A equipa teve dificuldades em impor o seu jogo no primeiro tempo, mas soltou-se para uma segunda metade com algum nível que lhe permitiu chegar a uma vantagem de três golos (1-4) que parecia confortável. No entanto, duas bolas paradas contra, permitiram ao Póvoa aproximar-se perigosamente e pôr em risco um triunfo que parecia evidente. Ainda assim, o empate não apareceu e o triunfo por 3-4 foi inteiramente merecido, num encontro em que o argentino German Dates foi o herói ao anotar um “hat trick” e a mostrar qualidades defensivas e em que a equipa se viu privada do contributo de Daniel Matias, prestes a ser pai.

    Primeiro tempo muito amorfo com ambos os conjuntos com muitas dificuldades para criarem perigo junto das duas balizas, mas a iniciativa ofensiva a pertencer claramente aos de Turquel. Vendo-se privado de Daniel Matias, mas já podendo contar com Paulo Passos, acabado de cumprir dois jogos de castigo, o técnico João Simões lançou o “baixinho” no cinco e colocou ao seu lado German Dates, em detrimento de Xavier Lourenço. A equipa criou muitas oportunidades, mas o “fantasma” de Almeirim parecia estar no ar e a bola teimava em não querer entrar, ora por inépcia dos atacantes alvinegros, ora pela qualidade das intervenções do guardião internacional Sub-23, Pedro Costa, ele que, juntamente com Pedro Vaz, venceu a última Taça Latina em Viana do Castelo. Ao intervalo o 0-0 prevalecia teimosamente e só uma bomba do “bombardeiro” Viti e outra de Vasco Luís, levaram as bolas aos postes de cada uma das balizas, fazendo com que esses fossem os momentos de maior frisson numa primeira parte algo pobre.

    Na segunda metade tudo foi diferente, o Póvoa continuou a jogar no erro do adversário, mas o HCT apareceu com outra atitude, com um hóquei muito mais dinâmico e inaugurou o marcador logo aos cinco minutos, depois de uma stickada de meia distância de Pedro Vaz e de um desvio tremendamente oportuno de German Dates à frente do guardião Pedro Costa. Iniciava-se aqui uma tarde de sonho para o argentino que oito minutos mais tarde voltou a bater o guardião da casa, depois de aproveitar um ressalto em pleno coração da área e rematar varrido para o seu “bis”. Com 0-2 no marcador o Póvoa subiu as suas linhas e colheu frutos já que forçou uma cartolina azul a German Dates. Contudo, na conversão do respetivo livre direto, Márcio Rodrigues permitiu uma boa dupla intervenção a Tuga. A jogar em Power Play os visitados conseguiram desmontar a defesa zonal dos alvinegros e Cristiano Fangueiro desviou fácil uma excelente assistência de Márcio Rodrigues, fazendo o 1-2. A resposta turquelense foi intensa e repentina, já que num espaço de apenas vinte segundos, em duas transições rápidas, surgiram dois golos que colocaram o score em 1-4. Primeiro foi German Dates a surgir isolado, lado a lado com Vasco Luís, e a fazer “hat trick”, batendo Pedro Costa com remate subtil e depois foi Vasco Luís, num contra ataque 2x1, a receber uma assistência de Pedro Vaz e a colocar a bola por baixo do corpo do “portero” da casa. Com menos de oito minutos para jogar tudo parecia resolvido, mas a equipa alvinegra estava à bica com nove faltas de equipa e não poderia cometer erros defensivos para poder travar o hóquei direto dos poveiros. Num lance infeliz e um pouco mal ajuízado, a bola embateu no patim de Pedro Vaz, dentro da área turquelense, e foi assinalado penalty que Viti não desperdiçou, reduzindo diferenças (2-4). Com menos de um minuto para jogar caiu a 10ª falta de equipa visitante e novamente Viti a disparar um míssil, “bisando” no encontro e colocando o resultado em 3-4, o que trouxe muita indefinição no marcador nos segundos que faltavam.  No entanto, a equipa de Turquel teve capacidade para gerir a posse de bola até final e segurar um resultado que é muito importante para uma equipa que claramente não estava num bom momento. 

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo da Póvoa de Varzim

    Dia/Hora: 15 de novembro de 2014, às 18H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (7ª jornada)

    Árbitros: José Pinto (Porto), Joaquim Pinto (Porto) e Pedro Silva (3º árbitro) (Porto)

    C.D. Póvoa/Orcopom: [68] Pedro Costa (GR), [7] Ruben Fangueiro (C), [10] Márcio Rodrigues, [4] Vítor Oliveira “Viti” (2), [6] Carlos André Rodrigues, [5] Hugo Paiva e [9] Cristiano Fangueiro (1). Não jogaram: [22] Telmo Fernandes (GR), [2] Rui Silva e [88] Tiago Rocha.

    Treinador: Carlos Silva

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [9] Vasco Luís (1), [59] Paulo Passos, [3] German Dates (3), [47] Xavier Lourenço e [8] André Luís (C). Não jogaram: [10] Eduardo “Edu” Leitão (GR), [5] João Alves e [77] Pedro Batista.

    Treinador: João Simões

    Ao intervalo: 0-0

    Resultado Final: 3-4

    Depois de um primeiro tempo muito justo, com a iniciativa a pertencer aos visitantes mas o Póvoa a fechar bem os caminhos para a sua baliza, os golos não apareceram e o espetáculo foi pobre. O segundo tempo teve mais Turquel a equipa alcançou a vantagem e nunca mais a largou, tendo inclusivamente chegado aos dois golos de diferença, mas as bolas paradas, mais uma vez, fizeram a diferença e o Póvoa aproximou-se, sem no entanto ter conseguido o empate, num triunfo curto, mas inteiramente justificado por parte dos de Turquel.

    No próximo sábado, não haverá jogo devido à 3ª jornada da Liga Europeia. O HCT não está inserido na competição, mas é influenciado diretamente, dado que o seu adversário na 8ª jornada do campeonato é nada mais nada menos que o F.C. Porto, que neste sábado se desloca a Vendrell (Espanha) para mais um jogo na prova maior do hóquei europeu ao nível de clubes. Assim sendo, o jogo do campeonato entre o HCT e o Porto fica agendado para a próxima quarta-feira, dia 26 de novembro de 2014 pelas 21 horas, no pavilhão gimnodesportivo de Turquel. Em “dia do clube”, é mais um grande embate a não perder na Aldeia do Hóquei.

  • Campeonato nacional inicia-se com prova de fogo

    Depois da excelente participação no torneio de abertura de Seniores Femininos organizado pela A.P. Lisboa, em que conseguiu a segunda posição apenas atrás do campeão nacional, Benfica, a jovem equipa do HCT inicia neste próximo sábado, dia 15 de novembro de 2014 às 19:30h, a sua participação no Campeonato Nacional Feminino – Zona Sul. As comandadas de Hélder Coelho e Luís Raimundo irão deslocar-se ao rinque daquela que é considerada como a segunda melhor equipa da Zona Sul a A. Stuart H.C. Massamá.

    Podendo contar com todas as atletas que tem à sua disposição, a equipa técnica turquelense e todo o grupo iniciam a competição com o objetivo claro de se posicionarem num dos quatro primeiros lugares da tabela classificativa, de modo a garantirem a passagem para a fase de apuramento de campeão e ter, nessa altura, jogos bastante competitivos, de forma sequenciada, que lhe permitirão progredir ainda mais, numa época que é claramente de reformulação de processos e de aprendizagem. Além da equipa de Massamá, o HCT terá ainda de enfrentar as equipas de Benfica, Tojal, Lobinhos, Alverca, Salesiana e Roller Lagos, num campeonato a 8 que se inicia este sábado e que termina apenas a 22 de fevereiro de 2015.

    Oportunidade desperdiçada em grande tarde de hóquei

    Vinda de uma derrota surpreendente em Almeirim frente aos Tigres a equipa do H.C. Turquel recebeu e perdeu (2-4) na 6ª jornada do nacional da 1ª divisão frente ao reformulado e institucionalizado Sporting C.P.. Num jogo de início de tarde de domingo, o pavilhão engalanou-se, mas nem sempre o ambiente foi frenético como costuma ser. Os turquelenses mostraram vontade e entraram muito bem no jogo, tendo estado em vantagem (1-0) mas nunca conseguiram capitalizar o bom momento com mais golos. Quando o Sporting “acordou” para o jogo veio em força e antes do intervalo a equipa comandada por Nuno Lopes conseguiu virar os acontecimentos a seu favor (1-2), fruto da inspiração do guardião internacional português, Ângelo Girão, e do internacional angolano, João Pinto, bem como da desinspiração da equipa da casa que, tal como em Almeirim, sofreu um golo com um elemento a mais em rinque. O segundo tempo foi de ascendente sportinguista que marcou dois golos que lhe deram algum conforto para jogar como gosta e a reação final dos visitados, apesar de muito forte, pecou por tardia.

    Foto: Carmo Honório

    Primeiro tempo com entrada forte dos da casa, que conseguiram impor um bom ritmo em ataque organizado, aliado à grande displicência por parte do Sporting, com muitas receções falhadas e transições, quer ofensivas quer defensivas, mal executadas. Foi sem grande estranheza que logo aos 3 minutos, após um derrube a Xavier Lourenço no interior da área leonina, o mesmo Xavier convertesse o castigo, batendo Girão, para gáudio dos muitos adeptos alvinegros que quase lotaram o pavilhão. O 1-0 surgiu a favor da corrente do jogo e o Sporting parecia não conseguir encontrar-se, sendo que os da casa tiveram algumas chances para ampliar a vantagem, mas Daniel Matias e Vasco Luís desperdiçaram duas ocasiões soberanas na cara de Girão, que começava a brilhar na baliza sportinguista. Foi já com mais de 15 minutos decorridos na primeira parte que o Sporting ajustou o seu jogo e começou a criar algum perigo através das investidas de Tiago Losna (ex-F.C. Porto), das movimentações de André Moreira e da meia distância do capitão Ricardo Figueira. Este último fez valer a sua potente stickada do meio da rua e igualou a contenda aos 17 minutos, num lance em que Tuga foi infeliz na abordagem ao lance. Dois minutos depois o mesmo Ricardo Figueira viu a cartolina azul por engachamento ao argentino German Dates e Daniel Matias, na conversão do respetivo livre direto permitiu dupla intervenção de Girão. A partir daqui o Sporting ganhou ainda mais força, mesmo jogando com um elemento a menos, e o HCT pareceu ter-se desorientado um pouco. A jogar em Power Play a equipa de João Simões não soube tirar partido da situação e uma perca de bola levou Tiago Losna a chocar com Pedro Vaz e levou também a que o árbitro Pulo Rainha assinalasse livre direto, num lance que deixou muitas dúvidas. Chamado à conversão do castigo João Pinto tentou uma “picadinha” que “morreu” na luva esquerda de Tuga, mas o irreverente jogador luso-angolano que chegou ao Sporting esta temporada, proveniente da Juventude de Viana, fez jus à alcunha de Mustang, pois recuperou a bola, passou por todos os quatro jogadores de rinque do HCT e colocou a bola por entre as pernas de Tuga, naquele que foi o golo da tarde e que fez o 1-2 quando o Sporting estava com menos um elemento entre as quatro tabelas. Os visitados sentiram o toque e desorientaram-se e até ao intervalo acumularam alguns erros, entre eles uma cartolina azul mostrada a German Dates por um toque em Tiago Losna que deu novo livre direto. Desta feita o chileno “Nico” Fernandez, ex-Giovinazzo de Itália, foi chamado à conversão do castigo, mas nem sequer conseguiu rematar à baliza, para na jogada seguinte perder nova bola em transição e ainda cometer penalty por patim na bola na sua área, numa entrada para esquecer do internacional chileno. Na transformação da penalidade, já dentro dos últimos trinta segundos de jogo, Xavier Lourenço, desta vez não conseguiu bater Girão e ao intervalo os leões estavam em vantagem por 1-2, indo iniciar o segundo tempo em Power Play durante mais alguns segundos, fruto do azul mostrado a German Dates. 

    Na etapa complementar o HCT tentou entrar forte e melhorar o seu enquadramento em zona ofensiva, no entanto a equipa perdeu fluidez e velocidade, deixando o Sporting adormecer o jogo e nunca se conseguiu aproximar a contento junto da baliza de Girão, almejando apenas algumas meias distâncias que o guardião do Sporting foi defendendo sem dificuldades. Foi já com mais de meio do segundo tempo decorrido que o marcador voltou a mexer, depois de German Dates ter carregado Daniel Oliveira “Poka” na 10ª falta de equipa dos turquelenses. Na transformação do respetivo livre direto o experiente Carlitos não se fez rogado e bateu Tuga pela terceira vez com um remate direto, forte e colocado. Com o 1-3 no marcador João Simões foi refrescando o seu cinco e alterou a “postura” da sua equipa em termos defensivos, com o bloco a subir em pressão alta sobre as duas linhas ofensivas do Sporting. Aqui os comandados de Nuno Lopes sentiram-se como “peixes na água”, defenderam de forma compacta, contaram com a segurança de Girão e trocaram a bola de forma segura a toda a largura do rinque. Por seu lado, os alvinegros conseguiram algumas recuperações que tiveram expressão na raça de German Dates e dos recém entrados André Luís e Pedro Batista. Estes dois últimos foram mesmos os dois dínamos da equipa nos últimos minutos, tendo em conta que a sua frescura lhes permitiu acelerar o jogo para uma outra dimensão. Ainda assim, com os riscos corridos na pressão defensiva, a equipa turquelense expôs-se e sofreu o quarto golo num contra ataque de 3x2 em que a bola passou por Carlitos e por Tiago Losna, com este último a assistir João Pinto ao segundo poste para o 1-4, num golo que assinalou o “bis” do “Mustang” no encontro. Faltavam pouco mais de 3 minutos para jogar e ainda houve tempo para a reação alvinegra, com o capitão André Luís a reduzir diferenças num ataque rápido, após excelente assistência aérea de Daniel Matias, mas já não dava para mais e o resultado final cifrou-se em 2-4.   

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 9 de novembro de 2014, às 15H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (6ª jornada)

    Árbitros: Paulo Rainha (Minho), Rui Torres (Minho) e Vítor Roxo (3º árbitro) (Leiria)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [47] Xavier Lourenço (1), [4] Daniel Matias, [9] Vasco Luís, [3] German Dates, [8] André Luís (C) (1) e [5] Pedro Batista. Não jogaram: [10] Eduardo “Edu” Leitão (GR) e [59] João Alves.

    Treinador: João Simões

    Sporting C.P.: [61] Ângelo Girão (GR), [4] Ricardo Figueira (C) (1), [16] João Pinto “Mustang” (2), [9] Tiago Losna, [7]  André Moreira, [18] Daniel Oliveira “Poka”, [27] Carlos Martins “Carlitos” (1) e [8] Nicolas “Nico” Fernandez. Não jogaram: [91] José Diogo Macedo (GR) e [24] André Pimenta.

    Treinador: Nuno Lopes

    Ao intervalo: 1-2

    Resultado Final: 2-4

    Partida que teve um início titubeante por parte do Sporting, numa altura em que o HCT, apesar de ter estado em vantagem, não conseguiu aproveitar. Os alvinegros nunca conseguiram controlar o jogo e mostraram muitas dificuldades em conseguirem dar velocidade ao seu ataque organizado, permitindo a reviravolta e dando por completo a “faca e o queijo” aos verdes e brancos. A equipa de Nuno Lopes esteve sempre na “sua praia” na frente do marcador, colocou linhas bem baixas e, comandados por um seguríssimo Girão na sua baliza, saíram a contento em transições rápidas, para depois conservarem a posse de bola com muita facilidade e levarem os três pontos de Turquel de forma ajustada.

    No próximo sábado, dia 15 de Novembro de 2014 pelas 18 horas, joga-se a 7ª jornada do nacional da 1ª divisão e o HCT desloca-se à Póvoa do Varzim para defrontar o recém promovido C.D. Póvoa. Os “caxineiros” têm apenas três pontos averbados, fruto da vitória (7-5) conseguida em casa frente aos Tigres de Almeirim e, junto dos seus adeptos, quererão bater o pé a uma equipa do HCT que vai em quatro jogos consecutivos a perder para o campeonato. É portanto um jogo de extrema importância para a equipa de João Simões que já poderá contar com Paulo Passos (cumpriu 2 jogos de castigo após expulsão frente ao Valongo) e que enfrentará, depois deste jogo, uma paragem competitiva de semana e meia, voltando a jogar apenas no dia 26 de Novembro, pelas 21 horas, em Turquel frente ao F.C. Porto.

  • Ineficácia na finalização não permitiu “domar” Tigres

    Depois do esforço inglório frente ao Igualada e de ter saído da Taça CERS na primeira oportunidade, apesar da vitória (4-3) no jogo da segunda mão em Turquel, o HCT deslocou-se a Almeirim na 5ª jornada do Campeonato Nacional, num jogo em que era muito importante vencer. A verdade é que a equipa turquelense esteve sempre desconfortável, atrás do resultado, nunca conseguiu estar em vantagem no marcador e foi vítima da tremenda eficácia do adversário, de um Francisco Veludo imparável na baliza dos da casa e de falhas gritantes na finalização, inclusivé na execução falhada de 4 bolas paradas (mais 3 repetições), que deitaram por terra qualquer tipo de reviravolta. Não se pode dizer que a equipa tenha jogado mal e a derrota (3-2) soa a injusta por aquilo que ambas as equipas produziram, mas o desperdício foi pago com pontos e de Almeirim o HCT infelizmente não trouxe nem um.

            Fotos: Carlos Martins/Plurisports

    Depois da grande exibição individual frente ao Igualada, João Simões manteve o argentino German Dates no cinco inicial e com o castigo de dois jogos aplicado a Paulo Passos, depois de este ter visto a cartolina vermelha no jogo da 4ª jornada em casa frente ao Valongo, Xavier Lourenço ficou no banco, ele que tinha sido titular em todos os jogos do campeonato até aqui, e Vasco Luís manteve-se na equipa que começou o encontro. Desde o apito inicial se percebeu que o HCT iria mandar no jogo, perante uma equipa dos Tigres a fechar razoavelmente bem as suas linhas e a jogar no erro do adversário. A pressão turquelense deu os seus frutos apenas aos 9 minutos, com Teófilo Casimiro a marcar uma pertença bola presa do guardião da casa, Francisco Veludo. Xavier Lourenço saltou do banco para a conversão do castigo, mas não conseguiu bater o guarda-redes visitado. Na sequência da marcação da grande penalidade o árbitro da partida mandou repetir pelo facto de Veludo se ter mexido antes da bola partir, sendo que o mesmo voltou a acontecer na repetição e o guardião de Almeirim foi excluído com cartão azul durante dois minutos. Na segunda repetição trocaram os protagonistas, mas o suplente João Patrício (ex- S. Alenquer B.) defende o remate, agora efetuado por Vasco Luís. A jogar em Power Play o HCT teve tudo para conseguir inaugurar o marcador, mas incrivelmente foram os Tigres que lograram marcar, depois de Vasco Luís ter perdido a bola em zona proibida e Filipe Bernardino ter lançado o jovem que jogou nos escalões de formação alvinegros, João “Janeka” Silva, que surgiu isolado perante Tuga e não perdoou. O 1-0 foi um golpe duro para os turquelenses que apesar de tudo fecharam bem a primeira parte, logrando muitos lances em frente de Patrício e de Veludo (reentrou após cumprir 2 minutos de suspensão), mas esses lances não foram capitalizados e a rede não abanou mais até ao descanso.

    A segunda parte começou com reação forte dos alvinegros, como que espicaçados pelas palavras do técnico João Simões ao intervalo, e logo aos quatro minutos German Dates empata a partida num ataque rápido com remate cruzado e rasteiro. Nesta fase o HCT mostrou ascendente e 6 minutos depois beneficia de um livre direto a castigar a 10.ª falta de equipa da formação de Almeirim. Daniel Matias desperdiça a oportunidade de bater Veludo, mas repete-se o filme da primeira parte, já que Janeka saiu da outra área mais cedo do que o devido e na repetição German Dates assume a marcação mas mais uma vez Francisco Veludo defende, começando a cotar-se como o melhor elemento em rinque. As bolas paradas pareciam estar a ser um problema para os forasteiros que 5 minutos depois voltam beneficiar de uma grande penalidade, Xavier Lourenço, tal como todos os restantes colegas de equipa que estiveram muito desinspirados, não conseguiu enganar o guardião dos Tigres de novo.No minuto seguinte penalidade cometida por Xavier Lourenço sobre Filipe Bernardino e o mesmo jogador chamado à conversão inverteu a tendência do jogo e bateu Tuga com um remate rápido, seco e rasteiro fazendo o 2-1. Mais um “murro no estômago” da equipa alvinegra que conseguiu reagir e pouco tempo depois, num contra-ataque de 3x2 conduzido pelo júnior Pedro Batista (estreou-se na 1ª divisão), permitiu a Daniel Matias aproveitar a sobra e de primeira conseguir novo empate, desta feita a duas bolas. Faltavam 8 minutos para o fim do encontro e o pensamento dos alvinegros seria carregar sobre uma equipa dos Tigres que se encontrava debilitada fisicamente e que já não conseguia iniciativas ofensivas que pudessem importunar Tuga. No entanto, no mesmo minuto do empate, depois de Vasco Luís cometer a 10ª falta de equipa dos alvinegros, o talentoso João Vieira “Johe” que em tempos idos também alinhou no HCT, transformou o respetivo livre direto em golo e colocou o resultado em 3-2. Até ao final, os “brutos dos queixos”, apesar de terem levado mais uma “machadada” nas suas aspirações, não se intimidaram e a dois minutos fim tiveram uma oportunidade soberana para empatar na sequência de nova grande penalidade, numa falta de Rui Gamboa sobre German Dates. Chamado à conversão, Pedro Vaz não conseguiu fazer melhor que os companheiros e viu Francisco Veludo culminar a sua exibição com mais uma defesa decisiva que reforçou ainda mais a sua coroação com o prémio de homem do jogo, ainda que a partida não terminasse sem polémica, quando nos últimos segundos Filipe Bernardino tirou a bola de cima da linha de golo da sua baliza com o patim, após stickada de Xavier Lourenço. Deveria ter sido assinalada mais uma grande penalidade a favor dos turquelenses, mas a dupla de arbitragem fez “vista grossa”, dando o jogo por concluído logo em seguida. Ainda assim, o HCT só se pode queixar de si mesmo, a equipa comandada por João Simões produziu mais que o adversário em termos de jogo jogado, mas isso não chegou perante uma equipa dos Tigres eficaz, abnegada e pouco mais, que conseguiu a primeira vitória no campeonato e também os primeiros pontos.           

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Alfredo Bento Calado - Almeirim

    Dia/Hora: 5 de novembro de 2014, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (5ª jornada)

    Árbitros: Vítor Roxo (Leiria), Teófilo Casimiro (Ribatejo) e Hélder Pardal (3º árbitro) (Ribatejo)

    H.C. “Os Tigres” de Almeirim: [2] Francisco Veludo (GR), [88] Filipe Bernardino (1), [4] André Martins “Keke”, [45] João “Janeka” Silva (1), [7]  Alexandre Andrade, [10] João Patrício (GR), [5] Rui Gamboa, [66] João Vieira “Johe” (1) e [77] João Filipe (C). Não jogou: [55] Márcio Antunes.

    Treinador: Pedro Nifo

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [4] Daniel Matias (1), [9] Vasco Luís, [3] German Dates (1), [47] Xavier Lourenço, [8] André Luís (C) e [77] Pedro Batista. Não jogaram: [10] Eduardo “Edu” Leitão (GR) e [5] João Alves.

    Treinador: João Simões

    Ao intervalo: 1-0

    Resultado Final: 3-2

    Num encontro em que era proibido perder e imperativo trazer os três pontos para Turquel a equipa alvinegra mostrou muitas debilidades na hora de finalizar e até uma certa ansiedade frente a um conjunto que ainda nem sequer tinha pontuado. O guardião da equipa da casa, Francisco Veludo, bem auxiliado pelos seus postes e pelo seu suplente João Patrício, conseguiu suster quase todas as investidas dos turquelenses, realizando uma exibição para mais tarde recordar e que manteve a equipa almeirinense em jogo até aos minutos finais, período em que foi muito mais forte na conversão das bolas paradas (HCT desperdiçou 4 e mais 3 repetições) do que o seu adversário.    

    No próximo domingo, dia 9 de Novembro de 2014 pelas 15 horas, joga-se a 6ª jornada e o HCT recebe no inferno de Turquel o reforçado Sporting CP, orientado pelo alentejano e ex-atleta turquelense, Nuno Lopes. A equipa leonina, após ter visto a secção de Hóquei em Patins ser oficializada pelo presidente do clube, Bruno Carvalho, reforçou-se a contento e com atletas com muita experiência acumulada. Entre os que mais brilham está Ângelo Girão, o guarda-redes titular da Seleção Nacional portuguesa, para muitos considerado como um dos melhores do mundo na sua posição. O espelho da mais valia de Girão é o estatuto de melhor defesa da prova que o Sporting ostenta à 5ª jornada, com apenas 8 golos sofridos. Será um encontro escaldante de início de domingo à tarde e que terá honras de transmissão televisiva em A Bola TV e Sporting TV. Todos devem comparecer no pavilhão para ajudarem a nossa equipa a ultrapassar mais um difícil obstáculo. A não perder!

    Sensações muito positivas

    Fim de semana de Final Four do Torneio de Abertura, organizado pela AP Lisboa, com competição a quatro em Vale de Lobos (Sintra) para definir o vencedor da primeira competição da temporada. No sábado, na primeira meia-final, a equipa turquelense derrotou a congénere do Stuart de Massamá por 2-3 no golo de ouro e carimbou o passaporte para a final da competição, no dia seguinte, frente ao campeão nacional, SL Benfica, que venceu o Alverca na outra meia-final por 2-4. A final, ao contrário do que se poderia supor, foi uma partida muito disputada e que teve um HCT forte, não querendo entregar o título de mão beijada. A vitória das favoritas (Benfica) acabou por chegar pela margem tagencial (1-2), já bem perto do fim, e a imagem que fica, bem como as ilações a tirar da prestação da equipa comandada por Hélder Coelho e Luís Raimundo, são bastante positivas.

    Na primeira meia-final o HCT teve pela frente a equipa do Stuart Massamá e mostrou bem cedo ao que vinha, tendo chegado ao intervalo a vencer por 1-2, fruto dos golos de Margarida António e de Inês Vicente. No segundo tempo o coletivo de Massamá pressionou mais as linhas ofensivas turquelenses e conseguiu um golo sem respota, levando o jogo para prolongamento (golo de ouro). Aí o HCT foi mais forte e Margarida António conseguiu marcar o tento de uma vitória feliz e merecida. Assim sendo, o HCT carimbou o acesso à final de domingo, defrontando o SL Benfica (venceu o Alverca na outra meia-final por 2-6).

    No jogo da decisão o Benfica não contou com as cinco internacionais que estiveram no mundial de Tourcoing (França), ao serviço da Seleção Nacional Portuguesa (5º Lugar), incluindo as manas Rita e Rute Lopes e onde esteve também a ex-guardiã e capitã do HCT, Alice Vicente, agora ao serviço da A. Académica de Coimbra. O primeiro tempo, ao contrário do que muitos poderiam pensar, foi bastante equilibrado, com algumas ocasiões de golo que foram bem paradas pelas guarda-redes alvinegra e encarnada, Cláudia Vicente e Ana Santos (ex-HCT) respetivamente. No entanto, as campeãs nacionais conseguiram mesmo chegar ao intervalo a vencer por 0-1, fruto de um golo de Marta Vieira. O segundo tempo foi semelhante, com domínio em termos de posse de bola por parte do Benfica e com as turquelenses a explorarem bem as transições e a chegarem ao empate por intermédio de Inês Vicente. Com menos de três minutos para jogar, Sofia Vicente (ex-HCT) acabou por dar a vitória no Torneio de Abertura às comandadas de Paulo Almeida, batendo a sua irmã Cláudia na baliza alvinegra, naquele que foi um encontro disputado, emocionante e que mostrou um Turquel com quem se deve contar na temporada 2014/2015.

    Resultados:   

    [1ª Meia-Final] A Stuart HC Massamá (2) - HC Turquel (3)*, com 1-2 ao intervalo. Golos HCT: Margarida António (2), Inês Vicente. *O HCT venceu no prolongamento, com um golo de ouro obtido por Margarida António.

    [2ª Meia-Final] FC Alverca (2) – SL Benfica (6)

    [Apuramento do 3º e 4º classificados] A Stuart HC Massamá (2) – FC Alverca (1)

    [Final] HC Turquel (1) – SL Benfica (2), com 0-1 ao intervalo. Golo HCT: Inês Vicente.

    Classificação Final do Torneio de Abertura de Seniores Femininos - APL:

    [1º] SL Benfica

    [2º] HC Turquel

    [3º] A Stuart HC Massamá

    [4º] FC Alverca

  • Resposta fantástica fez acreditar

    Partida de volta (2ª mão) dos 16 avos de final da Taça CERS, com o HCT a receber os catalães do Igualada, depois da derrota concludente em Espanha por 6-0, e resposta fantástica dos “brutos dos queixos” que mostraram valor suficiente para poderem discutir a eliminatória com outras condições. O líder da “revolta” foi o argentino German Dates que rubricou uma exibição incrível, de garra, abnegação e qualidade, culminada com um “bis”. A equipa turquelense chegou ao intervalo a vencer por 3-1 e andou muito perto do 5-1 já perto do fim do jogo, mas não conseguiu lograr a aproximação na eliminatória e no final concedeu espaços que permitiram um resultado final (4-3) que é muito lisonjeiro para os igualadinos e que demonstra claramente que os alvinegros não discutiram a passagem aos oitavos com maior propriedade, devido ao péssimo resultado da 1ª mão.

    Com algumas alterações no cinco inicial e com destaque para a presença na baliza do guardião Edu Leitão, recentemente coroado campeão da europa de Sub 20 (mostrou argumentos para ser uma boa alternativa a Tuga), o técnico João Simões procurou dar maior pendor ofensivo à sua equipa e lançou German Dates na frente com Paulo Passos, sendo que Vasco Luís e Daniel Matias assumiam as posições mais de retaguarda. Um “cinco” de ataque e com uma entrada em jogo muito forte, que “foi com tudo” para cima do Igualada, fazendo com que os catalães passassem um mau bocado. Ainda não estavam decorridos dois minutos e já German Dates, num excelente promenor técnico após stickada de Vasco Luís, inaugurava o marcador com uma “picadinha” de se lhe tirar o chapéu e colocava em êxtase o muito público presente. O argentino foi a “voz da revolta” e “abriu o livro” a todos os níveis, com uma entrega fantástica e um jogo para mais tarde recordar. Apesar de tudo, cinco minutos depois, os ânimos esfrearam um pouco quando o tecnicista Sergi Pla soltou uma bomba do “meio da rua” ao ângulo superior esquerdo da baliza de Edu, naquele que foi o golo da noite e que dava a igualdade (1-1) no marcador aos espanhóis. O tento igualadino caiu que nem um “balde de água fria” sobre a cabeça dos jogadores turquelenses, mas estes não se deixaram abater e foram em busca de nova vantagem, que chegou quando faltavam doze minutos para o intervalo, numa grande combinação entre Paulo Passos e Daniel Matias, com o segundo a finalizar de fora da área num grande remate varrido de primeira. O 2-1 trouxe esperança e crédito aos atletas e aos adeptos, mas as oportunidades criadas iam esbarrando nas dificuldades de finalização, nos postes e nas boas intervenções do internacional Sub 23 espanhol, Elagi Deitg, que fechou os caminhos para a sua baliza. Com mais de dez minutos para jogar no primeiro tempo o HCT carregou no acelerador, mas apenas já dentro do último minuto é que conseguiu conquistar uma penalidade, cometida por Jassel Oller sobre Vasco Luís, que Xavier Lourenço converteu no 3-1, mantendo a “chama acesa” no descanso.

    No segundo tempo esperava-se mais uma vez uma entrada a todo o vapor da equipa alvinegra que teria de ir em busca de anular a desvantagem de quatro golos e isso verificou-se. No entanto, apesar de todo o esforço, a finalização não apareceu a contento e Elagi Deitg mostrou-se muito seguro na baliza catalã. Além disso, a natural agressividade turquelense fez com que as faltas de equipa disparassem e aquando da chegada às dez, Edu Leitão superiorizou-se ao especialista “Met” Molas, por duas vezes, já que a primeira execução defendida pelo guardião turquelense foi mandada repetir por uma dupla de arbitragem franco-suíça que não esteve à altura da velocidade e intensidade do encontro. Já com quase quinze minutos jogados, German Dates voltou a fazer das suas, depois de excelente combinação com o “baixinho” Paulo Passos que assistiu primorosamente o argentino para este finalizar com classe na cara do guardião igualadino e fazer o 4-1, dando “vida” a um pavilhão que se encontrava algo desacreditado. Este golo era a “pedra de toque” que faltava aos visitados para poderem encontrar forças para subirem ainda mais as linhas e conseguirem mais três golos que permitissem empatar a eliminatória. Os “brutos dos queixos” lutaram muito e pressionaram as saídas dos visitantes, conseguindo diversas ocasiões de golo que foram bastante bem anuladas pelo “portero” catalão, ele que se cotou, a par de German Dates, como uma das figuras do encontro. Com pouco menos de dez minutos para jogar João Simões refrescou a equipa, colocou os manos André e Vasco Luís em rinque e a equipa ganhou outra vida, conseguindo por quatro situações, quase consecutivas, aparecer na cara de Deitg, no entanto o guardião igualadino levou sempre a melhor, com defesas instintivas e a última delas numa intervenção fantástica a roubar um golo cantado a German Dates, após boa iniciativa do capitão André Luís. Não marcou o HCT e, na resposta, após uma confusão com Xavier Lourenço a ir ao banco em pleno contra-ataque adversário, Jassel Oller recebeu a bola de Joan Muntané no coração da área e bateu Edu pela segunda vez, fazendo o 4-2 para desespero de todos. Estava definido o vencedor da eliminatória e mais ficou depois do mesmo Jassel Oller, já dentro do último minuto, “bisar” no livre direto da 15ª falta de equipa dos da casa e fixar o resultado final nuns muito enganadores 4-3.     

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 1 de novembro de 2014, às 21H (22H em Espanha)

    Competição: 16 avos de final daTaça CERS 2014/15 (2ª mão)

    Árbitros: Arnaud Esoli (França), Urs Dornbierer (Suíça) e Paulo Carvalho (3º árbitro) (Portugal)

    H.C. Turquel: [10] Eduardo “Edu” Leitão (GR), [4] Daniel Matias (1), [9] Vasco Luís, [59] Paulo Passos, [3] German Dates (2), [53] Pedro Vaz, [47] Xavier Lourenço (1), [77] Pedro Batista e [8] André Luís (C). Não jogou: [13] Marco Barros “Tuga” (GR).

    Treinador: João Simões

    Monbus Igualada H.C.: [1] Elagi Deitg (GR), [8] Ton Baliu (C), [5] Jaume “Met” Molas, [7] Sergi  Pla (1), [4] Joan Muntané, [24] Jassel Oller (2)e [6]Albert Querol. Não jogaram: [10] Àlex Ferrer (GR), [3] Cesar “Teti” Vives e [18] Nil Garreta.

    Treinador: Francesc Monclús

    Ao intervalo: 3-1

    Resultado Final: 4-3

    Depois dos 6-0 da primeira mão, não restava nada mais ao HCT do que entrar em rinque, frente aos seus adeptos, com a entrega que se viu neste jogo de volta dos 16 avos de final da Taça CERS. A equipa mostrou um crer enorme e construiu um resultado que permitiu sonhar com a passagem aos oitavos, mas o risco que teve de ser tomado foi grande e os dois golos do Igualada obtidos por Jassel Oller nos últimos minutos da partida omitiram por completo a verdade do que se passou entre as quatro tabelas, já que o HCT foi claramente superior e merecia um resultado bem mais dilatado e consêntaneo com as incidências. Os alvinegros saem de cabeça erguida das competições europeias desta temporada.

    Na próxima quarta-feira, dia 5 de Novembro pelas 21 horas, regressa o campeonato e o HCT desloca-se a Almeirim para defrontar os Tigres locais em mais uma jornada do nacional da 1ª divisão. Os almerinenses em quatro jornadas averbaram outras tantas derrotas, mas no seu reduto são um “osso duro de roer” como prova o resultado (5-6) alcançado frente à poderosa equipa do FC Porto. Além disso os turquelenses chegam a Almeirim sem poderem contar com Paulo Passos que foi punido com dois jogos de castigo, após a cartolina vermelha vista no jogo da 4ª jornada frente ao Valongo.

    Final Four em Vale de Lobos

    Na última jornada do Torneio de Abertura da A.P. Lisboa, a jovem equipa dos Seniores Femininos do HCT deslocou-se a Vale de Lobos e, com o apuramento para a a Final Four da competição já garantido, voltou a mostrar qualidade, vencendo por 1-3 no reduto dos Lobinhos. Isto numa altura em que se conheceu o local de realização da Final Four, que tem início já este sábado, dia 1 de Novembro, a partir das 16 horas.

    O Pavilhão do Grupo Desportivo e Recreativo “Os Lobinhos” vai receber nos dias 1 e 2 de Novembro de 2014, a Final Four do Torneio de Abertura de Seniores Femininos, na qual se defrontarão as equipas do A. Stuart HCM, HC Turquel, FC Alverca e SL Benfica. Confira o aqui o calendário da prova.

    Quanto ao jogo em Vale de Lobos, que servia apenas para cumprir calendário, ficou marcado pelo equilíbrio e pela maior dinâmica imposta pelas atletas comandadas por Hélder Coelho que, apesar de terem ido para o intervalo empatadas a uma bola, conseguiram mostrar superioridade no segundo tempo e marcar dois golos sem resposta, cifrando o score em 1-3. Este resultado ajudou a consolidar a segunda posição, apenas atrás do campeão nacional Benfica e manteve a equipa da casa no quarto e último lugar da Série B.

    [Resultados e Marcadores] GDR Lobinhos (1) - HC Turquel (3), com 1-1 ao intervalo. Golos: Margarida António (2), Lígia Oliveira.

    Resultados e classificação do HCT na 1ª Fase - Série B do Torneio de Abertura de Seniores Femininos:

    [1ªJ] SL Benfica (8) – HCT (0)

    [2ªJ] HCT (7) – Roller Lagos CP (0)

    [3ªJ] HCT (4) – GDR Lobinhos (0)

    [4ªJ] HCT (1) – SL Benfica (3)

    [5ªJ] Roller Lagos CP (2) – HCT (4)

    [6ªJ] GDR Lobinhos (1) – HCT (3)

     

    Confira aqui a classificação final da Série B.

  • Juvenis com triunfo importante em Sintra

    Depois de um início forte e de apenas terem perdido dois pontos ao cair do pano no empate caseiro frente ao Paço D’Arcos, por manifesta infelicidade, os Juvenis (Sub17) do HC Turquel deslocaram-se a Sintra no passado Sábado, 25 de Outubro de 2014, para defrontarem o Hockey local e, adivinhando-se um jogo difícil, só a vitória interessava aos jovens alvinegros.

    Com um conjunto que tem atletas com algum aporte de experiência ao mais alto nível, a equipa comandada por Nelson Lourenço reforçou-se com o ex - A. Alcobacense CD, Mário Rosa, para a baliza, e depois de ter perdido apenas dois pontos no empate a quatro em casa com o Paço D’Arcos, deslocou-se a Sintra para consolidar o primeiro posto na Série C do Campeonato Regional de Sub 17, organizado pela Associação de Lisboa. A vitória era fundamental para não perder de vista o primeiro objetivo da temporada, que é o apuramento para o Nacional da categoria. Ficam aqui os elementos que compõem o plantel desta temporada:

    Juvenis 2014/2015

    Cláudio Rafael Tomás Venâncio

    David José Mateus Santos*

    Duarte Xavier Tereso Ferreira

    Francisco Honório Santos*

    Hugo Miguel Antunes Oliveira

    Lucas Ribeiro Vicente

    Mário Rui Justiniano Sousa Rosa (GR)

    Miguel Fialho Vicente

    Paulo Xavier Silva Duro*

    Tiago Susano Mateus*

    * Irá aos Juniores sempre que necessário e possível

     

    A perderem por 1-0 ao intervalo, os jovens turquelenses suaram as estopinhas, num rinque tradicionalmente difícil, e conseguiram virar o resultado a seu favor até ao 3-4 final. Este triunfo reitera a consolidação do primeiro posto à frente de Paço D’Arcos e Sintra respetivamente e, a três jornadas do fim, permite encarar o jogo decisivo em Paço D’Arcos, na 9ª jornada, com outra confiança.

    [Resultados e Marcadores] HC Sintra (3) - HC Turquel (4), com 1-0 ao intervalo. Golos: Tiago Mateus (2), Francisco Santos, Xavier Duro.

    Resultados do HCT até ao momento e o que falta jogar no Regional de Sub17 – Série C:

    [1ªJ] CA Campo de Ourique (3) – HCT (8)

    [2ªJ] HCT (4) – HC Sintra (1)

    [3ªJ] UDC Nafarros (2) – HCT (7)

    [4ªJ] HCT (4) – CD Paço D’Arcos (4)

    [5ªJ] AJ Salesiana “B” (1) – HCT (4)

    [6ªJ] HCT (13) – CA Campo de Ourique (0)

    [7ªJ] HC Sintra (3) – HCT (4)

    [8ªJ] HCT – UDC Nafarros (Sábado, dia 1 de Novembro de 2014 às 14h)

    [9ªJ] CD Paço D’Arcos – HCT (Sábado, dia 8 de Novembro de 2014 às 20h)

    [10ªJ] HCT – AJ Salesiana “B” (Sábado, dia 15 de Novembro de 2014 às 16h)

    Domingos fez a diferença ao Sábado

    Após duas derrotas seguidas fora de casa, em Igualada (6-0) e na Luz (5-2), o HCT “regressou” ao conforto dos seus adeptos para receber o campeão nacional, Valongo, na 4ª jornada do nacional da 1ª divisão. Com muito equilíbrio à mistura, foram os forasteiros os primeiros a ganharem ascendente, mas uma ponta final de primeira parte muito boa, acabou por ditar a reviravolta alvinegra e no descanso a vantagem estava do lado turquelense (2-1). O segundo tempo foi muito repartido e numa fase inicial, após o empate do Valongo, os da casa lograram colocar-se novamente em vantagem (3-2), mas a maior rotatividade de atletas e consequente frescura física, bem como a grande exibição do guardião Domingos Pinho, que defendeu quatro bolas paradas e fez mais dois punhados de grandes intervenções, fizeram toda a diferença para o score final se cifrar nos 3-5.

    Entrada fulminante do Valongo que logo aos quatro minutos se colocou em vantagem numa transição rapidíssima em que João Souto, com um passe fantástico, isolou Henrique Magalhães para este fazer o 1-0. Um “balde de água fria” que não amedrontou a equipa de João Simões e o muito público presente, que mais uma vez foi inexcedível no apoio e no ambiente criado. Cinco minutos depois, penalty cometido por Gonçalo Suíssas sobre Xavier Lourenço e o mesmo jogador não conseguiu bater Domingos Pinho, que iniciava aqui uma exibição para mais tarde recordar. Quatro minutos depois novo castigo máximo, desta feita a castigar falta de Telmo Pinto sobre Paulo Passos, e novo “duelo” entre Xavier e Domingos na decisão do castigo máximo, com o mesmo desfecho, já que o camisola 47 turquelense foi incapaz de bater o guardião de Valongo, natural de Oliveira de Azeméis. Ainda assim, não foi preciso esperar muito pelo tão almejado empate, pois poucos minutos depois, num lance de contra-ataque puro, um passe soberbo de Vasco Luís apanhou Daniel Matias a patinar com uma ou duas velocidades a mais do que os restantes companheiros e adversários e o camisola 4 turquelense não se fez rogado, isolado perante Domingos, para fazer o 1-1. Dois minutos depois, o mesmo Daniel Matias viu a cartolina azul por uma falta dura sobre Nuno Araújo após perca de bola, mas o especialista nas bolas paradas da equipa de Valongo, o mesmo Nuno Araújo, não conseguiu bater Tuga. Logo em seguida, do lado contrário, e numa altura em que a equipa da casa se encontrava com menos um elemento em rinque, penalty cometido por Nuno Araújo sobre Paulo Passos e Vasco Luís, na conversão do castigo, permitiu uma primeira defesa a Domingos Pinho, mas na recarga conseguiu enganar o guardião valonguense e levou o HCT para o intervalo a vencer por 2-1.

    No segundo tempo entrada inicial do campeão nacional a pressionar as saídas do HCT e a equipa da casa a sentir o toque e a revelar alguma dificuldade em fazer a transição defesa-ataque com qualidade. Com pouco mais de cinco minutos jogados na etapa complementar, Vasco Luís cometeu grande penalidade sobre Nuno Rodrigues “Peixe” ao prender-lhe o stick num momento de finalização e, Nuno Araújo, novamente chamado à decisão, permitiu uma primeira defesa a Tuga, mas na recarga atirou a contar, com a bola ainda a bater na trave, nas costas do guardião turquelense e caprichosamente a entrar para nova igualdade (2-2). O golo dos visitantes foi um golpe duro nas aspirações alvinegras, mas a equipa reagiu bem e após uma perca de bola do Valongo em zona proibida, a transição foi rápida e Hugo Azevedo agarrou ostensivamente Xavier Lourenço tendo visto o azul. Na conversão do respetivo livre direto Daniel Matias não se fez rogado, “bisou” com remate enrolado e colocou o HCT novamente na frente (3-2). Mas a festa dos adeptos da casa durou apenas um minuto, já que logo em seguida, num passe precipitado de Paulo Passos para Xavier Lourenço, intercetado pelos jogadores do Valongo, permitiu a a Telmo Pinto e Nuno Rodrigues “Peixe” combinarem para o último assistir o primeiro que, em queda, empatou o jogo a três bolas. Ainda não refeitos deste lance, os jogadores da casa tiveram o seu pior período no jogo e em mais um lance algo consentido, Nuno Rodrigues “Peixe” ludibriou a marcação de Xavier Lourenço atrás da baliza e já dentro da área rodopiou para colocar a bola no ângulo superior e fazer o 3-4, colocando o Valongo pela segunda vez em vantagem no jogo. Faltavam ainda catorze minutos para jogar e o encontro passou por uma fase de domínio dos forasteiros, com o HCT a mostrar algumas debilidades físicas para conseguir ir para cima do Valongo, mas o que é certo é que o resultado não se alterou e só com menos de quatro minutos para jogar é que se voltou a sentir a emoção em jogo. Tudo começou com um cartão vermelho mostrado a Paulo Passos, tudo indica que por palavras dirigidas à equipa de arbitragem e o árbitro principal, Miguel Guilherme, “sacou” da cartolina vermelha, admoestando número 59 dos de Turquel, para espanto de todos no pavilhão. Como o jogo estava parado, não houve lugar à marcação de livre direto, mas o HCT, caso não sofresse golos, ficaria com menos um jogador durante o tempo que restava (3:59m). Em inferioridade numérica, a equipa encheu-se de brio e foi atrás do prejuízo, tendo Vasco Luís, numa transição rápida, ganho um penalty por falta de Telmo Pinto, que viu a cartolina azul. Mais uma penalidade para Xavier Lourenço, a terceira no encontro e nova defesa de um “enorme” Domingos Pinho que além do primeiro remate ainda segurou a recarga do jovem jogador turquelense. Faltavam ainda três minutos para o apito final e tudo podia acontecer, sendo que a emoção era grande e as equipas jogavam temporariamente em igualdade numérica (3x3), depois das expulsões de Paulo Passos (vermelho) e de Telmo Pinto (azul). Num lance de transição rápida, João Souto isolou-se e perante a pressão de Xavier Lourenço, no momento do remate, caiu na área e a equipa de arbtiragem assinalou mais um penalty. Desta vez Nuno Araújo, à primeira, “bisou” e setenciou o encontro, colocando o resultado em 3-5, ainda que o jogo não tenha acabado sem mais uma penalidade, desta feita a favor dos da casa, numa falta de bola presa por parte de Domingos Pinho, com pouco mais de vinte segundos para jogar. O camisola 9, Vasco Luís, chamado a converter o castigo, não conseguiu bater o guardião nortenho que defendeu a primeira bola e também a segunda, tendo depois afastado o perigo e saído do jogo “em ombros” por parte dos seus colegas, que festejaram efusivamente um triunfo suado e importante, com uma exibição memorável do seu guarda-redes.                

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 25 de outubro de 2014, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (4ª jornada)

    Árbitros: Miguel Guilherme (Lisboa), Luís Peixoto (Lisboa) e Armando Henriques (3º árbitro) (Leiria)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [47] Xavier Lourenço, [4] Daniel Matias (2), [59] Paulo Passos, [9] Vasco Luís (1) e [3] German Dates. Não jogaram: [10] Eduardo “Edu” Leitão (GR), [8] André Luís (C) e [77] Pedro Batista.

    Treinador: João Simões

    A.D. Valongo: [26] Domingos Pinho (GR), [88] Henrique Magalhães (1), [5] Telmo Pinto (1), [44] João Souto, [7]  Gonçalo Suíssas, [3] Hugo Azevedo, [4] Nuno Araújo (2) e [86] Nuno Rodrigues “Peixe” (C) (1). Não jogaram: [10] Diogo Sampaio (GR) e [9] Álvaro “Alvarinho” Morais

    Treinador: Paulo Pereira

    Ao intervalo: 2-1

    Resultado Final: 3-5

    Mais um encontro de altíssimo nível na “aldeia do hóquei” com as equipas a mostrarem equilíbrio e conhecimento mútuo. A incerteza sobre o vencedor pairou até bem perto do final e aí o Valongo mostrou maior experiência e mais argumentos para viajar até ao norte do país com os três pontos no bolso, muito graças à maior frescura física evidenciada e à fantástica exibição do seu guarda-redes, Domingos Pinho, que tirou alguns lances de golo certos aos turquelenses. Destaques negativos para o número de bolas paradas desperdiçadas pelos da casa (4) e para o vermelho mostrado, por palavras, pelo árbitro Miguel Guilherme a Paulo Passos, que o impedirá de, pelo menos, jogar em Almeirim frente aos Tigres na próxima jornada (Quarta-feira, dia 5 de Novembro de 2014 pelas 21h).    

    No próximo sábado, dia 1 de Novembro de 2014, dá-se nova pausa no campeonato para compromissos europeus e o HCT recebe o Monbus Igualada HC às 21 horas na 2ª mão dos 16 avos de final da Taça CERS. De recordar que na 1ª mão os alvinegros sofreram a derrota mais pesada desta temporada ao perderem por 6-0 em terras de “nuestros hermanos” e a missão de reviravolta na eliminatória afigura-se muito difícil. Ainda assim, é preciso acreditar e encher o pavilhão, com aquele apoio vibrante que tem emanado de fora para dentro do rinque e levar os nossos jogadores a acreditarem que é possível. No próximo sábado…todos ao pavilhão!

  • Linha ténue entre o sucesso e o insucesso

    A derrota pesada (6-0) do HCT em Igualada poderia ter consequências nefastas no regresso do campeonato a meio da semana, quando os turquelenses viajaram até à capital para defrontar o Benfica na Luz, na 3ª jornada. No entanto, a equipa de João Simões acabou por dar uma excelente resposta, esteve a vencer por duas vezes e chegou ao intervalo em vantagem (1-2), para na segunda parte se deixar ultrapassar e ter tido oportunidade, por Xavier Lourenço no livre direto da 10ª falta de equipa dos visitados, de empatar a três bolas na entrada dos últimos minutos. Ao não conseguir o golo, o HCT ficou à mercê do maior poderio dos encarnados e de algumas decisões inconstantes da dupla de arbitragem, que proporcionaram o avolumar do marcador já dentro dos dois últimos minutos do encontro. Num jogo que marcou o reencontro de Tiago Rafael (ex-HCT) e do seu irmão Diogo com o clube que os formou, o guardião turquelense, Marco Barros “Tuga”, foi a estrela maior, com algumas intervenções fantásticas, mesmo não tendo conseguido evitar a derrota (5-2) da sua equipa.

    Contrariamente aos últimos encontros, o técnico João Simões chegou à Luz com a estratégia um pouco alterada e mudou também o cinco inicial, colocando Paulo Passos em rinque em detrimento de Vasco Luís. O encontro começou, como seria de esperar, com uma intensidade muito alta, o Benfica carregou sobre a baliza de Tuga, mas o guarda redes alvinegro bem como a sua defensiva, estavam a chegar para todas as encomendas. Como se não bastasse, os “brutos dos queixos”, apoiados por mais de cinco dezenas de adeptos conseguiam, nesta fase, muitas transições rápidas que levavam perigo junto da baliza do gigante Guillem Trabal e foi numa dessas transições que Paulo Passos inaugurou o marcador após fantástica assistência de Daniel Matias. Os da casa responderam e num penalty cometido por Paulo Passos sobre o argentino Carlos Nicolia, João Rodrigues bateu Tuga pela primeira vez no 1-1. A igualdade durou apenas cinco minutos, já que num penalty cometido por Tuco sobre Vasco Luís, Xavier Lourenço não deu hipóteses ao recém entrado Pedro Henriques que entrou apenas e só para defender a bola parada, tal como do outro lado Eduardo “Edu” Leitão que substituiu Tuga e em três minutos conseguiu evitar dois penaltys, no primeiro com defesa a remate do “especialista” João Rodrigues e no segundo a ver a bola embater no poste da sua baliza após uma “bomba” de Tiago Rafael. Entre esses dois lances, realce negativo para uma agressão bárbara do jovem Miguel Rocha a Xavier Lourenço que, com uma stickada na cara, colocou em grande risco a integridade física do seu adversário. De referir que esta situação, passou estranhamente incólome à dupla de arbitragem formada pelos internacionais Luís Peixoto e Miguel Guilherme e o resultado ao intervalo ficou no 1-2.     

    Na segunda parte sabia-se que a entrada dos encarnados iria ser muito forte e havia que estabilizar as posições defensivas, mas as arrancadas de Carlos Nicolia e o ritmo imposto em ataque organizado pela batuta do ex-Turquel Tiago Rafael (a reclamar mais minutos) acabaram por fazer sucumbir a equipa alvinegra. O empate a duas bolas surgiu logo aos cinco minutos, depois de uma perca de bola de Xavier Lourenço em zona proibida, João Rodrigues lançou Carlos Nicolia, que simulou a stickada numa primeira instância e depois aproveitou a posição baixa do guardião turquelense para desferir um remate potente, alto e colocado. Dois minutos depois os papéis inverteram-se, remate prensado de Carlos Nicolia e João Rodrigues, sempre muito oportuno, a “bisar” com um desvio feliz que passou por baixo do corpo do “keeper” alvinegro no 3-2. Estava consumada a reviravolta bem cedo na etapa complementar e, tal como em anos anteriores, pensou-se que o Benfica iria disparar no marcador. No entanto isso não se verificou, pois a equipa turquelense encheu-se de brio e sem se expor em demasia conseguiu ameaçar algumas vezes, colocando uma bola no poste e tendo mais duas situações em frente a Trabal, que Vasco Luís não conseguiu converter. O encontro arrastou-se até três minutos do fim e foi aí que caiu a 10ª falta de equipa do Benfica que deu direito a um livre direto para os visitantes. O jovem Xavier Lourenço, chamado a marcar o castigo, atirou à trave da baliza de Trabal e o empate esfumou-se. Um minuto depois deu-se o caso do jogo, depois de uma falta marcada a favor do Benfica, Miguel Guilherme exibe cartão azul ao treinador turquelense, João Simões, e aponta para a marca do livre direto. Os responsáveis do HCT alegaram, no imediato, que o jogo estava parado aquando da amostragem da cartolina azul, pelo que não poderia haver lugar à marcação de livre direto, mas sim de um livre indireto também a favor do Benfica e acabaram o jogo sob protesto. A decisão inicial da dupla de arbitragem acabou por prevalecer e Carlos Nicolia “bisou” na transformação do castigo para “matar” o jogo (4-2). Nos últimos segundos tempo ainda para Nicolia voltar a “pintar a manta” e assistir Diogo Rafael de forma espetacular no 5-2 final, que acaba por ser um resultado pesado, por aquilo que os turquelenses produziram.      

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Fidelidade, Estádio da Luz, Lisboa

    Dia/Hora: 22 de outubro de 2014, às 21:30H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (3ª jornada)

    Árbitros: Luís Peixoto (Lisboa), Miguel Guilherme (Lisboa) e José Nave (3º árbitro) (Lisboa)

    S.L. Benfica: [10] Guillem Trabal (GR), [2] Valter Neves (C), [4] Diogo Rafael “Chiquinho” (1), [5] Carlos Nicolia (2), [9] João Rodrigues (2), [1] Pedro Henriques (GR), [6] Esteban Abalos “Tuco”, [18] Carlos “Carlitos” López, [14] Tiago Rafael e [44] Miguel Rocha.

    Treinador: Pedro Nunes

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [47] Xavier Lourenço (1), [4] Daniel Matias, [59] Paulo Passos (1), [10] Eduardo “Edu” Leitão (GR), [9] Vasco Luís e [3] German Dates. Não jogaram: [5] Pedro Batista e [8] André Luís (C).

    Treinador: João Simões

    Ao intervalo: 1-2

    Resultado Final: 5-2

    Partida que termina com resultado enganador, depois de o HCT ter estado a vencer por 1-2 ao intervalo e entrar nos últimos minutos do encontro com hipótese de igualar a três. O jovem Xavier Lourenço atirou à trave na marcação do livre direto da 10ª falta de equipa do Benfica e no final alguma confusão e a maior qualidade dos da casa permitiu aos encarnados dilatar e vencer por três golos de diferença.    

    No próximo sábado, dia 25 de Outubro de 2014 às 21 horas, o HCT regressa aos jogos em casa, recebendo o surpreendente campeão nacional de 2013/2014, a A.D. Valongo. As duas equipas estão em igualdade pontual na tabela classificativa, ambas com dois triunfos e uma derrota, mas o favoritismo recai exclusivamente nos homens de Paulo Pereira que, além de ostentarem as quinas ao peito, têm um plantel de extrema qualidade. Ainda assim, os turquelenses, jogando frente aos seus indefectíveis adeptos, deverão “crescer” como equipa para procurarem a vitória. Nos dois jogos disputados entre os dois conjuntos na pré-temporada, vitória do Valongo por 6-4 no seu torneio e vitória do HCT por 3-2 no torneio Dr. Joaquim Guerra em Turquel.

    Seniores Femininos apurados para a Final Four do Torneio de Abertura

    Com uma nova equipa técnica formada por Hélder Coelho (ex-C.S. Marítimo) como técnico principal e Luís Raimundo como técnico coadjuvante, a jovem equipa dos Seniores Femininos do HCT entrou na temporada 2014/2015 da melhor forma, batendo-se de igual para igual com equipas mais cotadas e do mesmo nível. O prémio pelo trabalho e pelo empenho, foi o apuramento para a Final Four do Torneio de Abertura da A.P. Lisboa no passado Domingo em Lagos (vitória por 2-4).

     

    A dinâmica imposta nas primeiras semanas de trabalho tem dado os seus frutos e a jovem equipa turquelense tem sabido superar-se a cada desafio, tendo conseguido o apuramento para a Final Four a uma jornada do fim (desloca-se aos Lobinhos na última jornada). Com dois reforços que vêm para ajudar, como são os casos de Isa Ricardo (ex-BIR Valado dos Frades) e da experiente e ex-internacional Lígia Oliveira (ex - C.H. Carvalhos), a equipa fica mais forte, pois manteve a estrutura da época passada tendo saído apenas Mariana Alves (abandonou) e a influente capitã e guardiã Alice Vicente (A. Académica de Coimbra), sendo que a saída desta última está muito bem colmatada pelas jovens Cláudia Vicente e Sandra Coelho que subiram ambas dos Iniciados_Sub 15. Ficam aqui os elementos que compõem o plantel para esta temporada:

    Seniores Femininos 2014/2015

    Alexandra Martins Francisco

    Alexandra Cordeiro Coelho

    Cláudia Susano Vicente (GR)

    Filipa Neto Boleixa

    Inês Susano Vicente

    Isa Maria Alhada Ricardo

    Lígia Sofia Fonseca Oliveira

    Mafalda Taveira Pinto P. Pereira

    Margarida M. Ferreira António

    Marta Taveira Pinto P. Pereira

    Rute Bento Coelho

    Sandra Bento Coelho (GR)

     

    Resultados até ao momento no Torneio de Abertura:

    [1ªJ] SL Benfica (8) – HCT (0)

    [2ªJ] HCT (7) – Roller Lagos CP (0)

    [3ªJ] HCT (4) – GDR Lobinhos (0)

    [4ªJ] HCT (1) – SL Benfica (3)

    [5ªJ] Roller Lagos CP (2) – HCT (4)

    [6ªJ] GDR Lobinhos – HCT (Domingo, dia 26 de Outubro de 2014 às 17:30h)

  • Juniores entram a vencer

    Depois de um grande interregno, devido a alterações de jogos e a folgas, os Juniores do HC Turquel estrearam-se finalmente em jogos oficiais na temporada 2014/2015 no passado Domingo, 19 de Outubro de 2014, numa deslocação a Almeirim para defrontarem os Tigres locais.

    Com uma equipa praticamente toda renovada relativamente à temporada passada, depois das saídas de jogadores importantes como Xavier Lourenço (Seniores do HCT) e Isidro Evangelista (Seniores do HCT e entrentanto abandonou), Anderson Luís (A.D. Valongo) e David Costa (S.C. Tomar) a equipa comandada por Nelson Lourenço deslocou-se a Almeirim para iniciar a sua participação no Campeonato Regional de Sub 20 organizado pela Associação de Lisboa. Ficam aqui os elementos que compõem o plantel de 2014/2015:

    Juniores 2014/2015

    André Francisco Cerejo Ferreira (GR)

    Bruno Mendes Tereso

    David José Mateus Santos**

    Eduardo Jorge Gomes Leitão (GR)*

    Francisco Honório Santos**

    João Carlos Oliveira Alves

    João Nuno Marques

    José Eduardo Alves Costa

    Miguel Ângelo Silva (GR)

    Nuno Susano Ribeiro

    Paulo Xavier Silva Duro**

    Pedro Miguel Vicente Batista*

    Rafael José Alexandre Santos

    Tiago Susano Mateus**

    Vasco Emídio Vicente Feteira

    *Jogará nos Juniores, mas também fará parte do plantel Sénior.

    ** Com idade de Juvenil mas subirá aos Juniores sempre que necessário e possível

    O jogo não teve história e a vitória dos alvinegros foi-se construindo bem cedo no primeiro tempo, sendo que ao intervalo os turquelenses já venciam por 1-6 e no segundo tempo apenas controlaram as incidências, vencendo por concludentes 3-8.

    Realce final para o facto do jovem Pedro Batista ter jogado em Igualada pelos nossos Seniores na noite anterior e depois de ter aterrado no aeroporto de Lisboa às 8:30h de Domingo, ter-se deslocado de imediato a Almeirim para realizar o jogo de Juniores, que teve início às 11:15h, tendo inclusivamente marcado um dos golos da partida. Uma prova do querer, da vontade e do espírito dos atletas desta equipa e deste clube.

    [Resultados e Marcadores] HC Tigres de Almeirim (3) - HC Turquel (8), com 1-6 ao intervalo. Golos: José Costa (2), Bruno Tereso (2), João Alves, Pedro Batista, Francisco Santos, Nuno Ribeiro.

    Do céu ao inferno

    Regresso da Taça CERS, depois da fantástica prestação europeia em 2013/2014 (chegada aos quartos-de-final), e deslocação a Espanha (Igualada) para defrontar um histórico da modalidade, que na temporada passada chegou à Final Four da competição. O jogo não correu de feição à equipa turquelense que até nem entrou mal e “agarrou” no jogo, mas algum cansaço acumulado e as dificuldades em parar as transições em superioridade numérica de uma equipa espanhola muito organizada e metódica, liderada pelo capitão e fantástico executante Ton Baliu, deitaram por terra a possibilidade de trazer um resultado melhor, que permitisse discutir a eliminatória a contento. Os turquelenses aguentaram quase 20 minutos sem sofrer golos, mas depois de sofrerem o primeiro, desmoronaram-se como um “castelo de cartas” e após o 3-0 ao intervalo, surgiu o 6-0 final, que é um castigo muito pesado pelo que a equipa tentou produzir e pela diferença mínima que existe entre os dois conjuntos e que claramente o resultado não espelha. Realce para o facto de, num pavilhão muito bem composto, terem sobressaído os dez adeptos turquelenses que acompanharam a equipa e que merecem uma palavra pelo fantástico apoio prestado aos nossos atletas.

    Primeiro tempo com entrada cautelosa por parte de ambos os conjuntos, notou-se claramente que os treinadores das duas equipas tinham estudado bem o seu adversário e a primeira fase do encontro foi de pouco risco. O HCT assumiu mais as despesas em ataque organizado e o Igualada nunca se mostrou muito incomodado por baixar as linhas e esperar os erros dos alvinegros. Ainda assim os golos tardaram em aparecer, ora por boas ações defensivas, ora por intervenções seguras dos guarda-redes Elagi Deitg e Marco Barros “Tuga” e até por alguns lances que acabaram com finalizações infelizes, como foi o caso de uma stickada de meia distância de Vasco Luís ao poste. Com pouco mais de sete minutos para jogar no primeiro tempo, um contra ataque que poderia ter dado golo dos forasteiros, permitiu um contra ataque 3x2 letal em que “Met” Molas assistiu Sergi Pla ao segundo poste e o camisola sete dos da casa não se fez rogado, inaugurando o marcador. Logo depois, em mais um erro na transição defesa-ataque dos de Turquel, “Met” Molas “pintou a manta” e obteve um excelente golo, depois de fazer uma picadinha desde trás da baliza, marcando o 2-0 e fazendo o golo 300 da história do Igualada só na Taça CERS (o clube catalão está a poucos golos de alcançar a fantástica cifra dos 1000 golos em todas as competições europeias). Com dois tentos à menor os turquelenses tiveram um período difícil no jogo e não evitaram novo golo dos visitados antes do intervalo, num lance idêntico aos dos golos anteriores, com mais uma transição falhada pelos de Turquel e Sergi Pla, na resposta, a aproveitar o espaço concedido na direita para, isolado perante Tuga, contornar o guardião português, “bisar” e fixar o resultado (3-0) com que se chegou ao intervalo.

    Na etapa complementar a atitude da equipa turquelense alterou-se e a entrada foi positiva, houve mais mobilidade, e German Dates assumiu um papel fundamental nesta fase, tal como o capitão André Luís e o júnior Pedro Batista (fez a sua estreia oficial pelos Seniores e nas competições europeias) mais tarde no jogo, pois todos saltaram do banco com vontade e boa atitude para tentarem alterar o rumo dos acontecimentos. Ainda assim, a boa entrada teve uma “estocada” que “feriu” os alvinegros de forma bastante penalizadora, depois de mais um contra ataque do HCT em que a bola não chegou à baliza, a resposta do Igualada revelou-se mais uma vez “mortífera”, com o gigante Dani López (1,90m) a mostrar atributos técnicos e, com todo o tempo do mundo, a executar uma grande “picadinha” perante um desamparado Tuga no 4-0. Após este golo surgiu o melhor período dos “brutos dos queixos” em todo o jogo, com a desinibição natural e a criação de alguns lances de perigo, inclusivamente duas situações em que ficaram duas penalidades por assinalar primeiro num lance de entendimento entre German Dates e André Luís em que o capitão, na altura do remate final é tocado em falta e depois num contra ataque bem definido em que Xavier Lourenço, bem colocado para fazer o golo, sofre um toque no stick. Dois lances em que houve “vista grossa” por parte da dupla de arbitragem italiana (Carlo Corponi e R. Strippoli) e que poderiam ter alterado um pouco a história do jogo, mas que ao invés deram ainda mais força à equipa da casa, que aumentou o score por mais duas vezes até final. Primeiro pelo capitão e timoneiro da equipa catalã, Ton Baliu, que rematou fraco e a bola caprichosamente entrou rasteira e por entre as pernas de um infeliz Tuga e já bem perto do fim, assistência aérea do irrequieto Sergi Pla e o suplente Jassel Oller a marcar ao segundo poste, colocando o resultado final num “pesado” 6-0, que deixa tudo muito difícil para o jogo da 2ª mão em Turquel a 1 de Novembro (21h).

    Ficha Técnica:

    Local: Poliesportiu Les Comes em Igualada (Espanha)

    Dia/Hora: 18 de outubro de 2014, às 20:30H (19:30H em Portugal Continental)

    Competição: 16 avos de final daTaça CERS 2014/15 (1ª mão)

    Árbitros: Carlo Corponi (Itália) e R. Strippoli (Itália)

    Monbus Igualada H.C.: [1] Elagi Deitg (GR), [8] Ton Baliu (C) (1), [5] Jaume “Met” Molas (1), [7] Sergi  Pla (2), [18] Dani López (1), [4] Joan Muntané e [24] Jassel Oller (1). Não jogaram: [10] Àlex Ferrer (GR), [3] Cesar “Teti” Vives e [6] Edgar Peralta.

    Treinador: Francesc Monclús

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [47] Xavier Lourenço, [9] Vasco Luís, [4] Daniel Matias, [59] Paulo Passos, [3] German Dates, [8] André Luís (C) e [77] Pedro Batista. Não jogou: [10] Eduardo “Edu” Leitão (GR).

    Treinador: João Simões

    Ao intervalo: 3-0

    Resultado Final: 6-0

    Partida com pouca história, que é contada pela superioridade técnico-tática dos espanhóis do Igualada. A equipa de João Simões teve uma entrada dominadora e até conseguiu criar algumas situações nos primeiros minutos, mas mostrou muito “peso” nas pernas e nunca conseguiu desequilibrar uma defensiva extremamente organizada por parte dos igualadinos que, conseguiram superiorizar-se em transição e trazer um resultado a Turquel que lhes é extremamente favorável e que praticamente sentencia a eliminatória.

    Na próxima quarta-feira regressa o campeonato e a tarefa para os alvinegros não se adivinha mais fácil do que a que teve em Igualada, já que se desloca a Lisboa para defrontar o SL Benfica, vencedor da última edição da Taça de Portugal, realizada em Turquel. O encontro é relativo à 3ª jornada do campeonato nacional da 1ª divisão, joga-se às 21:30h e terá transmissão direta num dos canais da Benfica Tv. Será mais uma “prova de fogo” para a equipa comandada por João Simões que terá, com toda a certeza, o apoio de muitos adeptos que não quererão perder um embate entre dois conjuntos que somam vitórias nos dois jogos disputados na prova.

  • Reviravolta infernal

    Depois de na estreia o HCT ter goleado em casa a Sanjoanense por 7-3, seguiu-se novo jogo em casa na 2ª jornada do campeonato frente à surpresa da temporada transacta, a experiente equipa da A. Juventude de Viana que, comandada pelo veterano artilheiro Luís Viana “Zorro” (38 anos), conseguiu um fantástico quarto lugar em 2013/2014. A querer impor uma dinâmica forte, o HCT esbarrou na defesa zonal (2:2) dos forasteiros e quando acordou já perdia por 1-5 com pouco mais de meio do primeiro tempo decorrido. Houve reação alvinegra até ao intervalo e o 3-5 com que as equipas seguiram para os balneários foi um mal menor para os da casa. Uma entrada estupenda no início do segundo tempo permitiu à equipa de João Simões virar o jogo em menos de 10 minutos e chegar inclusivamente a uns incríveis 8-5, mas a pressão final dos vianenses quase colhia os seus frutos e o 8-7 final acabou por ser um prémio justo para a equipa que mais procurou o golo, num encontro fantástico e que teve um público vibrante e explosivo no apoio ao HCT.

    Sem mexer no cinco inicial relativamente ao jogo da 1ª jornada frente à Sanjoanense, o técnico turquelense apostou numa estratégia de entrada forte e rápida, atacando a baliza do guardião contrário em força, com muita meia distância e exploração dos corredores laterais. Os visitantes apresentaram-se com uma estratégia muito conservadora em termos defensivos, surgindo num sistema de defesa à zona (2:2) muito baixo, a tentar explorar os erros ofensivos do HCT, para depois sairem em rápidos contra ataques. A estratégia dos minhotos deu resultado bem cedo no encontro e teve o expoente máximo na figura do “matador” Luís Viana. O melhor marcador do campeonato passado assinou uma exibição muito eficaz em Turquel e começou por aproveitar um erro crasso de Pedro Vaz para inaugurar o marcador. Depois disso converteu duas grandes penalidades cometidas por Xavier Lourenço e Daniel Matias sobre os irrequietos Diogo Fernandes e André Centeno respetivamente. Com o score em 0-3 as bancadas inquietaram-se e o jovem Xavier Lourenço deu o primeiro “grito de revolta” disparando uma bomba do meio da rua e reduzindo para 1-3. Mas o show do “Zorro” estava longe de acabar e o 1-4 chegou logo a seguir depois de primorosa assistência do capitão Joel Coelho e de Viana ter fugido a Paulo Passos para voltar a alargar a vantagem forasteira com um toque subtil. Com as bancadas atordoadas mas com a claque turquelense, os Brutus 1964, a realizarem um trabalho incansável no apoio à equipa, os atletas não conseguiram reagir de imediato e Luís Viana voltou a fazer das suas, desta vez com uma assistência fantástica para Diogo Fernandes colocar o score em 1-5. Até ao intervalo, reação forte dos da casa, com golos de Paulo Passos em contra ataque, após assistência de Daniel Matias, e com Pedro Vaz que tentou uma assistência para Paulo Passos, mas a bola embateu em Joel Coelho e traiu o guardião Jorge Correia, colocando o resultado em 3-5. Antes do descanso Daniel Matias ainda falhou um livre direto por azul forçado que foi mostrado ao veterano Nuno Félix e a esperança da reviravolta estava de pé.

    No segundo tempo a entrada dos alvinegros foi de “leão” e para isso muito contribuiu a presença no cinco do reforço German Dates, o argentino fixou a segunda linha defensiva dos vianenses e a equipa conseguiu criar muito perigo com as transições, a meia distância e o jogo interior. Antes disso tempo ainda para duas bolas paradas desperdiçadas, uma para cada lado, primeiro Luís Viana, após azul mostrado a Paulo Passos, não conseguiu bater Tuga no único castigo 1x1 em que o “Zorro” foi ineficaz e depois Vasco Luís também não conseguiu enganar Jorge Correia, após azul mostrado a Joel Coelho. Com a equipa em Power Play, Daniel Matias aproveitou a superioridade numérica para fazer o 4-5 e logo em seguida, com uma grande assistência de Vasco Luís, Pedro Vaz surgiu isolado e desfeitiou o guardião contrário no 5-5 para gaúdio de um pavilhão que via o seu “esforço” recompensado. A “casa veio abaixo” logo depois, quando Pedro Vaz “pingou” uma bola para o meio da área e Jorge Correia, perante a proximidade de German Dates, introduziu a bola na sua própria baliza, com os árbitros do encontro a atribuirem o tento ao argentino que chegou a Turquel esta temporada. Estava consumada a reviravolta (6-5), mas a equipa turquelense não ficou por aqui e continuou a carregar no acelerador. O jovem Xavier Lourenço soltou-se então no jogo e também soltou os braços, marcando quase consecutivamente dois golos, o primeiro numa meia distância frontal e colocada e o segundo num livre direto a castigar novo cartão azul dúbio para Nuno Félix. O 8-5 colocou o pavilhão em êxtase e pareceu ter acabado com a resistência dos de Viana do Castelo. Puro engano, já que nos momentos finais do encontro, a equipa comandada por Pedro Sampaio, soltou-se e conseguiu mais dois golos pelo suspeito do costume, Luís Viana reduziu para 8-6 de grande penalidade e fez o 8-7 numa meia distância após transição rápida conduzida por ele próprio, estabelecendo resultado final em 8-7. O “Zorro” marcou seis golos e ainda fez uma assistência para outro, estando nos sete golos da sua equipa, mas deve ter saído frustrado de Turquel, pois a Juventude de Viana não conseguiu somar qualquer ponto.       

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 11 de outubro de 2014, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (2ª jornada)

    Árbitros: Paulo Romão (Lisboa), João Duarte (Lisboa) e Joaquim Sequeira (3º árbitro) (Lisboa)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz (2), [47] Xavier Lourenço (3), [9] Vasco Luís, [4] Daniel Matias (1), [12] Miguel Silva (GR), [59] Paulo Passos (1) e [3] German Dates (1). Não jogaram: [8] André Luís (C) e [77] Pedro Batista.

    Treinador: João Simões

    A. Juventude de Viana: [28] Jorge Correia (GR), [75] Joel Coelho (C), [22] André Centeno, [7] Diogo Fernandes (1), [44] Luís Viana “Zorro” (6), [9] Nuno Félix, [2] Gustavo Lima e [47] Tiago Barbosa “Sapo”. Não jogaram: [10] Leonardo Pais (GR) e [5] Miguel Teixeira.

    Treinador: Pedro Sampaio

    Ao intervalo: 3-5

    Resultado Final: 8-7

    Num jogo de loucos o HCT entrou muito mal no encontro e começou a perder 1-5, recompôs-se e com o apoio de um público maravilhoso conseguiu sete golos seguidos até à reviravolta monumental, colocando o score em 8-5. No entanto, um final com pouca gestão da posse de bola e o cansaço físico a afectar a parte psicológica, permitiu uma aproximação forte da Juventude Viana, mas que não resultou em males maiores e o 8-7 final ajustou-se ao maior poderio dos da casa.

    No próximo fim-de-semana o campeonato pára e jogam-se os 16 avos de final da Taça CERS. Na temporada passada o HCT teve um ano muito positivo no regresso a esta prova europeia, em que alcançou os quartos de final, caindo apenas aos pés do campeão italiano, Forte dei Marmi. Este ano, logo no primeiro embate, defronta o sexto classificado da última OKLiga (campeonato espanhol) o Monbus Igualada HC. A primeira mão realiza-se em Igualada neste sábado, 18 de outubro, a partir das 20:30h (horas locais), menos uma hora em Portugal Continental. Será uma eliminatória muito equilibrada, com duas equipas semelhantes nos princípios de jogo e que terá o condão de se poder decidir no inferno da aldeia do hóquei.

    Edu Leitão sagra-se Campeão da Europa de Sub 20

    Depois de ter sido eleito para os 10 convocados finais nas escolhas do selecionador Luís Duarte para o Europeu de Sub 20 masculino de hóquei em patins em Valongo, o guardião do HC Turquel, Eduardo Leitão, sagrou-se Campeão da Europa da categoria com a camisola das quinas ao peito. O jovem natural de Peniche ajudou a seleção nacional portuguesa a conquistar o ceptro pela quarta vez consecutiva no escalão.

    Apesar de não ter atuado na final frente à Espanha (vitória por 3-2), o guarda-redes alvinegro que ainda tem idade de Júnior, mas que já integra o plantel sénior, ajudou a sua equipa nos outros encontros da 49ª edição da prova e fica intimamente ligado a um título memorável para as cores nacionais, numa cidade de Valongo que respira hóquei em patins e que está habituada a festejar nos últimos tempos.

    Parabéns Edu!

     

  • Isidro Evangelista deixa HCT por motivos profissionais

    No último sábado, no jogo em casa frente à A.D. Sanjoanense, a contar para a 1ª jornada do Nacional da 1ª divisão (vitória turquelense por 7-3), Isidro Evangelista estreou-se na prova ao serviço dos alvinegros, mas fez o primeiro e o último jogo com a camisola do HCT na competição, tendo em conta que irá abandonar a modalidade para seguir carreira profissional no ramo da Restauração, numa unidade hoteleira de luxo no Algarve.

    Foto: Carmo Honório

    Foto: Carmo Honório

    A decisão estava tomada, tinha sido maturada já há algum tempo pelo jovem turquelense e foi aceite pela Direção e pela equipa técnica alvinegra. Isidro Rafael Silva Evangelista (20 anos), filho de um ex-atleta do clube, fez todo o seu percurso nos escalões de formação turquelenses e nesta temporada foi promovido aos Séniores, iniciando o seu primeiro ano como sénior. Os compromissos pessoais e profissionais falaram mais alto e o Isidro colocou como prioridade o seguimento de uma carreira profissional, na qual fez a sua formação, em detrimento do Hóquei em Patins.

    Num comunicado não oficial dirigido à equipa, Isidro agradeceu da seguinte forma: “fui muito bem recebido, foi um privilégio ter podido trabalhar ao lado de todos e, apesar do pouco tempo que estive com a equipa, deu para perceber a grande família que é o grupo de trabalho dos Séniores do HCT.” O jovem atleta formado nas escolas do clube, que envergava as cores alvinegras desde 1997, entre outras coisas, disse ainda que: “a jornada foi curta mas a vida pessoal/profissional está primeiro que tudo e tendo uma proposta de trabalho de topo na área que me formei, não poderia de forma alguma recusar. Resta-me agradecer a oportunidade, tendo a certeza que o grupo conseguirá atingir os objetivos a que se propôs e deixar um grande abraço à Família HCT…nunca vos esquecerei!”

    A estrutura do H.C. Turquel agradece todo o empenho e dedicação que o Isidro colocou ao serviço do clube em todos estes anos, desejando-lhe as maiores felicidades e que ele possa transferir para todos os momentos da sua vida os bons exemplos que foi dando enquanto atleta desta instituição.

    Obrigado Isidro!

    Veia goleadora na estreia

    Estreia no Nacional da 1ª divisão com jornada invertida entre o H.C. Turquel e a recém promovida A.D. Sanjoanense devido a problemas com o piso do pavilhão sanjoanino. Regresso das bilheteiras grátis e muito público presente no gimnodesportivo turquelense para assistir à estreia da sua equipa. O HCT apresentou algum “sangue novo” em rinque e teve uma primeira parte com boa dinâmica ofensiva e algumas debilidades no sector mais recuado. O guardião Marco Barros “Tuga” assumiu-se como suspeito do costume e esteve irrepreensível a suster os ataques rápidos dos forasteiros, mas no início do segundo tempo não chegou para as encomendas e o empate (2-2) fez pairar um clima de incerteza entre todos os presentes. No entanto, uma segunda metade de etapa complementar muito forte, com uma Sanjoanense muito subida em rinque e em clara perca física, teve o condão de trazer uma vitória (7-3) por números folgados, com os alvinegros a chegarem a uma marca (7 golos marcados) que nunca tinham conseguido alcançar em casa em 2013/2014 em jogos a contar para o campeonato.

    Entrada no cinco inicial do ex-júnior Xavier Lourenço, ele que tinha vindo a ser aposta do técnico turquelense, João Simões, nos jogos de pré-temporada e um primeiro tempo com uma entrada muito forte por parte dos da casa que impuseram um ritmo intenso em ataque organizado e arranjaram sempre muitos espaços entre as linhas da defensiva dos visitantes. No entanto, foi a equipa da Sanjoanense a primeira a criar perigo, com Chico Barreira, de penalty, a permitir que Tuga começasse a brilhar. Dois minutos depois, foi sem surpresa, dado o caudal ofensivo dos de Turquel, que o “artilheiro” Vasco Luís inaugurou o marcador com uma meia distância forte. O jogo entrou numa toada de parada e resposta e os dois guarda-redes responderam à altura. Aos 11 minutos, o jovem Pedro Cerqueira viu azul por engachamento e Vasco Luís não conseguiu desfeitiar Marco Lopes na conversão do respetivo livre direto. Mas, em Power Play, os comandados de João Simões conseguiram ampliar o resultado, depois de Vasco Luís assistir Daniel Matias e este fixar o resultado com que se chegou ao intervalo em 2-0.    

    Na segunda metade a entrada dos que viajaram desde São João da Madeira foi muito forte e em dois momentos quase consecutivos Tiago Ferraz com remate enrolado e Chico Barreira com remate de primeira após assistência de Tiago Ferraz igualaram a contenda a duas bolas e silenciaram o pavilhão. A reação turquelense foi quase imediata e bastante “agressiva” já que, dois minutos após o empate, Vasco Luís soltou um míssil na direção da baliza de Marco Lopes e “bisou” na partida, levando o pavilhão ao rubro. A Sanjoanense, como que atordoada, acumulou alguns erros e chegou à 10ª falta de equipa, mas Paulo Passos desperdiçou a conversão do devido livre direto, para pouco depois Alfredo Nogueira “Hulk” ter sido admoestado com azul por agarrar Vasco Luís. Desta vez, Daniel Matias, não desperdiçou o livre direto e “bisou” também ele no encontro, para um minuto depois alcançar o “hat trick” num contra ataque 2x1 que ele próprio conduziu e finalizou no 5-2. Com o passar do tempo o HCT geriu um pouco melhor a posse de bola e os forasteiros subiram ainda mais as suas linhas, consentindo espaços que foram bem aproveitados pelos turquelenses. O “canterano” Xavier Lourenço fez o 6-2 de penalty, mas na jogada seguinte Tó Leal disparou de meia distância e bateu Tuga pela terceira vez, reduzindo para 6-3. A fechar as contas do marcador Xavier Lourenço “bisou” numa boa iniciativa individual e fixou o resultado em 7-3. Até final destaque para três situações, a primeira foi bastante negativa com Vasco Luís a partir dois dentes num lance fortuito com Tó Leal, a segunda foi o facto de Isidro Evangelista, no seu último jogo pelo clube, ter desperdiçado um penalty e não conseguido ter marcado a recarga, naquela que seria uma despedida em beleza e por fim a estreia na 1ª divisão do guardião dos juniores Miguel Silva que teve de se aplicar afincadamente por duas vezes para evitar o golo visitante.       

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 4 de outubro de 2014, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (1ª jornada)

    Árbitros: José Nave (Lisboa), Cidalino Lamosa (Setúbal) e Vítor Roxo (3º árbitro) (Lisboa)

    H.C. Turquel: (13) Marco Barros “Tuga” (GR), (53) Pedro Vaz, (47) Xavier Lourenço (2), (9) Vasco Luís (2), (4) Daniel Matias (3), (12) Miguel Silva (GR), (59) Paulo Passos, (3) German Dates e (5) Isidro Evangelista. Não jogou: (8) André Luís (C).

    Treinador: João Simões

    A.D. Sanjoanense: (10) Marco Lopes (GR), (12) António “Tó” Leal (1), (9) Pedro Cerqueira, (96) Francisco “Chico” Barreira (1), (5) João Oliveira (C), (24) David Nogueira (GR), (7) Tiago Ferraz (1), (4) Daniel Homem, (8) Alfredo Nogueira “Hulk” e (85) Afonso Santos.

    Treinador: Vítor Pereira

    Ao intervalo: 2-0

    Resultado Final: 7-3

    Perante uma formação com muita história e que ascendeu esta temporada ao escalão máximo do hóquei nacional, o HCT entrou decidido, enfrentando um bloco defensivo demasiado alto por parte dos forasteiros e que teve os seus frutos em termos de finalização para o lado alvinegro até ao intervalo. Uma entrada decidida dos sanjoanenses no segundo tempo colocou em “xeque” a estratégia utilizada pelo técnico João Simões e criou incerteza no marcador, mas uma ponta final bem mais forte dos da casa acabou por trazer uma vitória folgada.

    Com o início de temporada marcado por esta inversão de jornada frente à Sanjoanense e com a saída confirmada do jovem Isidro Evangelista por motivos profissionais, o HCT recebe, na 2ª jornada, o quarto classificado da temporada transacta, a surpreendente Juventude de Viana, no próximo sábado, dia 11 de outubro às 21 horas, e terá  pela frente um opositor muito forte, com atletas com muita experiência acumulada e que em 2013/2014 venceram em Turquel por concludentes 2-6. Mais um embate a não perder na aldeia do hóquei.

     

  • Lígia brilhou em tarde de superioridade inequívoca

    Estreia em casa no Campeonato Nacional Feminino – Zona Sul em 2014/2015 para a jovem equipa do H.C. Turquel, na receção à congénere do Alverca, na 2ª jornada da competição, no passado domingo à tarde. Depois da derrota na 1ª ronda em Massa
  • Estreia positiva apesar da derrota

    Estreia no Campeonato Nacional Feminino – Zona Sul em 2014/2015 para a jovem equipa do H.C. Turquel e a formação orientada por Hélder Coelho a viajar até Massamá para defrontar a favorita Stuart na 1ª jornada da prova. Fotos: Dinis Vicente
  • Todos apurados para os Nacionais e na luta pelos títulos Regionais

    Terminadas as primeiras fases dos regionais dos escalões de formação/competição. O HCT fez o pleno, no que ao apuramento para os Nacionais diz respeito, algo que só teve paralelo nas provas organizadas pela A.P. Lisboa, até ver, com o S.L. Ben
pub1.png

.

Localização

Contactos

Telefone: 262919 244

email: secretaria@hct.pt

web: www.hct.pt