Breves

  • Miguel Silva e Pedro Batista chamados aos trabalhos da Seleção Nacional de Sub-20

    A Seleção Nacional de Sub-20 de hóquei em patins irá realizar, nos próximos dias 27 e 28 de abril, na vila do Luso, o 2º Centro de Treinos, tendo em vista a preparação para o Campeonato do Mundo do escalão que se realizará neste ano de 2015.

    No escalonamento dos treze atletas efetuado pelo selecionador nacional Luís Duarte para este Centro de Treinos de Sub-20, entram os turquelenses Miguel Ângelo Silva (GR) e Pedro Miguel Vicente Batista, ambos atletas de 1º ano de júnior, que também se encontram integrados nos Seniores. Em comum estes atletas têm o facto de terem nascido no mesmo ano (1997) e de no momento estarem ambos em plano de destaque nos Seniores do H.C. Turquel. De referir que as convocatórias para estas ações de treino e de observação não são definitivas, nem garantem um lugar nos “dez finais” que representarão Portugal na competição em causa, mas são um estímulo e um fator de motivação para que todos no clube trabalhem com maior afinco.

    Estas chamadas têm muito mérito individual dos atletas, que têm vindo a destacar-se pelo esforço e dedicação, que ao longo dos anos tem elevado o nível global do seu jogo, mas a ocasião reflete, mais uma vez, o excelente trabalho que tem vindo a ser desenvolvido nos escalões de formação do HCT e, neste caso particular também na equipa Sénior. Esta convocatória surge num ano que não é o seu, tendo em conta que na próxima época tanto o Miguel como o Pedro ainda poderão estar nesta Seleção.

    O HCT.pt deseja toda a sorte do mundo ao Miguel e ao Pedro e que o seu trabalho e humildade os possam levar a representar o nosso país nas provas internacionais em que a seleção estará inserida.  

    Atletas Convocados:

    Miguel Silva (GR, H.C. Turquel)

    Tiago Rodrigues (GR, U.D. Oliveirense)

    Pedro Freitas (GR, A.D. Valongo)

    Diogo Seixas (F.C. Porto)

    Gonçalo Nunes (S.L. Benfica)

    Álvaro Morais (A.D. Valongo)

    Luís Melo (A.D. Valongo)

    Gonçalo Pinto (S.L. Benfica)

    Miguel Castro (H.C. Braga)

    Carlos Loureiro (H.C. Braga)

    Diogo Cardoso (F.C. Porto)

    João Campelo (Sporting C.P.)

    Pedro Batista (H.C. Turquel)

     

    Selecionador Nacional: Luís Duarte / Treinador Adjunto: Nuno Carrão

    Ambiente frenético não evita desaire

    Após dois jogos seguidos sem vencer no campeonato (derrota por 4-2 em Barcelos e empate em casa por 3-3 com o Paço de Arcos), o HCT recebeu o Barcelos nos quartos-de-final da Taça de Portugal, num encontro com um ambiente escaldante que contou com a vinda de cerca de 250 adeptos afectos à Kaos Barcelense, claque oficial do clube minhoto. A falange de apoio turquelense também se fez sentir e a claque BruTus 1964 montou um cenário de festa, com cânticos de incentivo à sua equipa do primeiro ao último segundo, que contou com a preciosa ajuda dos restantes adeptos que quase lotaram o gimnodesportivo turquelense. Em jogo, dois conjuntos equiparados, o HCT esteve bem melhor no primeiro tempo, meteu ritmo em ataque e defendeu muito bem, levando mesmo a equipa de Barcelos a despejar constantemente para o interior da área. Os “brutos dos queixos” estiveram mesmo em vantagem, mas no finalzinho do primeiro tempo duas decisões dúbias da dupla de arbitragem colocaram os barcelenses em vantagem (1-2). Na segunda metade surgiu logo o 1-3 e a partir daqui a equipa da casa perdeu-se, subiu muito cedo as linhas, sofreu o quarto e o quinto golo, não conseguiu responder a contento e viu ainda Tuga ser expulso com vermelho direto por toque com o stick em Hugo Costa, este último que acabou por passar impune, depois de tentar agredir o guardião alvinegro. A história repetiu-se, tal como na temporada transacta, o sonho da Final Four voltou a “esfumar-se” nos “quartos” para o lado turquelense e no final a festa foi mesmo dos forasteiros.

    Primeira parte com entrada forte das duas equipas, mas com maior ascendente para o lado alvinegro que carregou no acelerador desde o início e isso fez com que o Barcelos tivesse tido dificuldades em impor o seu jogo. Com pouco mais de cinco minutos jogados, Vieirinha viu-lhe ser mostrada a cartolina azul por puxão a Pedro Vaz e Vasco Luís, na transformação do respetivo livre direto, atirou forte mas para defesa do internacional Ricardo Silva. Em Power Play, a equipa alvinegra foi paciente, mas não conseguiu “furar” as linhas defensivas dos visitantes, ainda que tenha conseguido inaugurar o marcador, já bem perto do final da superioridade numérica, numa transição rápida conduzida e finalizada por Paulo Passos, ele que disparou um míssil cruzado da esquerda, com Ricardo Silva a parecer um pouco mal batido. O 0-1 trouxe ainda mais animação a uma bancada “explosiva” e galvanizou os comandados de João Simões, que mostraram então muito rigor defensivo e obrigaram o Barcelos a usar e abusar da meia distância, principlamente por intermédio do capitão Luís Querido. O técnico de Barcelos, Paulo Freitas, mexeu então na equipa e as entradas de Zé Pedro (o homem do jogo) e de Joca Guimarães, revolucionaram por completo o ataque dos minhotos. Ainda assim, o efeito dessas mexidas ainda demorou, e foi já com quatro minutos por jogar no primeiro tempo que Joaquim Pinto, um dos árbitros da partida, descortinou uma penalidade sobre Vieirinha a favor dos barcelenses, uma infração que pareceu exisitir sim, mas fora da área. Quem não se importou com os protestos dos da casa foi o “gigante” Luís Querido que atirou a contar, igualando a uma bola. Já dentro do último minuto, num lance irregular, Zé Pedro apoiou a mão no chão em contacto com a bola, já dentro da área turquelense e, à segunda, atirou para golo, uma jogada que desencadeou um “chorrilho” de protestos por parte dos atletas e responsáveis alvinegros, sem que a decisão arbitral voltasse atrás. Estava feito o 1-2 num momento decisivo, e o intervalo chegou logo depois.                  

    No segundo tempo as coisas foram totalmente diferentes, o Turquel tentou entrar forte e até conseguiu uns minutos iniciais em que fez rondar a bola junto da baliza de Ricardo Silva, sem nunca a conseguir introduzir lá dentro. Balanceados no ataque, os da casa, permitiram uma transição rápida ao Barcelos e o júnior, Joca, combinou com o também júnior, Vieirinha, e, na recarga, fez o 1-3 que se revelou como sendo um “rude golpe" para as aspirações dos “brutos dos queixos”. Ainda com vinte minutos por jogar, os visitados subiram linhas de forma algo inconsciente e precipitada e abriram demasiados espaços nas suas “costas”, sofrendo constantes contra-ataques de 2x1. Três minutos depois do 1-3 surge o 1-4 com Zé Pedro a coroar a sua exibição com um excelente “bis” de meia distância e no mesmo minuto caiu a 10ª falta de equipa dos turquelenses, sendo que Luís Querido se encarregou da transformação do livre direto, “bisando” também ele no encontro e fazendo 1-5 que acabou literalmente com o jogo. Logo a seguir, Daniel Matias teve oportunidade para encurtar distâncias, mas atirou ao lado no livre direto da 10ª falta de equipa do Barcelos e cinco minutos depois o jogo “terminou” quando, num lance confuso na área turquelense, Hugo Costa e Xavier Lourenço caíram à frente de Tuga com o avançado barcelense a tentar dar uma “patada” na máscara do guardião alvinegro e com este último a reagir de imediato. Os árbitros do encontro apenas viram o segundo momento e Tuga acabou por ser expulso com vermelho direto, sendo que na sequência o técnico João Simões também viu o azul por protestos, o que deixou a equipa a atuar, durante alguns minutos, apenas com três elementos. Os juniores Miguel Silva (GR) e Pedro Batista entraram a frio para agarrarem o momento com “unhas e dentes” e, juntamente com o experiente German Dates, aguentaram quatro dos seis minutos em inferioridade numérica, sem sofrerem qualquer golo, naquele que deve ser considerado como um “instante” heróico e de louvar e que mereceu o reconhecimento de todos os adeptos presentes, que apoiaram e aplaudiram de pé, durante largo tempo, os heróis presentes em rinque. Apesar de tudo, isso não evitou a derrota turquelense por 1-5 e novo afastamento da Final Four, nos quartos-de-final.         

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 11 de abril de 2015, às 21H

    Competição: Taça de Portugal de Hóquei em Patins 2014/15 (quartos-de-final)

    Árbitros: José Pinto (Porto), Joaquim Pinto (Porto) e Pedro Silva (3º árbitro) (Porto)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [4] Daniel Matias, [9] Vasco Luís, [59] Paulo Passos (1), [12] Miguel Silva (GR), [3] German Dates, [47] Xavier Lourenço e [84] Pedro Batista. Não jogou: [8] André Luís (C).

    Treinador: João Simões

    O.C. Barcelos: [01] Ricardo Silva (GR), [19] Luís Querido (C) (2), [74] Miguel Vieira “Vieirinha”, [49] Pedro Mendes, [9] Hugo Costa, [4] Zé Pedro (2), [5] João “Joca” Guimarães (1) e [44] Zé Braga. Não jogaram: [10] João Pereira “Ginho” (GR) e [88] João Candeias.

    Treinador: Paulo Freitas

    Ao intervalo: 1-2

    Resultado Final: 1-5

    Depois de um primeiro tempo com maior ascendente e apenas a mostrar inoperância no momento da finalização, o HCT baqueou nos minutos finais do primeiro tempo, naquilo que pareceram dois golos barcelenses precedidos de ilegalidades, que não foram descortinadas pela dupla de arbitragem. A entrada no segundo tempo foi desastrosa e o 1-3 fez com que os alvinegros subissem as suas linhas para abrirem espaços que se revelaram fatais, frente a uma equipa muito madura e organizada como o Barcelos, que teve categoria para “matar” o jogo, demonstrando que os excelentes resultados desportivos, alcançados esta temporada, não foram obtidos ao acaso.

    No próximo sábado, 18 de Abril de 2015 pelas 21 horas locais (22h em Portugal Continental), o HCT viaja até à Ilha do Pico no arquipélago dos Açores para defrontar o Candelásria S.C., conjunto que garantiu a manutenção há umas semanas atrás e “navega” tranquilo no 10º lugar da tabela classificativa, com 23 pontos somados, menos sete que o H.C. Turquel que tem 30. Na primeira volta, em Turquel, os alvinegros venceram por tangenciais 3-2 com golos de Pedro Vaz, Daniel Matias e de German Dates, este último que brilhou intensamente nessa partida com um golo e uma assistência.

  • Cláudia e Inês Vicente voltam à Seleção Nacional de Seniores Femininos

    A Seleção Nacional Seniores Femininos de hóquei em patins realiza, nos próximos dias 20 e 21 de abril, na vila do Luso, o 2º Centro de Treinos, tendo em vista a preparação para o Campeonato da Europa Seniores Femininos que se realizará neste ano de 2015.

    No escalonamento de treze atletas efetuado pelo selecionador nacional Carlos Pires para este Centro de Treinos de Seniores Femininos, entram cinco atletas formadas no H.C. Turquel. Do mesmo modo do que no 1º Centro de Treinos, a guardiã Cláudia Vicente, a sua irmã gémea Inês Vicente, e também a ex-atleta do HCT, Alice Vicente (A.A. Coimbra), também ela guarda-redes, voltaram a ser chamadas. A adicionar a estas três atletas entram também nas contas dos responsáveis federativos, Rita Lopes (S.L. Benfica) e Rute Lopes (S.L. Benfica). De referir que as convocatórias para estas ações de treino e de observação não são definitivas, nem garantem um lugar nas “dez finais” que representarão Portugal na competição em causa, mas são um estímulo forte para o excelente trabalho que tem vindo a ser desenvolvido nos escalões de formação do HCT e na equipa em que as atletas estão inseridas.

    Na sequência deste Centro de Treinos, a programação efetuada por Carlos Pires contará ainda com outro estágio, nos dias 25 e 26 de Maio de 2015, que não terá, necessariamente, as mesmas atletas presentes na lista em baixo.  

    Atletas Convocadas:

    Alice Vicente (GR, A.A. Coimbra)

    Maria Vieira (GR, S.L. Benfica)

    Cláudia Vicente (GR, H.C. Turquel)

    Ana Ferreira (A.A. Coimbra)

    Carolina Gonçalves (A.A. Coimbra)

    Tânia Freire (A. Stuart H.C. Massamá)

    Margarida Florêncio (A. Stuart H.C. Massamá)

    Maria Silva (C.H. Carvalhos)

    Inês Vicente (H.C. Turquel)

    Inês Vieira (S.L. Benfica)

    Marlene Sousa (S.L. Benfica)

    Rita Lopes (S.L. Benfica)

    Rute Lopes (S.L. Benfica)

    O HCT.pt deseja mais uma vez toda a sorte do mundo a todas as envolvidas e que o seu trabalho e humildade as possam levar a representar o nosso país nas provas internacionais em que esta Seleção estará inserida.

    Pedro Batista convocado para a Seleção Nacional de Sub-20

    A Seleção Nacional de Sub-20 de hóquei em patins irá realizar, nos próximos dias 13 e 14 de abril, na vila do Luso, o 1º Centro de Treinos, tendo em vista a preparação para o Campeonato do Mundo do escalão que se realizará neste ano de 2015.

    No escalonamento de treze atletas efetuado pelo selecionador nacional Luís Duarte para este Centro de Treinos de Sub-20, entra o turquelense Pedro Miguel Vicente Batista, atleta de 1º ano, que também se encontra integrado nos Seniores. De referir que as convocatórias para estas ações de treino e de observação não são definitivas, nem garantem um lugar nos “dez finais” que representarão Portugal na competição em causa, mas são um estímulo forte para o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido no HCT.

    Esta chamada tem muito mérito individual do Pedro, que tem vindo a destacar-se pelo esforço e dedicação, que ao longo dos anos tem elevado o nível global do seu jogo com a ajuda dos seus colegas. A ocasião reflete, mais uma vez, o excelente trabalho que tem vindo a ser desenvolvido nos escalões de formação do HCT e, neste caso particular também na equipa Sénior. Esta convocatória surge num ano que não é o seu, tendo em conta que na próxima época o Pedro ainda poderá estar nesta Seleção. Dada a competitividade e qualidade individual dos vários atletas espalhadas pelo país, esta chamada terá de ser um fator de motivação para que todos trabalhem com maior afinco.

    O HCT.pt deseja toda a sorte do mundo ao Pedro e que o seu trabalho e humildade o possa levar a representar o nosso país nas provas internacionais em que a seleção estará inserida.  

    Atletas Convocados:

    Luís Lima (GR, HC Braga)

    Tiago Rodrigues (GR, UD Oliveirense)

    Pedro Freitas (GR, AD Valongo)

    Diogo Seixas (FC Porto)

    Miguel Vieira (OC Barcelos)

    Álvaro Morais (AD Valongo)

    Luís Melo (AD Valongo)

    José Guimarães (OC Barcelos)

    Miguel Castro (HC Braga)

    Carlos Loureiro (HC Braga)

    João Sardo (SL Benfica)

    Pedro Batista (HC Turquel)

    Gonçalo Conceição (SL Benfica) 

    Selecionador Nacional: Luís Duarte / Treinador Adjunto: Nuno Ferrão

  • Manter a cadência apenas com um percalço pelo meio

    Uma entrada em grande na Fase de Apuramento de Campeão Nacional para os Seniores Femininos do HCT, que depois da excelente vitória (3-4) em Massamá logo na abertura desta fase, têm sido a surpresa da prova, averbando quatro vitórias e apenas duas derrotas em seis encontros já disputados. As comandadas de Hélder Coelho ocupam a terceira posição na tabela classificativa, com 12 pontos acumulados e apenas tiveram um percalço em casa frente ao Carvalhos, perdendo por surpreendentes 3-8, sendo que a outra derrota se deva considerar normal, na Luz frente ao recém consagrado campeão europeu de clubes, Benfica, por 6-1.

    Confira aqui todos os resultados e as marcadoras dos golos alvinegros:

    1ªJ: A Stuart H.C. Massamá (3) – HCT (4). Golos: Inês Vicente (2), Isa Ricardo, Margarida António;

    2ªJ: HCT (10) – F.C. Alverca (0). Golos: Inês Vicente (5), Margarida António (2), Alexandra Coelho, Alexandra Francisco, Marta Taveira;

    3ªJ: H.C. Mealhada (1) – HCT (3). Golos: Lígia Oliveira (2), Inês Vicente;

    4ªJ: S.L. Benfica (6) – HCT (1). Golo: Isa Ricardo;

    5ªJ: HCT (3) – C.H. Carvalhos (8). Golos: Lígia Oliveira, Isa Ricardo, Marta Taveira;

    6ªJ: A.D. Sanjoanense (2) – HCT (6). Golos: Inês Vicente (3), Marta Taveira, Isa Ricardo.

    No próximo Domingo, 12 de Abril de 2015 pelas 18 horas, encerra-se a primeira volta, com as jovens alvinegras a receberem o segundo classificado, a Associação Académica de Coimbra, que ainda não perdeu e que ocupa a 2ª posição, quatro pontos acima das “brutas dos queixos”. Um embate com grau de dificuldade elevado e que terá como aliciante o “regresso a casa” da guardiã Alice Vicente, ela que deixou Turquel para estudar em Coimbra e em 2014/2015 representa a formação das “estudantes”.

    Ter o pássaro na mão e deixá-lo fugir

    Encontro de extrema importância em Turquel para os alvinegros, que após a derrota (4-2) a meio da semana em Barcelos, frente à grande sensação do campeonato, teriam forçosamente de reagir positivamente, frente a um adversário direto, o C.D. Paço de Arcos, que antes deste encontro tinha os mesmos 29 pontos que o HCT, sendo que um triunfo de qualquer uma das equipas deixava a outra mais longe do 7º posto. Na primeira metade o encontro foi de extremo equilíbrio e o marcador só sofreu alterações uns segundos antes do descanso, com os da casa a colocarem-se em vantagem, para na etapa complementar os “brutos dos queixos” conseguirem um diferencial de dois golos que não conseguiram suster e o empate a três bolas foi mesmo o resultado final.

    Primeiro tempo com o Paço de Arcos a surpreender, pois ao invés daquilo que se previa, não entrou no jogo para “adormecer” o adversário com uma circulação lenta, mas sim com uma intensidade considerável e a impor um ritmo em ataque que foi abrindo alguns espaços na defensiva alvinegra e dando algum trabalho a Tuga. Do outro lado, os comandados de João Simões não se deixaram ficar atrás e mostraram envolvimento em ataque organizado, criando inúmeras situações de golo junto da baliza de Carlos Coelho, que ora esbarravam nos postes, ora na eficácia do guardião da formação da linha. Com poucos segundos para jogar na primeira metade Daniel Matias aproveitou um passe de German Dates, embalou pela direita do seu ataque e disparou forte e colocado, inaugurando o marcador para os visitados, numa altura muito importante do jogo para se ganhar vantagem.                

    Depois do descanso as equipas expuseram-se mais ao risco e abriram mais as suas linhas, sendo que aos nove minutos os forasteiros empataram a uma bola, depois de uma iniciativa individual do rapidíssimo Guilherme Silva, que forçou uma entrada desde trás da baliza e à segunda conseguiu bater Tuga depois de uma grande confusão no interior da área turquelense. O empate não intimidou os visitados que reagiram de imediato, primeiro foi Paulo Passos, isolado por Daniel Matias, a não conseguir bater Carlos Coelho e logo em seguida foi German Dates a sofrer falta dura na tabela de Miguel Dantas que levou a dupla de arbitragem a mostrar a cartolina azul ao “gigante” de Paço de Arcos. Na conversão do respetivo livre direto Vasco Luís permitiu dupla intervenção ao recém entrado Hugo Garcia, internacional angolano. Em Power Play os alvinegros assumiram as despesas em ataque e na pressão defensiva e isso deu os seus frutos, com Paulo Passos, assistido por German mesmo no finalzinho da superioridade numérica, a finalizar perante um desamparado Carlos Coelho e a fazer o 2-1. No minuto seguinte, contra-ataque 3x2 conduzido por Pedro Vaz que assistiu Vasco Luís na direita e este, com muita classe, a colocar a bola ao primeiro poste com um gesto de fino recorte técnico no 3-1. Parecia que as coisas se encaminhavam de forma concludente para que os da casa pudessem “cavalgar” para a vitória, ainda para mais depois da 10ª falta de equipa dos visitantes cair. No entanto, na transformação do devido livre direto, German Dates permitiu nova intervenção decisiva do suplente Hugo Garcia. No mesmo minuto, também caiu a 10ª falta de equipa do HCT e Guilherme Silva não se fez rogado, “bisando” com um “míssil” que só parou no fundo da baliza de Tuga. O 3-2 fez tremer os de Turquel e três minutos após a redução surgiu mesmo o empate com o oportunista João Beja a aproveitar uma sobra no interior da área alvinegra, para finalizar com êxito e fazer a igualdade a três bolas. Até final, houve assalto à baliza de Carlos Coelho, mas as bolas foram “esbarrando” nos postes e no guardião visitante, sendo que o HCT também foi perdendo forças, tendo em conta que a rotatividade de jogadores foi reduzida, contrariamente ao adversário que foi rodando todos os elementos disponíveis. Nos minutos finais foi mesmo Tuga a mostrar-se decisivo, com um punhado de excelentes intervenções que evitaram a derrota, mas que não serviram para que os seus colegas pudessem conseguir mais um golo. A divisão de pontos é justa e a luta pelo 7º lugar continua bem acesa, com a Juventude Viana também à espreita.        

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 28 de março de 2015, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (23ª jornada)

    Árbitros: Joaquim Pinto (Porto), Paulo Rainha (Minho) e David Barros (3º árbitro) (Leiria)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [4] Daniel Matias (1), [59] Paulo Passos (1) e [9] Vasco Luís (1) e [3] German Dates. Não jogaram: [12] Miguel Silva (GR), [8] André Luís (C), [47] Xavier Lourenço e [84] Nuno Ribeiro.

    Treinador: João Simões

    C.D. Paço de Arcos: [1] Carlos Coelho “Pilé” (GR), [2] Miguel Dantas (C), [4] Rui Pereira, [5] Nelson Ribeiro, [3] Guilherme Silva (2), [9] João Beja (1), [10] Hugo Garcia (GR), [7] Tiago Roquete e [8] Diogo Neves.

    Treinador: Paulo Garrido

    Ao intervalo: 1-0

    Resultado Final: 3-3

    Equilíbrio de forças denotado ao longo de todo o primeiro tempo, que apenas foi desbloqueado por Daniel Matias já dentro do último minuto da etapa inicial. A vantagem alvinegra durou pouco na segunda metade, mas a inspiração após azul mostrado a Miguel Dantas deu dois golos em dois minutos e uma vantagem de 3-1 que parecia fazer pender o jogo para o lado visitado. Pura ilusão, pois o desperdício na finalização e o crer dos jogadores do Paço de Arcos fizeram com que a partilha de pontos fosse uma realidade, um cenário que se tem de aceitar, por aquilo que as duas equipas produziram.   

    No próximo fim de semana a competição pára devido aos festejos da Páscoa e também à realização da Taça das Nações em Montreux, Suíça, onde participará a Seleção Nacional Portuguesa de Seniores Masculinos. O HCT voltará à ação apenas no próximo dia 11 de abril de 2015 às 21 horas, na receção ao O.C. Barcelos, em jogo a contar para os quartos-de-final da Taça de Portugal. Um triunfo garantirá uma presença na Final Four da competição, frente a um adversário moralizado, que está em todas as frentes, e que se apresenta num fantástico 4º lugar no campeonato. Será com toda a certeza um jogo emocionante e com o aliciante do HCT, esta época, não ter vencido os minhotos nos jogos do campeonato, tendo empatado em Turquel na primeira volta por 2-2 e perdido na semana passada em Barcelos por 4-2.

    Todos seremos poucos para ajudarmos a nossa equipa a superar-se em mais uma grande prova de fogo!

     

    Créditos Fotos: Hélder Matias

  • Esbarrar no desperdício

    A pesada derrota no Porto (8-0) ficou para trás e um triunfo claro (1-5) em Sesimbra nos oitavos-de-final da Taça de Portugal elevou a moral das “tropas” para a viagem a meio da semana a Barcelos. Frente a um adversário extremamente moralizado, que ocupa a quarta posição no campeonato, que garantiu a presença na Final Four da Taça CERS e os quartos-de-final da Taça de Portugal, prova no qual se deslocará a Turquel para jogar o acesso à Final Four, os turquelenses tinham uma tarefa complicada, mas que se começou a desbloquear nos minutos iniciais com uma vantagem (0-1) mínima. No entanto, o excesso de faltas de equipa e as desconcentrações defensivas ditaram um afastamento (4-1) dos locais no marcador que viria a ser fatal, apesar da reação turquelense nos minutos finais, nos quais desperdiçou uma mão cheia de golos, perdendo uma oportunidade soberana de trazer pontos para Turquel.

    Surpreendendo na composição do cinco inicial da sua equipa, o técnico João Simões entregou a retaguarda a Pedro Vaz e Daniel Matias e lançou na frente German Dates e o capitão André Luís, que não era titular em provas oficiais há mais de um ano. As coisas até começaram por correr bem e logo aos nove minutos Daniel Matias combinou com German para inaugurar o marcador no 0-1. A reação dos visitados foi forte, mas a equipa alvinegra susteu o ímpeto barcelense, sem no entanto conseguir controlar as faltas de equipa, principalmente após as entradas dos mais rodados Paulo Passos e Vasco Luís. Aos dezasseis minutos, Hugo Costa viu a cartolina azul e Vasco Luís na conversão do respetivo livre direto atirou ao lado, desperdiçando uma excelente oportunidade de ampliar a vantagem forasteira. Dois minutos depois, penalty cometido pelo mesmo Vasco Luís na área contrária, mas Luís Querido permitiu a defesa de Tuga na conversão do castigo máximo. Contudo, um minuto depois caiu a 10ª falta de equipa do HCT e Luís Querido redimiu-se do falhanço anterior, e rematou forte e colocado no 1-1 com que se chegou ao intervalo.                

    O início do segundo tempo foi catastrófico para o lado alvinegro e em oito minutos os da casa conseguiram três golos sem resposta, colocando o resultado nuns impensáveis 4-1. Primeiro foi Zé Pedro a tentar assistir Zé Braga ao segundo poste e um desvio caprichoso de Pedro Vaz para a própria baliza a fazer o 2-1. Aos cinco minutos foi Luís Querido a “bisar” de grande penalidade e três minutos depois foi Pedro Mendes a aproveitar uma excelente assistência de Luís Querido para dar uma “machadada” decisiva no encontro. A partir daqui, os turquelenses tentaram estabilizar o seu jogo e conseguiram-no, tiveram uns bons quinze minutos finais, com pressão alta e algumas oportunidades junta da baliza do internacional português Ricardo Silva. Aos treze minutos Daniel Matias desperdiçou o livre direto da 10ª falta de equipa do Barcelos e algum tempo depois Vasco Luís reduziu para 4-2 de penalty. Com este golo a equipa alvinegra cresceu, André Luís, Vasco Luís e Daniel Matias falharam golos cantados em frente da baliza dos da casa e Pedro Vaz atirou uma “bomba” à trave. Até final, tempo ainda para o desperdício por parte de Luís Querido e de German Dates dos livres diretos a castigar a 15ª falta de equipa de cada um dos conjuntos, sendo que o resultado de 4-2 não mais sofreu alterações.        

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Municipal de Barcelos

    Dia/Hora: 25 de março de 2015, às 21:30H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (22ª jornada)

    Árbitros: António Teixeira (Minho), António Santos (Aveiro) e Paulo Oliveira (3º árbitro) (Minho)

    O.C. Barcelos: [01] Ricardo Silva (GR), [19] Luís Querido (C) (2), [8] Miguel Vieira “Vieirinha”, [49] Pedro Mendes (1), [9] Hugo Costa, [4] Zé Pedro (1) e [44] Zé Braga. Não jogaram: [10] João Pereira “Ginho” (GR), [7] José Carvalho e [88] João Candeias.

    Treinador: Paulo Freitas

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [4] Daniel Matias (1), [8] André Luís (C), [3] German Dates, [59] Paulo Passos e [9] Vasco Luís (1). Não jogaram: [12] Miguel Silva (GR), [47] Rafael Santos e [84] Nuno Ribeiro.

    Treinador: João Simões

    Ao intervalo: 1-1

    Resultado Final: 4-2

    Depois de uma entrada em jogo bem aceitável, perante um pavilhão com um excelente ambiente e um adversário moralizado, o HCT colocou-se em vantagem e parecia ter o jogo controlado. Contudo, uns minutos finais de primeira parte com muitas faltas e um início de segunda desconcentrado, acabou por deitar tudo a perder. O desperdício na finalização marcou também os minutos finais e a reação nunca conseguiu aproximar o score, de forma a que a equipa comandada por João Simões pudesse discutir o resultado.                 

    No próximo sábado, 28 de março de 2015 às 21 horas, o HCT recebe o seu concorrente direto o C.D. Paço de Arcos, que tem os mesmos 29 pontos que os alvinegros e uma vitória colocará os turquelenses em posição priveligiada para assegurar a sétima posição. Na primeira volta no Casablanca os “brutos dos queixos” venceram por tangenciais 2-3.

     

    Fotos: Miguel Bastos

    Missão e Visão

     

     

    Missão:

     

    Promover, divulgar e envolver a comunidade, através da formação de bons atletas e obtendo bons resultados, promovendo o desenvolvimento desportivo e formação pessoal dos seus atletas e simpatizantes.

     

     

    Visão:

     

    Ser visto como um clube de referência com uma organização forte em todas as áreas, financeira, desportiva e comunicação.

  • Cláudia e Inês Vicente nos trabalhos da Seleção Nacional de Seniores Femininos

    A Seleção Nacional Seniores Femininos de hóquei em patins realizou, nos passados dias 9 e 10 de março, na vila do Luso, o 1º Centro de Treinos, tendo em vista a preparação para o Campeonato da Europa Seniores Femininos que se realizará neste ano de 2015.

    No escalonamento de doze atletas efetuado pelo selecionador nacional Carlos Pires para este Centro de Treinos de Seniores Femininos, entraram três turquelenses. Nomeadamente a guardiã Cláudia Vicente, a sua irmã gémea Inês Vicente, e também a ex-atleta HCT, Alice Vicente, também ela guarda-redes, mas que agora representa a Associação Académica de Coimbra. De referir que as convocatórias para estas ações de treino e de observação não são definitivas, nem garantem um lugar nas “dez finais” que representarão Portugal na competição em causa, mas são um estímulo forte para o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido no HCT.

    Estas chamadas têm muito mérito individual das atletas alvinegras, que têm vindo a realizar épocas produtivas, elevando o nível global do seu jogo com a ajuda das suas colegas. A ocasião reflete, mais uma vez, o excelente trabalho que tem vindo a ser desenvolvido nos escalões de formação do HCT e na equipa em que as atletas estão inseridas. Esta convocatória acarreta ainda mais importância, dada a competitividade e qualidade individual das várias atletas espalhadas pelo país, o que engrandece mais uma vez o clube e terá de ser fator de motivação para que todos trabalhem com maior afinco.

    O HCT.pt deseja toda a sorte do mundo a todas as envolvidas e que o seu trabalho e humildade as possam levar a representar o nosso país nas provas internacionais em que a seleção está inserida.  

    Atletas Convocadas:

    Alice Vicente (GR, A.A. Coimbra)

    Inês Ferreira (GR, C.H. Carvalhos)

    Cláudia Vicente (GR, H.C. Turquel)

    Inês Vicente (H.C. Turquel)

    Ana Ferreira (A.A. Coimbra)

    Carolina Gonçalves (A.A. Coimbra)

    Tânia Freire (A. Stuart H.C. Massamá)

    Margarida Florêncio (A. Stuart H.C. Massamá)

    Maria Silva (C.H. Carvalhos)

    Rita Batista (C.H. Carvalhos)

    Beatriz Figueiredo (A.D. Sanjoanense)

    Margarida Alves (A.J. Salesiana)

     

    Selecionador Nacional: Carlos Pires

     

    Foto: Carmo Honório

    Atingir os quartos sem tremer

    Após uma derrota concludente no Dragão Caixa frente ao F.C. Porto por 8-0, deslocação a Sesimbra em jogo a contar para os oitavos-de-final da Taça de Portugal e a equipa do HCT a poder consumar um dos objetivos da temporada, que é o de chegar bem longe na Taça, se possível atingir a Final Four da competição. Para que tal possa acontecer os comandados de João Simões teriam de vencer frente a uma equipa do Sesimbra, orientada por Artur Pereira (ele que foi atleta do H.C. Turquel na saudosa década de 90), que se encontra em crescendo na Zona Sul da 2ª Divisão Nacional, depois de ter começado mal a época. Depois de um primeiro tempo de equilíbrio e a mostrar um HCT algo perdido consigo mesmo, a formação alvinegra estabilizou no segundo tempo, revelou consistência defensiva e superioridade física, apesar de ter tido jogo a meio da semana, e dilatou a vantagem sem dar chances a um adversário “curto” e algo quezilento. O artilheiro Vasco Luís “bisou” com dois golos “à bomba” de livre direto, mas ninguém se destacou dos demais num jogo onde não houve tremideira.

    Primeira parte de equilíbrio, com o Sesimbra a fazer valer-se da disponibilidade física e das meias distâncias de Gonçalo Marcelino e de Luís Pinhal, que municiavam Daniel Marques junto da baliza de Tuga. O HCT, por seu lado, conseguia longas trocas de bola em ataque e alguns momentos de perigo, mas que tiveram maior expressão nas stickadas de longa distância que Paulo Carapinha ia sustendo sem problemas na baliza dos da casa. Aos seis minutos, num lance de laboratório, Daniel Matias combinou com Pedro Vaz e este último desferiu um remate frontal com muita potência, que não deu chances ao guardião visitado. Estava feito o 0-1 e os turquelenses tinham todas as condições para pegarem no jogo, no entanto o Sesimbra reagiu e quatro minutos depois, Luís Pinhal stickou forte e de muito longe, perante um emaranhado de pernas, e Tuga foi traído pela pouca visibilidade de que dispunha no 1-1. A partir daqui as equipas encaixaram uma na outra e os caminhos para a baliza fecharam-se, mas a cinco minutos do intervalo, Xavier Lourenço, num ataque rápido, conduziu e disparou com grande violência, não dando hipóteses de defesa a Carapinha no 1-2 com que se chegou ao descanso.               

    A segunda metade teve uma tendência completamente diferente da primeira, a equipa de Turquel focou-se exclusivamente na tarefa e conseguiu uns segundos vinte e cinco minutos de boa qualidade. Aos oito minutos, em mais um ataque rápido, Daniel Matias tirou um adversário do caminho e à saída de Carapinha colocou-lhe a bola com classe por cima do ombro, fazendo o 1-3. Quando faltavam onze minutos para o término do encontro e com o Sesimbra com nove faltas de equipa acumuladas, Daniel Marques simulou uma queda e a 10ª falta acabou por cair. Na conversão do respetivo livre direto Vasco Luís stickou forte e para o meio da baliza, fazendo o 1-4 num momento muito importante no jogo. Com este tento a equipa da casa perdeu-se, começou a protestar incessantemente e a fazer faltas desnecessárias. Foi uma dessas faltas mais duras, sobre Daniel Matias, que fez com que Bruno Fuzeta fosse admoestado com a cartolina azul e Vasco Luís, de novo a mostrar frieza, disparou um autêntico míssil para a baliza do guardião sesimbrense, fazendo o 1-5 final.      

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão do Grupo Desportivo de Sesimbra

    Dia/Hora: 14 de março de 2015, às 18H

    Competição: Taça de Portugal de Hóquei em Patins 2014/15 (oitavos-de-final)

    Árbitros: João Duarte (Lisboa) João Paulo Romão (Lisboa) e Cidalino Lamosa (3º árbitro) (Setúbal)

    G.D. Sesimbra: [14] Paulo Carapinha (GR) (C), [6] Gonçalo Marcelino, [8] Luís Pinhal (1), [5] Bruno Fuzeta, [12] Daniel Marques, [1] Alexandre Maricato (GR), [9] Bernardo Pinhal, [2] Diogo Dias, [3] Filipe Nabais e [7] Rodrigo Lopes.

    Treinador: Artur Pereira

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz (1), [4] Daniel Matias (1), [9] Vasco Luís (2), [59] Paulo Passos, [3] German Dates e [47] Xavier Lourenço (1). Não jogaram: [12] Miguel Silva (GR), [8] André Luís (C) e [84] Pedro Batista.

    Treinador: João Simões

    Ao intervalo: 1-2

    Resultado Final: 1-5

    Com um primeiro tempo com maior ascendente, mas a demonstrar pouco discernimento e até alguma “irresponsabilidade”, a equipa do Turquel saiu ainda assim a vencer para o intervalo e no segundo tempo “assentou arraiais”, rubricando uma exibição bem mais condizente com a qualidade que é imputada à equipa e a passagem aos quartos-de-final da competição foi um realidade clara como a água.               

    No próximo fim de semana o HCT folga, em virtude dos compromissos europeus do seu próximo adversário, que é o atual quarto classificado, o histórico O.C. Barcelos. O jogo realiza-se apenas na quarta-feira 25 de Março de 2015 pelas 21:30 horas, sendo que na primeira volta em Turquel o resultado final resultou em empate a duas bolas. A turma minhota, orientada por Paulo Freitas, tem feito uma época acima da média e além da excelente posição que ocupa no campeonato está ainda nos quartos-de-final da Taça CERS (tem vantagem de 1-4 conseguida na 1ª mão em casa do St. Omer em França) e nos quartos-de-final da Taça de Portugal em que defrontará precisamente o HCT, em Turquel no dia 11 de Abril de 2015, pelas 21 horas.

  • Sem reação

    Deslocação ao Porto a meio da semana com alguns atletas do HCT a terem de abdicar o seu dia de trabalho para poderem jogar a 21ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª divisão. Embate que se antevia muito difícil e que teve um início bastante positivo por parte dos turquelenses, que aguentaram o ímpeto ofensivo dos “dragões”, lutaram muito pela conquista da posse de bola e conseguiram ter alguma qualidade em posse até sofrerem o primeiro golo já perto do intervalo. A partir daí tudo se alterou, a atitude modificou-se e o cansaço veio ao de cima, sendo que a equipa não conseguiu reagir à “avalanche” de ataque dos portistas no segundo tempo, sofrendo uma derrota pesada (8-0) e da qual só se safou Tuga, que fez uma exibição muito positiva na baliza alvinegra.

    Primeiro tempo com o Porto claramente a querer resolver as coisas cedo, mas a esbarrar sempre na boa organização defensiva dos turquelenses e num Tuga inspirado na sua baliza. Em ataque, os “brutos dos queixos” conseguiram ter muita bola e causar algum frisson junto da baliza do experiente Edo Bosch, obrigando o guardião espanhol a boas intervenções e acertando inclusivamente no poste, numa meia distância forte de Xavier Lourenço. A resistência alvinegra terminou já com menos de seis minutos para jogar no primeiro tempo, quando Caio entrou pela esquerda, pingou a bola para Vítor Hugo, e Pedro Vaz desviou-a inadvertidamente para a própria baliza. Estava feito o 1-0 e logo a seguir veio o segundo numa combinação perfeita entre Vítor Hugo e o capitão Reinaldo Ventura, com o primeiro a assistir o “Rei” desde trás da baliza para este finalizar de primeira rasteiro no 2-0. Apesar de terem sido dois golos consecutivos, o HCT não saía do jogo e mantinha-se a tentar contrariar o maior poderio do adversário, mas um golo de recarga de Vítor Hugo, a um segundo do descanso, deitou por terra qualquer tipo de reação que pudesse surgir no início do segundo tempo. Ao intervalo o marcador assinalava 3-0.               

    Na segunda metade a tendência dos últimos minutos da primeira parte manteve-se, e logo aos dois minutos Vítor Hugo foi lançado por Rafa, isolou-se e “bisou” com classe perante um desamparado Tuga no 4-0. Não passou um minuto do quarto golo e já o Porto voltava a ampliar, desta feita foi Hélder Nunes que aproveitou uma bola perdida e de ângulo muito apertado bateu Tuga, naquele que foi o golo mais consentido por parte do guardião alvinegro. Alguns minutos passaram, e o HCT conseguiu o seu melhor período no jogo, depois dos da casa assumirem uma fase de descompressão. Os comandados de João Simões colocaram então três bolas nos ferros, primeiro foi o capitão André Luís que fugiu a Vítor Hugo e de meia distância em zona frontal acertou na base do poste da baliza do recém entrado Nélson Filipe, depois foi Vasco Luís na esquerda a stickar forte com a bola a embater na trave e por fim foi Pedro Vaz a stickar da direita, com a bola a levar o mesmo destino que a anterior, embatendo no travessão da baliza de “Filipão”. A sorte também não quis nada com os de Turquel e quem aproveitou foi o Porto que aumentou a vantagem aos doze minutos, depois de uma excelente assistência de Hélder Nunes para o interior da área, com Vítor Hugo a completar o seu “hat-trick”, perante a letargia total dos defensores alvinegros. A três minutos do fim o Porto aumentou mesmo para 7-0, naquele que foi o golo da noite, numa contra-ataque de 3x2 que culminou com uma jogada coletiva fantástica entre Pedro Moreira, Jorge Silva e Ricardo Barreiros, com o segundo a assistir o terceiro e este a fazer o sétimo no geral e o seu primeiro da conta pessoal. Antes do final, tempo ainda para Jorge Silva também ele colocar o seu nome na lista dos marcadores, depois de uma assistência primorosa de Pedro Moreira, com o camisola 38 portista a só ter de encostar para fazer o 8-0 final.        

    Ficha Técnica:

    Local: Dragão Caixa - Porto

    Dia/Hora: 11 de março de 2015, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (21ª jornada)

    Árbitros: Paulo Almeida (Aveiro), Joaquim Pinto (Porto) e António Rocha (3º árbitro) (Porto)

    F.C. Porto/Fidelidade: [47] Edo Bosch (GR), [7] Pedro Moreira, [78] Hélder Nunes (1), [8] Ricardo “Caio” Oliveira (1), [38] Jorge Silva (1), [10] Nelson Filipe (GR), [9] José “Rafa” Costa, [77] Ricardo Barreiros (1), [66] Reinaldo “Rei” Ventura (C) (1), [58] Vítor Hugo (3).

    Treinador: António “Tó” Neves

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [47] Xavier Lourenço, [4] Daniel Matias, [59] Paulo Passos, [9] Vasco Luís, [3] German Dates, [8] André Luís (C) e [84] Pedro Batista. Não jogou: [10] Miguel Silva (GR)

    Treinador: João Simões

    Ao intervalo: 3-0

    Resultado Final: 8-0

    Revelando algum cansaço e “peso” nas pernas, os atletas alvinegros aguentaram de forma brava até seis minutos do fim do primeiro tempo, mas depois de sofrerem um auto-golo, nunca mais se encontraram e a sua resistência ruiu como um “castelo de cartas”. Apesar de tudo a imagem dada, principalmente no primeiro tempo, merece elogios e os números do resultado final são demasiadamente castigadores para aquilo que os comandados de João Simões produziram, ainda que no segundo tempo alguns momentos tivessem revelado alguma falta de atitude.                

    No próximo fim de semana o campeonato pára e jogam-se os oitavos-de-final da Taça de Portugal, com o HCT a deslocar-se à cidade pescatória de Sesimbra, para defrontar o Grupo Desportivo local. O jogo realiza-se neste sábado, dia 14 de março de 2015 pelas 18 horas, frente a uma equipa sesimbrense, comandada pelo ex-atleta do HCT Artur Pereira, que está em posição baixa na tabela classificativa da Zona Sul da 2ª divisão, mas que será um “osso bem duro de roer” para os alvinegros, que terão de colocar na prática, em rinque, a superioridade teórica que levam para este embate.

    Assembleia Geral aproxima-se…a presença dos sócios é fundamental!

    É já na próxima sexta-feira, dia 20 de março de 2015, às 21 horas, que se realiza a Assembleia Geral do H.C. Turquel para a aprovação das contas do ano fiscal de 2014 e para tratar de outros assuntos relacionados com o quotidiano do clube. A presença de todos é fundamental, portanto se é sócio do HCT e se quer exercer o seu direto à decisão dos destinos do clube…não falte!

  • Balanço bastante positivo na entrada dos Nacionais

    Com o início das Provas 1 dos Campeonatos Nacionais dos escalões de Sub-13, Sub-15, Sub-17 e Sub-20, o H.C. Turquel conseguiu entrar bem na Zona Sul C e alcançar alguns resultados positivos, que lhe permitem sonhar com algo mais no futuro próximo. Além dos Nacionais, a Taça APL tem início para Escolares, Benjamins e para a “nova equipa” de Bambis, sendo que os Sub-13, H.C. Turquel “A”, também entraram com o pé direito nesta competição que para esta equipa começou um pouco mais cedo. Confira aqui um balanço exclusivo redigido pelo HCT.pt sobre o “caminho” de todas as 10 equipas dos escalões de formação alvinegros.

    Os Juniores (Sub-20) de Nelson Lourenço e de Daniel Fialho iniciaram a Prova 1 do Nacional em casa e venceram uma aguerrida formação da Oliveirense por 4-2. Na 2ª jornada, a deslocação a Sintra foi bem mais complicada e os jovens turquelenses sucumbiram por 3-0 frente a uma equipa muito bem organizada. No passado Sábado, vitória sofrida por 5-3, em casa frente à Mealhada, que abre boas perspetivas, numa série em que será proibido perder pontos em casa.

    Já os Juvenis (Sub-17), também eles comandados pela mesma dupla de treinadores, entraram na prova rainha das competições jovens nacionais com o pleno de vitórias nos três jogos disputados. Na 1ª jornada a formação alvinegra teve a sua pior exibição de entre as três e tremeu em casa frente ao Tomar, ainda que tenha conseguido vencer pela margem mínima, 1-0. Nos dois jogos seguintes, duas “chapas 7” com vitórias forasteiras em Coimbra (1-7) e em Alcobaça (0-7), que deram tranquilidade à equipa para se assumir como clara favorita à passagem à Prova 2, de entre as seis equipas da Zona Sul C.

    Os Iniciados (Sub-15), orientados por Vasco Luís, conseguiram uma vitória tranquila em Santarém por 2-5 na 2ª jornada depois de terem adiado, para meio da semana, a deslocação ao Tojal para defrontarem o Sporting, em jogo referente à 1ª jornada da competição e em que foram goleados por 8-0. Depois deste deslize, receção em casa a um adversário forte e que não deu chances aos jovens turquelenses na fase de apuramento de campeões regionais, o S.C. Tomar, mas uma grande réplica dos “brutinhos” que, apesar da derrota por 1-3, patentearam maior entrega, qualidade e evolução.      

    Comandados por Hélio Gonçalves os Infantis (Sub-13), H.C. Turquel “B”, tal como os Sub-17, venceram todos os três jogos realizados até ao momento, começando com um triunfo claro em Santarém por 1-5 e depois, duas vitórias caseiras e difíceis frente a Tomar (2-1) e Física (3-1) para reforçarem a candidatura a um lugar de destaque nesta Zona.

    A equipa “A” dos Sub-13 do H.C. Turquel, comandada por Rui Andrade “Ruca”, deu cartas na Série I da 2ª Fase do Campeonato Regional e agora entrou em ação na Taça APL, tendo realizado dois jogos referentes à Série A desta competição, contando por vitórias as partidas disputadas frente a Tigres em casa (8-2) e BIR Valado dos Frades fora (4-7). O trabalho tem sido sustentado e o volume de treino, incluindo um apronto ao fim-de-semana, tem dado os seus frutos, com os atletas a responderem agora muito melhor a outro tipo de desafios.

    No escalão de Escolares, a equipa “A” do H.C. Turquel, comandada por Paulo Passos, teve uma prestação positiva na Série G nos Encontros Regionais e entra na Taça APL com vontade de competir ainda mais para poder continuar a preparar a entrada num escalão de competição no próximo ano. Já o H.C. Turquel “B”, orientado por Élvis Canas, mostrou claros sinais de melhoria nos jogos finais da Série G dos Encontros Regionais e chega à Taça APL bem preparada para defrontar adversários com uma relação de valor mais homogénea, sendo que a coordenação, em consonância com os treinadores, informou que, na Taça APL, vai proceder à alteração da designação das suas equipas respeitantes a este Escalão, como forma de melhorar a competitividade perante os adversários que calharam em sorte. Assim sendo, como HC Turquel  “A” passará a designar-se a equipa que maioritariamente apresenta atletas de formação de 1º Ano (treinada por Élvis Canas) e como HC Turquel “B” passará a designar-se a equipa que maioritariamente apresenta atletas de formação de 2º Ano (treinada por Paulo Passos), sendo que esta designação apenas servirá para a competição, nada interferindo com a organização predefinida no início da época para treinos.

    Os Benjamins tiveram prestações idênticas e com sentido muito positivo nos Encontros Regionais, estando em séries de calibre diferente, mas com homogeneidade de valores entre equipas. O H.C. Turquel “A”, treinado por Davide Coelho e Luís Raimundo, mostrou evolução frente a adversários poderosos e conseguiu discutir alguns jogos difíceis de igual para igual, estando no bom caminho na preparação para a entrada na idade de Escolar na próxima temporada. Já o H.C. Turquel “B”, orientado por Nuno Maurício e Luís Raimundo, sendo uma equipa quase toda de 1º ano, inclusive com alguns Bambis e com um número alargado de atletas, bateu-se de igual para igual com adversários superiores e ganhou “bagagem” para poder encarar a Taça APL com bons olhos.

    Por fim, no escalão de Bambis, o H.C. Turquel inscreveu a sua equipa na Taça APL e fará os últimos três meses da temporada com um conjunto de atletas vindos da Iniciação, que começa agora a dar os primeiros passos na competição, augurando-se um futuro risonho. Luís Raimundo será o “timoneiro” até ao final da época e as expetativas são altas, para um conjunto que mostra já alguma desenvoltura na patinagem, depois do excelente trabalho desenvolvido com estes jovens por Soraia Ferreira e pelo próprio Luís Raimundo no escalão de Iniciação.

    “A formação do HCT continua a patentear qualidade e vitalidade, por isso não deixe de acompanhar estes jovens…eles precisam do seu apoio!”

    Resultado supera a exibição

    Após um desaire contundente frente ao Sporting (derrota por 5-1) no Livramento, o HCT recebeu em casa o último classificado, o C.D. Póvoa, na 20ª jornada do Nacional da 1ª divisão. O resultado foi muito melhor que a exibição, já que os comandados de João Simões mostraram dinâmica ofensiva, mas pouco equilíbrio nas transições ataque-defesa, tendo inclusivamente sofrido dois golos em Power Play, ou seja com o adversário em inferioridade numérica. Frente a um conjunto com apenas oito pontos somados e com muitas limitações em todos os capítulos de jogo, os alvinegros chegaram ao intervalo a vencer por 2-0 e com inúmeras oportunidades desperdiçadas, mas uma má entrada no segundo tempo permitiu ao adversário acreditar que poderia sair com pontos de Turquel. Ainda assim, a vitória nunca esteve em causa e quando acelerou, o conjunto turquelense marcou ou criou muito perigo, chegando a um score final de 8-4 que só pecou pelo número excessivo de golos sofridos. O luso-argentino, German Dates, voltou a brilhar anotando um “hat trick” e Vasco Luís e Pedro Vaz anotaram um “bis” cada um para merecerem papel de destaque, onde figurou também o júnior João Alves, ele que beneficiou da lesão de Pedro Batista para se estrear pelos Seniores em jogos oficiais e logo na 1ª divisão, sendo mais um produto da “cantera” alvinegra a aparecer na equipa sénior, quase faturando, depois de enviar uma bola ao poste da baliza adversária.

    Na primeira metade houve envolvimento e ritmo ofensivo por parte dos visitados que entraram bem no encontro e inauguraram o marcador logo aos cinco minutos, numa iniciativa individual de Daniel Matias a “queimar” o tempo de ataque que surpreendeu tudo e todos, inclusivé o guarda-redes povoense Telmo Fernandes. O Póvoa tentou reagir e apenas uns “laivos” individuais dos irrequietos Viti e Hugo Paiva faziam tremer um Tuga seguro na baliza da casa. Com as mexidas, os “brutos dos queixos” mantiveram o ritmo forte e, aos catorze minutos, German Dates iniciou mais uma noite positiva no capítulo pessoal, ao finalizar no coração da área uma excelente assistência de Paulo Passos desde trás da baliza. Estava feito o 2-0 e até ao intervalo não mais o marcador voltou a funcionar.           

    No início da etapa complementar o técnico João Simões mexeu as pedras e a equipa entrou mal, sofrendo o 2-1 logo no primeiro minuto, depois de Hugo Paiva enrolar uma bola de longa distância e ter conseguido bater um Tuga encoberto pela “floresta de pernas” que se encontrava à sua frente. A reação alvinegra foi imediata, já que na jogada de saída Vasco Luís trabalhou na esquerda, fletiu para dentro, e rematou forte e colocado, sem hipóteses para Telmo Fernandes. Com o 3-1 consentido logo no imediato, a equipa do Póvoa tremeu e acumulou erros que foram pagos com golos sofridos. Um minuto depois do terceiro golo alvinegro o próprio guardião poveiro, Telmo Fernandes, viu-lhe ser admoestada a cartolina azul por falta dura sobre Paulo Passos e, na conversão da respetiva penalidade, Vasco Luís bateu o canhoto e recém entrado Pedro Costa para “bisar” e fazer o 4-1. No mesmo minuto German Dates conduziu um contra-ataque, e quando tentava assistir um colega enviou a bola contra o patim do desafortunado Rui Silva, com a bola caprichosamente a entrar na baliza visitante, naquele que foi o “bis” do luso-argentino. Estava consumado o 5-1 e o sexto demorou apenas mais dois minutos a surgir, depois de uma boa iniciativa de Paulo Passos, que veio desde o seu meio rinque para assistir primorosamente Pedro Vaz, com este a encostar fácil e a dar uma vantagem confortável aos da casa (6-1). Com um resultado tão dilatado a seu desfavor, a equipa que viajou desde a Póvoa do Varzim forçou mais e perdeu-se um pouco em termos emocionais. O irrequieto Viti viu a cartolina azul por falta dura sobre Vasco Luís, mas o mesmo Vasco não conseguiu transformar o devido livre direto em golo, permitindo excelente intervenção a Pedro Costa. Ainda assim, a equipa da casa tinha dois minutos para gerir em Power Play e tentar marcar mais um tento, mas ao invés disso a turma alvinegra desagregou-se, cometeu erros de transição e de proteção de baliza, fazendo com que o Póvoa conseguisse dois golos a jogar em inferioridade numérica. O autor das duas proezas foi o inconformado Hugo Paiva que “bisou” numa primeira instância depois de um passe de Rui Silva em que desviou subtilmente fora do alcance de Tuga e poucos segundos depois completou mesmo o seu “hat trick”, conseguindo um golo de fino recorte técnico, depois de enganar toda a defensiva alvinegra e fazer uma fantástica “picadinha” na cara de Tuga, reduzindo para 6-3. Este score deu força aos forasteiros e intranquilizou os turquelenses, que tiveram um período de jogo intranquilo, arrastando o resultado para a entrada do último terço do segundo tempo, altura em que puxou dos galões e conseguiu “matar” a partida, numa excelente jogada de envolvimento em ataque organizado, que culminou com uma grande assistência à meia volta de Vasco Luís para Pedro Vaz “bisar” ao segundo poste. Estava consumado o 7-3 e logo em seguida surgia a 10ª falta de equipa do Póvoa, com German Dates a mostrar argumentos na conversão do livre direto para completar o seu “hat trick” e fazer o 8-3. As incidências do encontro não iriam ficar por aqui, já que em pouco tempo Pedro Vaz cometeu penalty sobre Viti, o mesmo jogador não conseguiu bater à primeira o recém entrado Edu Leitão, mas na recarga atirou a contar para fixar o resultado final em 8-4 e esta foi também a altura para estrear o “canterano” e ainda júnior, João Alves, ele que fez vibrar o pavilhão quando finalizou com classe uma bola que embateu caprichosamente no poste e ainda tentou assistir, num outro lance, German Dates mas sem sucesso. A partida não terminou sem que Carlos Silva, técnico dos visitantes, visse a cartolina vermelha por protestos já com menos de um minuto para jogar, num fim de festa tão negativo como escusado.   

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 28 de fevereiro de 2015, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (20ª jornada)

    Árbitros: Jaime Vieira (Alentejo), Teófilo Casimiro (Ribatejo) e António Fialho (3º árbitro) (Alentejo)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz (2), [4] Daniel Matias (1), [9] Vasco Luís (2), [59] Paulo Passos, [10] Eduardo “Edu” Leitão (GR), [3] German Dates (3), [47] Xavier Lourenço, [8] André Luís (C) e [77] João Alves.

    Treinador: João Simões

    C.D. Póvoa/Orcopom: [22] Telmo Fernandes (GR), [7] Ruben Fangueiro (C), [99] Jorge Maceda “Xixa”, [4] Vítor Oliveira “Viti” (1), [5] Hugo Paiva (3), [68] Pedro Costa (GR), [2] Rui Silva, [9] Cristiano Fangueiro e [88] Tiago Rocha.

    Treinador: Carlos Silva

    Ao intervalo: 2-0

    Resultado Final: 8-4

    Patenteando uma superioridade evidente em todos os capítulos, o HCT mostrou sempre dinâmica no processo ofensivo, mas também algum desequilíbrio aquando da perca de bola e apesar de um primeiro tempo “imaculado” no que a golos sofridos diz respeito, a formação alvinegra entrou mal no segundo tempo, sofreu alguns golos de forma infantil, ainda que tenha vencido de forma tranquila um Póvoa que demonstrou grandes debilidades e que terá muitas dificuldades em largar a “lanterna vermelha”.

    No próximo fim de semana o HCT folga, em virtude dos compromissos europeus do seu próximo adversário, que é nada mais nada menos, que o F.C. Porto. O jogo realiza-se apenas na quarta-feira 11 de Março de 2015 pelas 21 horas, e terá honras de transmissão televisiva no Porto Canal. Na primeira volta em Turquel os dragões venceram por 2-4, num jogo com uma primeira parte de bom nível por parte dos turquelenses e um segundo tempo de clara superioridade dos azuis e brancos.

  • Iniciar fase final de forma brilhante

    Após cinco jogos em que averbaram três vitórias em casa, frente a Lagos (4-3), Salesiana (4-0 para a Taça de Portugal) e Tojal (11-2) e duas derrotas fora, frente a Benfica (4-1) e Lobinhos (4-2), a equipa feminina do H.C. Turquel entrou na Fase de Apuramento de Campeão Nacional com um teste de fogo, frente às velhas conhecidas do Stuart Massamá. A equipa do concelho de Sintra tinha-se classificado na 2ª posição na Zona Sul, um lugar à frente das turquelenses, e tinha vencido os dois jogos dessa fase, 4-3 em Massamá e 2-3 em Turquel, pelo que o embate de abertura da fase final da prova se adivinhava emotivo. As comandadas de Hélder Coelho encheram-se de brio e conseguiram contrariar o favoritismo das visitadas, com uma exibição fantástica e cheia de raça, mesmo estando privadas, por lesão e por motivos profissionais, de Lígia Oliveira ela que tem tido uma influência grande na equipa.

    Primeiro tempo com entrada fantástica das de Turquel que inauguraram o marcador logo aos dois minutos por intermédio de Inês Vicente, numa demonstração de que o jogo não iria ser dado de barato. Dois minutos depois a equipa da casa reagiu e a experiente Rita Dias “Bombardeira” igualou. O jogo estava de parada e resposta e quatro minutos depois Margarida António voltou a colocar as alvinegras em vantagem por 1-2, resultado que se arrastou até ao intervalo.  

    No início da segunda metade Margarida António viu a cartolina azul por falta dura sobre uma adversária, mas Tânia Freire “Pulga” não conseguiu levar a melhor sobre Cláudia Vicente na transformação do respetivo livre direto, ainda que em Power Play, Rita Dias tenha conseguido “bisar” e igualar novamente o encontro, desta feita a duas bolas. Um minuto depois Andrea Afonso finalizou com sucesso e colocou as da casa a vencer pela primeira vez no encontro, aproveitando o período de maior desnorte das visitantes. Pensou-se que a partir daqui a resistência da jovem equipa de Turquel iria terminar, mas foi em sentido contrário que as coisas evoluíram. Aos dez minutos desta etapa complementar Isa Ricardo conseguiu o tento do empate (3-3) e cinco minutos depois Inês Vicente “bisou” para dar nova “cambalhota” no marcador (3-4), na conversão de um livre direto a castigar uma cartolina azul mostrada a Rita Dias. O jogo estava muito emotivo e “nervoso” pelo que no minuto seguinte Margarida António viu-lhe ser admoestado o segundo cartão azul no jogo, mas Cláudia Vicente voltou a levar a melhor sobre Tânia Freire “Pulga” na marcação do devido livre direto e manteve o HCT na frente, o que acabou por se verificar até ao apito final do árbitro João César (A.P. Setúbal), naquela que foi uma vitória fantástica da equipa mais lúcida em rinque.    

    No próximo Domingo, 8 de Março de 2015 pelas 18:30 horas, em pleno “Dia Internacional da Mulher”, as turquelenses recebem, com a moral em alta, a congénere do F.C. Alverca. As alverquenses classificaram-se na quarta e última posição que deu acesso à fase de apuramento de campeão na Zona Sul, tendo perdido ambas as vezes com as “brutas dos queixos”, 4-1 na primeira volta em Turquel e 4-5 na segunda em Alverca. Será um encontro em que é imperativo vencer para ter a possibilidade de, nas contas finais, almejar a uma classificação histórica para uma equipa tão jovem.

    Foto: Dinis Vicente

    Leões foram mais fortes

    Atravessando um período positivo com o empate em Valongo (3-3) e vitórias em casa frente aos Tigres (8-2) e em Torres Vedras para a Taça frente à Física (3-6), o HCT chegou ao pavilhão do Livramento para defrontar um Sporting intranquilo e que vinha de resultados pouco condizentes com o início de temporada protagonizado pela turma orientada por Nuno Lopes. Ainda assim, de nada valeram os momentos antagónicos dos dois conjuntos, pois a lógica inverteu-se e viu-se talvez o melhor Sporting da época para tão pouco Turquel. Depois de um primeiro tempo de ascendente verde e branco mas que redundou apenas em um golo de vantagem, o segundo tempo mostrou um Turquel pesado e muito permissivo, bem como muito nervoso. Quem aproveitou foi a equipa da casa que, comandada pela entrega do capitão Ricardo Figueira e de Tiago Losna, levaram o resultado para números expressivos (5-1) e que não deixam margem para dúvidas. Contra a maré remou o luso-argentino German Dates, que entrou para mexer com o jogo e dar alguma atitude à sua equipa.    

    Primeira metade enfadonha, com os alvinegros a conseguirem pôr em prática o seu plano de “adormecimento” dos acontecimentos, levando o jogo para zonas baixas do rinque e com o Sporting a mostrar mais velocidade e superioridade mas a não conseguir materializar as oportunidades criadas junto da baliza de Tuga. Foi já com mais de meio do primeiro tempo decorrido que o recém entrado, Tiago Losna, soltou uma bomba de longa distância que surpreendeu tudo e todos, inclusive o guardião Tuga. Estava feito o resultado (1-0) com que se atingiu o intervalo.            

    A etapa complementar não foi muito diferente em termos de tendência, mas teve mais golos e logo aos quatro minutos Losna “bisou” após desviar, bem no coração da área, um bom passe de Ricardo Figueira e fazer o 2-0. Este tento marcou o encontro, pois a partir daqui os forasteiros mostraram um hóquei algo atabalhoado e desesperado, na procura de um golo que lhes permitisse reduzir o score. Carregados com faltas de equipa e a enervarem-se cada vez mais com as dificuldades em encontrarem soluções e com uma dupla de arbitragem com uma atitude sobranceira e com constantes decisões erráticas, os turquelenses viriam a “cair” contundentemente nos últimos dez minutos do encontro depois de Ricardo Figueira “bisar” em dois livre diretos quase consecutivos, um em lance a castigar 15ª falta de equipa (Poka já tinha desperdiçado o livre direto da 10ª) e um outro por cartolina azul mostrada a Paulo Passos. Depois do quarto golo dos sportinguistas, Ricardo Figueira também viu azul por engachamento, no entanto Vasco Luís não conseguiu desfeitiar um Ângelo Girão que se adiantou à margem das leis, com a conivência da dupla de arbitragem, para defender e manter o resultado em 4-0. A partir daqui os “brutos dos queixos” perderam-se, Xavier Lourenço ainda desperdiçou um penalty, mas depois Edu Leitão, Vasco Luís e o mesmo Xavier Lourenço viram ser-lhes admoestadas cartolinas azuis por protestos, os dois primeiros no banco de suplentes, e a equipa esteve em sacrifício até ao fim. German Dates ainda reduziu na transformação superior de um livre direto a castigar a 10ª falta de equipa do Sporting, mas João Pinto viria a fixar o resultado final em 5-1 já no último segundo, convertendo fácil uma assistência de Carlitos.

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão do Sporting Clube do Livramento – Livramento, Mafra

    Dia/Hora: 21 de fevereiro de 2015, às 16H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (19ª jornada)

    Árbitros: José Nave (Lisboa), Miguel Guilherme (Lisboa) e António Rocha (3º árbitro) (Lisboa)

    Sporting C.P.: [61] Ângelo Girão (GR), [4] Ricardo Figueira (C) (2), [18] Daniel Oliveira “Poka”, [16] João Pinto “Mustang” (1), [8] Nicolas “Nico” Fernandez, [9] Tiago Losna (2), [7]  André Moreira e [27] Carlos Martins “Carlitos”. Não jogaram: [91] José Diogo Macedo (GR) e [24] André Pimenta.

    Treinador: Nuno Lopes

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [4] Daniel Matias, [9] Vasco Luís, [59] Paulo Passos, [47] Xavier Lourenço e [3] German Dates (1). Não jogaram: [10] Eduardo “Edu” Leitão (GR), [8] André Luís (C) e [77] João Alves.

    Treinador: João Simões

    Ao intervalo: 1-0

    Resultado Final: 5-1

    Encontro pouco conseguido por parte dos turquelenses, que ainda conseguiram “adormecer” o jogo nos minutos iniciais, mas após o segundo golo dos verde e brancos ruíram como um “castelo de cartas” e deixaram-se levar por picardias e protestos excessivos, que redundaram em prejuízo próprio e em desnível no marcador.              

    No próximo sábado, 28 de Fevereiro de 2015 pelas 21 horas, o HCT recebe o último classificado, o C.D. Póvoa, e tentará regressar aos triunfos no campeonato, depois de ter vencido também em casa frente aos Tigres por 8-2 na 18ª jornada. Na primeira volta, na Póvoa de Varzim, o HCT triunfou por tangenciais 3-4, trazendo para Turquel três pontos muito importantes na altura, num jogo em que não pôde contar com o contributo dum Daniel Matias prestes a ser pai.

    Foto: Gilberto Borges

  • Passar com distinção no “Carnaval de Torres”

    Atravessando um período intermitente em termos exibicionais, mas vindo de dois resultados positivos (empate 3-3 em Valongo e vitória por 8-2 em casa frente aos Tigres), o HCT chegou a Torres Vedras decidido a derrotar o líder da 2ª divisão – Zona Sul nos 16 Avos de Final da Taça de Portugal. Em pleno Carnaval de Torres, num jogo que marcou o apelo contra a violência no namoro, os comandados de João Simões sofreram com uma primeira parte de bom nível por parte dos da casa, que os levou em vantagem (2-1) para o descanso. Contundo, no segundo tempo, os de Turquel mostraram qualidade na finalização e maior poderio físico para vencerem de forma folgada (3-6). O artilheiro Vasco Luís foi quem mais brilhou ao anotar um “póker”, levando a sua equipa a passar de forma distinta pelo “Carnaval de Torres”.

    Primeiro tempo ritmado, com entrada forte dos dois conjuntos e com o HCT a adiantar-se logo aos três minutos, num excelente contra-ataque de 2x1 que culminou com uma assistência de Paulo Passos para Vasco Luís encostar ao segundo poste e fazer o seu primeiro. No entanto, logo na reposição, a Física empatou numa jogada de envolvimento em que Carlos Godinho assistiu primorosamente Carlos Garrancho que, quase de costas para a baliza, stickou de forma soberba e igualou de novo a contenda, desta feita a uma bola. Os alvinegros intranquilizaram-se com esta resposta quase imediata dos da casa e dois minutos depois Paulo Passos viu a cartolina azul por toque voluntário com o stick num adversário. Na transformação do respetivo livre direto Vicente Alves não conseguiu desfeitiar Tuga. Depois de um período conturbado em que “sobreviveu” ao Under Play e em que conseguiu estabilizar o seu jogo, a equipa turquelense conseguiu alguns momentos interessantes, que foram esbarrando na exibição segura do habitual suplente da baliza torreense, Ricardo Miranda. Como quem não marca sofre, foi já a três minutos do descanso que a Física se colocou pela primeira e única vez em vantagem no encontro, depois de um contra-ataque veloz de 2x1 que terminou com uma finalização fácil de Carlos Garrancho ao segundo poste, naquele que foi o seu segundo tento no jogo. Ao intervalo, 2-1 era o resultado.            

    O segundo tempo foi totalmente diferente, a Física numa fase inicial ainda conseguiu nivelar os acontecimentos, mas a partir dos cinco minutos iniciais desta etapa complementar, começou a perder fulgor e a quebrar físicamente. Aproveitou o HCT que igualou aos sete minutos numa grande execução de German Dates, ele que regressou a uma casa que bem conhece (jogou na Física durante quatro anos, entre 2009 e 2013). Aos dez minutos os da casa tiveram uma oportunidade soberana para voltarem a empatar, mas Vicente Alves permitiu mais uma excelente intervenção a Tuga na execução de um penalty e a partir daqui só deu Turquel. Aos onze e aos treze minutos Vasco Luís marcou dois golos, tendo completado o seu “hat-trick” e dando uma grande “machadada” nas aspirações dos visitados. Pouco depois, Carlos Godinho cometeu penalty sobre Daniel Matias e os dois jogadores acabariam por ver a cartolina azul por se envolverem, à posteriori, à margem das leis. Vasco Luís, na recarga da grande penalidade, completou o seu “póker”, colocando o resultado em 2-5. No minuto seguinte, novo penalty, desta vez na área do Turquel, mas Carlos Garrancho não conseguiu bater Tuga mais uma vez e na resposta Vasco Luís envolveu o jogo e assistiu Paulo Passos na direita para este encostar de ângulo apertado e “matar” o jogo. No mesmo minuto Carlos Garrancho ainda completou o seu “hat-trick”, mas o desfecho, quanto ao vencedor da eliminatória, estava consumado e o triunfo, por 3-6, assentou bem à melhor equipa em rinque.     

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão da Física, Torres Vedras

    Dia/Hora: 14 de fevereiro de 2015, às 18:30H

    Competição: Taça de Portugal de Hóquei em Patins 2014/15 (16 Avos de final)

    Árbitros: José Nave (Lisboa) e Thierry Francisco (3º árbitro) (Lisboa)

    A.E. Física D.: [10] Ricardo Miranda “Gordini” (GR), [8] Samuel Lima, [4] Carlos Godinho (C), [6] Carlos Garrancho (3), [12] Vicente Alves, [7] João Lima e [11] André Pereira. Não jogaram: [1] Pedro Chambel (GR) [3] Tiago Vieira e [5] Nuno Brilha.

    Treinador: André Gil

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [4] Daniel Matias, [9] Vasco Luís (4), [59] Paulo Passos (1), [3] German Dates (1) e [47] Xavier Lourenço. Não jogaram: [10] Eduardo “Edu” Leitão (GR), [8] André Luís (C) e [84] Pedro Batista.

    Treinador: João Simões

    Ao intervalo: 2-1

    Resultado Final: 3-6

    Depois de uma primeira parte de equilíbrio em que os da casa saíram por cima, o HCT puxou dos galões no segundo tempo e, em simultâneo com a clara quebra física da turma de Torres Vedras, superiorizou-se e mostrou maior ritmo competitivo, vencendo de forma inequívoca e categória um jogo com arbitragem sofrível do primodivisionário José Nave, que mostrou pouca condição física, tomando algumas decisões por instinto e desconcentradas.               

    No próximo sábado, 21 de Fevereiro de 2015 pelas 16 horas, regressa o campeonato com o HCT a ter nova deslocação ao Oeste, desta feita até à localidade do Livramento, para defrontar o Sporting C.P. na 19ª jornada do Nacional da 1ª divisão. Jogo interessante e com toda a certeza rasgadinho, em que o HCT irá tentar capitalizar o momento menos bom dos verde e brancos. Na primeira volta em Turquel o Sporting passava pelo seu melhor período na época e venceu por 2-4, veremos como será agora.

    Tigres foram presa fácil

    Após empate (3-3) fantástico em Valongo, que até soube a pouco, desta feita receção aos “vizinhos” dos Tigres de Almeirim na 18ª jornada do Nacional da 1ª divisão de Seniores Masculinos. O HCT entrou em jogo decidido a capitalizar o bom momento e não deu veleidades a uma equipa de Almeirim que viveu das suas individualidades mas que apenas resistiu durante os primeiros vinte e cinco minutos. Ao intervalo o 2-0 indiciava dificuldades para os “brutos dos queixos”, apesar da vantagem, mas um início de segundo tempo avassalador acabou com as aspirações dos almeirinenses, até ao 8-2 final. Em destaque na equipa alvinegra esteve Vasco Luís, que completou um “hat trick”, e German Dates que brilhou no início do segundo tempo, marcando o golo da noite numa jogada individual fabulosa, “bisando” e ainda fazendo uma assistência para Pedro Vaz.

     

    Primeiro tempo com muita velocidade desde o apito inicial e com o HCT a querer pegar no jogo em ataque organizado. Os forasteiros não se amedrontaram e também conseguiram ter bola, com Janeka, um filho da terra, a evidenciar-se, conseguindo alguns desequilíbrios pelo meio da defesa do HCT. Mas foram mesmo os “brutos dos queixos” a chegarem à vantagem, depois de Vasco Luís, assistido por Paulo Passos, se conseguir isolar e permitir uma primeira defesa a Veludo, mas a não perdoar à segunda para colocar os visitados a vencer por 1-0. Seis minutos depois, Pedro Vaz foi rasteirado por Francisco Veludo dentro da área quando vinha de trás da baliza, o “keeper” almeirinense foi excluído com azul e Vasco Luís, na transformação da grande penalidade, permitiu nova defesa, desta feita ao recém entrado João Patrício, mas voltou a não perdoar à segunda, “bisando” e aumentando o score para o 2-0 com que se chegou ao descanso.             

    A segunda metade foi completamente diferente e o HCT entrou a todo o gás, conseguindo três golos quase consecutivos. O primeiro foi o tento da noite, da autoria do argentino German Dates, que aproveitou uma transição rápida para passar por meia equipa dos Tigres e colocar a bola na baliza obtendo a aprovação de todo o pavilhão. No minuto seguinte o mesmo German assistiu Pedro Vaz atrás da baliza e este colocou a bola no “buraco da agulha” de forma inteligente, conseguindo o 4-0. Os forasteiros quebraram anímica e fisicamente e dois minutos volvidos voltaram a sofrer mais um golo, depois de um contra-ataque de 3x2 muito bem delineado por German Dates, André Luís e finalmente Daniel Matias que encostou fácil para o 5-0 que acabava com as aspirações dos visitantes. Com uma diferença tão grande no marcador a equipa comandada por Pedro Nifo reagiu e conseguiu estabilizar o seu jogo, tendo inclusivamente reduzido por intermédio de André Martins “Kéké” num lance confuso com algumas recargas no interior da área de Tuga. No entanto, quase de seguida, caiu a 10ª falta de equipa dos de Almeirim e Vasco Luís “soltou a bomba” no livre direto para completar a seu “hat trick” e fazer o 6-1. Um minuto depois Rui Gamboa viu a cartolina azul por falta dura sobre o mesmo Vasco Luís, mas na conversão do respetivo livre direto o mesmo jogador mandou ao lado. Com um elemento a mais a equipa turquelense aproveitou para ampliar o marcador, numa transição rápida de 3x2 conduzida por Vasco Luís, que culminou com uma assistência de Daniel Matias para German Dates “bisar” e fazer o 7-1. O jogo estava numa fase de desfecho, mesmo que houvessem ainda mais de dez minutos por jogar e os atletas da equipa de Almeirim estavam derrotados e algo nervosos, sendo que Filipe Bernardino rasteirou de forma ostensiva Xavier Lourenço vendo também ele a cartolina azul. Chamado à conversão do respetivo livre direto, German Dates permitiu a defesa a Veludo. No entanto, em Power Play, a equipa alvinegra voltou a marcar com Xavier Lourenço a disparar um “míssil” do meio da rua para fazer o 8-1. Os forasteiros reagiram, com Janeka, sempre o mais inconformado, a fazer o 8-2 num lance de fino recorte técnico e logo depois oportunidade para o mesmo Janeka “bisar”, mas o camisola 45 dos almeirinenses não conseguiu desfeitiar o recém entrado Edu Leitão na transormação do livre direto da 10ª falta de equipa do HCT. O encontro chegou ao fim com o 8-2 final a espelhar a diferença entre os dois conjuntos.      

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 7 de fevereiro de 2015, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (18ª jornada)

    Árbitros: Teófilo Casimiro (Ribatejo), Vítor Roxo (Leiria) e Armando Henriques (3º árbitro) (Leiria)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz (1), [4] Daniel Matias (1), [9] Vasco Luís (3), [59] Paulo Passos, [10] Eduardo “Edu” Leitão (GR), [3] German Dates (2), [8] André Luís (C), [47] Xavier Lourenço (1) e [84] Pedro Batista.

    Treinador: João Simões

    H.C. “Os Tigres” de Almeirim: [2] Francisco Veludo (GR), [88] Filipe Bernardino, [4] André Martins “Keke” (1), [45] João “Janeka” Silva (C) (1), [7]  Alexandre Andrade, [10] João Patrício (GR), [5] Rui Gamboa, [66] João Vieira “Johe”, [55] Márcio Nunes e [31] Ivo Saldanha.

    Treinador: Pedro Nifo

    Ao intervalo: 2-0

    Resultado Final: 8-2

    Com um primeiro tempo em que conseguiu equilibrar os acontecimentos, a equipa dos Tigres deu um ar da sua graça e manteve-se no jogo até que um início de segundo tempo avassalador por parte dos comandados de João Simões acabou por estabelecer uma diferença irrecuperável no marcador e que mostrou a diferença de realidades entre os dois conjuntos.

    No próximo sábado, 14 de Fevereiro de 2015 pelas 18:30 horas, na entrada do Carnaval, o campeonato pára e o H.C. Turquel desloca-se a Torres Vedras para defrontar a Física em jogo dos 16 Avos de Final da Taça de Portugal. A equipa comandada por André Gil encontra-se na primeira posição da 2ª divisão – Zona Sul e será um “osso bem duro de roer” para os comandados de João Simões. Na pré-época as duas equipas defrontaram-se também no pavilhão da Física num jogo-treino e a equipa da casa venceu por 2-1. Será um embate “rasgadinho” e no qual o HCt terá de puxar dos galões para “vincar” a sua condição de favorito.

    Fotos: Carmo Honório

  • Empate insosso na casa do campeão

    Num pavilhão tradicionalmente difícil como é o do campeão em título, Valongo e vinda de uma derrota em casa (1-5) frente ao líder Benfica, a equipa do HCT mostrou mais uma vez ter “sete vidas”, tal como em Viana, e voltou a fazer das suas ao empatar a três bolas em Valongo quando ninguém o esperava. O jogo “correu” sempre de feição aos alvinegros, que estiveram em vantagem por 0-1 (ao intervalo), 1-2 e 2-3, sendo que o desperdício nas inúmeras oportunidades de que dispuseram para “matar” o jogo e uma dupla de arbitragem com “tiques receosos” e decisões muito dúbias, impediram uma vitória que assentava bem, apesar do empate (3-3) se dever considerar um resultado justo. O “keeper” turquelense, Tuga, foi o elemento em maior destaque, rubricando uma exibição fantástica, de encher o olho, e para selecionador nacional ver, bem como Pedro Vaz que “bisou” no encontro.

    Primeira metade com equilíbrio generalizado em quase todos os vinte e cinco minutos disputados. O Valongo carregou mais sobre a baliza de Tuga, mas o guardião alvinegro foi sempre um “muro” à frente do seu “castelo”, proporcionando alguns contra-ataques aos seus colegas, que colocaram em sentido o último reduto dos visitados, principalmente Domingos Pinho, guardião valonguense que tinha brilhado ao mais alto nível no jogo da primeira volta em Turquel (vitória do Valongo por 3-5). O mesmo Domingos nada pôde fazer aos quinze minutos deste primeiro tempo, quando Pedro Vaz “bombeou” uma bola para o interior da área e Vasco Luís se fez ao lance, ainda que não tenha tocado no esférico, o movimento de Vasco Luís enganou Domingos Pinho e a “redondinha” acabou mesmo por entrar na baliza dos da casa no 0-1. Até ao intervalo o Valongo puxou dos galões e acabou por criar inúmeras chances de golo, principalmente após a entrada do júnior Alvarinho, ele que viria a ser decisivo para o resultado final, mas a defesa compacta dos forasteiros e a segurança de Tuga impediram a igualdade. Ao intervalo os alvinegros venciam tangencialmente.              

    O segundo tempo começou praticamente com o golo do empate, depois de Pedro Vaz ter cometido um penalty duvidoso sobre um contrário e o especialista, Nuno Araújo, não se ter feito rogado na conversão do castigo, fazendo o 1-1. A reação alvinegra foi imediata e no mesmo minuto Pedro Vaz redimiu-se, numa excelente transição rápida, surpreendendo tudo e todos com um remate seco e colocado ao primeiro poste para “bisar” e colocar os turquelenses novamente em vantagem, 1-2. O jogo estava elétrico e dois minutos depois Alvarinho aproveitou uma distração de Vasco Luís para vir de trás da baliza e igualar o jogo a duas bolas, para delírio dos muitos adeptos presentes. Neste momento pensou-se que os da casa iriam embalar para uma exibição mais conseguida e menos sofrível, mas isso foi trocado por algumas simulações e picardias, que tiveram a conivência de uma dupla de arbitragem do Minho que se perdeu no jogo e que fez uma última metade de segunda parte amedrontada e deplorável. Ainda assim, com oito minutos decorridos, Vasco Luís sofreu uma carga no interior da área dos visitados e o mesmo jogador encarregou-se de bater Domingos Pinho para voltar a pôr os “brutos dos queixos” na frente por 2-3. Logo a seguir caiu a 10ª falta de equipa do HCT, mas desta feita Nuno Araújo não conseguiu ultrapassar Tuga na marcação do respetivo livre direto e no minuto seguinte Domingos Pinho viu a única cartolina azul do encontro, por derrube ostensivo a Pedro Vaz atrás da baliza. No entanto, Vasco Luís desperdiçou a oportunidade de aumentar a vantagem da sua equipa na conversão do livre direto, permitindo grande intervenção ao suplente Diogo Sampaio, ele que se revelou decisivo nos minutos seguintes, isto porque os turquelenses dispuseram de uma mão cheia de oportunidades para ampliarem o “score”, tanto em Power Play como depois em igualdade numérica, mas Diogo Sampaio mostrou inspiração na baliza do Valongo e os avançados visitantes também demonstraram pouca eficácia. A bola não entrou e o encontro ganhou então contornos emotivos e de incerteza, os valonguenses atingiram as nove faltas de equipa com mais de cinco minutos para jogar, quando o HCT tinha acumulado onze. Aqui surgiu o “dedinho” da dupla de arbitragem minhota, João Rodrigues e Florindo Cardoso, que assinalou um penalty inexistente sobre Alvarinho que Nuno Araújo não conseguiu converter, permitindo mais uma grande intervenção a Tuga. Logo a seguir Alvarinho voltou a brilhar, depois de desviar de forma soberba um passe aéreo de um seu colega, ”bisando” e restabelecendo nova igualdade, desta feita a três bolas. Até final, em quatro lances quase consecutivos, os árbitros do encontro descortinaram, de forma ridícula, quatro simulações dos jogadores turquelenses que levaram incrivelmente Alvarinho para a marca de livre direto, quando faltavam pouco mais de quarenta segundos de jogo, depois dos alvinegros atingirem as quinze faltas de equipa. O jovem da casa tremeu na hora de ultrapassar Tuga e não conseguiu dar a vitória à sua equipa, sendo que depois disso a décima falta de equipa do Valongo voltou a não cair, tendo-se confirmado a divisão de pontos.    

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Valongo

    Dia/Hora: 31 de janeiro de 2015, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (17ª jornada)

    Árbitros: João Rodrigues (Minho), Florindo Cardoso (Minho) e Cátia Gomes (3º árbitro) (Porto)

    A.D. Valongo: [26] Domingos Pinho (GR), [88] Henrique Magalhãe, [5] Telmo Pinto, [4] Nuno Araújo (1), [44] João Souto, [10] Diogo Sampaio (GR), [86] Nuno Rodrigues “Peixe” (C), [9] Álvaro “Alvarinho” Morais (2), [7]  Gonçalo Suíssas e [3] Luís Melo.

    Treinador: Paulo Pereira

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz (2), [4] Daniel Matias, [9] Vasco Luís (1), [59] Paulo Passos e [3] German Dates. Não jogaram: [10] Eduardo “Edu” Leitão (GR), [8] André Luís (C), [47] Xavier Lourenço e [84] Pedro Batista.

    Treinador: João Simões

    Ao intervalo: 0-1

    Resultado Final: 3-3

    A jogar como bem gosta, a equipa do H.C. Turquel voltou a mostrar qualidade defensiva e muita desenvoltura nas saídas para o contra-ataque. O Valongo foi sempre muito perigoso no jogo interior, mas apanhou um Tuga inspirado entre os postes alvinegros e teve dificuldades em se desenvencilhar da “teia” montada pelos “brutos dos queixos”. O avolumar do marcador foi sempre favorável aos visitantes e a vitória só não lhes sorriu porque a inépcia na hora de finalizar e “matar” o encontro não apareceu, ao contrário de uma dupla de arbitragem que teve protagonismo a mais nos minutos finais, em prejuízo claro dos turquelenses.             

    No próximo sábado, 7 de Fevereiro de 2015 pelas 21 horas, o H.C. Turquel recebe o “aflito” e adversário de outras datas, o H.C. Tigres de Almeirim. A equipa comandada por Pedro Nifo encontra-se acima da linha de água, mas com o mesmos 11 pontos do que a Sanjoanense (vantagem no confronto direto), que está em zona de descida. Os almeirinenses vêm de uma vitória moralizadora e concludente, por 8-3 em Almeirim, frente a um adversário direto como é o Póvoa. Este é portanto um excelente confronto em perspetiva, que se espera que tenha muito público nas bancadas, dada a proximidade das localidades e também pelo facto dos Tigres terem sempre os “Ultras Almeirim” atrás de si em qualquer pavilhão que joguem.

    Fase de apuramento de campeão garantida

    Receção à jovem equipa da Salesiana na 10ª jornada do Campeonato Nacional Feminino – Zona Sul e a certeza de que uma vitória garantiria à equipa turquelense o apuramento para a 2ª fase da competição, onde as quatro primeiras classificadas das Zonas Sul e Norte irão apurar o campeão nacional, num formato de todos contra todos a duas voltas. Ao intervalo a equipa comandada por Hélder Coelho estava em dificuldades com a desvantagem de 0-2, mas no segundo tempo retificou posicionamentos e foi com tudo para cima do adversário, cilindrando com um hóquei dominante e atrativo até ao 5-2 final que garante desde já o apuramento num dos quatro primeiros lugares da Zona Sul e consequentemente para a fase seguinte.

    Primeira metade com domínio territorial por parte da equipa da casa, que teve períodos de ataque avassaladores, mas que se comprometeu com o desequilíbrio na retaguarda e descurou um pouco as transições defensivas. Quem aproveitou foi a formação que viajou desde o Estoril para se colocar em vantagem em dois momentos consecutivos sem resposta, com golos de Margarida Alves e Beatriz Alves. Ao intervalo, e para espanto de quase todos os presentes, eram as visitantes que estavam na frente (0-2).

    Na etapa complementar a equipa fez alguns ajustamentos, aumentou o ritmo, conseguiu estancar os velozes contra-golpes do adversário e chegou ao seu primeiro golo por intermédio de Lígia Oliveira. A mesma jogadora “bisou” logo depois na recarga a um livre direto desperdiçado por si e pouco tempo depois Inês Vicente colocou pela primeira vez a equipa de Turquel em vantagem por 3-2. As “brutas dos queixos” nunca abrandaram e deram um verdadeiro festival de hóquei ofensivo. A capitã de equipa, Marta Taveira, estreou-se a marcar nesta época e aumentou para 4-2, para depois Inês Vicente “bisar” e deixar as contas finais num concludente 5-2, que serviu as pretensões das visitadas.

    Neste fim de semana jornada dupla, com o primeiro encontro a realizar-se no sábado, 31 de janeiro às 17 horas em casa frente às algarvias do Roller Lagos C.P., e no Domingo, 1 de fevereiro às 19 horas, na deslocação à Luz para defrontar o líder S.L. Benfica. Em caso de vitória no Sábado frente ao Lagos, o HCT poderá garantir desde já a terceira posição nesta Zona Sul, caso o Alverca perca pontos em casa frente ao Benfica. Na primeira volta, por terras algarvias, as turquelenses venceram tangencialmente por 1-2 e frente ao Benfica em Turquel as alvinegras foram derrotadas por 1-7.

pub6.png

.

Localização

Contactos

Telefone: 262919 244

email: secretaria@hct.pt

web: www.hct.pt