Breves

  • Atingir os quartos sem tremer

    Após uma derrota concludente no Dragão Caixa frente ao F.C. Porto por 8-0, deslocação a Sesimbra em jogo a contar para os oitavos-de-final da Taça de Portugal e a equipa do HCT a poder consumar um dos objetivos da temporada, que é o de chegar bem longe na Taça, se possível atingir a Final Four da competição. Para que tal possa acontecer os comandados de João Simões teriam de vencer frente a uma equipa do Sesimbra, orientada por Artur Pereira (ele que foi atleta do H.C. Turquel na saudosa década de 90), que se encontra em crescendo na Zona Sul da 2ª Divisão Nacional, depois de ter começado mal a época. Depois de um primeiro tempo de equilíbrio e a mostrar um HCT algo perdido consigo mesmo, a formação alvinegra estabilizou no segundo tempo, revelou consistência defensiva e superioridade física, apesar de ter tido jogo a meio da semana, e dilatou a vantagem sem dar chances a um adversário “curto” e algo quezilento. O artilheiro Vasco Luís “bisou” com dois golos “à bomba” de livre direto, mas ninguém se destacou dos demais num jogo onde não houve tremideira.

    Primeira parte de equilíbrio, com o Sesimbra a fazer valer-se da disponibilidade física e das meias distâncias de Gonçalo Marcelino e de Luís Pinhal, que municiavam Daniel Marques junto da baliza de Tuga. O HCT, por seu lado, conseguia longas trocas de bola em ataque e alguns momentos de perigo, mas que tiveram maior expressão nas stickadas de longa distância que Paulo Carapinha ia sustendo sem problemas na baliza dos da casa. Aos seis minutos, num lance de laboratório, Daniel Matias combinou com Pedro Vaz e este último desferiu um remate frontal com muita potência, que não deu chances ao guardião visitado. Estava feito o 0-1 e os turquelenses tinham todas as condições para pegarem no jogo, no entanto o Sesimbra reagiu e quatro minutos depois, Luís Pinhal stickou forte e de muito longe, perante um emaranhado de pernas, e Tuga foi traído pela pouca visibilidade de que dispunha no 1-1. A partir daqui as equipas encaixaram uma na outra e os caminhos para a baliza fecharam-se, mas a cinco minutos do intervalo, Xavier Lourenço, num ataque rápido, conduziu e disparou com grande violência, não dando hipóteses de defesa a Carapinha no 1-2 com que se chegou ao descanso.               

    A segunda metade teve uma tendência completamente diferente da primeira, a equipa de Turquel focou-se exclusivamente na tarefa e conseguiu uns segundos vinte e cinco minutos de boa qualidade. Aos oito minutos, em mais um ataque rápido, Daniel Matias tirou um adversário do caminho e à saída de Carapinha colocou-lhe a bola com classe por cima do ombro, fazendo o 1-3. Quando faltavam onze minutos para o término do encontro e com o Sesimbra com nove faltas de equipa acumuladas, Daniel Marques simulou uma queda e a 10ª falta acabou por cair. Na conversão do respetivo livre direto Vasco Luís stickou forte e para o meio da baliza, fazendo o 1-4 num momento muito importante no jogo. Com este tento a equipa da casa perdeu-se, começou a protestar incessantemente e a fazer faltas desnecessárias. Foi uma dessas faltas mais duras, sobre Daniel Matias, que fez com que Bruno Fuzeta fosse admoestado com a cartolina azul e Vasco Luís, de novo a mostrar frieza, disparou um autêntico míssil para a baliza do guardião sesimbrense, fazendo o 1-5 final.      

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão do Grupo Desportivo de Sesimbra

    Dia/Hora: 14 de março de 2015, às 18H

    Competição: Taça de Portugal de Hóquei em Patins 2014/15 (oitavos-de-final)

    Árbitros: João Duarte (Lisboa) João Paulo Romão (Lisboa) e Cidalino Lamosa (3º árbitro) (Setúbal)

    G.D. Sesimbra: [14] Paulo Carapinha (GR) (C), [6] Gonçalo Marcelino, [8] Luís Pinhal (1), [5] Bruno Fuzeta, [12] Daniel Marques, [1] Alexandre Maricato (GR), [9] Bernardo Pinhal, [2] Diogo Dias, [3] Filipe Nabais e [7] Rodrigo Lopes.

    Treinador: Artur Pereira

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz (1), [4] Daniel Matias (1), [9] Vasco Luís (2), [59] Paulo Passos, [3] German Dates e [47] Xavier Lourenço (1). Não jogaram: [12] Miguel Silva (GR), [8] André Luís (C) e [84] Pedro Batista.

    Treinador: João Simões

    Ao intervalo: 1-2

    Resultado Final: 1-5

    Com um primeiro tempo com maior ascendente, mas a demonstrar pouco discernimento e até alguma “irresponsabilidade”, a equipa do Turquel saiu ainda assim a vencer para o intervalo e no segundo tempo “assentou arraiais”, rubricando uma exibição bem mais condizente com a qualidade que é imputada à equipa e a passagem aos quartos-de-final da competição foi um realidade clara como a água.               

    No próximo fim de semana o HCT folga, em virtude dos compromissos europeus do seu próximo adversário, que é o atual quarto classificado, o histórico O.C. Barcelos. O jogo realiza-se apenas na quarta-feira 25 de Março de 2015 pelas 21:30 horas, sendo que na primeira volta em Turquel o resultado final resultou em empate a duas bolas. A turma minhota, orientada por Paulo Freitas, tem feito uma época acima da média e além da excelente posição que ocupa no campeonato está ainda nos quartos-de-final da Taça CERS (tem vantagem de 1-4 conseguida na 1ª mão em casa do St. Omer em França) e nos quartos-de-final da Taça de Portugal em que defrontará precisamente o HCT, em Turquel no dia 11 de Abril de 2015, pelas 21 horas.

    Sem reação

    Deslocação ao Porto a meio da semana com alguns atletas do HCT a terem de abdicar o seu dia de trabalho para poderem jogar a 21ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª divisão. Embate que se antevia muito difícil e que teve um início bastante positivo por parte dos turquelenses, que aguentaram o ímpeto ofensivo dos “dragões”, lutaram muito pela conquista da posse de bola e conseguiram ter alguma qualidade em posse até sofrerem o primeiro golo já perto do intervalo. A partir daí tudo se alterou, a atitude modificou-se e o cansaço veio ao de cima, sendo que a equipa não conseguiu reagir à “avalanche” de ataque dos portistas no segundo tempo, sofrendo uma derrota pesada (8-0) e da qual só se safou Tuga, que fez uma exibição muito positiva na baliza alvinegra.

    Primeiro tempo com o Porto claramente a querer resolver as coisas cedo, mas a esbarrar sempre na boa organização defensiva dos turquelenses e num Tuga inspirado na sua baliza. Em ataque, os “brutos dos queixos” conseguiram ter muita bola e causar algum frisson junto da baliza do experiente Edo Bosch, obrigando o guardião espanhol a boas intervenções e acertando inclusivamente no poste, numa meia distância forte de Xavier Lourenço. A resistência alvinegra terminou já com menos de seis minutos para jogar no primeiro tempo, quando Caio entrou pela esquerda, pingou a bola para Vítor Hugo, e Pedro Vaz desviou-a inadvertidamente para a própria baliza. Estava feito o 1-0 e logo a seguir veio o segundo numa combinação perfeita entre Vítor Hugo e o capitão Reinaldo Ventura, com o primeiro a assistir o “Rei” desde trás da baliza para este finalizar de primeira rasteiro no 2-0. Apesar de terem sido dois golos consecutivos, o HCT não saía do jogo e mantinha-se a tentar contrariar o maior poderio do adversário, mas um golo de recarga de Vítor Hugo, a um segundo do descanso, deitou por terra qualquer tipo de reação que pudesse surgir no início do segundo tempo. Ao intervalo o marcador assinalava 3-0.               

    Na segunda metade a tendência dos últimos minutos da primeira parte manteve-se, e logo aos dois minutos Vítor Hugo foi lançado por Rafa, isolou-se e “bisou” com classe perante um desamparado Tuga no 4-0. Não passou um minuto do quarto golo e já o Porto voltava a ampliar, desta feita foi Hélder Nunes que aproveitou uma bola perdida e de ângulo muito apertado bateu Tuga, naquele que foi o golo mais consentido por parte do guardião alvinegro. Alguns minutos passaram, e o HCT conseguiu o seu melhor período no jogo, depois dos da casa assumirem uma fase de descompressão. Os comandados de João Simões colocaram então três bolas nos ferros, primeiro foi o capitão André Luís que fugiu a Vítor Hugo e de meia distância em zona frontal acertou na base do poste da baliza do recém entrado Nélson Filipe, depois foi Vasco Luís na esquerda a stickar forte com a bola a embater na trave e por fim foi Pedro Vaz a stickar da direita, com a bola a levar o mesmo destino que a anterior, embatendo no travessão da baliza de “Filipão”. A sorte também não quis nada com os de Turquel e quem aproveitou foi o Porto que aumentou a vantagem aos doze minutos, depois de uma excelente assistência de Hélder Nunes para o interior da área, com Vítor Hugo a completar o seu “hat-trick”, perante a letargia total dos defensores alvinegros. A três minutos do fim o Porto aumentou mesmo para 7-0, naquele que foi o golo da noite, numa contra-ataque de 3x2 que culminou com uma jogada coletiva fantástica entre Pedro Moreira, Jorge Silva e Ricardo Barreiros, com o segundo a assistir o terceiro e este a fazer o sétimo no geral e o seu primeiro da conta pessoal. Antes do final, tempo ainda para Jorge Silva também ele colocar o seu nome na lista dos marcadores, depois de uma assistência primorosa de Pedro Moreira, com o camisola 38 portista a só ter de encostar para fazer o 8-0 final.        

    Ficha Técnica:

    Local: Dragão Caixa - Porto

    Dia/Hora: 11 de março de 2015, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (21ª jornada)

    Árbitros: Paulo Almeida (Aveiro), Joaquim Pinto (Porto) e António Rocha (3º árbitro) (Porto)

    F.C. Porto/Fidelidade: [47] Edo Bosch (GR), [7] Pedro Moreira, [78] Hélder Nunes (1), [8] Ricardo “Caio” Oliveira (1), [38] Jorge Silva (1), [10] Nelson Filipe (GR), [9] José “Rafa” Costa, [77] Ricardo Barreiros (1), [66] Reinaldo “Rei” Ventura (C) (1), [58] Vítor Hugo (3).

    Treinador: António “Tó” Neves

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [47] Xavier Lourenço, [4] Daniel Matias, [59] Paulo Passos, [9] Vasco Luís, [3] German Dates, [8] André Luís (C) e [84] Pedro Batista. Não jogou: [10] Miguel Silva (GR)

    Treinador: João Simões

    Ao intervalo: 3-0

    Resultado Final: 8-0

    Revelando algum cansaço e “peso” nas pernas, os atletas alvinegros aguentaram de forma brava até seis minutos do fim do primeiro tempo, mas depois de sofrerem um auto-golo, nunca mais se encontraram e a sua resistência ruiu como um “castelo de cartas”. Apesar de tudo a imagem dada, principalmente no primeiro tempo, merece elogios e os números do resultado final são demasiadamente castigadores para aquilo que os comandados de João Simões produziram, ainda que no segundo tempo alguns momentos tivessem revelado alguma falta de atitude.                

    No próximo fim de semana o campeonato pára e jogam-se os oitavos-de-final da Taça de Portugal, com o HCT a deslocar-se à cidade pescatória de Sesimbra, para defrontar o Grupo Desportivo local. O jogo realiza-se neste sábado, dia 14 de março de 2015 pelas 18 horas, frente a uma equipa sesimbrense, comandada pelo ex-atleta do HCT Artur Pereira, que está em posição baixa na tabela classificativa da Zona Sul da 2ª divisão, mas que será um “osso bem duro de roer” para os alvinegros, que terão de colocar na prática, em rinque, a superioridade teórica que levam para este embate.

  • Assembleia Geral aproxima-se…a presença dos sócios é fundamental!

    É já na próxima sexta-feira, dia 20 de março de 2015, às 21 horas, que se realiza a Assembleia Geral do H.C. Turquel para a aprovação das contas do ano fiscal de 2014 e para tratar de outros assuntos relacionados com o quotidiano do clube. A presença de todos é fundamental, portanto se é sócio do HCT e se quer exercer o seu direto à decisão dos destinos do clube…não falte!

    Balanço bastante positivo na entrada dos Nacionais

    Com o início das Provas 1 dos Campeonatos Nacionais dos escalões de Sub-13, Sub-15, Sub-17 e Sub-20, o H.C. Turquel conseguiu entrar bem na Zona Sul C e alcançar alguns resultados positivos, que lhe permitem sonhar com algo mais no futuro próximo. Além dos Nacionais, a Taça APL tem início para Escolares, Benjamins e para a “nova equipa” de Bambis, sendo que os Sub-13, H.C. Turquel “A”, também entraram com o pé direito nesta competição que para esta equipa começou um pouco mais cedo. Confira aqui um balanço exclusivo redigido pelo HCT.pt sobre o “caminho” de todas as 10 equipas dos escalões de formação alvinegros.

    Os Juniores (Sub-20) de Nelson Lourenço e de Daniel Fialho iniciaram a Prova 1 do Nacional em casa e venceram uma aguerrida formação da Oliveirense por 4-2. Na 2ª jornada, a deslocação a Sintra foi bem mais complicada e os jovens turquelenses sucumbiram por 3-0 frente a uma equipa muito bem organizada. No passado Sábado, vitória sofrida por 5-3, em casa frente à Mealhada, que abre boas perspetivas, numa série em que será proibido perder pontos em casa.

    Já os Juvenis (Sub-17), também eles comandados pela mesma dupla de treinadores, entraram na prova rainha das competições jovens nacionais com o pleno de vitórias nos três jogos disputados. Na 1ª jornada a formação alvinegra teve a sua pior exibição de entre as três e tremeu em casa frente ao Tomar, ainda que tenha conseguido vencer pela margem mínima, 1-0. Nos dois jogos seguintes, duas “chapas 7” com vitórias forasteiras em Coimbra (1-7) e em Alcobaça (0-7), que deram tranquilidade à equipa para se assumir como clara favorita à passagem à Prova 2, de entre as seis equipas da Zona Sul C.

    Os Iniciados (Sub-15), orientados por Vasco Luís, conseguiram uma vitória tranquila em Santarém por 2-5 na 2ª jornada depois de terem adiado, para meio da semana, a deslocação ao Tojal para defrontarem o Sporting, em jogo referente à 1ª jornada da competição e em que foram goleados por 8-0. Depois deste deslize, receção em casa a um adversário forte e que não deu chances aos jovens turquelenses na fase de apuramento de campeões regionais, o S.C. Tomar, mas uma grande réplica dos “brutinhos” que, apesar da derrota por 1-3, patentearam maior entrega, qualidade e evolução.      

    Comandados por Hélio Gonçalves os Infantis (Sub-13), H.C. Turquel “B”, tal como os Sub-17, venceram todos os três jogos realizados até ao momento, começando com um triunfo claro em Santarém por 1-5 e depois, duas vitórias caseiras e difíceis frente a Tomar (2-1) e Física (3-1) para reforçarem a candidatura a um lugar de destaque nesta Zona.

    A equipa “A” dos Sub-13 do H.C. Turquel, comandada por Rui Andrade “Ruca”, deu cartas na Série I da 2ª Fase do Campeonato Regional e agora entrou em ação na Taça APL, tendo realizado dois jogos referentes à Série A desta competição, contando por vitórias as partidas disputadas frente a Tigres em casa (8-2) e BIR Valado dos Frades fora (4-7). O trabalho tem sido sustentado e o volume de treino, incluindo um apronto ao fim-de-semana, tem dado os seus frutos, com os atletas a responderem agora muito melhor a outro tipo de desafios.

    No escalão de Escolares, a equipa “A” do H.C. Turquel, comandada por Paulo Passos, teve uma prestação positiva na Série G nos Encontros Regionais e entra na Taça APL com vontade de competir ainda mais para poder continuar a preparar a entrada num escalão de competição no próximo ano. Já o H.C. Turquel “B”, orientado por Élvis Canas, mostrou claros sinais de melhoria nos jogos finais da Série G dos Encontros Regionais e chega à Taça APL bem preparada para defrontar adversários com uma relação de valor mais homogénea, sendo que a coordenação, em consonância com os treinadores, informou que, na Taça APL, vai proceder à alteração da designação das suas equipas respeitantes a este Escalão, como forma de melhorar a competitividade perante os adversários que calharam em sorte. Assim sendo, como HC Turquel  “A” passará a designar-se a equipa que maioritariamente apresenta atletas de formação de 1º Ano (treinada por Élvis Canas) e como HC Turquel “B” passará a designar-se a equipa que maioritariamente apresenta atletas de formação de 2º Ano (treinada por Paulo Passos), sendo que esta designação apenas servirá para a competição, nada interferindo com a organização predefinida no início da época para treinos.

    Os Benjamins tiveram prestações idênticas e com sentido muito positivo nos Encontros Regionais, estando em séries de calibre diferente, mas com homogeneidade de valores entre equipas. O H.C. Turquel “A”, treinado por Davide Coelho e Luís Raimundo, mostrou evolução frente a adversários poderosos e conseguiu discutir alguns jogos difíceis de igual para igual, estando no bom caminho na preparação para a entrada na idade de Escolar na próxima temporada. Já o H.C. Turquel “B”, orientado por Nuno Maurício e Luís Raimundo, sendo uma equipa quase toda de 1º ano, inclusive com alguns Bambis e com um número alargado de atletas, bateu-se de igual para igual com adversários superiores e ganhou “bagagem” para poder encarar a Taça APL com bons olhos.

    Por fim, no escalão de Bambis, o H.C. Turquel inscreveu a sua equipa na Taça APL e fará os últimos três meses da temporada com um conjunto de atletas vindos da Iniciação, que começa agora a dar os primeiros passos na competição, augurando-se um futuro risonho. Luís Raimundo será o “timoneiro” até ao final da época e as expetativas são altas, para um conjunto que mostra já alguma desenvoltura na patinagem, depois do excelente trabalho desenvolvido com estes jovens por Soraia Ferreira e pelo próprio Luís Raimundo no escalão de Iniciação.

    “A formação do HCT continua a patentear qualidade e vitalidade, por isso não deixe de acompanhar estes jovens…eles precisam do seu apoio!”

  • Resultado supera a exibição

    Após um desaire contundente frente ao Sporting (derrota por 5-1) no Livramento, o HCT recebeu em casa o último classificado, o C.D. Póvoa, na 20ª jornada do Nacional da 1ª divisão. O resultado foi muito melhor que a exibição, já que os comandados de João Simões mostraram dinâmica ofensiva, mas pouco equilíbrio nas transições ataque-defesa, tendo inclusivamente sofrido dois golos em Power Play, ou seja com o adversário em inferioridade numérica. Frente a um conjunto com apenas oito pontos somados e com muitas limitações em todos os capítulos de jogo, os alvinegros chegaram ao intervalo a vencer por 2-0 e com inúmeras oportunidades desperdiçadas, mas uma má entrada no segundo tempo permitiu ao adversário acreditar que poderia sair com pontos de Turquel. Ainda assim, a vitória nunca esteve em causa e quando acelerou, o conjunto turquelense marcou ou criou muito perigo, chegando a um score final de 8-4 que só pecou pelo número excessivo de golos sofridos. O luso-argentino, German Dates, voltou a brilhar anotando um “hat trick” e Vasco Luís e Pedro Vaz anotaram um “bis” cada um para merecerem papel de destaque, onde figurou também o júnior João Alves, ele que beneficiou da lesão de Pedro Batista para se estrear pelos Seniores em jogos oficiais e logo na 1ª divisão, sendo mais um produto da “cantera” alvinegra a aparecer na equipa sénior, quase faturando, depois de enviar uma bola ao poste da baliza adversária.

    Na primeira metade houve envolvimento e ritmo ofensivo por parte dos visitados que entraram bem no encontro e inauguraram o marcador logo aos cinco minutos, numa iniciativa individual de Daniel Matias a “queimar” o tempo de ataque que surpreendeu tudo e todos, inclusivé o guarda-redes povoense Telmo Fernandes. O Póvoa tentou reagir e apenas uns “laivos” individuais dos irrequietos Viti e Hugo Paiva faziam tremer um Tuga seguro na baliza da casa. Com as mexidas, os “brutos dos queixos” mantiveram o ritmo forte e, aos catorze minutos, German Dates iniciou mais uma noite positiva no capítulo pessoal, ao finalizar no coração da área uma excelente assistência de Paulo Passos desde trás da baliza. Estava feito o 2-0 e até ao intervalo não mais o marcador voltou a funcionar.           

    No início da etapa complementar o técnico João Simões mexeu as pedras e a equipa entrou mal, sofrendo o 2-1 logo no primeiro minuto, depois de Hugo Paiva enrolar uma bola de longa distância e ter conseguido bater um Tuga encoberto pela “floresta de pernas” que se encontrava à sua frente. A reação alvinegra foi imediata, já que na jogada de saída Vasco Luís trabalhou na esquerda, fletiu para dentro, e rematou forte e colocado, sem hipóteses para Telmo Fernandes. Com o 3-1 consentido logo no imediato, a equipa do Póvoa tremeu e acumulou erros que foram pagos com golos sofridos. Um minuto depois do terceiro golo alvinegro o próprio guardião poveiro, Telmo Fernandes, viu-lhe ser admoestada a cartolina azul por falta dura sobre Paulo Passos e, na conversão da respetiva penalidade, Vasco Luís bateu o canhoto e recém entrado Pedro Costa para “bisar” e fazer o 4-1. No mesmo minuto German Dates conduziu um contra-ataque, e quando tentava assistir um colega enviou a bola contra o patim do desafortunado Rui Silva, com a bola caprichosamente a entrar na baliza visitante, naquele que foi o “bis” do luso-argentino. Estava consumado o 5-1 e o sexto demorou apenas mais dois minutos a surgir, depois de uma boa iniciativa de Paulo Passos, que veio desde o seu meio rinque para assistir primorosamente Pedro Vaz, com este a encostar fácil e a dar uma vantagem confortável aos da casa (6-1). Com um resultado tão dilatado a seu desfavor, a equipa que viajou desde a Póvoa do Varzim forçou mais e perdeu-se um pouco em termos emocionais. O irrequieto Viti viu a cartolina azul por falta dura sobre Vasco Luís, mas o mesmo Vasco não conseguiu transformar o devido livre direto em golo, permitindo excelente intervenção a Pedro Costa. Ainda assim, a equipa da casa tinha dois minutos para gerir em Power Play e tentar marcar mais um tento, mas ao invés disso a turma alvinegra desagregou-se, cometeu erros de transição e de proteção de baliza, fazendo com que o Póvoa conseguisse dois golos a jogar em inferioridade numérica. O autor das duas proezas foi o inconformado Hugo Paiva que “bisou” numa primeira instância depois de um passe de Rui Silva em que desviou subtilmente fora do alcance de Tuga e poucos segundos depois completou mesmo o seu “hat trick”, conseguindo um golo de fino recorte técnico, depois de enganar toda a defensiva alvinegra e fazer uma fantástica “picadinha” na cara de Tuga, reduzindo para 6-3. Este score deu força aos forasteiros e intranquilizou os turquelenses, que tiveram um período de jogo intranquilo, arrastando o resultado para a entrada do último terço do segundo tempo, altura em que puxou dos galões e conseguiu “matar” a partida, numa excelente jogada de envolvimento em ataque organizado, que culminou com uma grande assistência à meia volta de Vasco Luís para Pedro Vaz “bisar” ao segundo poste. Estava consumado o 7-3 e logo em seguida surgia a 10ª falta de equipa do Póvoa, com German Dates a mostrar argumentos na conversão do livre direto para completar o seu “hat trick” e fazer o 8-3. As incidências do encontro não iriam ficar por aqui, já que em pouco tempo Pedro Vaz cometeu penalty sobre Viti, o mesmo jogador não conseguiu bater à primeira o recém entrado Edu Leitão, mas na recarga atirou a contar para fixar o resultado final em 8-4 e esta foi também a altura para estrear o “canterano” e ainda júnior, João Alves, ele que fez vibrar o pavilhão quando finalizou com classe uma bola que embateu caprichosamente no poste e ainda tentou assistir, num outro lance, German Dates mas sem sucesso. A partida não terminou sem que Carlos Silva, técnico dos visitantes, visse a cartolina vermelha por protestos já com menos de um minuto para jogar, num fim de festa tão negativo como escusado.   

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 28 de fevereiro de 2015, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (20ª jornada)

    Árbitros: Jaime Vieira (Alentejo), Teófilo Casimiro (Ribatejo) e António Fialho (3º árbitro) (Alentejo)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz (2), [4] Daniel Matias (1), [9] Vasco Luís (2), [59] Paulo Passos, [10] Eduardo “Edu” Leitão (GR), [3] German Dates (3), [47] Xavier Lourenço, [8] André Luís (C) e [77] João Alves.

    Treinador: João Simões

    C.D. Póvoa/Orcopom: [22] Telmo Fernandes (GR), [7] Ruben Fangueiro (C), [99] Jorge Maceda “Xixa”, [4] Vítor Oliveira “Viti” (1), [5] Hugo Paiva (3), [68] Pedro Costa (GR), [2] Rui Silva, [9] Cristiano Fangueiro e [88] Tiago Rocha.

    Treinador: Carlos Silva

    Ao intervalo: 2-0

    Resultado Final: 8-4

    Patenteando uma superioridade evidente em todos os capítulos, o HCT mostrou sempre dinâmica no processo ofensivo, mas também algum desequilíbrio aquando da perca de bola e apesar de um primeiro tempo “imaculado” no que a golos sofridos diz respeito, a formação alvinegra entrou mal no segundo tempo, sofreu alguns golos de forma infantil, ainda que tenha vencido de forma tranquila um Póvoa que demonstrou grandes debilidades e que terá muitas dificuldades em largar a “lanterna vermelha”.

    No próximo fim de semana o HCT folga, em virtude dos compromissos europeus do seu próximo adversário, que é nada mais nada menos, que o F.C. Porto. O jogo realiza-se apenas na quarta-feira 11 de Março de 2015 pelas 21 horas, e terá honras de transmissão televisiva no Porto Canal. Na primeira volta em Turquel os dragões venceram por 2-4, num jogo com uma primeira parte de bom nível por parte dos turquelenses e um segundo tempo de clara superioridade dos azuis e brancos.

    Iniciar fase final de forma brilhante

    Após cinco jogos em que averbaram três vitórias em casa, frente a Lagos (4-3), Salesiana (4-0 para a Taça de Portugal) e Tojal (11-2) e duas derrotas fora, frente a Benfica (4-1) e Lobinhos (4-2), a equipa feminina do H.C. Turquel entrou na Fase de Apuramento de Campeão Nacional com um teste de fogo, frente às velhas conhecidas do Stuart Massamá. A equipa do concelho de Sintra tinha-se classificado na 2ª posição na Zona Sul, um lugar à frente das turquelenses, e tinha vencido os dois jogos dessa fase, 4-3 em Massamá e 2-3 em Turquel, pelo que o embate de abertura da fase final da prova se adivinhava emotivo. As comandadas de Hélder Coelho encheram-se de brio e conseguiram contrariar o favoritismo das visitadas, com uma exibição fantástica e cheia de raça, mesmo estando privadas, por lesão e por motivos profissionais, de Lígia Oliveira ela que tem tido uma influência grande na equipa.

    Primeiro tempo com entrada fantástica das de Turquel que inauguraram o marcador logo aos dois minutos por intermédio de Inês Vicente, numa demonstração de que o jogo não iria ser dado de barato. Dois minutos depois a equipa da casa reagiu e a experiente Rita Dias “Bombardeira” igualou. O jogo estava de parada e resposta e quatro minutos depois Margarida António voltou a colocar as alvinegras em vantagem por 1-2, resultado que se arrastou até ao intervalo.  

    No início da segunda metade Margarida António viu a cartolina azul por falta dura sobre uma adversária, mas Tânia Freire “Pulga” não conseguiu levar a melhor sobre Cláudia Vicente na transformação do respetivo livre direto, ainda que em Power Play, Rita Dias tenha conseguido “bisar” e igualar novamente o encontro, desta feita a duas bolas. Um minuto depois Andrea Afonso finalizou com sucesso e colocou as da casa a vencer pela primeira vez no encontro, aproveitando o período de maior desnorte das visitantes. Pensou-se que a partir daqui a resistência da jovem equipa de Turquel iria terminar, mas foi em sentido contrário que as coisas evoluíram. Aos dez minutos desta etapa complementar Isa Ricardo conseguiu o tento do empate (3-3) e cinco minutos depois Inês Vicente “bisou” para dar nova “cambalhota” no marcador (3-4), na conversão de um livre direto a castigar uma cartolina azul mostrada a Rita Dias. O jogo estava muito emotivo e “nervoso” pelo que no minuto seguinte Margarida António viu-lhe ser admoestado o segundo cartão azul no jogo, mas Cláudia Vicente voltou a levar a melhor sobre Tânia Freire “Pulga” na marcação do devido livre direto e manteve o HCT na frente, o que acabou por se verificar até ao apito final do árbitro João César (A.P. Setúbal), naquela que foi uma vitória fantástica da equipa mais lúcida em rinque.    

    No próximo Domingo, 8 de Março de 2015 pelas 18:30 horas, em pleno “Dia Internacional da Mulher”, as turquelenses recebem, com a moral em alta, a congénere do F.C. Alverca. As alverquenses classificaram-se na quarta e última posição que deu acesso à fase de apuramento de campeão na Zona Sul, tendo perdido ambas as vezes com as “brutas dos queixos”, 4-1 na primeira volta em Turquel e 4-5 na segunda em Alverca. Será um encontro em que é imperativo vencer para ter a possibilidade de, nas contas finais, almejar a uma classificação histórica para uma equipa tão jovem.

    Foto: Dinis Vicente

  • Leões foram mais fortes

    Atravessando um período positivo com o empate em Valongo (3-3) e vitórias em casa frente aos Tigres (8-2) e em Torres Vedras para a Taça frente à Física (3-6), o HCT chegou ao pavilhão do Livramento para defrontar um Sporting intranquilo e que vinha de resultados pouco condizentes com o início de temporada protagonizado pela turma orientada por Nuno Lopes. Ainda assim, de nada valeram os momentos antagónicos dos dois conjuntos, pois a lógica inverteu-se e viu-se talvez o melhor Sporting da época para tão pouco Turquel. Depois de um primeiro tempo de ascendente verde e branco mas que redundou apenas em um golo de vantagem, o segundo tempo mostrou um Turquel pesado e muito permissivo, bem como muito nervoso. Quem aproveitou foi a equipa da casa que, comandada pela entrega do capitão Ricardo Figueira e de Tiago Losna, levaram o resultado para números expressivos (5-1) e que não deixam margem para dúvidas. Contra a maré remou o luso-argentino German Dates, que entrou para mexer com o jogo e dar alguma atitude à sua equipa.    

    Primeira metade enfadonha, com os alvinegros a conseguirem pôr em prática o seu plano de “adormecimento” dos acontecimentos, levando o jogo para zonas baixas do rinque e com o Sporting a mostrar mais velocidade e superioridade mas a não conseguir materializar as oportunidades criadas junto da baliza de Tuga. Foi já com mais de meio do primeiro tempo decorrido que o recém entrado, Tiago Losna, soltou uma bomba de longa distância que surpreendeu tudo e todos, inclusive o guardião Tuga. Estava feito o resultado (1-0) com que se atingiu o intervalo.            

    A etapa complementar não foi muito diferente em termos de tendência, mas teve mais golos e logo aos quatro minutos Losna “bisou” após desviar, bem no coração da área, um bom passe de Ricardo Figueira e fazer o 2-0. Este tento marcou o encontro, pois a partir daqui os forasteiros mostraram um hóquei algo atabalhoado e desesperado, na procura de um golo que lhes permitisse reduzir o score. Carregados com faltas de equipa e a enervarem-se cada vez mais com as dificuldades em encontrarem soluções e com uma dupla de arbitragem com uma atitude sobranceira e com constantes decisões erráticas, os turquelenses viriam a “cair” contundentemente nos últimos dez minutos do encontro depois de Ricardo Figueira “bisar” em dois livre diretos quase consecutivos, um em lance a castigar 15ª falta de equipa (Poka já tinha desperdiçado o livre direto da 10ª) e um outro por cartolina azul mostrada a Paulo Passos. Depois do quarto golo dos sportinguistas, Ricardo Figueira também viu azul por engachamento, no entanto Vasco Luís não conseguiu desfeitiar um Ângelo Girão que se adiantou à margem das leis, com a conivência da dupla de arbitragem, para defender e manter o resultado em 4-0. A partir daqui os “brutos dos queixos” perderam-se, Xavier Lourenço ainda desperdiçou um penalty, mas depois Edu Leitão, Vasco Luís e o mesmo Xavier Lourenço viram ser-lhes admoestadas cartolinas azuis por protestos, os dois primeiros no banco de suplentes, e a equipa esteve em sacrifício até ao fim. German Dates ainda reduziu na transformação superior de um livre direto a castigar a 10ª falta de equipa do Sporting, mas João Pinto viria a fixar o resultado final em 5-1 já no último segundo, convertendo fácil uma assistência de Carlitos.

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão do Sporting Clube do Livramento – Livramento, Mafra

    Dia/Hora: 21 de fevereiro de 2015, às 16H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (19ª jornada)

    Árbitros: José Nave (Lisboa), Miguel Guilherme (Lisboa) e António Rocha (3º árbitro) (Lisboa)

    Sporting C.P.: [61] Ângelo Girão (GR), [4] Ricardo Figueira (C) (2), [18] Daniel Oliveira “Poka”, [16] João Pinto “Mustang” (1), [8] Nicolas “Nico” Fernandez, [9] Tiago Losna (2), [7]  André Moreira e [27] Carlos Martins “Carlitos”. Não jogaram: [91] José Diogo Macedo (GR) e [24] André Pimenta.

    Treinador: Nuno Lopes

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [4] Daniel Matias, [9] Vasco Luís, [59] Paulo Passos, [47] Xavier Lourenço e [3] German Dates (1). Não jogaram: [10] Eduardo “Edu” Leitão (GR), [8] André Luís (C) e [77] João Alves.

    Treinador: João Simões

    Ao intervalo: 1-0

    Resultado Final: 5-1

    Encontro pouco conseguido por parte dos turquelenses, que ainda conseguiram “adormecer” o jogo nos minutos iniciais, mas após o segundo golo dos verde e brancos ruíram como um “castelo de cartas” e deixaram-se levar por picardias e protestos excessivos, que redundaram em prejuízo próprio e em desnível no marcador.              

    No próximo sábado, 28 de Fevereiro de 2015 pelas 21 horas, o HCT recebe o último classificado, o C.D. Póvoa, e tentará regressar aos triunfos no campeonato, depois de ter vencido também em casa frente aos Tigres por 8-2 na 18ª jornada. Na primeira volta, na Póvoa de Varzim, o HCT triunfou por tangenciais 3-4, trazendo para Turquel três pontos muito importantes na altura, num jogo em que não pôde contar com o contributo dum Daniel Matias prestes a ser pai.

    Foto: Gilberto Borges

    Passar com distinção no “Carnaval de Torres”

    Atravessando um período intermitente em termos exibicionais, mas vindo de dois resultados positivos (empate 3-3 em Valongo e vitória por 8-2 em casa frente aos Tigres), o HCT chegou a Torres Vedras decidido a derrotar o líder da 2ª divisão – Zona Sul nos 16 Avos de Final da Taça de Portugal. Em pleno Carnaval de Torres, num jogo que marcou o apelo contra a violência no namoro, os comandados de João Simões sofreram com uma primeira parte de bom nível por parte dos da casa, que os levou em vantagem (2-1) para o descanso. Contundo, no segundo tempo, os de Turquel mostraram qualidade na finalização e maior poderio físico para vencerem de forma folgada (3-6). O artilheiro Vasco Luís foi quem mais brilhou ao anotar um “póker”, levando a sua equipa a passar de forma distinta pelo “Carnaval de Torres”.

    Primeiro tempo ritmado, com entrada forte dos dois conjuntos e com o HCT a adiantar-se logo aos três minutos, num excelente contra-ataque de 2x1 que culminou com uma assistência de Paulo Passos para Vasco Luís encostar ao segundo poste e fazer o seu primeiro. No entanto, logo na reposição, a Física empatou numa jogada de envolvimento em que Carlos Godinho assistiu primorosamente Carlos Garrancho que, quase de costas para a baliza, stickou de forma soberba e igualou de novo a contenda, desta feita a uma bola. Os alvinegros intranquilizaram-se com esta resposta quase imediata dos da casa e dois minutos depois Paulo Passos viu a cartolina azul por toque voluntário com o stick num adversário. Na transformação do respetivo livre direto Vicente Alves não conseguiu desfeitiar Tuga. Depois de um período conturbado em que “sobreviveu” ao Under Play e em que conseguiu estabilizar o seu jogo, a equipa turquelense conseguiu alguns momentos interessantes, que foram esbarrando na exibição segura do habitual suplente da baliza torreense, Ricardo Miranda. Como quem não marca sofre, foi já a três minutos do descanso que a Física se colocou pela primeira e única vez em vantagem no encontro, depois de um contra-ataque veloz de 2x1 que terminou com uma finalização fácil de Carlos Garrancho ao segundo poste, naquele que foi o seu segundo tento no jogo. Ao intervalo, 2-1 era o resultado.            

    O segundo tempo foi totalmente diferente, a Física numa fase inicial ainda conseguiu nivelar os acontecimentos, mas a partir dos cinco minutos iniciais desta etapa complementar, começou a perder fulgor e a quebrar físicamente. Aproveitou o HCT que igualou aos sete minutos numa grande execução de German Dates, ele que regressou a uma casa que bem conhece (jogou na Física durante quatro anos, entre 2009 e 2013). Aos dez minutos os da casa tiveram uma oportunidade soberana para voltarem a empatar, mas Vicente Alves permitiu mais uma excelente intervenção a Tuga na execução de um penalty e a partir daqui só deu Turquel. Aos onze e aos treze minutos Vasco Luís marcou dois golos, tendo completado o seu “hat-trick” e dando uma grande “machadada” nas aspirações dos visitados. Pouco depois, Carlos Godinho cometeu penalty sobre Daniel Matias e os dois jogadores acabariam por ver a cartolina azul por se envolverem, à posteriori, à margem das leis. Vasco Luís, na recarga da grande penalidade, completou o seu “póker”, colocando o resultado em 2-5. No minuto seguinte, novo penalty, desta vez na área do Turquel, mas Carlos Garrancho não conseguiu bater Tuga mais uma vez e na resposta Vasco Luís envolveu o jogo e assistiu Paulo Passos na direita para este encostar de ângulo apertado e “matar” o jogo. No mesmo minuto Carlos Garrancho ainda completou o seu “hat-trick”, mas o desfecho, quanto ao vencedor da eliminatória, estava consumado e o triunfo, por 3-6, assentou bem à melhor equipa em rinque.     

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão da Física, Torres Vedras

    Dia/Hora: 14 de fevereiro de 2015, às 18:30H

    Competição: Taça de Portugal de Hóquei em Patins 2014/15 (16 Avos de final)

    Árbitros: José Nave (Lisboa) e Thierry Francisco (3º árbitro) (Lisboa)

    A.E. Física D.: [10] Ricardo Miranda “Gordini” (GR), [8] Samuel Lima, [4] Carlos Godinho (C), [6] Carlos Garrancho (3), [12] Vicente Alves, [7] João Lima e [11] André Pereira. Não jogaram: [1] Pedro Chambel (GR) [3] Tiago Vieira e [5] Nuno Brilha.

    Treinador: André Gil

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [4] Daniel Matias, [9] Vasco Luís (4), [59] Paulo Passos (1), [3] German Dates (1) e [47] Xavier Lourenço. Não jogaram: [10] Eduardo “Edu” Leitão (GR), [8] André Luís (C) e [84] Pedro Batista.

    Treinador: João Simões

    Ao intervalo: 2-1

    Resultado Final: 3-6

    Depois de uma primeira parte de equilíbrio em que os da casa saíram por cima, o HCT puxou dos galões no segundo tempo e, em simultâneo com a clara quebra física da turma de Torres Vedras, superiorizou-se e mostrou maior ritmo competitivo, vencendo de forma inequívoca e categória um jogo com arbitragem sofrível do primodivisionário José Nave, que mostrou pouca condição física, tomando algumas decisões por instinto e desconcentradas.               

    No próximo sábado, 21 de Fevereiro de 2015 pelas 16 horas, regressa o campeonato com o HCT a ter nova deslocação ao Oeste, desta feita até à localidade do Livramento, para defrontar o Sporting C.P. na 19ª jornada do Nacional da 1ª divisão. Jogo interessante e com toda a certeza rasgadinho, em que o HCT irá tentar capitalizar o momento menos bom dos verde e brancos. Na primeira volta em Turquel o Sporting passava pelo seu melhor período na época e venceu por 2-4, veremos como será agora.

  • Tigres foram presa fácil

    Após empate (3-3) fantástico em Valongo, que até soube a pouco, desta feita receção aos “vizinhos” dos Tigres de Almeirim na 18ª jornada do Nacional da 1ª divisão de Seniores Masculinos. O HCT entrou em jogo decidido a capitalizar o bom momento e não deu veleidades a uma equipa de Almeirim que viveu das suas individualidades mas que apenas resistiu durante os primeiros vinte e cinco minutos. Ao intervalo o 2-0 indiciava dificuldades para os “brutos dos queixos”, apesar da vantagem, mas um início de segundo tempo avassalador acabou com as aspirações dos almeirinenses, até ao 8-2 final. Em destaque na equipa alvinegra esteve Vasco Luís, que completou um “hat trick”, e German Dates que brilhou no início do segundo tempo, marcando o golo da noite numa jogada individual fabulosa, “bisando” e ainda fazendo uma assistência para Pedro Vaz.

     

    Primeiro tempo com muita velocidade desde o apito inicial e com o HCT a querer pegar no jogo em ataque organizado. Os forasteiros não se amedrontaram e também conseguiram ter bola, com Janeka, um filho da terra, a evidenciar-se, conseguindo alguns desequilíbrios pelo meio da defesa do HCT. Mas foram mesmo os “brutos dos queixos” a chegarem à vantagem, depois de Vasco Luís, assistido por Paulo Passos, se conseguir isolar e permitir uma primeira defesa a Veludo, mas a não perdoar à segunda para colocar os visitados a vencer por 1-0. Seis minutos depois, Pedro Vaz foi rasteirado por Francisco Veludo dentro da área quando vinha de trás da baliza, o “keeper” almeirinense foi excluído com azul e Vasco Luís, na transformação da grande penalidade, permitiu nova defesa, desta feita ao recém entrado João Patrício, mas voltou a não perdoar à segunda, “bisando” e aumentando o score para o 2-0 com que se chegou ao descanso.             

    A segunda metade foi completamente diferente e o HCT entrou a todo o gás, conseguindo três golos quase consecutivos. O primeiro foi o tento da noite, da autoria do argentino German Dates, que aproveitou uma transição rápida para passar por meia equipa dos Tigres e colocar a bola na baliza obtendo a aprovação de todo o pavilhão. No minuto seguinte o mesmo German assistiu Pedro Vaz atrás da baliza e este colocou a bola no “buraco da agulha” de forma inteligente, conseguindo o 4-0. Os forasteiros quebraram anímica e fisicamente e dois minutos volvidos voltaram a sofrer mais um golo, depois de um contra-ataque de 3x2 muito bem delineado por German Dates, André Luís e finalmente Daniel Matias que encostou fácil para o 5-0 que acabava com as aspirações dos visitantes. Com uma diferença tão grande no marcador a equipa comandada por Pedro Nifo reagiu e conseguiu estabilizar o seu jogo, tendo inclusivamente reduzido por intermédio de André Martins “Kéké” num lance confuso com algumas recargas no interior da área de Tuga. No entanto, quase de seguida, caiu a 10ª falta de equipa dos de Almeirim e Vasco Luís “soltou a bomba” no livre direto para completar a seu “hat trick” e fazer o 6-1. Um minuto depois Rui Gamboa viu a cartolina azul por falta dura sobre o mesmo Vasco Luís, mas na conversão do respetivo livre direto o mesmo jogador mandou ao lado. Com um elemento a mais a equipa turquelense aproveitou para ampliar o marcador, numa transição rápida de 3x2 conduzida por Vasco Luís, que culminou com uma assistência de Daniel Matias para German Dates “bisar” e fazer o 7-1. O jogo estava numa fase de desfecho, mesmo que houvessem ainda mais de dez minutos por jogar e os atletas da equipa de Almeirim estavam derrotados e algo nervosos, sendo que Filipe Bernardino rasteirou de forma ostensiva Xavier Lourenço vendo também ele a cartolina azul. Chamado à conversão do respetivo livre direto, German Dates permitiu a defesa a Veludo. No entanto, em Power Play, a equipa alvinegra voltou a marcar com Xavier Lourenço a disparar um “míssil” do meio da rua para fazer o 8-1. Os forasteiros reagiram, com Janeka, sempre o mais inconformado, a fazer o 8-2 num lance de fino recorte técnico e logo depois oportunidade para o mesmo Janeka “bisar”, mas o camisola 45 dos almeirinenses não conseguiu desfeitiar o recém entrado Edu Leitão na transormação do livre direto da 10ª falta de equipa do HCT. O encontro chegou ao fim com o 8-2 final a espelhar a diferença entre os dois conjuntos.      

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 7 de fevereiro de 2015, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (18ª jornada)

    Árbitros: Teófilo Casimiro (Ribatejo), Vítor Roxo (Leiria) e Armando Henriques (3º árbitro) (Leiria)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz (1), [4] Daniel Matias (1), [9] Vasco Luís (3), [59] Paulo Passos, [10] Eduardo “Edu” Leitão (GR), [3] German Dates (2), [8] André Luís (C), [47] Xavier Lourenço (1) e [84] Pedro Batista.

    Treinador: João Simões

    H.C. “Os Tigres” de Almeirim: [2] Francisco Veludo (GR), [88] Filipe Bernardino, [4] André Martins “Keke” (1), [45] João “Janeka” Silva (C) (1), [7]  Alexandre Andrade, [10] João Patrício (GR), [5] Rui Gamboa, [66] João Vieira “Johe”, [55] Márcio Nunes e [31] Ivo Saldanha.

    Treinador: Pedro Nifo

    Ao intervalo: 2-0

    Resultado Final: 8-2

    Com um primeiro tempo em que conseguiu equilibrar os acontecimentos, a equipa dos Tigres deu um ar da sua graça e manteve-se no jogo até que um início de segundo tempo avassalador por parte dos comandados de João Simões acabou por estabelecer uma diferença irrecuperável no marcador e que mostrou a diferença de realidades entre os dois conjuntos.

    No próximo sábado, 14 de Fevereiro de 2015 pelas 18:30 horas, na entrada do Carnaval, o campeonato pára e o H.C. Turquel desloca-se a Torres Vedras para defrontar a Física em jogo dos 16 Avos de Final da Taça de Portugal. A equipa comandada por André Gil encontra-se na primeira posição da 2ª divisão – Zona Sul e será um “osso bem duro de roer” para os comandados de João Simões. Na pré-época as duas equipas defrontaram-se também no pavilhão da Física num jogo-treino e a equipa da casa venceu por 2-1. Será um embate “rasgadinho” e no qual o HCt terá de puxar dos galões para “vincar” a sua condição de favorito.

    Fotos: Carmo Honório

    Empate insosso na casa do campeão

    Num pavilhão tradicionalmente difícil como é o do campeão em título, Valongo e vinda de uma derrota em casa (1-5) frente ao líder Benfica, a equipa do HCT mostrou mais uma vez ter “sete vidas”, tal como em Viana, e voltou a fazer das suas ao empatar a três bolas em Valongo quando ninguém o esperava. O jogo “correu” sempre de feição aos alvinegros, que estiveram em vantagem por 0-1 (ao intervalo), 1-2 e 2-3, sendo que o desperdício nas inúmeras oportunidades de que dispuseram para “matar” o jogo e uma dupla de arbitragem com “tiques receosos” e decisões muito dúbias, impediram uma vitória que assentava bem, apesar do empate (3-3) se dever considerar um resultado justo. O “keeper” turquelense, Tuga, foi o elemento em maior destaque, rubricando uma exibição fantástica, de encher o olho, e para selecionador nacional ver, bem como Pedro Vaz que “bisou” no encontro.

    Primeira metade com equilíbrio generalizado em quase todos os vinte e cinco minutos disputados. O Valongo carregou mais sobre a baliza de Tuga, mas o guardião alvinegro foi sempre um “muro” à frente do seu “castelo”, proporcionando alguns contra-ataques aos seus colegas, que colocaram em sentido o último reduto dos visitados, principalmente Domingos Pinho, guardião valonguense que tinha brilhado ao mais alto nível no jogo da primeira volta em Turquel (vitória do Valongo por 3-5). O mesmo Domingos nada pôde fazer aos quinze minutos deste primeiro tempo, quando Pedro Vaz “bombeou” uma bola para o interior da área e Vasco Luís se fez ao lance, ainda que não tenha tocado no esférico, o movimento de Vasco Luís enganou Domingos Pinho e a “redondinha” acabou mesmo por entrar na baliza dos da casa no 0-1. Até ao intervalo o Valongo puxou dos galões e acabou por criar inúmeras chances de golo, principalmente após a entrada do júnior Alvarinho, ele que viria a ser decisivo para o resultado final, mas a defesa compacta dos forasteiros e a segurança de Tuga impediram a igualdade. Ao intervalo os alvinegros venciam tangencialmente.              

    O segundo tempo começou praticamente com o golo do empate, depois de Pedro Vaz ter cometido um penalty duvidoso sobre um contrário e o especialista, Nuno Araújo, não se ter feito rogado na conversão do castigo, fazendo o 1-1. A reação alvinegra foi imediata e no mesmo minuto Pedro Vaz redimiu-se, numa excelente transição rápida, surpreendendo tudo e todos com um remate seco e colocado ao primeiro poste para “bisar” e colocar os turquelenses novamente em vantagem, 1-2. O jogo estava elétrico e dois minutos depois Alvarinho aproveitou uma distração de Vasco Luís para vir de trás da baliza e igualar o jogo a duas bolas, para delírio dos muitos adeptos presentes. Neste momento pensou-se que os da casa iriam embalar para uma exibição mais conseguida e menos sofrível, mas isso foi trocado por algumas simulações e picardias, que tiveram a conivência de uma dupla de arbitragem do Minho que se perdeu no jogo e que fez uma última metade de segunda parte amedrontada e deplorável. Ainda assim, com oito minutos decorridos, Vasco Luís sofreu uma carga no interior da área dos visitados e o mesmo jogador encarregou-se de bater Domingos Pinho para voltar a pôr os “brutos dos queixos” na frente por 2-3. Logo a seguir caiu a 10ª falta de equipa do HCT, mas desta feita Nuno Araújo não conseguiu ultrapassar Tuga na marcação do respetivo livre direto e no minuto seguinte Domingos Pinho viu a única cartolina azul do encontro, por derrube ostensivo a Pedro Vaz atrás da baliza. No entanto, Vasco Luís desperdiçou a oportunidade de aumentar a vantagem da sua equipa na conversão do livre direto, permitindo grande intervenção ao suplente Diogo Sampaio, ele que se revelou decisivo nos minutos seguintes, isto porque os turquelenses dispuseram de uma mão cheia de oportunidades para ampliarem o “score”, tanto em Power Play como depois em igualdade numérica, mas Diogo Sampaio mostrou inspiração na baliza do Valongo e os avançados visitantes também demonstraram pouca eficácia. A bola não entrou e o encontro ganhou então contornos emotivos e de incerteza, os valonguenses atingiram as nove faltas de equipa com mais de cinco minutos para jogar, quando o HCT tinha acumulado onze. Aqui surgiu o “dedinho” da dupla de arbitragem minhota, João Rodrigues e Florindo Cardoso, que assinalou um penalty inexistente sobre Alvarinho que Nuno Araújo não conseguiu converter, permitindo mais uma grande intervenção a Tuga. Logo a seguir Alvarinho voltou a brilhar, depois de desviar de forma soberba um passe aéreo de um seu colega, ”bisando” e restabelecendo nova igualdade, desta feita a três bolas. Até final, em quatro lances quase consecutivos, os árbitros do encontro descortinaram, de forma ridícula, quatro simulações dos jogadores turquelenses que levaram incrivelmente Alvarinho para a marca de livre direto, quando faltavam pouco mais de quarenta segundos de jogo, depois dos alvinegros atingirem as quinze faltas de equipa. O jovem da casa tremeu na hora de ultrapassar Tuga e não conseguiu dar a vitória à sua equipa, sendo que depois disso a décima falta de equipa do Valongo voltou a não cair, tendo-se confirmado a divisão de pontos.    

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Valongo

    Dia/Hora: 31 de janeiro de 2015, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (17ª jornada)

    Árbitros: João Rodrigues (Minho), Florindo Cardoso (Minho) e Cátia Gomes (3º árbitro) (Porto)

    A.D. Valongo: [26] Domingos Pinho (GR), [88] Henrique Magalhãe, [5] Telmo Pinto, [4] Nuno Araújo (1), [44] João Souto, [10] Diogo Sampaio (GR), [86] Nuno Rodrigues “Peixe” (C), [9] Álvaro “Alvarinho” Morais (2), [7]  Gonçalo Suíssas e [3] Luís Melo.

    Treinador: Paulo Pereira

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz (2), [4] Daniel Matias, [9] Vasco Luís (1), [59] Paulo Passos e [3] German Dates. Não jogaram: [10] Eduardo “Edu” Leitão (GR), [8] André Luís (C), [47] Xavier Lourenço e [84] Pedro Batista.

    Treinador: João Simões

    Ao intervalo: 0-1

    Resultado Final: 3-3

    A jogar como bem gosta, a equipa do H.C. Turquel voltou a mostrar qualidade defensiva e muita desenvoltura nas saídas para o contra-ataque. O Valongo foi sempre muito perigoso no jogo interior, mas apanhou um Tuga inspirado entre os postes alvinegros e teve dificuldades em se desenvencilhar da “teia” montada pelos “brutos dos queixos”. O avolumar do marcador foi sempre favorável aos visitantes e a vitória só não lhes sorriu porque a inépcia na hora de finalizar e “matar” o encontro não apareceu, ao contrário de uma dupla de arbitragem que teve protagonismo a mais nos minutos finais, em prejuízo claro dos turquelenses.             

    No próximo sábado, 7 de Fevereiro de 2015 pelas 21 horas, o H.C. Turquel recebe o “aflito” e adversário de outras datas, o H.C. Tigres de Almeirim. A equipa comandada por Pedro Nifo encontra-se acima da linha de água, mas com o mesmos 11 pontos do que a Sanjoanense (vantagem no confronto direto), que está em zona de descida. Os almeirinenses vêm de uma vitória moralizadora e concludente, por 8-3 em Almeirim, frente a um adversário direto como é o Póvoa. Este é portanto um excelente confronto em perspetiva, que se espera que tenha muito público nas bancadas, dada a proximidade das localidades e também pelo facto dos Tigres terem sempre os “Ultras Almeirim” atrás de si em qualquer pavilhão que joguem.

  • Fase de apuramento de campeão garantida

    Receção à jovem equipa da Salesiana na 10ª jornada do Campeonato Nacional Feminino – Zona Sul e a certeza de que uma vitória garantiria à equipa turquelense o apuramento para a 2ª fase da competição, onde as quatro primeiras classificadas das Zonas Sul e Norte irão apurar o campeão nacional, num formato de todos contra todos a duas voltas. Ao intervalo a equipa comandada por Hélder Coelho estava em dificuldades com a desvantagem de 0-2, mas no segundo tempo retificou posicionamentos e foi com tudo para cima do adversário, cilindrando com um hóquei dominante e atrativo até ao 5-2 final que garante desde já o apuramento num dos quatro primeiros lugares da Zona Sul e consequentemente para a fase seguinte.

    Primeira metade com domínio territorial por parte da equipa da casa, que teve períodos de ataque avassaladores, mas que se comprometeu com o desequilíbrio na retaguarda e descurou um pouco as transições defensivas. Quem aproveitou foi a formação que viajou desde o Estoril para se colocar em vantagem em dois momentos consecutivos sem resposta, com golos de Margarida Alves e Beatriz Alves. Ao intervalo, e para espanto de quase todos os presentes, eram as visitantes que estavam na frente (0-2).

    Na etapa complementar a equipa fez alguns ajustamentos, aumentou o ritmo, conseguiu estancar os velozes contra-golpes do adversário e chegou ao seu primeiro golo por intermédio de Lígia Oliveira. A mesma jogadora “bisou” logo depois na recarga a um livre direto desperdiçado por si e pouco tempo depois Inês Vicente colocou pela primeira vez a equipa de Turquel em vantagem por 3-2. As “brutas dos queixos” nunca abrandaram e deram um verdadeiro festival de hóquei ofensivo. A capitã de equipa, Marta Taveira, estreou-se a marcar nesta época e aumentou para 4-2, para depois Inês Vicente “bisar” e deixar as contas finais num concludente 5-2, que serviu as pretensões das visitadas.

    Neste fim de semana jornada dupla, com o primeiro encontro a realizar-se no sábado, 31 de janeiro às 17 horas em casa frente às algarvias do Roller Lagos C.P., e no Domingo, 1 de fevereiro às 19 horas, na deslocação à Luz para defrontar o líder S.L. Benfica. Em caso de vitória no Sábado frente ao Lagos, o HCT poderá garantir desde já a terceira posição nesta Zona Sul, caso o Alverca perca pontos em casa frente ao Benfica. Na primeira volta, por terras algarvias, as turquelenses venceram tangencialmente por 1-2 e frente ao Benfica em Turquel as alvinegras foram derrotadas por 1-7.

    Fazer por merecer mais

    O triunfo em Viana do Castelo (2-4) na jornada anterior, trouxe um aporte de confiança enorme aos comandados de João Simões e nada melhor para adversário do jogo seguinte que o S.L. Benfica em casa. O gimnodesportivo de Turquel encheu que nem um “ovo” e o espetáculo nas bancadas foi montado por quase 2000 adeptos que deram um colorido especial à partida. Lá dentro os intervenientes não defraudaram as expetativas e mostraram argumentos para não darem razões aos adeptos de acharem que o dinheiro gasto no bilhete tinha sido mal empregue. Foi um encontro que marcou o regresso dos manos Rafael à casa que os formou, sendo que Tiago voltou a pisar um rinque onde ainda na temporada passada foi muito feliz. O ritmo imposto foi forte, o Benfica mostrou mais soluções e chegou cedo à vantagem, mas os da casa não se atemorizaram e discutiram o jogo até ao descanso. Uma má entrada na segunda parte por parte dos “brutos dos queixos” levou a que os encarnados não deixassem os seus “créditos por mãos alheias” e chegassem a uma vantagem de quatro golos (0-4). Um golo de Xavier Lourenço e uma “mão cheia” de oportunidades desperdiçadas, incluindo duas bolas nos ferros da baliza de Trabal, não permitiram sonhar mais e Nicolia acabou por “matar” o encontro, colocando o resultado no 1-5 final.

    Primeiro tempo com entrada forte dos dois conjuntos e com o Benfica a aproveitar o primeiro erro da defensiva contrária para se colocar em vantagem logo no primeiro minuto. Foi num lance em que Daniel Matias escorregou e deixou Valter Neves solto na direita, as ajudas não chegaram e o capitão encarnado teve tempo para stickar contra Tuga e recargar com êxito para fazer o 0-1. O golo dos forasteiros foi um grande “balde de água fria” para o conjunto alvinegro, no entanto a equipa não se deixou abater, pegou no jogo e assumiu despesas em ataque organizado, colocando em sentido a última linha defensiva dos visitantes. Surgiram então algumas transições rápidas em que o Benfica se desequilibrou mas as tentativas dos turquelenses esbarraram sempre no “gigante” Guillem Trabal, que mostrou estar num grande momento, assim como Tuga no lado contrário que levantou o pavilhão num lance em que tirou o “pão da boca” a João Rodrigues com uma defesa impossível e quando já todo o banco benfiquista gritava golo. Com mais de meio do segundo tempo jogado, João Rodrigues faz falta dura sobre Pedro Vaz, e viu-lhe ser admoestada a cartolina azul. Na transformação do respetivo livre direto Daniel Matias permitiu a intervenção de Trabal e no Power Play a equipa da casa foi incapaz de “furar” a “muralha” construída à frente da baliza do “portero” espanhol. Até ao intervalo realce apenas para duplo azul mostrado em simultâneo a Xavier Lourenço e Valter Neves, depois de ambos se terem embrulhado. No descanso a vantagem dos de Pedro Nunes era de 0-1.             

    Na etapa complementar a entrada dos alvinegros foi desolante, já que a equipa se perdeu no jogo durante alguns minutos e esse momento foi imensamente penalizador para as contas finais. Aproveitou o Benfica que em poucos segundos sentenciou a história do jogo. Primeiro numa perca de bola de Paulo Passos que deu um contra-ataque de 2x1 em que Miguel Rocha assistiu João Rodrigues para este fazer o 0-2. Depois, numa transição falhada com um passe errado de Daniel Matias que João Rodrigues interceptou para combinar com Miguel Rocha e “bisar” na partida, perante um Tuga completamente desamparado. Estava feito o 0-3 e a moral das “tropas” alvinegras caía drasticamente. Depois deste momento menos bom Tuco ainda conquistou uma penalidade, num lance em que chocou contra Tuga, tendo lesionado o guardião turquelense no braço direito. Ainda assim o “keeper” visitado teve forças para defender a penalidade que João Rodrigues tentou converter e a recarga do mesmo jogador, mas não aguentou muito mais e teve de sair. Entrou então o jovem Edu Leitão para a baliza dos de Turquel, ele que, poucos minutos depois, sofreu mesmo o 0-4, num lance em que Tuco descobriu Miguel Rocha no meio e este rodou para stickar rasteiro e fraco, por entre as pernas de Edu, num lance infeliz do guardião alvinegro. Com quatro golos de diferença no marcador o Benfica relaxou e o HCT não perdeu o Norte, tendo tido um bom período, com duas bolas no ferro e dando uma alegria enorme aos seus adeptos, depois de Xavier Lourenço stickar de muito longe e a bola só parar no fundo da baliza de Trabal no 1-4. O esférico parece ter sido desviado pelo corpo de Tiago Rafael antes de entrar, mas o tento foi mesmo atribuído ao camisola 47 turquelense. Com as duas equipas “à bica” com as faltas de equipa, foi o Benfica a dispor do livre direto em primeira instância, mas o especialista Nicolia mostrou desinspiração e não conseguiu desfeitiar o entretanto recuperado Tuga na primeira execução e na recarga. Logo a seguir arrancada imparável de Vasco Luís que só foi travada em falta dentro da área por Carlos López, mas na conversão do castigo máximo, Xavier Lourenço permitiu a defesa de um Trabal que pareceu muito adiantado em relação à linha de golo e a movimentar-se muito antes da bola partir. A frustração imperou então e o Benfica teve mais espaço para contra-atacar e foi num desses lances que Diogo Rafael robou a bola a Paulo Passos, isolou-se e foi derrubado já dentro da área e de forma ostensiva por Xavier Lourenço. O jovem alvinegro viu a cartolina azul e na recarga do penalty desperdiçado por si, Carlos Nicolia colocou o resultado em 1-5. Antes do final, tempo ainda para cair a 10ª falta de equipa do Benfica e Vasco Luís atirar à trave numa primeira instância, com o árbitro a mandar repetir por Trabal se ter movido antes da bola partir. Ainda assim, à segunda, os mesmos intervenientes e o mesmo desfecho com Trabal a levar a melhor e a deixar o resultado final num pesado 1-5 que não fez jus ao que se passou em rinque, apesar da vitória encarnada não sofrer contestação.  

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 24 de janeiro de 2015, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (16ª jornada)

    Árbitros: José Pinto (Porto), Joaquim Pinto (Porto) e David Barros (3º árbitro) (Leiria)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [4] Daniel Matias, [9] Vasco Luís, [59] Paulo Passos, [10] Eduardo “Edu” Leitão (GR), [47] Xavier Lourenço (1) e [3] German Dates. Não jogaram: [8] André Luís (C) e [84] Pedro Batista.

    Treinador: João Simões

    S.L. Benfica: [10] Guillem Trabal (GR), [2] Valter Neves (C) (1), [6] Esteban Abalos “Tuco”, [9] João Rodrigues (2), [18] Carlos “Carlitos” López, [14] Tiago Rafael, [5] Carlos Nicolia (1), [44] Miguel Rocha (1) e [4] Diogo Rafael “Chiquinho”. Não jogou: [1] Pedro Henriques (GR).

    Treinador: Pedro Nunes

    Ao intervalo: 0-1

    Resultado Final: 1-5

    Com um pavilhão a “rebentar pelas costuras” e com duas equipas de qualidade em rinque, o HCT mostrou argumentos frente ao atual líder do campeonato, não se atemorizou e muitas das vezes assumiu as despesas do jogo. O Benfica puxou dos galões, principalmente no processo defensivo e mostrou porque é que tem liderado a prova em todos os capítulos. Faltou uma pontinha de felicidade aos alvinegros para marcarem em alturas cruciais do encontro, apesar da vitória encarnada assentar bem.

    No próximo sábado, 31 de Janeiro de 2015 pelas 21 horas, o H.C. Turquel desloca-se a casa do ainda campeão em título, Valongo, para jogar a 17ª jornada da prova. Na temporada passada a equipa turquelense foi a única a vencer (2-3) no reduto valonguense e este ano espera-se o mesmo desfecho. Na primeira volta em Turquel os de Valongo triunfaram por 3-5, num jogo em que o guardião Domingos Pinho fez a diferença na baliza dos visitantes.

  • Anular espada de “Zorro” para vencer categoricamente

    Depois de uma derrota surpreendente, até pelos números (7-4) expressivos, em são João da Madeira na jornada anterior, o HCT viajou até Viana do Castelo para jogar a 15ª jornada, defrontando a equipa sedeada mais a Norte neste Nacional da 1ª divisão, a Juventude Viana. O encontro realizou-se esta quarta-feira, 21 de Janeiro e os atletas turquelenses tiveram, muitos deles, de abdicar do seu dia de trabalho para fazerem a viagem de forma tranquila. Contudo, valeu a pena o “sacrifício”, já que os alvinegros venceram e convenceram frente a uma equipa que ficou em 4º lugar no campeonato passado e que conta nas suas fileiras com o melhor marcador destacado do campeonato, Luís Viana “Zorro”, ele que leva a incrível soma de 40 golos marcados em apenas 15 encontros disputados. O segredo foi mesmo anular a mobilidade e perícia do “Zorro” e controlar a meia distância forte dos da casa, bem como evitar as bolas paradas, momento específico em que Luís Viana é exímio. A equipa do HCT entrou bem, nunca se descompôs, mesmo estando a perder em duas ocasiões (1-0 e 2-1), e conseguiu passar para a frente do marcador numa fase crucial do jogo para vencer por 2-4. Brilharam Pedro Vaz, que além de ter completado um “hat-trick”, “secou” por completo as movimentações de Luís Viana, e Marco Barros “Tuga” na baliza alvinegra que parou quase tudo o que havia para parar.

    Primeira parte com entrada forte das duas equipas, que mostraram ambas quererem o controlo do jogo em ataque organizado e conseguiram alguns momentos de “frisson” junto das balizas de Leonardo Pais e de Tuga. Ainda assim, foi já com mais de metade do primeiro tempo decorrido que surgiu o primeiro golo, numa transição rápida finalizada por Diogo Fernandes, que aproveitou uma defesa incompleta de Tuga a um remate seu para desviar à segunda e no ar no 1-0. A resposta turquelense foi imediata, já que no minuto seguinte Pedro Vaz disparou do meio-campo e Leonardo Pais foi batido pela floresta de pernas que tinha à sua frente no 1-1. Até ao intervalo destaque apenas para uma cartolina azul algo forçada, mostrado a Paulo Passos depois de um “mergulho” inequívoco de Luís Viana, ele que foi para a marca de livre direto, mas atrapalhou-se na execução do castigo e acabou desarmado por Tuga. Em Under Play a equipa sofreu mas conseguiu aguentar-se e levar o resultado para o descanso já com a igualdade numérica de atletas reposta.           

    No segundo tempo a Juventude, a jogar perante os seus adeptos, forçou ainda mais a pressão, usou e abusou do jogo direto para os desvios oportunos de Luís Viana e do irrequieto e incansável Diogo Fernandes e chegou à vantagem (2-1) depois de Francisco Silva entrar pela direita e stickar forte ao primeiro poste, com Tuga a não ver a bola partir e a ser batido. Com este tento a equipa da casa relaxou e pensou que poderia partir para outro resultado, mas o HCT não se desviou um milímetro da sua estratégia, continuou a defender de forma muito compacta, evitando os lances com contacto físico excessivo e de potencial ocorrência de faltas de equipa, conseguindo ao mesmo tempo contra-ataques venenosos que punham em sentido a equipa da casa. Foi numa dessas transições rápidas que Vasco Luís sofreu falta dura do veterano Nuno Félix, que viu-lhe ser admoestada a cartolina azul. O mesmo Vasco Luís, da marca do livre direto, não conseguiu bater Leonardo Pais, mas a jogar em Power Play Pedro Vaz soltou uma bomba que parece ter desviado em German Dates para fazer o 2-2. Os árbitros do encontro atribuíram o golo a Pedro Vaz, que assim “bisou” no encontro. Com esta igualdade, a partida passou por um período de estagnação, ambos os treinadores refrescaram as suas linhas e os visitados defenderam muitas vezes só com três elementos, com Luís Viana a ficar em posição mais avançada. A estratégia da equipa comandada por Pedro Sampaio fez com que o jogo perdesse ritmo e isso poderia ser prejudicial para os visitantes, que estavam mais frescos, em virtude do jogo desgastante realizado pelos vianenses para a Liga Europeia em casa frente ao Forte dei Marmi de Itália (vitória por 8-3) no passado sábado. Foi já perto do final que a igualdade se voltou a desfazer, num contra-ataque perfeito de 3x2, Daniel Matias descobriu Pedro Vaz solto na direita e este de primeira completou uma noite de sonho com o seu “hat-trick”, colocando os alvinegros pela primeira vez em vantagem (2-3). As emoções estavam ao rubro e logo a seguir, erro clamoroso do árbitro Florindo Cardoso que descortinou um toque de Tuga em Luís Viana, quando este apenas jogou a bola. Penalty que levou o especialista para a marca do castigo máximo, mas o “Zorro” estava em noite completamente sofrível e desinspirada e permitiu a defesa a um dos melhores homens em rinque, Marco Barros “Tuga”, que fez uma “estirada” incrível com a ponta do pé (foto ao lado). Esta foi a “pedra de toque” necessária para galvanizar ainda mais o grupo turquelense e até final houve gestão inteligente de posse de bola e afastamento de linhas ofensivas que permitiram conquistar um penalty que Vasco Luís converteu no 4-2, aniquilando por completo as aspirações visitadas. No final, triunfo fantástico e merecido para os de Turquel, por todo o empenho e qualidade demonstrados.    

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Desportivo Municipal de Monserrate – Viana do Castelo

    Dia/Hora: 21 de janeiro de 2015, às 21:30H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (15ª jornada)

    Árbitros: João Rodrigues (Minho), Florindo Cardoso (Minho) e Cláudia Rego (3º árbitro) (Minho)

    A. Juventude de Viana: [10] Leonardo Pais (GR), [6] Francisco “Chico” Silva (1), [22] André Centeno, [7] Diogo Fernandes (1), [44] Luís Viana “Zorro”, [75] Joel Coelho (C), [9] Nuno Félix e [2] Gustavo Lima. Não jogaram: [28] Jorge Correia (GR) e [47] Tiago Barbosa “Sapo”.

    Treinador: Pedro Sampaio

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz (3), [4] Daniel Matias, [9] Vasco Luís (1), [59] Paulo Passos, [3] German Dates e [8] André Luís (C). Não jogaram: [10] Eduardo “Edu” Leitão (GR), [47] Xavier Lourenço e [84] Pedro Batista.

    Treinador: João Simões

    Ao intervalo: 1-1

    Resultado Final: 2-4

    Grande jogo protagonizado pela equipa que viajou desde Turquel, sempre muito segura no plano defensivo e com os olhos sempre apontados à baliza do jovem Leonardo Pais. O rigor defensivo deu os seus frutos, impediu o melhor marcador do campeonato, Luís Viana, de marcar (só não o tinha feito em três ocasiões esta época), evitando as faltas de equipa e ainda permitindo contra-ataques venenosos que fulminaram uma equipa da casa muito pesada e em claro défice físico.

    No próximo sábado, 24 de Janeiro de 2015 pelas 21 horas, jogo grande em Turquel com os alvinegros a receberem o líder, S.L. Benfica, na Catedral do Hóquei em Patins português. Em dia do clube, com todos os adeptos a poderem adquirir o seu ingresso pelo preço unitário de 6€, o encontro é referente à 16ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª divisão e marca a temporada, esperando-se casa cheia. Na primeira volta na Luz, mais concretamente no Pavilhão Fidelidade, os encarnados venceram por 5-2, mas tiveram de “suar as estopinhas” para conseguirem três golos de diferença. Todos ao pavilhão para assistir a este grande espetáculo.

    Treinadores turquelenses assumem Seleção Distrital de Sub-15

    Os técnicos dos quadros do H.C. Turquel, Hélio Gonçalves e André Luís, são os novos selecionadores distritais de Hóquei em Patins, do escalão de Sub-15. Após alguma indefinição, os responsáveis pelo Hóquei em Patins da Associação de Patinagem de Leiria, na pessoa do Sr. Fernando Santos, decidiram pedir auxílio aos responsáveis da coordenação dos escalões jovens do HCT e, em consonância com esta, definiram o quadro técnico da Seleção Distrital para a época 2014-2015, com os dois treinadores turquelenses a serem os escolhidos, formando uma comissão técnica para “atacar” o Inter-Regiões de 2014/2015.

    Devido à indisponibilidade, por motivos pessoais e profissionais, do anterior selecionador, Gonçalo Santos, Hélio Gonçalves e André Luís dispuseram-se a ajudar a Associação ao qual o clube onde treinam está filiado. O técnicos, encontram-se ao serviço do H.C. Turquel, com as funções de treinador (Hélio Gonçalves) e coordenador (André Luís) e acumularão as funções de Seleccionadores Distritais.

    Em declarações à Plurisports, Hélio Gonçalves, afirmou que: “pelo facto de trabalhar há alguns anos no corpo técnico do Turquel com André Luís e até pelo facto de estarem em sintonia nos projectos que abraçam, esta foi uma opção fácil e do interesse tanto da Associação como de eles próprios”. Por seu lado, André Luís, quando questionado pelo HCT.pt sobre o trabalho que se poderá desenvolver disse que: “estamos um pouco limitados em termos de tempo, tendo em conta que as coisas se definiram muito em cima da competição, mas iremos preparar o Inter-Regiões, que se deverá realizar em meados de Março, com empenho e contando com a qualidade que existe. Temos um campo de recrutamento limitado e dos 30 a 40 atletas que podemos observar, de entre os nascidos em 2000, 2001 e eventualmente os com idade de Sub-13, que são os nascidos em 2002 e 2003, ninguém está excluído e nos primeiros treinos iremos fazer algumas observações, mas teremos de formar rapidamente uma base de entre 12 a 13 atletas e começar a criar automatismos. Contamos com o apoio dos treinadores dos clubes que trabalham diariamente com estes atletas e tudo faremos para estabelecer uma ponte informativa de qualidade com esses mesmos treinadores, de modo a diminuirmos o atraso que já temos na preparação, em comparação com outras seleções”.

    Ambos os técnicos poderão dar continuidade ao trabalho no Clube e alternarem os trabalhos na Selecção com os seus compromissos profissionais, fora do âmbito do Hóquei em Patins, e com o HC Turquel.

    O primeiro treino com a nova comissão técnica realizou-se na passada terça-feira, 20 de Janeiro de 2015 às 18:30h, no Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel, com a dupla de Seleccionadores a chamar para este apronto 16 atletas de vários Clubes filiados a esta associação, a saber:

    Licença Nº

    Nome

    Clube

    Posição

           

    61494

            Rui Miguel Antunes Subtil Rodrigues

    A. Alcobacense C.D.

    GR

    54122

    André Delgado Silva

    H.C. Turquel

    JR

    55831

    Tiago Pinheiro Lourenço

    H.C. Turquel

    JR

    65837

    Joel Pereira Columbano

    H.C. Turquel

    JR

    61149

    Gonçalo Almeida Duarte

    H.C. Turquel

    GR

    58902

    Gonçalo Mateus Santos

    H.C. Turquel

    JR

    59631

    Francisco José Marques Santos

    H.C. Turquel

    GR

    56810

    Daniel Alexandre Cordeiro Passos

    H.C. Turquel

    JR

    59704

    Tomás Almeida Santos

    BIR Valado dos Frades

    GR

    59264

    Ricardo Filipe Cordeiro Ruivo

    BIR Valado dos Frades

    JR

    64546

    André Pereira Santos

    C.R.C. “Os Águias”

    JR

    56914

    Igor José Silva Marques

    C.R.C. “Os Águias”

    JR

    60315

    Gonçalo Rodrigues Silva

    C.R.C. “Os Águias”

    JR

    56145

    Tiago Miguel Azevedo Mota Graça

    C.R.C. “Os Águias”

    GR

    59768

    Rúben Alexandre Vieira Henriques

    S.C. Marinhense

    JR

    63696

    Gonçalo Trindade Gaspar

    S.C. Marinhense

    JR

    Legenda: GR = Guarda-Redes; JR = Jogador de Rinque.

  • Bilhetes para o “HCT vs Benfica” já estão à venda

    Já estão à venda os bilhetes para o grande embate de Seniores Masculinos entre o H.C. Turquel e o S.L. Benfica, que se realiza neste Sábado, 24 de Janeiro de 2015 pelas 21 horas, no Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel. Este é a 3ª jornada da segunda volta e a 15ª ronda do Campeonato Nacional da 1ª divisão, sendo que no primeiro turno na Luz, os encarnados venceram os “brutos dos queixos” por 5-2.

    Devido à previsão de grande afluência às bancadas do anfiteatro turquelense, a direção do HCT, tal como em situações anteriores, já colocou à venda os bilhetes, para este encontro. Os ingressos estão disponíveis nos locais habituais, ou seja na secretaria do clube, nos dias úteis das 14h às 20h, e no HCTCafé, com o preço unitário para sócio ou não sócio de 6€.

    Garanta já o seu lugar naquele que é um dos maiores espetáculos do desporto em Portugal e não falte a mais esta chamada, apoiando a equipa sénior do HCT, pois todos juntos seremos muito mais fortes e poderemos reescrever história.

    Dominar e depois sofrer para poder consolidar posição

    Deslocação a Alverca na 9ª jornada do Campeonato Nacional Feminino – Zona Sul e triunfo difícil das turquelenses por 4-5. A equipa alvinegra esteve a vencer confortavelmente por 0-3 ao intervalo, aumentou a vantagem para 0-4 no início da etapa complementar, mas depois baixou a guarda e deixou-se surpreender por uma equipa da casa agressiva e que teve em Filipa Paiva (ex-HCT) o seu maior expoente na recuperação visitada até ao 4-4, ela que anotou um “hat-trick” e se destacou das demais. Ainda assim, um final de qualidade acabou por servir para marcar mais um golo e para a equipa alvinegra trazer três pontos importantes para Turquel e consolidar a posição na tabela classificativa, deixando o adversário a cinco pontos, numa partida em que a rotatividade imposta foi um factor positivo a reter.

    Primeiro tempo com domínio a todos os níveis por parte das visitantes, que mostraram argumentos de sobra para resolver a questão nos primeiros vinte minutos. Os golos de Margarida António, Lígia Oliveira e Mafalda Taveira acabaram por dar expressão ao marcador e colocar as “brutas dos queixos” a vencer ao intervalo por 0-3.

    No segundo tempo Mafalda Taveira “bisou”, ampliando a vantagem forasteira para 0-4 e pensou-se que tudo estaria decidido. Foi puro engano já que a equipa da “aldeia do hóquei” relaxou e facilitou processos, o Alverca reduziu para 1-4 por intermédio da alcobacense, Filipa Paiva, e uma cartolina azul a Margarida António deixou a equipa a jogar em Under Play durante dois minutos, mas aí a qualidade defensiva veio ao de cima e a equipa não sofreu golo. Contudo, o Alverca não baixou os braços, Filipa Paiva completou o seu “hat-trick” e Irina Melício marcou também ela um tento para, surpreendentemente, deixar o jogo empatado a quatro bolas a poucos minutos do fim. Ainda assim, houve ainda tempo para Inês Vicente, já quase dentro do último minuto do encontro, desfazer a igualdade e garantir um importante triunfo para as de Turquel, que mostraram qualidade, displicência mas também muita alma.     

    No próximo Domingo, dia 25 de janeiro de 2015, pelas 17 horas, completa-se a 10ª jornada, com o HCT a receber no seu reduto a jovem equipa da A.J. Salesiana, que se encontra fora dos lugares de apuramento para a 2ª fase da prova, na quinta posição com menos oito pontos do que as turquelenses. Uma vitória das comandadas de Hélder Coelho deixa a passagem para a fase de apuramento de campeão à distância de apenas um ponto, a conquistar em quatro jogos que faltarão disputar até ao fim do campeonato no fim deste embate. Na primeira volta, no Estoril, o HCT venceu inequivocamente por 1-7, naquela que foi uma das melhores exibições coletivas do campeonato

  • Renasce projeto em Évora com a ajuda da família HCT

    Em pleno Alentejo central, mais precisamente num dos clubes da cidade de Évora, o Grupo Desportivo Diana, renasce agora um projeto no hóquei em patins comandado pelo turquelense e ex-atleta do nosso clube, o Dr. Manuel Guerra, filho do malogrado Dr. Joaquim Guerra, ele que é coadjuvado, entre outros, pelo antigo jogador do clube eborense, Gonçalo Tavares. Inicialmente o Dr. Manuel Guerra tinha a colaboração do seu filho Francisco Guerra, que treinava os Juniores do clube e que recentemente viria a falecer num acidente de aviação.

    Nesta altura, o turquelense Manuel Guerra, comanda uma mescla de atletas de diferentes escalões etários, com idades compreendidas entre os 8 e os 11 anos, sendo que as condições de trabalho são algo deficitárias, pois a oferta desportiva na cidade é grande e os entraves em termos de horários de treino nos pavilhões camarários também são um obstáculo. O trabalho tem sido realizado com um grupo de cerca de 20 atletas que começaram a patinar à relativamente pouco tempo e que treina apenas ao Domingo, num rinque reduzido e sem cobertura, situado em casa do próprio Dr. Manuel Guerra, que apesar de tudo serve os efeitos pretendidos.

    No passado dia 27 de dezembro de 2014 o HCT associou-se ao desenvolvimento destes jovens atletas de Évora e a equipa de Escolares, H.C. Turquel “B”, apadrinhou o primeiro jogo dos eborenses fora do contexto de treino. O encontro disputou-se às 11 horas em Turquel e o resultado final foi o menos importante, num dia em que a alegria contagiante na cara de um grupo de miúdos que pela primeira vez defrontou um adversário foi o que mais sobressaíu.

    Parabéns a todos por esta iniciativa e este intercâmbio, ficando uma palavra de apreço e de força ao Grupo Desportivo Diana, para que possa prosseguir o seu caminho numa modalidade tão fantástica como o hóquei em patins.

    Empate fugiu nos últimos segundos

    Início da segunda volta e oportunidade para o HCT, a jogar em casa, conseguir igualar a equipa do Stuart Massamá em pontos no segundo lugar da tabela classificativa, tendo a ambição de vencer por dois golos de diferença e assim ficar à frente do seu adversário. No entanto, as coisas não correram como desejado nesta 8ª jornada do Campeonato Nacional Feminino – Zona Sul. Uma primeira parte algo amorfa, seguida de uma boa resposta no segundo tempo, acabaram por não chegar para vencer e nem sequer empatar, já que as de Massamá chegaram à vitória (2-3) já nos segundos finais de jogo.

    Primeiro tempo com a equipa comandada por Hélder Coelho a mostrar dificuldades em parar o ritmo alto das adversárias. Houve algum desnorte e nervosismo por parte das atletas do HCT e isso refletiu-se no golo sofrido, da autoria da “Bombardeira” Rita Dias. Este golo não obteve resposta imediata e ao intervalo o resultado era de 0-1.

    Na segunda metade as “brutas dos queixos” entraram muito fortes e determinadas a vencer um jogo que estava ao seu alcance, mostraram superioridade e vontade em reverter a situação mas, contra a corrente do jogo, foram as visitantes que acabaram mesmo por ampliar para 0-2, por intermédio de Tânia Freire “Pulga”. Após o segundo tento da equipa comandada por Cristiano Agulhas, as visitadas subiram ainda mais as suas linhas defensivas, e foram com tudo para cima do adversário. Essa pressão deu os seus frutos já que trouxe o empate, primeiro com um golo de Mafalda Taveira e depois com um outro de Inês Vicente. Estava consumada a igualdade a duas bolas e tudo era possível com pouco tempo para jogar. Na ânsia de querer chegar à vitória, a equipa turquelense perdeu uma bola comprometedora a meio campo e Rita Dias isolada não perdoou, fixando o 2-3 final a apenas 13 segundos do término do encontro. Um verdadeiro balde de água fria para as da casa, que, por tudo o que fizeram no segundo tempo, mereciam pelo menos a igualdade.     

    No próximo Domingo, dia 18 de janeiro de 2015, pelas 18 horas, o HCT desloca-se até ao difícil reduto do Alverca. As ribatejanas estão em posição de apuramento, no quarto posto, a apenas dois pontos das turquelenses que são terceiras classificadas. Na primeira volta em Turquel o HCT venceu por 4-1, num jogo em que a diferença de três golos não espelha as dificuldades sentidas. Uma vitória alvinegra será importante para marcar posição e colocar cinco pontos de vantagem sobre este adversário direto.

  • “Barreira” intransponível frente ao último classificado

    No primeiro jogo fora de portas do novo ano, a equipa do H.C. Turquel deslocou-se até casa do último classificado a A.D. Sanjoanense, à partida para esta 14ª jornada, que apenas tinha uma vitória na prova, precisamente no seu último jogo em casa frente ao Sporting por 2-1. Apesar dos sinais de retoma, a equipa da Sanjoanense tinha perdido por concludentes 6-0 na Póvoa frente a um adversário direto na derradeira jornada e chegou a este jogo “sobre brasas”. O HCT por seu turno entrou bem no jogo, esteve sempre na frente, apesar de ter consentido empates a uma e duas bolas, mas chegou ao intervalo a vencer por 2-3 e com a convicção acertada de ter feito um bom período de jogo. O pior veio mesmo no segundo tempo, a formação orientada por João Simões acomodou-se, permitiu muitas transições e perdeu a compostura com as decisões a seu desfavor por parte dos árbitros da partida, que não tiveram estofo para um encontro com muito público nas bancadas. A juntar a tudo isso a equipa de Turquel foi pouco dinâmica em ataque e não conseguiu suster as inúmeras bolas paradas favoráveis aos da casa, que em seis oportunidades marcaram quatro e um nome foi expoente máximo nessas situações, o artilheiro “Chico” Barreira marcou quatro golos de bola parada, anotando outro de bola corrida e fez uma exibição para mais tarde recordar na vitória da sua equipa por concludentes 7-4 frente aos alvinegros.

    Primeiro tempo com entrada decidida dos turquelenses que inauguraram o marcador logo aos três minutos numa transição rápida que Daniel Matias conduziu e finalizou, com remate cruzado vindo da direita. A resposta dos da casa foi célere, já que dois minutos depois o árbitro Cidalino Lamosa descortinou um penalty de Tuga sobre um contrário e Chico Barreira bateu Edu Leitão no 1-1, dando início a um fim de tarde de sonho no capítulo da finalização. A partida estava intensa e em modo de parada e resposta e, dois minutos após o empate, Pedro Vaz fez a diferença com um remate potente e muito colocado ao ângulo superior esquerdo da baliza de Marco Lopes, desfazendo novamente a igualdade. Intenso e com grande sentido de baliza por parte das duas equipas o jogo estava aprazível para a vista e cinco minutos depois do golo de Vaz a equipa da casa voltou a igualar, com o “suspeito do costume”, Chico Barreira a levantar o pavilhão com uma jogada individual magistral, “bisando” no encontro e marcando o seu único golo de bola corrida deste início de noite. A partida sofreu então um período de estagnação, no que a golos diz respeito, e só nos últimos segundos do primeiro tempo, num contra ataque fabuloso, é que o HCT conseguiu desfazer novamente a igualdade, depois de Xavier Lourenço lançar longo para Passos e este assistir de primeira Vasco Luís que só teve de encostar ao segundo poste, de forma fácil, para levar os turquelenses em vantagem (2-3) para os balneários.      

    Na etapa complementar houve má entrada por parte da equipa comandada por João Simões que facilitou a vida a uma equipa da casa aflita na tabela classificativa e a precisar de pontos como de “pão para a boca”. Logo aos cinco minutos, num lance que iniciou um período de cerca de sete minutos de completo desnorte dos alvinegros, Daniel Homem surgiu solto na esquerda e desferiu um remate cruzado batendo Tuga e fazendo o 3-3. Dois minutos depois surgiu a 10ª falta de equipa do HCT e Chico Barreira, na conversão do respetivo livre direto, completou o seu “hat trick” com remate forte e colocado, fazendo o 4-3. Volvidos mais dois minutos, novo penalty favorável aos da casa, que levou Chico Barreira novamente para a marca do castigo máximo e o artilheiro sanjoanense não se fez rogado, bateu Tuga e completou o seu “póker”, para delírio dos muitos adeptos que compuseram o Pavilhão dos Desportos em São João da Madeira. Para agravar ainda mais a situação dos de Turquel, três minutos depois, num ataque rápido muito bem finalizado, Afonso Santos enrolou a bola junto às pernas de Pedro Vaz e Tuga foi novamente ultrpassado no 6-3. Em pouco tempo e depois de ter vindo do intervalo, a equipa da “Aldeia do Hóquei” passou de uma situação de vencedora para uma situação de perdedora por três bolas de diferença. Com este desnível, bem expresso no marcador, a equipa como que acordou e tentou reagir, mas veio tarde demais e nesta fase do jogo todas as decisões da equipa da arbitragem pareciam dúbias. O técnico João Simões viu azul por protestos e deixou a equipa a jogar com menos um durante algum tempo, mas os atletas tiveram brio e conseguiram reduzir com menos um elemento em rinque, depois de Vasco Luís “bisar” no livre direto da 10ª falta de equipa dos visitados. De forma quase sequencial os “brutos dos queixos” tiveram oportunidade para empatar, mas Xavier Lourenço primeiro e Vasco Luís depois, não conseguiram transformar em golo duas penalidades de que dispuseram. No segundo penalty a polémica apareceu depois de Vasco Luís ter introduzido a bola na baliza de Marco Lopes e o árbitro Paulo Baião ter mandado repetir por supostamente não ter dado indicação para a execução. O que é facto é que os penaltys não entraram e logo depois German Dates viu cartolina azul por uma falta algo duvidosa. Na conversão Chico Barreira desperdiçou a sua única bola parada do jogo e logo em seguida caiu a 15ª falta de equipa do HCT. Desta vez, Daniel Homem, chamado à conversão do livre direto, também não conseguiu bater Tuga. O jogo encaminhava-se rapidamente para o fim, mas nos últimos segundos tempo ainda para mais dois azuis para os forasteiros, um para Xavier Lourenço e outro para Tuga, ambos por derrubes a adversários. Um deles foi mostrado com o jogo em andamento, o que fez com que Chico Barreira voltasse à marca do livre direto. Aí, em novo frente a frente com Edu Leitão, o avançado da Sanjoanense voltou a levar a melhor, coroando a sua excelente exibição com cinco golos, fazendo o 7-4 final e levando ao delírio os adeptos da casa.   

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão dos Desportos – São João da Madeira

    Dia/Hora: 10 de janeiro de 2015, às 18H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2014/15 (14ª jornada)

    Árbitros: Paulo Baião (Lisboa), Cidalino Lamosa (Setúbal) e Paulo Oliveira (3º árbitro) (Aveiro)

    A.D. Sanjoanense: [10] Marco Lopes (GR), [7] Tiago Ferraz, [9] Pedro Cerqueira, [96] Francisco “Chico” Barreira (5), [5] João Oliveira (C), [24] David Nogueira (GR), [4] Daniel Homem (1) e [85] Afonso Santos (1). Não jogaram: [6] Roberto Ribeiro e [12] António “Tó” Leal.

    Treinador: Vítor Pereira

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz (1), [4] Daniel Matias (1), [9] Vasco Luís (2), [3] German Dates, [10] Eduardo “Edu” Leitão (GR), [59] Paulo Passos e [47] Xavier Lourenço. Não jogaram: [8] André Luís (C) e [84] Pedro Batista.

    Treinador: João Simões

    Ao intervalo: 2-3

    Resultado Final: 7-4

    Depois de terem entrado bem no jogo e de terem rubricado um bom primeiro tempo, os “brutos dos queixos” parece que “ficaram no balneário” no início do segundo tempo e permitiram quatro golos sem resposta aos visitados. A perder por três bolas a equipa acordou, mas não conseguiu parar um Chico Barreira endiabrado, não evitou cometer dezanove faltas de equipa e não conseguiu contornar uma tripla de arbitragem que acumulou erros grosseiros, que tiveram alguma influência no desenrolar dos acontecimentos, tendo mesmo estado o cronómetro a “andar” durante quase 30 segundos, quando o jogo tinha sido interrompido e se encontrava parado. Tudo isto nas “barbas” do 3º árbitro, Paulo Oliveira de Aveiro.           

    No próximo fim de semana, o HCT tem uma pequena folga, devido aos compromissos europeus do seu adversário, e só volta a entrar em ação na próxima quarta-feira, dia 21 de janeiro de 2015 pelas 21 horas, na longa deslocação até Viana do Castelo para defrontar a Juventude local. O jogo a meio da semana e a viagem difícil serão um obstáculo difícil de transpor, mas que é comum para os nossos atletas e o adversário, apesar de estar a fazer um campeonato bem mais modesto que no ano passado, conta nas suas fileiras com Luís Viana, o melhor marcador do campeonato. O “Zorro”, como é apelidado no mundo hoquístico, já leva a incrível soma de 40 golos marcados em apenas 14 jogos disputados e só não faturou em uma das jornadas realizadas. Na primeira volta as duas equipas defrontaram-se em Turquel e a vitória sorriu aos turquelenses por 8-7, num jogo de loucos em que o HCT chegou a estar a perder por quatro bolas (1-5), deu a volta para 8-5 e depois ainda deixou os vianenses aproximarem-se até ao 8-7 final, com Luís Viana a anotar 6 tentos nesse encontro. Grande jogo em perspetiva este de Viana do Castelo.

    Domar Lobinhos sem tremer

    Novo ano com o regresso do Campeonato Nacional Feminino – Zona Sul, após a brilhante conquista do Campeonato da Europa de Clubes de Sub-17, na qual a grande maioria das atletas da equipa Sénior Feminina do H.C. Turquel esteve envolvida. Receção ao G.D.R. Lobinhos na 7ª jornada e vitória por números concludentes (5-0) que não demonstram as dificuldades sentidas para conseguir uma margem confortável no marcador.

    Primeira metade que já se esperava dividida e com o Lobinhos a tentar contrariar o maior favoritismo da equipa da casa. A formação de Vale de Lobos, orientada por Carlos Pantana, entrou decidida a colocar dificuldades às alvinegras que mais uma vez mostraram consistência defensiva e algum instinto matador. Com a moral em alta depois da conquista recente, Margarida António inaugurou o marcador e Inês Vicente ampliou para colocarem o resultado ao intervalo em 2-0 favorável às anfitriãs.

    No segundo tempo o HCT entrou com a ideia de somar mais alguns golos ao marcador para poder ganhar uma margem que lhe permitisse gerir o jogo de forma mais tranquila, mas as visitantes baixaram o bloco e criaram alguns calafrios junto da baliza turquelense. Foi só nos minutos finais que tudo ficou resolvido. A jovem Margarida António mostrou “stick quente” e marcou por duas vezes quase consecutivas, completando o seu “hat trick” e deixando a equipa adversária com pouco tempo para reagir. No entanto Lígia Oliveira viu-lhe ser admoestada uma cartolina azul pelo árbitro da partida, Vítor Roxo (Leiria), e houve hipótese para que Catarina Coelho “Bunny” pudesse reduzir, mas Cláudia Vicente não permitiu a conversão do livre direto em golo. Até ao fim mais um tento de Inês Vicente trouxe-lhe o seu “bis” e fixou o resultado em 5-0 favorável às “brutas dos queixos”.     

    No próximo Sábado, dia 10 de janeiro de 2015, pelas 21 horas, o HCT começa a segunda volta com um teste de fogo em casa, recebendo a equipa do Stuart Massamá na 8ª jornada. A formação do concelho de Sintra encontra-se na segunda posição da tabela classificativa, três pontos acima do HCT, e uma vitória por dois golos de diferença poderá levar as turquelenses a igualar em pontos, mas a ficar em vantagem no confronto direto, dado que na 1ª jornada da primeira volta as duas equipas defrontaram-se em Massamá e a vitória sorriu às da casa apenas por um golo de diferença (4-3). A não perder!

  • Atingir os quartos sem tremer

    Após uma derrota concludente no Dragão Caixa frente ao F.C. Porto por 8-0, deslocação a Sesimbra em jogo a contar para os oitavos-de-final da Taça de Portugal e a equipa do HCT a poder consumar um dos objetivos da temporada, que é o de chegar b
  • Sem reação

    Deslocação ao Porto a meio da semana com alguns atletas do HCT a terem de abdicar o seu dia de trabalho para poderem jogar a 21ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª divisão. Embate que se antevia muito difícil e que teve um início bastante po
  • Assembleia Geral aproxima-se…a presença dos sócios é fundamental!

    É já na próxima sexta-feira, dia 20 de março de 2015, às 21 horas, que se realiza a Assembleia Geral do H.C. Turquel para a aprovação das contas do ano fiscal de 2014 e para tratar de outros assuntos relacionados com o quotidiano do clube. A p
pub1.png

Seniores

Atingir os quartos sem tremer

Atingir os quartos sem tremer

Seniores Masculinos
16-03-2015
Sem reação

Sem reação

Seniores Masculinos
12-03-2015
Resultado supera a exibição

Resultado supera a exibição

Seniores Masculinos
03-03-2015
Iniciar fase final de forma brilhante

Iniciar fase final de forma brilhante

Seniores Femininos
02-03-2015
Leões foram mais fortes

Leões foram mais fortes

Seniores Masculinos
24-02-2015

.

Localização

Contactos

Telefone: 262919 244

email: secretaria@hct.pt

web: www.hct.pt