Breves

  • Vitória categórica no Pico garante Europa e Elite Cup

    Jogo decisivo para Candelária e Turquel nos Açores, mais precisamente na Ilha do Pico, em jogo a contar para a 26ª e derradeira jornada do Campeonato Nacional da 1ª Divisão. Só uma vitória em terras picarotas e uma derrota do Tomar em Valença garantiria à equipa de João Simões o oitavo posto e o apuramento para a Taça CERS e para a Elite Cup. Quanto aos da casa, apenas um triunfo e a conjugação de outros dois resultados (derrota do Riba d’Ave e perca de pontos do Valença) poderia garantir a manutenção à equipa comandada pelo treinador/jogador, Tiago Resende, ele que terminou a carreira neste jogo. A entrada na partida foi dinâmica e mandona por parte dos visitantes, colocando o adversário em sentido. O HCT adiantou-se no marcador, permitiu o empate, mas saiu para o intervalo com uma vantagem de 1-3 que lhe permitiu gerir o segundo tempo com propriedade, defendendo a contento e contra atacando de forma mortífera, conseguindo mais três tentos nesse capítulo do jogo, contra apenas um do adversário, até ao 2-6 final. Os irrequietos Daniel Matias e Luís Silva, com um “bis” cada um, foram os elementos em maior destaque nos alvinegros, naquela que foi uma das melhores exibições da temporada, na melhor altura possível, dado que o Tomar perdeu mesmo em Valença (5-0) e o HCT garantiu mesmo o que pretendia.

    Início de jogo marcado pela intensidade e também pelo pragmatismo alvinegro que logo aos dois minutos inaugurou o marcador num contra-ataque de 4x3, com Daniel Matias a conduzir e a “disparar” um míssil que só parou no fundo da baliza de Diogo Rodrigues “Matraco”. O Candelária, a necessitar desesperadamente da vitória, acabou por reagir e conseguiu igualar através de um penalty superiormente convertido por Tiago Resende (33 anos), naquele que pode ter sido o último golo da carreira do capitão e treinador do Candelária (despediu-se visivelmente emocionado no final do jogo). O 1-1 colocou “água na fervura” e ambos os conjuntos começaram a arriscar apenas e só pela certa. A oito minutos do intervalo Xanoca derrubou Pedro Afonso de forma involuntária, mas o camisola 79 turquelense, a realizar o seu último encontro de alvinegro ao peito, não se livrou da cartolina azul. O livre direto acabou por não dar em nada pois Tuga parou a tentativa de Pedro Afonso e os visitados acabaram por pagar bem caro o desperdício quatro minutos depois, com Vasco Luís a desviar uma excelente assistência de Pedro Vaz, num lance de laboratório, perfeitamente executado que deu o 1-2. À beira do intervalo Xanoca foi derrubado de forma ostensiva quando se ia isolar perante Matraco e o árbitro minhoto, Florindo Cardoso, apontou para a marca de livre direto, mesmo sem mostrar a cartolina azul ao jogador da casa. Chamado à responsabilidade de tentar converter o livre direto, Janeka não vacilou e “quebrou os rins” ao guardião contrário, dando uma “almofada de conforto” (1-3) aos visitantes na ida para os balneários.        

    Na etapa complementar o Candelária “agarrou-se” à réstia de esperança que tinha para se poder manter na 1ª Divisão, mas caiu na tentação de subir em demasia as suas linhas e expôs-se de forma perigosa, sendo que aos sete minutos sofreu o 1-4, depois de Daniel Matias finalizar um contra-ataque de 3x2, com assistência do capitão Vasco Luís. Ainda assim, os da casa conseguiram reagir de forma positiva e um minuto depois André Moreira (futuro reforço do HCT), num lance de insistência junto da baliza de Tuga, reduziu para 2-4, sendo que Pedro Vaz viu a cartolina azul por protestos na sequência de um lance que parece ter sido precedido de falta de Moreira sobre Tuga. A jogar em inferioridade numérica durante dois minutos os turquelenses tiveram um verdadeiro teste à sua resistência e responderam de forma positiva, tapando todos os caminhos para a sua baliza e resistindo à enormepressão dos picarotos. A doze minutos do fim do jogo os da “aldeia do hóquei” deram a “machadada final” no jogo e no adversário (derrota despromovia automaticamente o Candelária à 2ª Divisão), com Luís Silva a receber um passe de Vasco Luís desde a direita do ataque e a encarar Matraco para fazer o 2-5. Um minuto depois as diferenças acentuaram-se e os protagonistas foram os mesmos, já que Luís Silva surgiu de novo na cara de Matraco e voltou a não perdoar, “bisando” e fixando o resultado no 2-6 com que se haveria de chegar ao fim do encontro e que confirmou a descida do Candelária e a subida do HCT ao oitavo lugar, fruto da derrota do Tomar em Valença por 5-0. No final do jogo destaque para a despedida emocionada do capitão e treinador dos insulares, Tiago Resende, ele que se formou no C.D. Paço d’Arcos, sendo contemporâneo de Tuga no clube da linha e que no final deste encontro disse adeus à modalidade enquanto atleta, num ano em que completa 33 anos de idade. O estilo e a conduta de Resende deixarão saudades pela forma de estar e pela qualidade demonstrada ao longo dos anos. Bem-haja!

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo da Candelária – Ilha do Pico, Açores

    Dia/Hora: 17 de junho de 2017, às 17H locais (18H em Portugal Continental)

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2016/17 (26ª jornada)

    Árbitros: Florindo Cardoso (Minho), Rui Martins (Ponta Delgada) e José Pereira (3º árbitro) (Pico)

    Candelária S.C.: [10] Diogo Rodrigues “Matraco” (GR), [3] Tiago Resende (C) (1), [23] Pedro Afonso, [6] João Vieira “Johe”, [8] Alan Fernandes, [7] André Moreira (1), [5] Márcio Nunes e [20] Edgar Pereira “Piló”. Não jogaram: [11] Milton Jorge (GR) e [9] Paulo Pereira.

    Treinador/Jogador: Tiago Resende

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [4] Daniel Matias (2), [22] Luís Silva (2), [9] Vasco Luís (C) (1), [79] Alexandre Marques “Xanoca”, [53] Pedro Vaz, [24] André Pimenta e [57] João Silva “Janeka”. Não jogaram: [10] Samuel Santos (GR) e [58] Tiago Mateus.

    Treinador: João Simões

    Faltas de Equipa: 7-13

    Disciplina: Cartão Azul a [79] Alexandre Marques “Xanoca” (HCT) e [53] Pedro Vaz (HCT).

    Resultado ao intervalo: 1-3

    Resultado Final: 2-6

    A época 2016/2017 terminou para os alvinegros e apesar de reconhecidamente os comandados de João Simões terem rubricado uma temporada menos conseguida, a equipa turquelense conseguiu chegar ao oitavo lugar no Campeonato Nacional da 1ª Divisão, foi eliminada pelo S.L. Benfica no “golo de ouro” em casa para a Taça de Portugal e caiu às portas da Final Four da Taça CERS com nova derrota em “golo de ouro” frente aos italianos do CARISPEZIA Hockey Sarzana. Ainda assim, a sua prestação acabou por chegar para garantir o acesso direto à Taça CERS e também ao prestigiado torneio de pré-época, “Elite Cup”, que este ano se realiza no início de outubro, e que reúne os oito primeiros classificados do campeonato anterior.

    Na próxima temporada, com o novo técnico Jorge Godinho aos comandos da “nau alvinegra”, espera-se uma época igualmente difícil, mas também se deseja que a equipa possa “navegar por mares bem mais tranquilos” do que os “velejados” ao longo deste ano.

    Plantel turquelense para 2017/2018 está fechado

    A direção do Hóquei Clube de Turquel, em consonância com a equipa técnica, vêm por este meio comunicar que o plantel de Seniores Masculinos do clube para a temporada 2017/18 está fechado, congratulando-se com a continuidade de 90% dos atletas que integraram o grupo em 2016/17. As únicas duas alterações efetuadas na estrutura da equipa sénior prendem-se com a chegada de André Moreira (ex-Candelária S.C.), ele que substituirá de forma direta Alexandre Marques “Xanoca” (ruma ao S.C. Tomar/IPT), e também com a saída do técnico João Simões, para a entrada de Jorge Godinho (ex-C.D. Paço de Arcos).  

    Com a chegada do reforço André Moreira, e com as renovações de Marco Barros “Tuga” (Guarda-Redes), Pedro Vaz, Vasco Luís, Luís Silva, André Pimenta, Tiago Mateus (ainda com idade de júnior), Samuel Santos (Guarda-Redes), João Silva “Janeka” e Daniel Matias, o plantel alvinegro para a temporada 2017/18 encontra-se completo e o novo técnico turquelense, Jorge Godinho, terá uma boa base de trabalho de continuidade no que diz respeito à época que agora finda. O treinador que provém do C.D. Paço d’Arcos será coadjuvado por André Luís e pelo Fisioterapeuta João Guerra, que se mantêm da equipa técnica anterior. De referir ainda que o apoio direto dos atletas da equipa de Sub-20 será também vital para o bom funcionamento da “máquina turquelense”.

    Relação de nomes e dorsais dos Seniores Masculinos do H.C. Turquel, época 2017/2018:

    [4] Daniel Matias

    [7] André Moreira (ex-Candelária S.C.)

    [9] Vasco Luís (C)

    [10] Samuel Santos (GR)

    [13] Marco Barros “Tuga” (GR)

    [22] Luís Silva

    [24] André Pimenta

    [53] Pedro Vaz

    [57] João Silva “Janeka”

    [58] Tiago Mateus

    Treinador: Jorge Godinho

    Treinador Adjunto: André Luís

    Fisioterapeuta: João Guerra

     

    O HCT.pt deseja a todos os atletas e staff uma excelente temporada, sendo que mais pormenores sobre a pré-época e o início da competição serão definidos e revelados em breve.

    Foto: HCT.pt

  • Lucas Santos convocado para estágio final da Seleção Nacional de Sub-17

    O atleta do escalão de Sub-15 do H.C. Turquel, Lucas Honório Santos, foi chamado para integrar o “Estágio Final” da Seleção Nacional de Sub-17 de Hóquei em Patins, que se realiza na vila do Luso em meados de julho.

    Este Centro de Treinos da referida Seleção Nacional realiza-se nos dias 11 e 14 de julho de 2017 e visa a preparação da mesma para o Campeonato da Europa do escalão que se realiza em Fanano (Itália) entre os dias 30 de julho e 5 de agosto de 2017. Portugal integra o Grupo B, defrontando as congéneres da Áustria (30/07), Suíça (31/07), Andorra (02/08) e França (03/08). A Espanha, atual campeã europeia do escalão, encabeça o Grupo A, onde estão também Alemanha, Itália, Inglaterra e Israel.

    No escalonamento para os trabalhos do estágio final de Sub-17 o selecionador nacional, Nuno Ferrão, escolheu doze atletas, provenientes de diversos clubes de diferentes pontos do país, que irão esgrimir argumentos para poderem ser opção nos dez finais no final de julho.

    Confira em baixo os doze atletas convocados, bem como a sua proveniência:

    Futebol Clube do Porto (AP Porto)

    Alejandro Castro Edo (Gr)

    José Miguel de Almeida Gonçalves

    Rafael António Lopes Machado Pacheco (Gr)

    Miguel Alexandre Félix Afonso

    Sporting Clube de Portugal (AP Lisboa)

    Gustavo Baptista Pato

    Associação Desportiva de Valongo (AP Porto)

    Diogo José Araújo Abreu

    João Pedro Hora Marques Maio Pereira

    Diogo Miguel Silva Barata

    Tiago Filipe Sousa Freitas (GR)

    Sport Lisboa e Benfica (AP Lisboa)

    Miguel do Vale Sarreira Fortunato

    Hóquei Clube de Turquel (AP Leiria)

    Lucas Honório Santos

    Hóquei Clube de Braga (AP Minho)

    Rodrigo José de Amorim Martins

    Foto: Federação de Patinagem de Portugal

    André Moreira é reforço turquelense para 2017/2018

    A direção do Hóquei Clube de Turquel e o experiente jogador André Moreira (ex-Candelária S.C.) chegaram a acordo para que o atleta, natural de Vila Franca de Xira, seja reforço dos Seniores Masculinos alvinegros na temporada 2017/18. O HCT.pt tem o exclusivo da formalização do acordo com um atleta que é uma aquisição de peso para suprir a saída de Xanoca para o S.C. Tomar/IPT. Formado no histórico U.D. Vilafranquense, cedo deu nas vistas até se tornar uma referência dos escalões de formação do C.D. Paço d’Arcos no início dos anos 2000, altura em que o clube da linha era a referência nacional em termos de formação de jovens jogadores. Acumulou títulos nas camadas jovens e mais alguns nos Seniores, tendo passado por vários clubes no seu percurso até agora, com destaque para as duas épocas completas passadas no Sporting C.P. (2013/14 e 2014/15).

    O experiente avançado conhece o sétimo clube na sua carreira, mas o seu currículo (ver em baixo) fala por si, sendo um atleta habituado a lutar por grandes objetivos, desde tenra idade, tanto nas diversas agremiações por onde passou, como também nas Seleções Nacionais. Moreira é um jogador que se caracteriza pelo empenho e pela qualidade técnica apurada, principalmente no último terço do rinque, sendo um atleta com excelente instinto junto da baliza adversária e com uma compleição física assinalável, apesar de não ser muito alto. A conquista da Taça CERS pelo Sporting C.P. em 2014/15 foi o feito de maior relevo da carreira de um atleta muito experimentado, que jogou sempre ao um nível alto em Portugal.

    Na temporada que agora finda André Moreira mostrou aquilo que já se sabia dele, pois mesmo não sendo um goleador nato, o vilafranquense marcou 18 golos em 26 jogos no Campeonato Nacional da 1ª Divisão ao serviço da equipa açoriana do Candelária S.C., tendo sido o melhor marcador de uma equipa que desceu à 2ª Divisão Nacional. O camisola sete dos picarotos foi 28º goleador da competição, com 11 golos a menos que o melhor marcador do Turquel, o capitão Vasco Luís, que somou 29 tentos e que ficou no top ten nacional.

    Está a chegar um reforço de peso para o novo técnico alvinegro, Jorge Godinho, poder potenciar, sendo que nos próximos dias a direção do clube conta ter o plantel fechado e mais novidades serão divulgadas nos próximos tempos.

    Conheça, “à lupa”, a nova contratação alvinegra para a temporada 2017/2018:

     QUEM É QUEM?

    Nome Completo: ANDRÉ Fernandes MOREIRA

    BI: Vila Franca de Xira (Portugal), 03-06-1984, 33 anos, 1,70 m, 71 kg

    Posição: Avançado

    Clubes: U.D. Vilafranquense [até aos Sub-15] (de 1990 a 1999), C.D. Paço d’ Arcos [Sub-17] (1999/00 e 2000/01), C.D. Paço d’Arcos [Sub-20] (2001/02 e 2002/03), C.D. Porto Santo SAD [1ª Divisão] (2003/04 [ainda com idade de júnior], 2004/05, 2005/06, 2006/07, 2007/08, 2008/09), Candelária S.C. [1ª Divisão] (2009/2010), G.D.S. Cascais [1ª Divisão] (2010/11), C.D. Paço d’Arcos [1ª Divisão] (2011/12 e 2012/13), Sporting C.P. [1ª Divisão] (2013/2014, 2014/15 e 2015/16 [fez apenas um jogo e rumou ao Candelária]), Candelária S.C. (2015/16 e 2016/17) H.C. Turquel [1ª Divisão] (em 2017/18)

    Seleções Nacionais:

    Sub-20 (2002) [Europeu de Follonica, Itália | 3º Lugar | 6 Int. 5 Golos],

    Sub-20 (2003) [Europeu de Vale de Cambra, Portugal | 1º Lugar | 6 Int. 4 Golos],

    Seniores (2005) [Taça das Nações de Montreux, Suíça | 2º Lugar | 4 Int. 1 Golo],

    Seniores (2006) [23ª Taça Latina em Viareggio, Itália | 2º Lugar | 3 Int. 0 Golos] 

    Estreia na 1ª Divisão: Porto Santo SAD (2003/04)

    Feitos relevantes - Clubes

    U.D. Vilafranquense
    1996/97 Campeão Nacional de Sub-13

     

    C.D. Paço d’Arcos

    2000/01 Campeão Nacional de Sub-17

    2001/02 Campeão Nacional de Sub-20

     

    Sporting C.P.

    2014/15 Vencedor da Taça CERS

    2014/15 Vencedor da Supertaça António Livramento

     

    Feitos relevantes - Seleções

    Portugal
    2003 Campeão da Europa de Sub-20 em Vale de Cambra (Portugal)

     

    Contrato: Até Julho de 2018

    Fotos: Paulo Bértolo & Carmo Honório

     

     

  • Derrota inesperada complica contas

    Após uma vitória importante em Tomar (2-5) que, conjugada com outros resultados, garantiu matematicamente a manutenção na 1ª Divisão, o HCT recebeu uma equipa em grandes dificuldades na tabela classificativa, o Valença H.C., que só com uma vitória na aldeia do hóquei poderia manter-se na luta pela manutenção. O jogo teve um início que indiciava uma vitória confortável por parte dos da casa (antes dos dez minutos já venciam por 2-0), mas os visitantes agarraram-se à réstia de esperança de se salvarem e conseguiram equilibrar as contas para chegarem ao intervalo a perder por apenas uma bola (3-2). A entrada no segundo tempo levou o jogo para uma toada de parada e resposta e o Valença saiu a ganhar com isso. A equipa de Orlando Graça teve a sorte do jogo e chegou à vantagem pela primeira vez no encontro a 4-5. O HCT ainda empatou a cinco bolas, mas o veterano Luís Viana emergiu nos minutos finais para fechar as contas com dois golos de antologia e dar uma vitória (5-7) fulcral para uma equipa que, na última jornada, passa a depender apenas de si para ficar na 1ª divisão. No que diz respeito às contas turquelenses esta derrota teve tanto de inesperada como de perigosa, pois a equipa, com um jogo por realizar, ainda corre em busca de pelo menos manter o nono lugar e o consequente apuramento direto para a Taça CERS.

    Primeiro tempo com entrada fogosa dos visitados, logo aos dez segundos Xanoca roubou uma bola a José Campos "Ziga" e foi derrubado por este em situação eminente de perigo. Sem contemplações com a infração do camisola 44 valenciano, o árbitro Miguel Guilherme puxou do cartão azul e mostrou-o a Ziga. O capitão turquelense Vasco Luís avançou para o livre direto, mas permitiu a defesa ao “saltitão” Rodolfo Sobral (excelente exibição!). Em superioridade numérica os da casa demoraram tempo a engrenar, mas conseguiram inaugurar o marcador por intermédio de Vasco Luís, ele que se redimiu do desperdício do livre direto e finalizou de primeira, na área, uma excelente assistência de Luís Silva. Aos nove minutos numa jogada de excelente entendimento entre Xanoca e Vasco Luís, o primeiro assistiu o segundo e o 2-0 surgiu com naturalidade no “bis” do capitão alvinegro. O Valença reagiu e tentou fazer pela vida, indo em busca do único resultado que lhe poderia interessar, a vitória. A pouco mais de dez minutos do descanso Ziga ludibriou Luís Silva e “furou” a oposição de Tuga com um remate violento, reduzindo para 2-1 e seis minutos depois foi Gil Vicente a finalizar uma jogada de laboratório que teve assistência primordial do veterano Luís Viana “Zorro”, ele que viria a ser decisivo mais à frente no jogo. O Turquel acordou da letargia em que se encontrava mergulhado e reagiu menos de três minutos depois num potente remate de meia-distância por parte de Pedro Vaz, ele que aproveitou um bom bloqueio direto de Janeka para voltar a colocar os visitados na frente (3-2). Até ao intervalo destaque apenas para uma bola na área do Valença, jogada pelo patim do capitão minhoto Miguel Fernandes “Micha” ele que curiosamente acumula as funções de atleta e também de, imagine-se, presidente do clube. A dupla de arbitragem lisboeta (Miguel Guilherme e Ricardo Leão) nada assinalou e ao intervalo a vantagem de 3-2 era magra, dada a superioridade evidente dos turquelenses.                    

    O início da segunda metade ficou marcado por um lance em tudo idêntico ao do final da primeira, mas na área alvinegra, com Pedro Vaz a tocar a bola com o patim e desta feita com Miguel Guilherme a não ter dúvidas e a apontar para a marca da grande penalidade. Chamado à conversão do castigo Zé Braga foi assertivo e voltou a igualar a contenda (3-3). No minuto seguinte o argentino Guido Pellizari derrubou Xanoca de forma ostensiva e viu a cartolina azul, mas chamado à conversão do devido livre direto Janeka não fez melhor do que Vasco Luís no início do jogo e permitiu a defesa a Rodolfo Sobral. A jogar em superioridade numérica a equipa turquelense pareceu atordoada, mas conseguiu voltar para a frente do marcador (4-3), depois de Janeka assistir Pedro Vaz e este “bisar” ao atirar rasteiro ao meio da baliza, com o guardião Rodolfo Sobral a ficar um pouco mal na fotografia. No minuto seguinte caiu a 10ª falta de equipa do Turquel e Zé Braga avançou para a marca de livre direto para enfrentar Samuel Santos (entrou para tentar defender o castigo), igualando o jogo a quatro bolas. A partir daqui o encontro ficou quezilento e desgarrado e os da casa saíram a perder, somando 11 faltas de equipa em apenas catorze minutos e vendo os de Valença sobressaírem no encontro. A cerca de treze minutos do fim Guido Pellizari aproveitou uma sobra à entrada da área de Tuga e stickou forte e colocado à meia volta, surpreendendo o guardião turquelense no 4-5. Três minutos depois caiu a 10ª falta de equipa do Valença, mas Xanoca não conseguiu bater Sobral na conversão do livre direto. Na entrada para os dez minutos finais e em desvantagem o HCT carregou sobre o adversário, mas incorreu em demasiadas faltas de equipa, chegando rapidamente às quinze. Novo livre direto para os visitantes, mas desta vez Zé Braga atirou à trave e deixou tudo como estava. Logo a seguir Vasco Luís rompeu pelo meio do denso bloco defensivo do Valença e conseguiu passar Sobral para fazer o seu “hat-trick” e colocar o marcador em 5-5. Faltavam cerca de sete minutos para o término do encontro e as coisas iam “aquecer”, mas o HCT foi com “muita sede ao pote” e acabou por se desequilibrar em ataque permitindo que Luís Viana finalizasse uma boa transição de 3x2, com remate frontal no 5-6 e que viesse a “bisar”, já dentro do último minuto no livre direto da 20ª falta de equipa do HCT, num lance fantástico, carregado de classe e de técnica individual, só ao alcance de um grande artista. Pelo meio destaque para mais um livre direto desperdiçado por Vasco Luís, a castigar a 15ª falta de equipa do Valença, no qual o capitão turquelense atirou a bola por cima. As contas fecharam num 5-7 favorável à equipa mais feliz e inspirada, frente a um Turquel que parecia ter tudo para vencer de forma confortável e que acabou a fazer contas de cabeça na entrada para a última jornada.

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 10 de junho de 2017, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2016/17 (25ª jornada)

    Árbitros: Miguel Guilherme (Lisboa), Ricardo Leão (Lisboa) e Rui Nave (3º árbitro) (Lisboa)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [4] Daniel Matias, [22] Luís Silva, [9] Vasco Luís (C) (3), [79] Alexandre Marques “Xanoca”, [10] Samuel Santos (GR), [53] Pedro Vaz (2), [57] João Silva “Janeka” e [24] André Pimenta. Não jogou: [58] Tiago Mateus.

    Treinador: João Simões

    Valença H.C.: [10] Rodolfo Sobral (GR), [92] Guido Pellizari (1), [20] Miguel “Micha” Fernandes (C), [77] Hélder Martins, [44] José Campos “Ziga” (1), [7] José “Zé” Braga (2), [9] Gil Vicente (1) e [4] Luís Viana “Zorro” (2). Não jogaram: [94] Paulo Matos (GR) e [54] Tiago Pereira “Bolinhas”.

    Treinador: Orlando Graça

    Faltas de Equipa: 21-15

    Disciplina: Cartão Azul a [44] José Campos "Ziga" (VHC), [92] Guido Pellizari (VHC).

    Resultado ao intervalo: 3-2

    Resultado Final: 5-7

    No próximo sábado, dia 17 de junho de 2017 pelas 17 horas locais, mais uma hora em Portugal Continental, o HCT fecha a temporada na ilha do Pico nos Açores, frente ao “aflito” Candelária. Só uma vitória interessa a ambos os conjuntos, mais ainda aos picarotos, que precisam de conquistar os três pontos frente aos turquelenses e esperar que o Riba d’Ave perca no Dragão Caixa e que o Valença pelo menos empate em casa frente ao Tomar. No que diz respeito aos alvinegros, uma vitória, agregada a uma derrota do Tomar em Valença dará o oitavo lugar e o consequente apuramento para a Taça CERS e para a Elite Cup. Por outro lado, uma derrota nos Açores e um empate ou uma vitória do Paço d’Arcos em casa frente à Juventude Viana colocará a equipa de João Simões em décimo lugar e fora das competições europeias. Na primeira volta em Turquel as equipas empataram a quatro bolas.

    Xanoca não jogará no Turquel na próxima temporada

    Após completar duas temporadas (2015/2016 e 2016/2017) com algum sucesso na “aldeia do hóquei”, o jovem avançado Alexandre Manuel Madeira Marques, popularmente conhecido no mundo do Hóquei em Patins como “Xanoca”, e a Direção do Hóquei Clube de Turquel não chegaram a acordo para que o atleta pudesse continuar de alvinegro ao peito na época 2017/2018.

    Produto da boa escola de formação do F.C. Oliveira do Hospital, onde foi campeão nacional de Sub-13 (2005/2006), Xanoca fixou-se bem jovem em Lisboa, longe da sua família para representar as equipas da formação do Benfica em 2011, jogando quatro anos de águia ao peito, período de tempo em que conquistou dois títulos nacionais de Sub-20 (2011/2012 e 2012/2013) e um de Seniores da 3ª divisão pela equipa “B” encarnada (2013/2014). Um ano a jogar na 2ª divisão e viagem por empréstimo até à aldeia do hóquei no início da temporada 2015/2016, ficando durante dois anos. O camisola 79 e a direção turquelense não conseguiram chegar a um entendimento para a continuidade de Xanoca e o atleta rumará a outras paragens para enfrentar novos desafios na sua ainda curta carreira, tendo ainda dois jogos para disputar com a camisola do HCT até ao final desta temporada.

    Sendo ainda bastante jovem (22 anos), Xanoca acumulou alguma experiência internacional, tendo sido Campeão Mundial de Sub-20 pela seleção nacional portuguesa em 2013, em Cartagena (Colômbia) e em março de 2016 ajudou Portugal a conquistar a XXVIII edição da Taça Latina, no escalão de Sub-23 em Follonica (Itália). Nas duas épocas passadas em Turquel, Xanoca primou pela técnica individual refinada e pela surpreendente facilidade de movimentação e finalização em zonas próximas da baliza adversária, tendo sido também uma agradável surpresa na conversão de livres diretos, deixando uma marca indelével de carinho em todos os turquelenses.

    Conheça os seus números no HCT, na relação jogos/golos em partidas oficiais nas duas épocas passadas de alvinegro ao peito:

    Xanoca (HCT)

    Camp. Nac. 1ª Div.

    Taça de Portugal

    Taça CERS

    Jogos

    Golos

    Jogos

    Golos

    Jogos

    Golos

    2015/2016

    26

    23

    1

    1

    3

    4

    2016/2017

    24*

    9*

    1

    -

    6

    5

    Total por Competição

    50*

    32*

    2

    1

    9

    9

    Total Acumulado

    61* jogos/42* golos

     *Ainda decorre, com dois jogos por disputar.

    A direção alvinegra, toda a estrutura do clube, bem como o HCT.pt vêm, por este meio e de forma oficial, agradecer todo o esforço, dedicação e carácter demonstrados pelo Xanoca ao longo de todo o seu percurso no nosso clube, e vem também desejar-lhe as maiores felicidades do mundo para o futuro, com a certeza que o consideraremos sempre um dos nossos, estando as nossas portas sempre abertas para ele e para toda a sua família. Obrigado por tudo Xanoca!

    Fotos: Hélder Matias

  • Vitória no clássico garante manutenção e permite sonhar

    O H.C. Turquel chegou a Tomar algo pressionado, mas sabendo que um triunfo, com a devida conjugação de alguns resultados em outros jogos, lhe poderia garantir a manutenção na 1ª Divisão. Com uma entrada felina em rinque, os alvinegros “abafaram” os Leões de Tomar e colocaram-se rapidamente em vantagem com dois golos à maior, o que lhes permitiu gerir o jogo com um bloco defensivo bem compacto para poderem surpreender no contra-ataque. Até ao intervalo os turquelenses aumentaram a vantagem para 0-4 e “atacaram” o segundo tempo de forma mais comedida, ainda que tenham consentindo apenas dois tentos de penalty, tendo faturado mais um, também de penalty. O 2-5 final permitiu à equipa da “aldeia do hóquei” assegurar desde já a manutenção no escalão máximo do Hóquei em Patins português, devido também às derrotas de Riba d’Ave (3-2 em Paço de Arcos) e Valença (1-2 em casa frente ao Juventude Viana), e poder ir em busca da oitava posição, precisamente ocupada pelo Tomar. Destaques individuais para Daniel Matias e Luís Silva, com um “bis” cada um e para Vasco Luís que somou um golo e duas assistências.

    Primeiro tempo, contrariamente ao que tinha acontecido na primeira volta em Turquel, com entrada demolidora por parte dos alvinegros, que aos dois minutos já venciam, após um golo oportuno de Daniel Matias, que desviou com classe um excelente passe aéreo de Luís Silva para o interior da área. A formação tomarense sentiu o toque e nunca se conseguiu encontrar, tendo sofrido o 0-2 sete minutos depois, num lance de insistência de Luís Silva em que o avançado turquelense (ex-Tomar) ganhou alguns ressaltos na área visitada, até bater Marco Gaspar pela segunda vez no encontro. Com o segundo golo visitante os comandados de Nuno “Manel” Domingues perderam-se ainda mais e forçaram em demasia, com situações de meia-distância invariavelmente a esbarrarem nas pernas e nos sticks dos jogadores do HCT. Aos treze minutos Luís Silva “bisou” ao finalizar na área um excelente ataque rápido conduzido por Vasco Luís e no último minuto do primeiro tempo caiu a 10ª falta de equipa do Tomar. Na conversão do devido livre direto Vasco Luís atirou ao lado, mas na sequência recuperou a bola na tabela de fundo e assistiu Daniel Matias que, vindo de trás, “bisou” e fez o 0-4 com que se chegou ao intervalo. No descanso a diferença era esclarecedora e inatacável.

    No segundo tempo o Tomar entrou de “cara lavada” e pressionou alto desde o início, encostando a equipa de João Simões às “cordas”, mas só aos oito minutos tirou dividendos desse momento, quando caiu a 10ª falta de equipa do HCT. Chamado à conversão do respetivo livre direto o capitão nabantino, Ivo Silva, atirou ao poste e os turquelenses, apesar de atravessarem um momento menos bom no jogo mantiveram a margem de manobra que tinham para controlarem as incidências do encontro. Quatro minutos depois, Luís Silva viu a cartolina azul por suposto derrube a Ivo Silva no interior da área turquelense, e Hernâni Diniz converteu a penalidade em golo, reduzindo para 1-4. No minuto seguinte caiu a 15ª falta de equipa e o mesmo Hernâni Diniz tentou “bisar” mas teve pela frente um “muro” chamado Tuga que manteve a sua equipa com três golos à maior. No outro lado do rinque, e quase de imediato, Vasco Luís foi derrubado de forma ostensiva no interior da área visitada. Na transformação da penalidade o capitão turquelense enviou um míssil para dentro da baliza do recém-entrado Nuno Peça, completando o 1-5, que sentenciou definitivamente o encontro. A partida entrou numa fase mais incaracterística, muito faltosa, com o Tomar a chegar à 15ª falta de equipa (Daniel Matias desperdiçou o devido livre direto) e com o HCT a chegar à 20ª (Tiago Godinho não logrou bater Tuga no respetivo livre direto). A dois minutos do fim, nova penalidade contra os turquelenses, e Tiago Godinho, desta feita, a conseguir bater Tuga para fechar as contas em 2-5.        

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Municipal Cidade de Tomar

    Dia/Hora: 3 de junho de 2017, às 17H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª Divisão de Hóquei em Patins 2016/17 (24ª jornada)

    Árbitros: Ricardo Leão (Lisboa), João Duarte (Lisboa) e Rui Nave (3º árbitro) (Lisboa)

    S.C. Tomar/IPT: [10] Marco Gaspar (GR), [4] João Lomba, [55] João Alves “Joka”, [28] Paulo Passos, [9] Ivo Silva (C), [31] Nuno Peça (GR), [74] Pedro Martins, [44] Hernâni Diniz (1), [7] David Costa e [57] Tiago Godinho (1).

    Treinador: Nuno “Manel” Domingues

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [4] Daniel Matias (2), [22] Luís Silva (2), [9] Vasco Luís (C) (1), [79] Alexandre Marques “Xanoca”, [53] Pedro Vaz, [24] André Pimenta. Não jogaram: [10] Samuel Santos (GR), [57] João Silva “Janeka” e [58] Tiago Mateus.

    Treinador: João Simões

    Faltas de Equipa: 15-22

    Disciplina: Cartão Azul a [22] Luís Silva (HCT).

    Resultado ao intervalo: 0-4

    Resultado Final: 2-5

    No próximo sábado, 10 de junho de 2017 pelas 21h, o HCT recebe o Valença H.C., num encontro decisivo para as aspirações dos visitantes, no que à manutenção diz respeito. O HCT parte para este encontro com a possibilidade de apanhar o Tomar na oitava posição da tabela classificativa, caso os nabantinos percam em casa frente ao Sporting C.P. Na primeira volta em Valença os turquelenses perderam por claros 6-2, numa das exibições mais descoloridas da temporada.

    Fotos: Facebook do Sporting Clube de Tomar

    Jorge Godinho será o novo treinador do HC Turquel

    A Direção do H.C. Turquel confirmou este sábado, após a vitória dos alvinegros em Tomar (2-5), que Jorge Godinho (43 anos) será o novo timoneiro da “nau alvinegra”, e assumirá o comando técnico dos Seniores Masculinos do Hóquei Clube de Turquel na temporada 2017/18, substituindo João Simões no cargo.

    Tendo iniciado o seu percurso como jogador no S.C. Tomar, ainda jovem rumou ao Benfica onde ganhou notoriedade como atleta, tendo construído uma carreira de algum destaque, que culminou com boas prestações na Juventude Ouriense. Como treinador Jorge Godinho subiu o H.C. Tigres de Almeirim à 1ª Divisão em 2010/2011, anos antes de iniciar um projeto enriquecedor na formação do S.L. Benfica e na equipa “B” da mesma agremiação, que culimnou com alguns títulos nacionais conquistados. Com mais de metade desta época completa o técnico nabantino substituiu Paulo Garrido no Paço de Arcos e, tal como o HCT, tem estado na luta por um “lugar ao sol” na 1ª Divisão.

    Apesar da época ainda não ter terminado e dos compromissos com o seu atual clube terem de ser respeitados até ao último segundo do último jogo da temporada, o novo técnico e a direção do clube estão já a trabalhar na composição do plantel para “atacar” as exigências da próxima época, mesmo levando em linha de conta as vicissitudes antecipativas de um mercado que se define muito cedo.

    Conheça, “à lupa”, o novo treinador alvinegro para 2017/2018:

    QUEM É QUEM?

    Nome Completo: JORGE António Esteves GODINHO

    BI: Tomar (Portugal), 25-05-1974,43 anos

    Função: Treinador

    Clubes como Jogador: S.C. Tomar; S.L. Benfica; Juventude Ouriense.

    Clubes como Treinador: H.C. Tigres de Almeirim; S.L. Benfica (Formação); S.L. Benfica “B”; C.D. Paço de Arcos.

    Contrato: Até Julho de 2018

    Foto: HóqueiPT

  • Filme da primeira volta repetiu-se e o desfecho foi o mesmo

    A vitória em casa (5-4) frente à Juventude Viana foi como que um “balão de oxigénio” para a equipa de Seniores Masculinos do HCT, que passou a “respirar” de forma mais desafogada na tabela classificativa. No entanto, a equipa orientada por João Simões entrou no Pavilhão do S.C. Livramento para defrontar o Sporting a um ritmo demasiado baixo, que já lhe tida custado caro na primeira volta em Turquel. Dentro dos primeiros dois minutos os turquelenses permitiram a Pedro Gil e a João Pinto estarem cara a cara com Tuga em três ocasiões quase consecutivas e os dois jogadores leoninos só desperdiçaram as duas primeiras. Esta entrada em falso foi fatal para os visitantes que andaram sempre a correr atrás do prejuízo e chegaram ao intervalo já em desvantagem por 4-1. O segundo tempo não mudou muito o cariz das ocorrências e o jogo arrastou-se com os da casa a mostrarem maior qualidade individual, num jogo típico de fim de época que teve golos estranhos e uma arbitragem desconcentrada por parte da dupla portuense, composta por Orlando Panza e José Pinto, até ao 7-3 final, curiosamente o mesmo resultado da primeira volta em Turquel.

    Primeiros segundos do primeiro tempo com entrada em falso por parte dos forasteiros, com a perca de três bolas em zona proibida que deram três bolas na cara de Tuga. O guardião turquelense conseguiu evitar as duas primeiras, mas à terceira Pedro Gil assistiu João Pinto e o “Mustang” não perdoou, fazendo o 1-0. Três minutos depois, um erro defensivo permitiu a Pedro Gil assistir João Pinto para este ficar novamente no frente a frente com Tuga e fazer o 2-0 que marcou a tendência do encontro. Depois do “surto” o HCT “juntou as pontas” e equilibrou-se ofensiva e defensivamente e conseguiu um bom momento na partida, chegando também com algum perigo junto da baliza de Girão. Contudo, a oito minutos do descanso, Poka desviou afortunadamente uma stickada do meio da rua de Centeno e a trajetória da bola traiu Tuga no 3-0. O golo atribuído a Poka “matou” a reação visitante, apesar de logo a seguir Xanoca ter reduzido na conversão de um livre direto, após cartolina azul mostrada ao catalão Ferran Font, por prensar o mesmo Xanoca na tabela. Antes do intervalo, numa circulação tática de laboratório, André Centeno surgiu solto no corredor esquerdo do seu ataque e stickou forte e colocado ao primeiro poste, para fazer o 4-1 e tirar os turquelenses da corrida pelos pontos.

    O segundo tempo teve o mesmo número de golos mas foi mais atribulado, com Ferran Font a aumentar para 5-1 logo aos quatro minutos, num lance fantástico de perícia e técnica individual, executando uma picadinha à meia-volta e do lado reverso, mesmo estando a ser importunado por Luís Silva. Três minutos depois o capitão turquelense, Vasco Luís reduziu para 5-2 na conversão de novo livre direto, desta feita a castigar azul a Caio, depois de este ter dado uma stickada no tronco de Xanoca. A partir deste momento o jogo partiu-se as transições apareceram e houve mais espaço em todas as zonas do rinque para se poder explanar um hóquei desgarrado e tecnicista. A doze minutos do fim Ferran Font voltou a mostrar qualidade e rodou sobre o jovem Tiago Mateus para bater Tuga de novo no 6-2 e um minuto depois foi outro dos catalães da equipa verde e branca, Sergi Miras, a conquistar dois ressaltos na área e a completar o 7-2. Já com Samuel Santos na baliza alvinegra e bem dentro dos cinco minutos finais, caiu a 10ª falta de equipa dos visitados e Janeka, no cara a cara com Girão, atirou ao poste. O mesmo Janeka, dois minutos depois, redimiu-se da falha e logrou um golo de belo efeito, rodando na área e atirando rasteiro para fechar as contas finais em 7-3, numa partida com pouca história e emoção.   

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão do Sporting Clube do Livramento

    Dia/Hora: 27 de maio de 2017, às 15H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2016/17 (23ª jornada)

    Árbitros: Orlando Panza (Porto), José Pinto (Porto) e Helena Fresco (3º árbitro) (Alentejo)

    Sporting C.P.: [61] Ângelo Girão (GR), [6] Esteban Abalos “Tuco”, [29] Ricardo Oliveira “Caio”, [9] Pedro Gil, [16] João Pinto “Mustang” (C) (2), [55] Sergi Miras (1), [4] Ferran Font (2), [22] André Centeno (1) e [18] Daniel Oliveira “Poka” (1). Não jogou: [91] José Diogo Macedo (GR).

    Treinador: Paulo Freitas

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [4] Daniel Matias, [9] Vasco Luís (C) (1), [57] João Silva “Janeka” (1), [10] Samuel Santos (GR), [22] Luís Silva, [79] Alexandre Marques “Xanoca” (1), [24] André Pimenta e [58] Tiago Mateus.

    Treinador: João Simões

    Faltas de Equipa: 10-9

    Disciplina: Cartão azul a [4] Ferran Font (SCP) e [29] Ricardo Oliveira “Caio” (SCP).

    Resultado ao intervalo: 4-1

    Resultado Final: 7-3

    No próximo sábado, 3 de junho de 2017 pelas 17h, deslocação muito importante dos alvinegros a Tomar, para defrontar o sporting local, formação que é uma das boas surpresas deste campeonato. Os nabantinos garantiram a manutenção bem cedo e em casa almejaram dezassete dos seus vinte e seis pontos conquistados. Na primeira volta em Turquel a vitória sorriu aos turquelenses por 3-1, num encontro muito equilibrado e que só se decidiu nos últimos minutos.

    Fotos: Dinis Vicente

    João Simões deixa comando técnico dos Seniores do H.C. Turquel

    Cinco épocas depois do seu regresso ao cargo de treinador principal dos Seniores Masculinos do Hóquei em Patins do clube e após dez temporadas não consecutivas na função, com uma subida à 1ª Divisão Nacional (2011/2012) no currículo, para nunca mais descer, o professor João Pedro Jorge Simões (38 anos) não será o treinador do HCT na temporada 2017/2018.

    Nascido e criado na freguesia vizinha da Benedita, evoluiu no H.C. Turquel como atleta da modalidade de Hóquei em Patins, ao mesmo tempo que dividia a paixão do desporto com o Futebol no ABCD, clube da sua terra natal, e com a Licenciatura em Educação Física que tirou em Viseu. Deixou cedo a carreira de jogador de hóquei, para “agarrar” a de treinador e coordenador da formação turquelense, tendo desenvolvido um trabalho fantástico em todas as áreas no clube e em especial no comando técnico dos Seniores Masculinos.

    Numa decisão pessoal e bem ponderada, João Simões opta por deixar o cargo de técnico do escalão mais alto do clube, sendo que finalizará a época 2016/2017 que ainda decorre e desejando que o “ciclo” que ele iniciou se mantenha por muitos em bons anos, mas com a liderança de outra pessoa.

     Apesar de ter assumido os Seniores Masculinos na 2ª Divisão Nacional – Zona Sul (posteriormente na Zona Norte) na longínqua época 2006/2007, para apenas interromper a ligação em 2010/2011, temporada em que foi substituído por Paulo Batista, João Simões teve um percurso fulgurante como técnico, principalmente na sua “segunda vida” no comando da equipa principal, a partir de 2011/2012. Conheça a totalidade dos seus números no HCT enquanto treinador, na relação entre jogos, vitórias, empates, derrotas e pontos somados em partidas oficiais:

    João Simões (Treinador - HCT)

    Camp. Nac. 2ª Divisão

    Camp. Nac. 1ª Divisão

    Taça Portugal

    Taça CERS

    C

    J

    V

    E

    D

    P

    C

    J

    V

    E

    D

    P

    J

    Eliminatória

    J

    Eliminatória

    2006/2007 [ZS-PB]*

    16

    13

    1

    2

    37

    -

    -

    -

    -

    -

    -

    -

    -

    -

    -

    2007/2008 [ZN]

    28

    14

    7

    7

    49

    -

    -

    -

    -

    -

    -

    1

    1ª Eliminatória

    -

    -

    2008/2009 [ZN/PAS]

    32

    19

    5

    8

    62

    -

    -

    -

    -

    -

    -

    3

    16 Avos-Final

    -

    -

    2009/2010 [ZS]

    30

    22

    1

    7

    67

    -

    -

    -

    -

    -

    -

    4

    Quartos-Final

    -

    -

    2010/2011 [ZS]

    Não treinou a equipa nesta temporada [Paulo Batista foi o treinador]

    2011/2012 [ZS]

    28

    22

    0

    6

    66

    -

    -

    -

    -

    -

    -

    4

    Final Four

    -

    -

    2012/2013

    -

    -

    -

    -

    -

    -

    30

    13

    4

    13

    43

    1

    16 Avos-Final

    -

    -

    2013/2014

    -

    -

    -

    -

    -

    -

    30

    14

    5

    11

    47

    3

    Quartos-Final

    6

    Quartos-Final

    2014/2015

    -

    -

    -

    -

    -

    -

    26

    9

    3

    14

    30

    3

    Quartos-Final

    2

    16 Avos-Final

    2015/2016

    -

    -

    -

    -

    -

    -

    26

    12

    2

    12

    38

    1

    16 Avos-Final

    4

    Oitavos-Final

    2016/2017**

    -

    -

    -

    -

    -

    -

    23

    6

    2

    15

    20

    1

    16 Avos-Final

    6

    Quartos-Final

    Total/Competição

    -

    134

    90

    14

    24

    281

    -

    135

    54

    16

    65

    178

    21

    -

    18

    -

    Totais Acumulados

    308 jogos**/167 vitórias**/31 empates**/104 derrotas**/459 pontos somados**

    Legenda: C = Classificação | J = Jogos | V = Vitórias | E = Empates | D = Derrotas | P = Pontos | ZS = Zona Sul | ZN = Zona Norte | PB = Poule B | PAS = Poule Apuramento de Subida;

    *Assumiu o comando técnico da equipa a meio da temporada;

    **Ainda decorre, com 3 jogos por disputar.

    A direção do Hóquei Clube de Turquel, toda a sua estrutura, bem como o HCT.pt vêm, por este meio e de forma oficial, agradecer todo o esforço e dedicação demonstrados pelo professor João Simões ao longo de todo o seu percurso como treinador dos Seniores Masculinos do nosso clube, e vem também desejar-lhe as maiores felicidades do mundo para o seu futuro, com a certeza de que estará bem perto de nós a espalhar toda a sua sabedoria e conhecimento para todos os que o rodeiam. Obrigado por tudo João!

  • Sporting CP vs HC Turquel joga-se no Livramento

    O encontro referente à 23ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª Divisão de Seniores Masculinos, entre o Sporting Clube de Portugal e o Hóquei Clube de Turquel, teve alteração de hora e de local e será jogado este sábado, 27 de maio de 2017, pelas 15 horas no Pavilhão do Sporting Clube do Livramento, zona de Mafra.

    O facto do Pavilhão do Complexo Desportivo de Alverca, “casa” do Hóquei em Patins do Sporting C.P. em 2016/2017, se encontrar ocupado com um outro evento levou os responsáveis leoninos a chegarem a acordo com a Direção do HCT para a alteração da hora de jogo e a consequente realização do jogo num Pavilhão alternativo, que será o do Sporting Clube do Livramento. Esta infraestrutura não é nova para os leões, dado que albergou a equipa sénior de Hóquei em Patins leonina nas temporadas 2014/2015 e 2015/2016, embora nesta última tenha alternado com o Pavilhão do S.C. Torres, em Torres Vedras. De referir ainda que alguns escalões jovens do Sporting treinam e jogam no Livramento.

    Nota final para o facto deste encontro ir ter transmissão online em direto e em exclusivo na HCTv.

    Foto: zerozero

    Segunda parte de luxo trouxe triunfo “tirado a ferros”

    Uma vitória em casa frente ao Riba d’Ave por 6-1 e uma derrota fora em Barcelos por 5-2, nos últimos dois jogos deixaram o HCT numa posição incómoda na tabela classificativa, à entrada para o jogo em casa frente ao sexto classificado, a Juventude Viana. Contrariamente aos turquelenses os minhotos chegaram à aldeia do hóquei bem tranquilos na classificação e capitalizaram essa tranquilidade logo no primeiro tempo, conseguindo uma vantagem de 0-2 ao intervalo, deixando tudo muito complicado para a equipa da casa que deve ter rubricado uma das piores primeiras partes da época. A entrada no segundo tempo viria a ser crucial, os visitados tinham dois golos à menor e nove faltas de equipa averbadas, mas reagiram de forma estoica e afortunada, chegando ao empate a duas bolas e mesmo depois de terem sofrido o 2-3, conseguiram reagir para alcançarem um fantástico 5-3, amenizado por uma penalidade já perto do fim que ditou o 5-4 final. A entrada de Janeka ao intervalo viria a revelar-se fundamental para o desfecho final do encontro, o camisola cinquenta e sete alvinegro assumiu o jogo com muita velocidade e tranquilidade e deu “outra vida” ao ataque da sua equipa, “bisando” e levando os seus colegas atrás de si. O capitão Vasco Luís também esteve em destaque ao assinar um “hat-trick”, naquele que foi um dos momentos de vitória mais importantes da temporada.

    Primeira metade muito ansiosa e pouco produtiva por parte da equipa da casa, que sentiu claramente o peso da responsabilidade e deixou-se tolher pelos nervos. Os comandados de João Simões foram tudo menos uma equipa, na verdadeira aceção da palavra, e foram punidos por um conjunto visitante com muita experiência acumulada, que se adiantou no marcador aos oito minutos por intermédio de Francisco Silva, num desvio oportuno após stickada falhada de Nelson Pereira. Tudo isto se desenrolou já depois de Vasco Luís ter desperdiçado uma penalidade, logo no primeiro minuto. Aos dez minutos Francisco Silva viria a “bisar”, desta feita na conversão de uma grande penalidade, e tudo parecia complicar-se para os da casa, que mais preocupados devem ter ficado quando André Pimenta também falhou uma penalidade, cinco minutos após o segundo golo minhoto, permitindo boa intervenção ao “veteraníssimo” Edo Bosch. Antes do intervalo destaque ainda para nova penalidade que André Azevedo não conseguiu transformar em golo, após boa defesa de Tuga. Ao intervalo o cenário era negro para os alvinegros, que estavam em desvantagem (0-2) e com nove faltas de equipa averbadas.                  

    O segundo tempo teria de trazer uma “outra cara” necessariamente para os de Turquel que acabaram por assumir as suas responsabilidades e rubricar vinte e cinco minutos de grande nível. O técnico João Simões assumiu o risco com Xanoca, Vasco Luís e Janeka no cinco, eles que são três elementos marcadamente de tração à frente, mas que deram muito bem conta do recado. O golo demorou a surgir mas veio mesmo aos oito minutos, num grande passe de Xanoca para o interior da área que Vasco Luís desviou de forma subtil por cima de Edo Bosch. Três minutos depois Gonçalo Suíssas, alguns segundos depois de ter entrado pela primeira vez em rinque, viu a cartolina azul por derrube a Xanoca e na conversão do devido livre direto Vasco Luís fuzilou Edo Bosch, “bisou” na partida e fez eclodir as bancadas de um pavilhão até então algo apagado. Ainda assim, e no mesmo minuto, caiu a 10ª falta de equipa do HCT, com Diogo Fernandes a ultrapassar Tuga pela terceira vez, com uma execução fantástica em “picadinha”. Contudo, percebia-se que os turquelenses já estavam dentro do jogo e o Viana quebrava bastante no capítulo físico. Foi sem surpresa que com doze minutos para jogar os da casa tenham voltado a igualar, desta feita a três bolas, numa fantástica iniciativa individual de Janeka, que passou por Tó Silva de forma sublime e enrolou uma bola rasteira que só parou no fundo da baliza vianense. Dois minutos depois deu-se a reviravolta, no livre direto da 10ª falta de equipa do Viana e com Janeka mais uma vez a mostrar categoria, “partindo” por completo os rins a Edo Bosch para ”bisar” e deixar os “brutos dos queixos” pela primeira vez em vantagem no marcador (4-3). O HCT continuou a carregar no acelerador e os visitantes mostravam cada fez mais fadiga, à medida que os minutos iam passando. A cerca de sete minutos do fim Vasco Luís completou o seu “hat-trick” com uma bomba do meio da rua que voltou a bater um desamparado Edo Bosch e que assinalou o 5-3 que poderia trazer maior tranquilidade aos da casa. Um livre direto para Janeka tentar converter no minuto seguinte, por azul mostrado a André Azevedo, ainda colocou mais esperança na consumação de um resultado positivo, mas Edo Bosch disse presente e tirou o “hat-trick” ao jogador alvinegro. A cinco minutos do fim, num lance algo duvidoso Miguel Guilherme descortinou um patim na bola de Janeka dentro da área de Tuga e nova penalidade para Francisco Silva não desperdiçar, fazer o seu “hat-trick” e colocar incerteza no marcador até ao fim (5-4). Os minutos finais tornaram-se incaracterísticos, os turquelenses tentaram gerir a posse de bola e o adversário mostrou-se algo perdido, com muitas entradas à margem da lei e com muitos protestos à mistura. Assim sendo, Diogo Fernandes, Francisco Silva e André Azevedo viram os três a cartolina azul no espaço de um minuto, mas nem Janeka nem Daniel Matias conseguiram transformar os devidos livres diretos em golo e o jogo chegou ao fim com 5-4 no marcador, não sem antes Tó Silva, nos últimos segundos do encontro, tentar “cavar” uma cartolina azul a Pedro Vaz, num lance que deixou a dupla de arbitragem na dúvida e que revelou toda a experiência do ex-internacional português.  

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 20 de maio de 2017, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2016/17 (22ª jornada)

    Árbitros: Miguel Guilherme (Lisboa), João Duarte (Lisboa) e Rui Nave (3º árbitro) (Lisboa)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [4] Daniel Matias, [22] Luís Silva, [9] Vasco Luís (C) (3), [79] Alexandre Marques “Xanoca”, [24] André Pimenta e [57] João Silva “Janeka” (2). Não jogaram: [10] Samuel Santos (GR) e [58] Tiago Mateus.

    Treinador: João Simões

    A. Juventude Viana: [47] Edo Bosch (GR), [27] André Azevedo, [37] Nelson Pereira, [6] Francisco Silva (3), [8] Tó Silva, [7] Diogo Fernandes (1), [22] Nuno Santos e [17] Gonçalo Suíssas. Não jogaram: [28] Jorge Correia (GR) (C) e [2] Gustavo Lima.

    Treinador: Renato Garrido

    Faltas de Equipa: 13-13

    Disciplina: Cartão Azul a [17] Gonçalo Suíssas (AJV), [27] André Azevedo (AJV) [2X], [7] Diogo Fernandes (AJV) e [6] Francisco Silva (AJV).

    Resultado ao intervalo: 0-2

    Resultado Final: 5-4

    No próximo sábado, dia 27 de maio de 2017 pelas 15 horas, o HCT viaja até ao Livramento para defrontar o Sporting C.P. Os verde e brancos tiveram uma época desastrada, tendo trocado de treinador a meio da temporada, com Paulo Freitas (ex-O.C. Barcelos) a pegar num grupo “desfeito em pedaços”, tentando “juntar os cacos”. Na primeira volta em Turquel os forasteiros venceram por claros 3-7.

    Fotos: Hélder Matias

  • Lucas Alexandre convocado para a Escola Nacional de Guarda-Redes

    O atleta e Guarda-Redes do escalão de Sub-13 do H.C. Turquel, Lucas Oliveira Alexandre, foi chamado para integrar um dos estágios da “Escola de Guarda-Redes” de Hóquei em Patins, dinamizados pela Federação de Patinagem de Portugal.

    Na sequência do trabalho de observação efetuado junto dos atletas da Associação de Patinagem de Leiria, noPrograma de “Observação, Identificação e Seleção de Talentos” (OIST), que se realizou no início de Março no Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel, o atleta alvinegro foi convocado para se apresentar no dia 22 de Maio de 2017, no Luso - Mealhada. A concentração está agendada para as 11h, no Pavilhão Municipal do Luso, com o final do Estágio a estar previsto para as 18:30h.

    Sessões de treino:

    12h – 13h

    17:30h – 18:30h

    Confira em baixo os seis Guarda-Redes convocados, bem como a sua proveniência:

    Clube Académico da Feira (AP Aveiro)

    João Tavares

    Pedro Sousa

    Hóquei Clube de Turquel (AP Leiria)

    Lucas Alexandre

    Sport Lisboa e Benfica (AP Lisboa)

    Diogo Campos

    Gonçalo Gaspar

    CART/Taipas Termal (AP Minho)

    Francisco Gouveia

    Sub-13 turquelenses garantem vaga na 2ª fase do Nacional

    De todos os escalões de competição do H.C. Turquel, apenas os mais jovens (Sub-13) seguiram em frente nos Nacionais da respetivas categorias. Depois de todos os escalões terem garantido os apuramentos para os Nacionais, percursos diferentes levaram Sub-20 para a disputa da Taça Nacional e Sub-17 e Sub-15 para competições regionais, sob a égide da Associação de Patinagem de Lisboa. Deste modo, só os Sub-13 alvinegros, orientados pelo experiente treinador Nelson Lourenço, lograram chegar à 2ª Fase da competição, onde irão enfrentar F.C. Porto/Dragon Force, A.D. Valongo e A.D.B. Campo, na Zona Norte.

    Numa prova dura e cheia de equilíbrio, a equipa turquelense apurou-se para a 2ª Fase na segunda posição da Zona B, com sete vitórias e três derrotas, somando um total de vinte e um pontos, mais três que a A.A. Espinho (3º) e mais seis que a A.A Coimbra (4º), mas com menos nove pontos que o líder incontestado, o F.C. Porto/Dragon Force (1º), que somou por vitórias todos os dez jogos realizados.

    A formação alvinegra enfrentará uma outra fase da competição, enquadrada na denominada “Prova Regional - Zona Norte” e terá pela frente adversários fortes num campeonato a quatro, repetindo o duplo confronto com a formação do F.C. Porto/Dragon Force (derrotas por 1-7 e 7-1 nos dois jogos da Zona B) e jogando ainda com a A.D. Valongo (1º classificado da Zona A) e A.D.B. Campo de Barcelos (2º classificado da Zona A). Confira aqui o calendário incompleto da prova.    

    Apoie as nossas equipas de formação/competição e assista ao vivo e a cores ao crescimento dos “craques do futuro”!

  • Bolas paradas estabeleceram diferenças

    Depois do triunfo inequívoco e folgado (6-1) frente ao Riba d’Ave H.C. em casa, o H.C. Turquel deslocou-se até Barcelos, nesta quarta-feira à noite, na ressaca da vitória barcelense na Taça CERS, pelo segundo ano consecutivo. Jogo muito equilibrado e que teve um Barcelos em gestão de esforço, tendo em conta o desgaste físico a que tinha sido sujeito, muito por culpa da qualidade individual dos seus jogadores e com a conivência de uma dupla de arbitragem de Lisboa (Luís Peixoto e João Duarte) que desequilibrou os pratos da balança. O HCT até entrou a ganhar, mas ao intervalo já perdia (2-1) depois de ter visto um golo limpo não ser validado e de Vasco Luís ter visto uma cartolina azul surreal. A abrir o segundo tempo, dois livres diretos superiormente convertidos pelo especialista Alvarinho (“póker”), colocaram o resultado em 4-1 e mataram qualquer tipo de aspiração que a equipa turquelense pudesse ter de levar pontos de Barcelos, apesar de uma boa reação. A equipa ainda reduziu para 4-2, mas viria a sofrer o 5-2 final já em cima do apito para o término do encontro. O “renovado” Daniel Matias esteve em destaque do lado turquelense, “bisando” e mostrando-se o mais inconformado.    

    Primeiro tempo com entrada forte dos de Turquel, que tentaram impor um ritmo alto, tendo em conta o desgaste acumulado pelo Barcelos no fim-de-semana em Itália, com dois jogos de grande exigência em apenas dois dias. A boa entrada valeu a liderança momentânea no marcador, numa combinação entre Pedro Vaz e Daniel Matias, com o primeiro a assistir o segundo para este finalizar com remate seco e enrolado, não dando hipóteses ao herói de Viareggio, o guardião Ricardo Silva. A resposta dos da casa foi imediata e o 1-1 chegou no minuto seguinte, por intermédio do sempre irrequieto Hugo Costa, ele que desviou de forma oportuna um passe aéreo de Vieirinha. O jogo estabilizou após estes momentos efémeros e a cerca de dez minutos do final da primeira parte deu-se um dos “momentos chave” da partida, com Vasco Luís a surgir na cara de Ricardo Silva a partir da direita e a colocar a bola ao primeiro poste, com esta a bater na trave e na chapa interna da baliza saindo logo em seguida. Os jogadores do HCT festejaram o golo, mas Luís Peixoto e João Duarte não validaram a evidência e o encontro prosseguiu. A partida arrastou-se até bem perto do intervalo e a um minuto da saída para os balneários José Pedro prensou Pedro Vaz na tabela, tendo visto a cartolina azul. Saído do banco, Janeka enfrentou Ricardo Silva no devido livre direto, mas o guardião minhoto levou a melhor e logo depois, a jogar em superioridade numérica, Vasco Luís deu um toque ligeiro nas costas de Rúben Sousa, com o avançado barcelense a criar um cenário inexistente, que levou João Duarte a mostrar a cartolina azul ao capitão turquelense. Novo livre direto, mas agora na baliza contrária e com protagonistas necessariamente diferentes, desta feita com o “especialista” Alvarinho a não perdoar no frente a frente com Tuga. Ao intervalo o 2-1 penalizava de sobremaneira uma equipa alvinegra que tinha feito bem mais do que aquilo que o resultado apresentou.       

    A segunda metade começou e Hugo Costa rasteirou Pedro Vaz de forma ostensiva, com a cartolina azul a sair do bolso de Luís Peixoto. Na transformação do livre direto Vasco Luís “disparou” uma bomba à trave e a oportunidade soberana de igualar a duas bolas esfumou-se. Tal como tinha acontecido no final da primeira parte, não marcou o Turquel, marcou logo depois o Barcelos e novamente por Alvarinho (desta vez frente ao recém entrado Samuel Santos), em mais uma transformação superior de um livre direto a castigar uma falta que não pareceu existir, por suposto toque no stique de Daniel Matias a Vieirinha, quando este seguia isolado. No minuto seguinte Alvarinho voltou a fazer das suas na conversão do livre direto da 10ª falta de equipa do Turquel, voltando a repetir os gestos anteriores e enganando o “regressado” Tuga para fazer o 4-1, completando o seu “hat-trick” e dando uma “stickada” bem forte na tendência seguinte das incidências de jogo. A partir daqui a partida “saiu do registo”, o HCT subiu linhas e foi em busca de reduzir diferenças, o que acabou por conseguir por intermédio de Daniel Matias, ele que “bisou” com uma stickada enrolada desde a entrada da área, surpreendendo Ricardo Silva no 4-2. Neste momento do jogo o Barcelos acusou algum cansaço acumulado, permitindo alguns momentos de perigo junto da sua baliza, com foram os exemplos das bolas no poste enviadas pelo jovem Tiago Mateus (desviou remate de longa distância de Luís Silva) e por Janeka (grande rasgo individual). O espetro do equilíbrio de forças foi “sol de pouca dura” e a três minutos do fim Daniel Matias viu azul por derrube a Vieirinha dentro da área. O mesmo Vieirinha permitiu a defesa de Tuga na transformação da penalidade e o Turquel “sobreviveu” ao “Under-Play” sem ver as suas redes violadas. No minuto seguinte João Duarte descortinou novo penalty na área alvinegra, numa bola que bateu inadvertidamente no patim de Luís Silva. O capitão barcelense, Luís Querido, assumiu o duelo individual com Tuga e o guardião turquelense mexeu-se duas vezes antes de a bola partir, em dois momentos consecutivos, tendo visto a cartolina azul. À terceira, mas desta vez frente a Samuel Santos, Luís Querido não conseguiu transformar a oportunidade em golo, mas os “brutos dos queixos” ficaram em inferioridade numérica até bem perto do final, não evitando o 5-2 no último segundo do encontro, fruto do “póker” de Alvarinho, numa excelente “picadinha” desde a esquerda.  

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Municipal de Barcelos

    Dia/Hora: 3 de maio de 2017, às 21:30H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2016/17 (21ª jornada)

    Árbitros: Luís Peixoto (Lisboa), João Duarte (Lisboa) e Carlos Correia (3º árbitro) (Minho)

    O.C. Barcelos/SAD: [01] Ricardo Silva (GR), [19] Luís Querido (C), [74] Miguel Vieira “Vieirinha”, [66] Reinaldo “Rei” Ventura, [9] Hugo Costa (1), [47] Álvaro “Alvarinho” Morais (4), [4] José Pedro Pereira, [7] João “Joca” Guimarães e [8] Rúben Sousa. Não jogou: [10] João Pereira “Ginho” (GR)

    Treinador: Paulo Pereira

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [4] Daniel Matias (2), [53] Pedro Vaz, [9] Vasco Luís (C), [79] Alexandre Marques “Xanoca”, [10] Samuel Santos (GR), [24] André Pimenta, [22] Luís Silva, [57] João Silva “Janeka” e [58] Tiago Mateus

    Treinador: João Simões

    Faltas de Equipa: 12-9

    Disciplina: Cartão Azul a [4] José Pedro Pereira (OCB), [9] Vasco Luís (HCT), [9] Hugo Costa (OCB), [4] Daniel Matias (HCT) e [13] Marco Barros “Tuga” (HCT).

    Resultado ao intervalo: 2-1

    Resultado Final: 5-2

    O HCT voltará à competição apenas a 20 de maio de 2017, na receção à experiente equipa da A. Juventude Viana (21h), sendo que nos dois próximos fins-de-semana há compromissos da Taça de Portugal (06/05) e da Liga Europeia (13/05) respetivamente, pelo que o HCT terá três semanas sem período competitivo para preparar um jogo de vital importância para as suas aspirações. Todo o apoio será pouco para levar a nossa equipa a mais um triunfo.

    Vitória inequívoca sobre pressão

    Pressionada com a obrigatoriedade da vitória, de modo a entrar com força na luta pela manutenção, a equipa do HCT rubricou uma boa exibição frente a um rival direto, o Riba d’Ave HC, diante dos seus adeptos mais fiéis. Um início de primeiro tempo demolidor (2-0 logo aos 3 minutos) trouxe a tranquilidade necessária para encarar um resto de jogo que foi bem mais difícil do que o resultado final (6-1) deixa transparecer. O capitão Vasco Luís “fez as pazes” com os golos e assinou um “hat-trick” ainda no primeiro tempo, o defesa/médio André Pimenta saiu do banco para dar outra vida à equipa, assinando um “bis” que curiosamente também tinha obtido na primeira volta em Riba d’Ave (vitória dos turquelenses por 1-7) e Tuga voltou a demonstrar as credenciais que o tornaram num dos melhores guarda-redes nacionais, parando cinco bolas paradas (3 livres diretos e dois penaltys) e rubricando uma exibição bastante segura, naquela que foi uma vitória sem mácula da melhor equipa em rinque.

    Primeiros minutos da primeira parte e a equipa da casa mostrou ao que vinha, com “bis” do capitão Vasco Luís logo aos três minutos, fruto de duas meias-distâncias frontais ao seu estilo que “furaram” João Gomes Ferreira na baliza minhota. O Riba d’Ave reagiu dois minutos depois, por intermédio do jogador/treinador, Hugo Azevedo, que do alto da sua experiência conseguiu um golo através do jogo atrás da baliza, algo que é uma das suas imagens de marca. O 2-1 ainda fez tremer os alvinegros, mas as mexidas no cinco, com as entradas de Luís Silva e principalmente de André Pimenta, vieram dar outra vivacidade e consistência à equipa orientada por João Simões. A meio do primeiro tempo e quando o Riba d’Ave tinha acabado de pedir o seu desconto de tempo, André Pimenta entrou pela direita do seu ataque e surpreendeu tudo e todos, incluindo o guardião João Gomes Ferreira, colocando a bola ao primeiro poste para fazer o 3-1. Dois minutos depois caiu a 10ª falta de equipa dos forasteiros e Vasco Luís “soltou a bomba” para fazer o seu “hat-trick” e completar o 4-1, que dava muita margem aos da casa. Até ao intervalo destaque para dupla cartolina azul mostrada a Luís Silva (HCT) e a Vítor Hugo Moreira (RAHC), com o jogo parado, eles que se desentenderam momentaneamente. No descanso a vantagem (4-1) era mais do que justa.                   

    O início da segunda metade trouxe um Turquel demasiado cauteloso, à bica com nove faltas de equipa e os visitantes tiveram algum ascendente. Aos seis minutos caiu a 10ª falta de equipa do HCT, e na transformação do devido livre direto Bruno Pinto “Serôdio” avançou para a marca, mas permitiu a Tuga a defesa e o início de uma segunda parte brilhante por parte do “keeper” alvinegro. Quatro minutos depois, Nuno Pereira “Miccoli” caiu na área visitada e Jaime Vieira (Alentejo) assinalou penalty. O mesmo Serôdio, no cara a cara com Tuga, voltou a não conseguir desfeitear o guardião da casa. Dois minutos depois foi a vez do Turquel ter direito a um livre direto, derivado da 15ª falta de equipa do Riba d’Ave, mas Vasco Luís atirou ao poste e na recarga permitiu boa defesa a João Gomes Ferreira. No entanto, no mesmo minuto, o guardião visitante foi impotente para travar o desvio oportuno de André Pimenta (“bis”) na área, após excelente assistência da esquerda por parte de Luís Silva. O 5-1 adensou diferenças, que podiam ter sido ainda maiores dois minutos depois, após cartolina azul mostrada a Hugo Azevedo (derrubou ostensivamente Daniel Matias). Chamado à conversão do respetivo livre direto André Pimenta atirou por cima e não logrou o seu “hat-trick”. Num jogo muito quezilento que acabou com quarenta faltas de equipa no total (vinte para cada lado), o HCT somou quinze à passagem dos quinze minutos e na tentativa de transformação do devido livre direto Tiago Pimenta foi desarmado por Tuga. Foi já nos últimos dois minutos que o jogo voltou a animar, primeiro foi Luís Silva e Hugo Azevedo a verem mais um azul para cada um no encontro, após se desentenderem e depois foi a 20ª falta de equipa do Riba d’Ave que caiu para dar origem ao 6-1, num livre direto superiormente convertido por Daniel Matias, ele que parece estar de volta à sua “velha forma”. No mesmo minuto, Serôdio “cavou” a 20ª falta de equipa do Turquel num lance com André Pimenta, mas o jovem Ricardo Lopes voltou a não levar a melhor sobre Tuga, que se mostrava um “muro” intransponível. O guardião alvinegro finalizou a sua exibição de luxo com nova bola parada defendida, desta feita um penalty que o ainda júnior, Daniel Pinheiro, não conseguiu transformar em golo. A partida terminou logo de seguida, o HCT afastou-se da “linha de água” e poderá encarar os próximos jogos com maior tranquilidade, sabendo que um mau resultado poderá colocar tudo em risco.    

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 22 de abril de 2017, às 21H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2016/17 (20ª jornada)

    Árbitros: Jaime Vieira (Alentejo), Paulo Carvalho (Leiria) e António Peça (3º árbitro) (Leiria)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [4] Daniel Matias (1), [9] Vasco Luís (C) (3), [79] Alexandre Marques “Xanoca”, [22] Luís Silva e [24] André Pimenta (2). Não jogaram: [10] Samuel Santos (GR), [57] João Silva “Janeka” e [58] Tiago Mateus.

    Treinador: João Simões

    Riba d’Ave H.C.: [10] João Gomes Ferreira (GR), [55] Bruno Pinto “Serôdio”, [9] Nuno Pereira “Miccoli”, [5] Raul Meca Lopes (C), [33] Hugo Azevedo (1), [6] Tiago Pimenta, [85] Vítor Hugo Moreira, [4] Daniel Pinheiro e [3] Ricardo Lopes. Não jogou: [20] Afonso Ferro (GR).

    Treinador/Jogador: Hugo Azevedo

    Faltas de Equipa: 20-20

    Disciplina: Cartão Azul a [22] Luís Silva (HCT) [2X], [33] Hugo Azevedo (RAHC) [2X] e [85] Vítor Hugo Moreira (RAHC).

    Resultado ao intervalo: 4-1

    Resultado Final: 6-1

    Na próxima jornada, a 21ª, o HCT tem uma deslocação complicada ao pavilhão do O.C. Barcelos. O jogo com a equipa minhota disputa-se apenas na próxima quarta-feira, 3 de maio de 2017, pelas 21:30h, em virtude da participação do Barcelos na Final Four da Taça CERS (defendem o título conquistado em 2016) no fim-de-semana de 29 e 30 de abril. Na primeira volta em Turquel o Barcelos venceu por 1-4, num jogo em que os turquelenses andaram sempre a correr atrás do prejuízo.

  • Suster ritmo adversário mas sem conseguir pontuar

    Encontro de vital importância para as aspirações de ambos os conjuntos e visita do HCT a Valongo onde nos últimos anos tinha conseguido sempre resultados positivos. Jogo muito intenso, com ritmo alto imposto pelos locais ao longo de quase todo o encontro e com um Turquel a tentar jogar no erro do adversário. Ao intervalo registava-se um nulo que deixava ambos os guarda-redes como as figuras do jogo, principalmente Tuga. No segundo tempo o Valongo fez dois golos quase consecutivos logo no reatamento e Xanoca ainda reduziu num desvio oportuno, fazendo o momentâneo 2-1, mas a equipa turquelense nunca esteve confortável na partida e não teve forças para trazer pelo menos um ponto de Valongo.

    Primeira parte com entrada demolidora por parte dos visitados, que pressionaram logo na saída dos forasteiros e criaram muitas dificuldades ao último reduto turquelense. No entanto, foi o HCT a primeira equipa a dispor de soberana ocasião para inaugurar o marcador, mas com Vasco Luís a desperdiçar uma penalidade sofrida por ele mesmo (falta de Xavi Cardoso). O capitão turquelense permitiu tripla intervenção ao guardião da casa, Leonardo Pais, e o marcador não funcionou. Alguns minutos depois foi a vez do Valongo ter também uma grande penalidade a seu favor, por falta de Pedro Vaz sobre Xavi Cardoso (houve dúvidas se a falta foi fora ou dentro da área), mas a história repetiu-se e Xavi Cardoso atirou por cima da baliza à guarda de Tuga. Com menos de um segundo para terminar a primeira parte e com os dois conjuntos à bica com nove faltas de equipa, Luís Melo fez a 10ª falta de equipa do Valongo de forma intencional sobre André Pimenta, num lance com interpretação dúbia e que poderia ter valido a cartolina azul ao avançado valonguense. A interpretação dos árbitros Rui Torres (Minho) e Orlando Panza (Porto) não foi essa e na marca de livre direto Vasco Luís teve de bater direto, não tendo acertado na baliza. Ao intervalo o 0-0, tendo em conta o caudal ofensivo dos da casa, era lisonjeiro para os forasteiros

    No início do segundo tempo o Valongo voltou a entrar melhor e em dois minutos conseguiu dois tentos que se viriam a revelar decisivos para as contas finais do encontro. Primeiro foi João Almeida que aproveitou a “floresta de jogadores” à frente de Tuga e do meio da rua disparou uma bomba que só parou no fundo da baliza alvinegra. Logo depois foi Pedro Mendes, numa cavalgada desde junto da sua baliza, a ludibriar Vasco Luís e Tuga para fazer o 2-0 com remate ao primeiro poste. O HCT sofreu dois ”murros no estômago” de forma consecutiva, mas teve o condão de reagir e ter o seu melhor momento no encontro, naquela que foi uma exibição globalmente negativa, a contrastar com os sinais positivos que o grupo tinha dado recentemente. Antes da reação dos “brutos dos queixos” destaque para o livre direto da 10ª falta de equipa do Turquel, desperdiçado por Rúben Pereira, ele que permitiu tripla intervenção a Tuga. O Valongo não “matou” o encontro e logo de seguida Vasco Luís disparou do meio da rua para Xanoca desviar à frente de Leonardo Pais, anotando o 2-1 que trazia esperança aos alvinegros, com mais de dez minutos para jogar. A equipa subiu linhas, mas nunca conseguiu importunar o último reduto visitado e até podia ter sofrido pelo menos mais um golo, em nova penalidade desperdiçada pelos da casa, desta feita pelo capitão Rúben Pereira, ele que não conseguiu desfeitear um recém-entrado Samuel Santos. A partida arrastou-se para o fim e terminou mesmo com um 2-1 no marcador que castigou a inoperância visitante, num jogo em que a equipa turquelense deveria ter feito bem mais.  

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Municipal de Valongo

    Dia/Hora: 8 de abril de 2017, às 18:30H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2016/17 (19ª jornada)

    Árbitros: Rui Torres (Minho), Orlando Panza (Porto) e Manuel Leite (3º árbitro) (Porto)

    A.D. Valongo: [10] Leonardo Pais (GR), [39] Xavier “Xavi” Cardoso, [6] João Guimarães, [57] Rúben Pereira (C), [23] João Almeida (1), [81] Pedro Freitas (GR), [9] Guilherme Silva, [49] Pedro Mendes (1), [20] Luís Melo e [8] Diogo Seixas.

    Treinador: Miguel Viterbo

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [4] Daniel Matias, [53] Pedro Vaz, [22] Luís Silva, [9] Vasco Luís (C), [10] Samuel Santos (GR), [79] Alexandre Marques “Xanoca” (1), [24] André Pimenta e [57] João Silva “Janeka”. Não jogou: [58] Tiago Mateus.

    Treinador: João Simões

    Faltas de Equipa: 13-13

    Disciplina: Nada a assinalar.

    Resultado ao intervalo: 0-0

    Resultado Final: 2-1

    No próximo sábado, 22 de abril de 2017 pelas 21 horas, jogo fundamental para as aspirações turquelenses, que depois de terem caído abaixo da “linha de água”, recebem um adversário direto na luta pelas contas pela manutenção, o Riba d’Ave HC. Os minhotos estão três pontos acima dos “brutos dos queixos” e uma vitória visitada coloca o Turquel com vantagem no confronto direto, tendo em conta que na primeira volta em Riba de Ave os comandados de João Simões somaram a primeira e única vitória fora de portas, triunfando por expressivos 1-7. A não perder!

    Vitória tangencial mantém equipa na luta

    Depois do desaire pela margem mínima (2-3) em casa frente ao Benfica, a equipa de Seniores Femininos do HCT deslocou-se até São João do Estoril para defrontar a A.J. Salesiana na 6ª jornada da Fase Final de Seniores Femininos. Na primeira fase as duas equipas tinham empatado a duas bolas no mesmo local e neste momento o triunfo era vital para as alvinegras não deixarem Benfica e Stuart fugirem no topo da tabela classificativa. A equipa turquelense acabou por rubricar uma primeira parte de bom nível e “cavou” uma diferença importante de 1-3 para depois gerir os acontecimentos na segunda parte e triunfar pela margem mínima.

    A primeira metade foi crucial para o desfecho do encontro, com as alvinegras a rubricaram uns primeiros vinte minutos de grande categoria, criando um “fosso” perante um adversário muito físico. Sofia Vicente “bisou” e Beatriz Várzeas fez um golo contra apenas um tento de Joana Cruz. Ao intervalo o 1-3 registado no marcador marcou toda a diferença.

    No segundo tempo Beatriz Alves reduziu para 2-3 e colocou em perigo o triunfo alvinegro, mas as forasteiras controlaram sempre as incidências e, apesar de não mais terem conseguido desfeitear Ana Rita Sequeira na baliza das da casa, “levaram a água ao seu moinho” e trouxeram os três pontos para Turquel, num jogo duro e intermitentemente bem apitado por José Nave de Lisboa.     

    Neste domingo, 2 de abril de 2017 pelas 17:30h, as alvinegras recebem o CH Carvalhos na 7ª jornada da prova, num jogo que será importante para “dar uma sapatada” num adversário que está a apenas a três pontos da formação orientada por Hélder Coelho.

    Foto de Arquivo: Carmo Honório

  • Campanha solidária ajuda Rodrigo

    Em paralelo com a realização dos dois jogos de Seniores Masculinos entre o HC Turquel e o SL Benfica, a contar para os 16 Avos-de-Final da Taça de Portugal e para a 18ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª Divisão respetivamente, realizados no final do mês de Março, ambos os clubes “deram as mãos” numa campanha de solidariedade para ajudar Rodrigo Marques e seus pais, na angariação de fundos para a compra de um aparelho de mobilidade (andarilho) para o jovem residente em Turquel.

    Foram sorteadas duas camisolas, uma do HCT e outra do SL Benfica, sendo que a da casa calhou em sorte ao portador do bilhete nº 19848 e a dos visitantes ao portador do bilhete nº 19804. Ambos os artigos renderam um pouco mais de três centenas de euros, mais precisamente 315,54€, numa ação de louvar e que marca a postura preocupada e solidária de ambas as instituições perante a população envolvente.

    O HC Turquel expressa por esta via o seu agradecimento a todos os que contribuíram para ajudarem o Rodrigo Marques a ter um dia a dia mais produtivo, remetendo também os seus agradecimentos ao S.L. Benfica, pela cedência da camisola autografada por todos os elementos do seu plantel do hóquei em patins.

    Uma história diferente com o mesmo desfecho

    No “remake” do jogo da Taça realizado sete dias antes e que apurou os encarnados para os oitavos-de-final da Taça de Portugal, no golo de ouro (3-4), o HCT voltou a receber o S.L. Benfica, num jogo de “lotação esgotada” e que teve honras de transmissão televisiva (TVI24). Cerca de 1800 pessoas puderam assistir a mais um grande espetáculo e quem pagou bilhete não pode ter dado o seu dinheiro por mal empregue. Os pupilos de Pedro Nunes entraram melhor e tentaram passar uma imagem diferente daquela que tinham dado na Taça, conseguiram-no com uma ligeira ajuda de uma dupla de arbitragem de Lisboa que viu um penalty inexistente logo no início e que admoestou André Pimenta com uma cartolina azul surreal e caricata. Ao intervalo, o golo de Luís Silva não chegou para os tentos de João Rodrigues, Diogo Rafael, Jordi Adroher e Valter Neves, sendo que a diferença (1-4) no marcador já era substancial. Com Trabal de regresso, após castigo de dois jogos, mais indisposto (saiu ao intervalo), Diogo Almeida surgiu na baliza encarnada no segundo tempo, mas não conseguiu evitar que Vasco Luís reduzisse de livre direto, ainda que, o filho da terra Diogo Rafael (“hat-trick”), em dois momentos quase consecutivos, tenha colocado uma diferença no marcador que levou a equipa forasteira a relaxar perigosamente. Aproveitou João Silva “Janeka” ao marcar dois golos de belo efeito, que colocaram em sentido um adversário que demonstrou alguma sobranceria, principalmente no segundo tempo. Luís Silva com um grande golo e uma exibição de raça, assim como Janeka, com alguns apontamentos de fino recorte técnico, destacaram-se de entre os turquelenses, num encontro com mais uma boa exibição coletiva e em crescendo por parte dos visitados.

    Primeiro tempo começou com o golo forasteiro logo aos dois minutos, num lance de penalidade, que deixou muitas dúvidas. João Rodrigues caiu na área, mas os jogadores do Turquel pareceram jogar apenas a bola. O mesmo João Rodrigues não se amedrontou com os protestos e mostrou ser um especialista na arte do penalty inaugurando o marcador. No mesmo minuto e na outra área, Vasco Luís parece ter sido derrubado, mas desta vez o critério não foi o mesmo e a atuação da dupla Luís Peixoto/João Duarte começava a ser contestada pelos da casa desde cedo. Cinco minutos depois, Diogo Rafael, a jogar na terra que o viu crescer para a modalidade, fez o 0-2 num lance em que encurralou Luís Silva contra Tuga e à meia volta fez o golo. A equipa comandada por João Simões parecia aturdida, mas reagiu sete minutos depois, num momento de inspiração de Luís Silva, que colocou a bola ao primeiro poste, de ângulo reduzido, surpreendendo tudo e todos, incluindo Trabal. Tudo parecia nivelado de novo e o Benfica acumulava faltas de equipa, chegando rapidamente às nove. Com seis minutos para jogar no primeiro tempo Luís Peixoto voltou a ser protagonista, admoestando o recém-entrado André Pimenta por este supostamente ter prensado Miguel Rocha na tabela, quando se percebeu claramente que o camisola 24 turquelense tinha ganho apenas e só a frente ao “gigante” encarnado, com este último a aproveitar o contacto para fazer o cenário que Peixoto acabou por corroborar. Na transformação do livre direto Jordi Adroher reeditou o duelo do golo de ouro com Tuga e conseguiu mais uma vez levar a melhor sobre o guardião alvinegro. No mesmo minuto caiu a 10ª falta de equipa do Benfica, mas Luís Silva não conseguiu converter o respetivo livre direto, permitindo boa intervenção de Trabal. Não marcou o Turquel, marcou o Benfica, num ataque rápido muito bem desenhado por Carlos Nicolia e Miguel Rocha, até ao toque final do capitão Valter Neves. O jogo chegou ao intervalo com um resultado de 1-4, que não espelhava a boa réplica dada pelos da casa.                 

    Na etapa complementar o “portero” catalão, Guillem Trabal, ficou no banco com uma indisposição e Diogo Almeida assumiu a baliza dos visitantes e o guardião que tinha estado na guarda das redes no jogo da Taça foi testado logo no início do segundo tempo, no “frente a frente” com Vasco Luís, num livre direto a castigar azul mostrado a Miguel Rocha (enganchou Luís Silva). O capitão turquelense levou mesmo a melhor e colocou o resultado em 2-4, trazendo uma réstia de esperança aos adeptos da casa. Contudo, dois minutos depois, Diogo Rafael “bisou” num livre saído do “laboratório” encarnado, esfriando os ânimos dos adeptos da sua terra. Um minuto depois, o mesmo jogador, depois de um lance infeliz de Daniel Matias, aproveitou mais uma assistência de Carlos Nicolia e completou o seu “hat-trick”. Estava feito o 2-6 e os forasteiros, do alto do seu favoritismo, baixaram a guarda e mostraram alguma altivez que foi benéfica para os turquelenses. Aos onze minutos caiu a 15ª falta de equipa do Benfica e Vasco Luís voltou a enfrentar Diogo Almeida em novo livre direto, mas desta feita o capitão alvinegro atirou ao travessão da baliza contrária e na recarga Diogo Almeida mostrou qualidade a tapar o ângulo de remate ao avançado visitado. No minuto seguinte, Pedro Vaz viu a cartolina azul por derrubar com o pé Nicolia e entrou Samuel Santos para assumir a tentativa de parada do livre direto a Jordi Adroher. O guardião turquelense teve sucesso e conseguiu também, juntamente com três companheiros, suster os dois minutos de inferioridade numérica a que a equipa foi sujeita, antes de voltar a dar lugar de novo a Tuga. A partir daqui João Simões arriscou e colocou em rinque um conjunto de atletas com características marcadamente ofensivas, composto por Daniel Matias, Vasco Luís, Janeka e pelo jovem Tiago Mateus e a equipa respondeu positivamente ao risco. A seis minutos do fim Janeka abriu o livro e desde trás da baliza desafiou os limites da lei para levantar o pavilhão no 3-6, antes de João Rodrigues desperdiçar nova penalidade, desta feita frente ao reentrado Samuel Santos (ficou na baliza turquelense até ao fim do jogo a partir daqui). O desperdício do camisola nove benfiquista foi punido logo em seguida com mais um momento de puro génio de Janeka que passou a toda a velocidade por Miguel Rocha e com Diogo Almeida pela frente colocou a bola por entre as pernas do guardião visitante, levando ao delírio um pavilhão a “rebentar pelas costuras”. Faltavam quatro minutos para o término do encontro, Pedro Nunes mostrou mais comedimento nas suas mexidas, o Turquel tentou subir linhas mas foi sempre tímido nas suas tentativas e o jogo arrastou-se até final, com o sinal da excelente réplica dos da casa a prevalecer mas a não chegar para tirar pontos do segundo encontro entre as duas equipas na mesma semana.              

    Ficha Técnica:

    Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

    Dia/Hora: 26 de março de 2017, às 17H

    Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2016/17 (18ª jornada)

    Árbitros: Luís Peixoto (Lisboa), João Duarte (Lisboa) e Rui Nave (3º árbitro) (Lisboa)

    H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [4] Daniel Matias, [22] Luís Silva (1), [9] Vasco Luís (C) (1), [10] Samuel Santos (GR), [79] Alexandre Marques “Xanoca”, [24] André Pimenta, [57] João Silva “Janeka” (2) e [58] Tiago Mateus.

    Treinador: João Simões

    S.L. Benfica: [10] Guillem Trabal (GR), [2] Valter Neves (C) (1), [4] Diogo Rafael “Chiquinho” (3), [5] Carlos Nicolia, [9] João Rodrigues (1), [23] Diogo Almeida (GR), [7] Jordi Adroher (1), [44] Miguel Rocha e [55] João Sardo. Não jogou: [6] Gonçalo Pinto.

    Treinador: Pedro Nunes

    Faltas de Equipa: 8-17

    Disciplina: Cartão Azul a [24] André Pimenta (HCT), [44] Miguel Rocha (SLB) e [53] Pedro Vaz (HCT).

    Resultado ao intervalo: 1-4

    Resultado Final: 4-6

    Neste fim-de-semana não há jogo em virtude da realização dos oitavos-de-final da Taça de Portugal e da 2ª Mão dos quartos-de-final da Liga Europeia, pelo que o HCT apenas volta à ação no sábado, dia 8 de abril de 2017 pelas 18:30h, com uma deslocação tremendamente complicada a Valongo. As equipas já se defrontaram por quatro vezes esta temporada, três delas no espaço de menos de quinze dias, na pré-temporada, com o HCT a vencer por 6-2 em jogo a contar para o Torneio Dr. Joaquim Guerra em Turquel, depois os alvinegros voltaram a triunfar sobre os de Valongo por 3-2 na Elite Cup em Coimbra, e por fim, no Torneio Cidade de Valongo – Memorial Carlos Figueira, os comandados de Miguel Viterbo triunfaram por 4-3. Em novembro, na 6ª jornada da primeira volta do Campeonato Nacional da 1ª Divisão, em Turquel, as equipas empataram 3-3, num jogo que ficou decidido já dentro do último minuto, num livre direto a favor dos valonguenses, que na altura deu o empate a três bolas. Prevê-se equilíbrio e muita emoção num jogo vital para as aspirações de ambos os conjuntos.

Procurar por época

Publicidade

Formação

facebook

 
 

.

Localização

Contactos

Telefone: 262919 244

email: secretaria@hct.pt

web: www.hct.pt