A segunda e terceira jornadas da XI edição do Torneio Dr. Joaquim Guerra mostraram que o equilíbrio entre as quatro formações foi a nota de maior destaque do certame e trouxe a conquista do ceptro por parte da equipa do HCT que, após um jogo menos conseguido na primeira jornada frente ao Tomar, retificou atitudes e superiorizou-se a Cambra e Braga para levar o 1º lugar para a vitrina do seu “museu”. Saiba tudo aqui.

No primeiro jogo do dia, logo pela manhã, Braga e Tomar mediram forças num encontro muito equilibrado que teve golos no início, com o Braga a chegar ao 2-0 por Luís Filipe e Rúben Pereira e com o Tomar a reduzir antes do intervalo numa penalidade convertida pelo veterano Nuno Domingues. O segundo tempo foi de equilíbrio e poucos golos, com o marcador apenas a mexer nos últimos dois minutos. Primeiro foi o Tomar a empatar a duas bolas, com Nuno Domingues a “bisar”, novamente de grande penalidade, e a cerca de trinta segundos do fim a 10ª falta de equipa do Tomar permitiu a Rodrigo Sousa fechar as contas em 3-2 a favor dos bracarenses.

No segundo encontro da manhã o HCT defrontou o Cambra, que no dia anterior tinha sido copiosamente derrotado pelo Braga (2-7), e entrou em rinque com a missão de tentar retificar o mau jogo protagonizado frente ao Tomar (3-3). A entrada em jogo por parte dos alvinegros não foi muito positiva e o jovem Tomás Castanheira adiantou os cambrenses. Contudo, a resposta foi imediata e Daniel Matias e o reforço Pedro Vaz, com duas stickadas de meia distância, fizeram a reviravolta. Antes do intervalo, o Cambra empatou por intermédio de António Leal, que aproveitou uma defesa incompleta do guardião Samuel Santos para recargar com êxito e fazer o 2-2 com que se chegou ao descanso. O segundo tempo só deu Turquel e Paulo Passos, vindo de trás da baliza, colocou os da casa na frente por 3-2.
Para fechar as contas Daniel Matias “bisou” naquele que foi o golo da jornada, com mais uma meia distância poderosa e colocada para o 4-2 final. Veja aqui o resumo deste jogo num grande trabalho da HCTv.

Na jornada da tarde o primeiro embate colocou frente a frente as equipas do Tomar e do Cambra e o equilíbrio foi novamente a nota dominante. O avançado José Braga colocou os nortenhos na frente, mas em seguida desviou para a própria baliza uma stickada de Luís Silva, 1-1. Pouco tempo depois Ângelo Miguel puxou dos galões e stickou forte para o 2-1 a favor dos “canários”. Até ao intervalo apenas realce para uma grande penalidade desperdiçada por Nuno Domingues do lado nabantino. Na segunda metade houve reação do Tomar, que virou os acontecimentos, e Luís Silva (ex BIR Valado dos Frades) foi protagonista ao anotar dois tentos, completando deste modo um “hat trick” que colocou o Tomar na frente, 2-3. Já no final, uma grande penalidade superiormente convertida por José Braga, deu o empate e o primeiro ponto à equipa de Cambra no certame.

O último jogo da tarde decidiria o vencedor do torneio, sendo que ao Braga bastava o empate e ao HCT era necessária a obtenção dos três pontos para reconquistar um troféu que tinha conseguido há dois anos atrás. Entrou melhor o Braga que se adiantou por intermédio de Daniel Coelho “Kika” na transformação de uma grande penalidade, respondeu o HCT por intermédio do “baixinho” Paulo Passos, que faturou numa das suas jogadas típicas. Ao intervalo empate, 1-1. O segundo tempo foi mais movimentado e mais polémico, com os atletas, treinadores e directores do Braga muito nervosos com as decisões menos consentâneas por parte da dupla de arbitragem de Leiria, composta por Paulo Carvalho e Orlando Ramos, e o encontro foi incaracterístico, com o Braga a jogar constantemente em inferioridade numérica.
Alheada de todos esses “incidentes” a equipa alvinegra construiu o seu próprio caminho, colocou-se na frente por intermédio de Pedro Vaz e do júnior Xavier Lourenço, de grande penalidade, que marcou o seu primeiro tento num confronto de gerações entre este e o veterano Guilherme Silva na baliza bracarense. “Kika viria a “bisar”, novamente de penalty, para o 3-2 e mais tarde Xavier Lourenço brilharia de novo, na transformação de um livre direto, colocando o HCT a vencer por 4-2 com o seu “bis”. Numa reação fugaz, Rodrigo Sousa viria a reduzir numa recarga, mas não conseguiu evitar o triunfo dos anfitriões (4-3) e a consequente conquista do troféu de primeiro lugar.

Para terminar, importa referir que o XI Torneio Dr. Joaquim Guerra foi um evento que mostrou quatro equipas de grande qualidade e depois da desistência inoportuna do bi campeão europeu, Liceu da Corunha, o Tomar mostrou-se um digno substituto, com uma equipa recheada de valores e que enobreceu os espetáculos. Em síntese ficam alguns números do torneio:

Classificação:

Melhor Ataque: H.C. Braga (13 golos marcados)

Melhor Defesa: H.C. Turquel e H.C. Braga (8 golos sofridos)

Marcadores: