Entrada no novo ano de 2018, com o HCT a receber o Valença H.C., equipa com três pontos a mais na tabela classificativa. Depois de alguns empates menos conseguidos no Gimnodesportivo de Turquel, só uma vitória interessaria aos comandados de Jorge Godinho, diante dos seus adeptos, para saírem dos lugares de baixo da classificação. O jogo teve um início claudicante para os de Turquel, que entraram a medo e viram o adversário utilizar toda a sua matreirice, mas as mexidas a meio do primeiro tempo surtiram efeito e os alvinegros chegaram rapidamente ao 2-0, com que se atingiu o descanso. A entrada no segundo tempo foi desastrosa e os forasteiros igualaram em dois momentos quase consecutivos. Contudo, impulsionados pelos seus fantásticos adeptos, os “brutos dos queixos” foram em busca da vitória, colocaram-se na frente com dois golos à maior (4-2) e geriram os acontecimentos até final, apesar de ainda terem sofrido o 4-3 de penalty bem perto do fim.

Primeiro tempo com entrada muito “mole” por parte dos da casa, que apresentaram muito pouca dinâmica em ataque organizado e dificuldades em conseguir estancar o jogo direto do Valença. A equipa minhota tentou sempre pausar o jogo e levar a “água ao seu moinho” com o argentino Guido Pellizari à cabeça, assim como Zé Braga e o veterano, Luís Viana “Zorro” (41 anos de idade), a fazerem uso da sua experiência para retardarem ao máximo o golo turquelense. Com dez minutos jogados Vasco Luís caiu na entrada da área do Valença e, José Santos, um dos árbitros da partida, apontou para a marca da penalidade. O mesmo Vasco Luís perante a oposição do guardião canhoto dos minhotos, Rodolfo Sobral, atirou ao lado, gorando-se uma excelente oportunidade para se inaugurar o marcador. Sete minutos depois o capitão turquelense redimiu-se do desperdício e aproveitou uma recarga a remate de Daniel Matias para dar a primeira alegria da noite (1-0) ao povo turquelense. Um minuto volvido e Daniel Matias concluiu um contra-ataque 3x2, recargando com êxito um primeiro remate feito por si, deixando o marcador em 2-0. Até ao intervalo o ascendente foi dos visitantes, que forçaram o seu jogo interior e a meia-distância, mas o resultado não mais se alteraria nos primeiros vinte e cinco minutos.                     

Na segunda metade os da casa “adormeceram” sobre a vantagem de dois golos que traziam do primeiro tempo e entraram de forma desastrada. Logo aos quatro minutos o argentino Guido Pellizari reduziu num remate poderoso de meia-distância, num livre à entrada da área visitada, e menos de dois minutos depois foi o veterano Luís Viana, em jogada individual, a passar a oposição de André Moreira para igualar a duas bolas com remate enrolado à meia volta. Voltou tudo à forma inicial e a ansiedade apareceu nos rostos dos atletas da casa, assim como nos rostos dos adeptos nas bancadas. A equipa demorou a reagir, mas ao contrário do que se poderia esperar foi tranquila e paciente e conseguiu passar de novo para a frente a doze minutos do final do encontro, numa iniciativa individual de Pedro Vaz, que assistiu André Moreira no coração da área e o pivot turquelense “empurrou” para o 3-2. Dois minutos volvidos caiu a 10ª falta de equipa do Valença e Vasco Luís, na conversão do respetivo livre direto atirou ao lado numa primeira instância, mas Rodolfo Sobral mexeu-se bem antes da bola partir e na repetição da conversão, o capitão turquelense enviou um míssil para o fundo da baliza forasteira, colocando o resultado em 4-2. Até final os turquelenses controlaram as incidências, com longas trocas de bola e fizeram com que o adversário subisse as linhas, mas nunca conseguiram “disparar” no marcador, apesar de terem tido inúmeras oportunidades para o fazerem, sendo que Rodolfo Sobral, o guardião dos minhotos, se cotou como um dos melhores elementos em rinque, principalmente no duelo particular com André Moreira. Com menos de dois minutos para jogar, numa desatenção em transição, Pedro Vaz parece derrubar Luís Viana na área e o penalty foi assinalado. O mesmo Luís Viana, do alto dos seus 41 anos de idade, bateu Tuga na conversão do castigo máximo e colocou incerteza no marcador com o 4-3. Ambas as equipas estavam tapadas com faltas de equipa, o HCT com nove e o Valença com catorze, e caiu primeiro a dos forasteiros. Na conversão do devido livre direto, já bem dentro do último minuto do encontro, Luís Silva permitiu a defesa a Sobral, sendo que Guido Pellizari tinha visto a cartolina azul segundos antes por provocações ao camisola 22 alvinegro. Até final, com menos um elemento em rinque o Valença ainda tentou “cavar” a 10ª falta de equipa do Turquel, mas os seus intentos e as simulações de queda não surtiram efeito, sendo que os três pontos ficaram em casa, diga-se, com toda a justiça!

Ficha Técnica:

Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

Dia/Hora: 6 de janeiro de 2018, às 21H

Competição: Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins 2017/18 (11ª jornada)

Árbitros: José Santos (Aveiro), Paulo Almeida (Aveiro), Orlando Ramos [3º Árbitro] (Leiria) e António Peça [4º Árbitro] (Leiria)

H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [24] André Pimenta, [9] Vasco Luís (C) (2), [79] André Moreira (1), [4] Daniel Matias (1), [57] João Silva “Janeka” e [22] Luís Silva. Não jogaram: [10] Samuel Santos (GR) e [58] Tiago Mateus.

Treinador: Jorge Godinho

Valença H.C.: [10] Rodolfo Sobral (GR), [92] Guido Pellizari (1), [9] Nuno Pereira “Miccolli”, [44] José Campos “Ziga”, [7] José “Zé” Braga, [4] Luís Viana “Zorro” (2), [20] Miguel “Micha” Fernandes (C), [77] Hélder Martins e [54] Tiago Pereira “Bolinhas”. Não jogou: [23] Carlos “Carlitos” Silva (GR).

Treinador: Orlando Graça

Faltas de Equipa: 9-15

Disciplina: Cartão Azul a [92] Guido Pellizari (VHC).

Resultado ao intervalo: 2-0

Resultado Final: 4-3

No próximo sábado, dia 13 de janeiro de 2018 em França, pelas 20:30h locais, menos uma hora em Portugal Continental, o HCT joga a 2ª Mão dos Oitavos-de-Final da Taça CERS frente ao SCRA Saint Omer de Xavier Lourenço e do guarda-redes Edu Leitão, ambos produtos dos escalões de formação alvinegros. Na 1ª Mão em Turquel, no início de dezembro, os turquelenses venceram por 2-1, uma margem mínima que deixa tudo em aberto para o jogo decisivo em Saint Omer. Será certamente um jogo bem discutido entre duas equipas com bons valores individuais e com equilíbrio coletivo.

Fotos: Carmo Honório