Fecho da primeira volta com o HCT a receber o Braga na 13ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª Divisão e a consentir mais um empate (3-3) frente a uma equipa que se encontra abaixo de si na classificação. Os turquelenses acabaram mesmo o primeiro turno como os “reis dos empates”, somando cinco igualdades (Infante Sagres, Grândola, Tomar, Oliveirense e Braga) em 13 jogos, uma delas fora de portas (3-3 em Grândola) e outras quatro em casa. Os clubes que mais se aproximaram dos “brutos dos queixos” neste “campeonato da partilha de pontos” foram Grândola, Tomar, Juventude Viana e Oliveirense, cada um deles com três empates. Os comandados de Jorge Godinho entraram neste jogo frente ao Braga com pouco dinâmica, mas conseguiram chegar-se à frente com dois golos à maior (André Pimenta e Vasco Luís respetivamente) e mostraram de novo uma faceta que vem marcando a temporada 2017/2018, com os adversários recuperarem as desvantagens, e a equipa a não conseguir “disparar” no marcador, principalmente nos jogos em casa. O Braga empatou o jogo a duas bolas antes do intervalo e no segundo tempo colocou-se em vantagem (2-3), depois de uma má entrada em “cena” da formação alvinegra. O defesa/médio André Pimenta (o melhor dos turquelenses) empatou de novo o jogo, “bisando” no encontro com uma longa distância surpreendente e até final os da casa dominaram, carregaram sobre o adversário, atiraram bolas ao ferro (a incrível soma de sete durante todo o jogo) da baliza do guardião bracarense, Xico Veludo, ele que tirou um livre direto e um penalty a Vasco Luís já perto do fim, sendo que posteriormente Samuel Santos e Tuga também negaram um penalty e um livre direto respetivamente a Ângelo Fernandes e a Bekas, deixando tudo empatado a três bolas.

Primeira metade pouco entusiasmante dentro e fora de rinque, com a equipa alvinegra a entrar de forma pouco segura e confiante, apresentando uma circulação de bola em ataque organizado pouco convicta e as bancadas, apesar de bem compostas, a mostrarem pouco fulgor no apoio à equipa. O Braga apareceu a jogar no erro adversário, mas mostrou bastantes debilidades defensivas e só o guarda-redes Veludo ia chegando para as encomendas. Um pouco contra o marasmo que se verificava no jogo o HCT chegou à vantagem, foi aos nove minutos que André Pimenta recebeu um passe de Pedro Vaz no corredor esquerdo e surpreendeu tudo e todos com uma meia-distância forte e colocada ao primeiro poste, batendo Veludo pela primeira vez. O camisola 24 turquelense estreou-se a marcar esta época em jogos oficiais, ele que era o único jogador de rinque do plantel que ainda não tinha marcado qualquer golo em 2017/2018. Um minuto depois, foi a vez do capitão Vasco Luís aproveitar uma sobra à frente da área dos minhotos, passar por Tomás Castanheira e deitar Veludo para fazer o 2-0. Tudo parecia encaminhado para uma grande noite, com contornos de maior tranquilidade do que em partidas anteriores. No entanto foi pura ilusão, pois a equipa visitada, apesar de ter estabilizado o seu jogo e de ter mantido o Braga longe da sua baliza, acusou alguma intranquilidade pouco explicável e deixou o Braga reduzir a três minutos do intervalo, num lance difícil de digerir, com Daniel Matias a perder a bola para o jovem internacional António Trabulo quando já estava em processo de transição ofensiva e este último a assistir Bekas no interior da área de Tuga, que só teve de encostar para fazer o 2-1. Sem estar decorrido ainda um minuto, o mesmo Bekas ludibriou a marcação de Daniel Matias e a movimentação entre postes de Tuga e colocou a bola no “buraco da agulha”, “bisando” e levando o jogo incrivelmente e imerecidamente igualado (2-2) para o descanso.                      

Após o intervalo esperava-se uma reação forte e decidida por parte dos jogadores da casa, mas a equipa entrou “amorfa” e com pouco sentido prático no segundo tempo, privilegiando a condução de bola ao invés da circulação rápida em ataque e defensivamente mostrou pouco rigor individual. O Braga aproveitou o momento para crescer no jogo e aos nove minutos António Trabulo, um dos melhores jogadores em rinque do lado minhoto, recebeu a bola na esquerda do seu ataque e com um remate de pulso de fora da área venceu a oposição da marcação individual de André Moreira e do posicionamento de Tuga para fazer o impensável e colocar os visitantes em vantagem por 2-3. O “murro no estômago” foi grande e a equipa demorou a reagir, mas Jorge Godinho mostrou-se inconformado e fez saltar do banco Tiago Mateus e Janeka, a equipa perdeu alguma organização, mas ganhou claramente mais raça, poder de choque e sangue novo para poder lutar por todas as bolas. A “dupla cartada” jogada pelo treinador dos da casa revelou-se frutífera e André Pimenta igualou a três bolas sete minutos depois do golo do Braga, com uma longa distância fantástica que levou ao delírio todos os presentes. Foi o “bis” de Pimenta ele que anotou dois golos de belíssimo efeito no jogo, os dois primeiros da sua conta pessoal na temporada. Estavam lançados os últimos nove minutos, que foram de total “assalto” à baliza do Braga. A cerca de seis minutos do fim caiu a 10ª falta de equipa do Braga e Vasco Luís, chamado à conversão do respetivo livre direto, permitiu uma primeira intervenção a Veludo e na recarga atirou uma das sete bolas que os da casa enviaram aos ferros da baliza minhota, em noite de desperdício. Dois minutos depois o mesmo Vasco Luís foi carregado na área bracarense por Márcio Rodrigues quando se preparava para fazer o golo, a cartolina azul foi mostrada ao camisola sete visitante e Vasco Luís avançou para a marca da grande penalidade, mas mais uma vez não conseguiu desfeitear Xico Veludo, ele que parecia estar intransponível. Em Power-Play os turquelenses forçaram a nota, mas o melhor que conseguiram foi mais uma bola no ferro por intermédio do jovem Tiago Mateus e a superioridade numérica esfumou-se rapidamente. Na entrada dos últimos dois minutos, o Braga, sem ter feito muito por isso, poderia ter levado os três pontos para casa, imagine-se. A equipa comandada por Vítor Silva dispôs de duas ocasiões soberanas para o conseguir, primeiro num penalty discutível, cometido por Daniel Matias sobre Gonçalo Meira, que o recém-entrado Samuel Santos conseguiu parar (primeiro remate e a recarga) a Ângelo Fernandes e já nos segundos finais foi Bekas a ser desarmado por Tuga, num livre direto a castigar azul a Vasco Luís por rasteira a Ângelo Fernandes. Prevaleceu o empate a três bolas, num jogo em que claramente e mais uma vez o HCT tinha de ficar com os três pontos.  

Ficha Técnica:

Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

Dia/Hora: 20 de janeiro de 2018, às 21H

Competição: Campeonato Nacional da 1ª Divisão de Hóquei em Patins 2017/18 (113 jornada)

Árbitros: Júlio Teixeira (Minho), Paulo Almeida (Aveiro), Orlando Ramos [3º Árbitro] (Leiria) e António Peça [4º Árbitro] (Leiria)

H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [24] André Pimenta (2), [9] Vasco Luís (C) (1), [7] André Moreira, [10] Samuel Santos (GR), [22] Luís Silva, [4] Daniel Matias, [58] Tiago Mateus e [57] João Silva “Janeka”.

Treinador: Jorge Godinho

H.C. Braga SAD: [1] Francisco “Xico” Veludo (GR), [9] Carlos Loureiro, [6] Ângelo Fernandes (C), [87] Tomás Castanheira, [17] Gonçalo Suíssas, [4] António Trabulo (1), [7] Márcio Rodrigues, [16] Gonçalo Meira e [73] Pedro Delgado “Bekas” (2). Não jogou: [10] Gabriel Costa (GR).

Treinador: Vítor Silva

Faltas de Equipa: 5-13

Disciplina: Cartão Azul a [7] Márcio Rodrigues (HCB) e [9] Vasco Luís (C) (HCT).

Resultado ao intervalo: 2-2

Resultado Final: 3-3

No próximo sábado, dia 27 de janeiro de 2018 pelas 21h, o HCT inicia a segunda volta com novo jogo em casa, recebendo mais uma equipa minhota, o O.C. Barcelos SAD, bi-campeão da Taça CERS. As duas equipas já se defrontaram por duas vezes na presente temporada, a primeira no Torneio Dr. Joaquim Guerra em Turquel na pré-temporada, com os alvinegros a vencerem por 3-2 e o segundo jogo na 1ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª Divisão em Barcelos, com os minhotos a vencerem por 2-1. Espera-se, portanto, mais um jogo de equilíbrio e de resultado incerto até ao fim, com muito em bom público nas bancadas do Gimnodesportivo de Turquel. Não falte! 

Fotos: Carmo Honório