Sem vencer desde 13 de janeiro último (3-5 em Saint Omer em jogo a contar para a Taça CERS) e após dois empates em casa (3-3 com o Braga e 5-5 com o Barcelos) e duas derrotas fora (5-1 com o Valongo e 5-3 com o Paço de Arcos), o H.C. Turquel viajou até Riba d’Ave para defrontar o líder da 2ª Divisão – Zona Norte nos 16 Avos-de-Final da Taça de Portugal e deu-se muito mal com os ares minhotos, ao sair derrotado de forma pesada, por esclarecedores 6-1. Perante uma equipa que desceu da 1ª Divisão no final de 2016/17, numa decisão polémica de “secretaria”, os alvinegros sabiam das dificuldades que poderiam ser apresentadas pela formação orientada pelo treinador/jogador, Hugo Azevedo. O Parque das Tílias (pavilhão do Riba d’Ave) foi mesmo um inferno para os comandados de Jorge Godinho, que voltaram a entrar mal no jogo, tal como em Paço de Arcos, chegando ao intervalo a perder por 3-0. No segundo tempo a equipa alvinegra subiu as suas linhas, como se impunha, mas destapou o último reduto e pagou bem cara a ousadia. Mais três golos visitados deram expressão impensável ao marcador e nem o tento de André Moreira a dois minutos do fim atenuou o “peso” da derrota e a consequente eliminação da Taça de Portugal.

Primeiro tempo com entrada desastrada dos turquelenses, que logo aos três minutos viram o treinador/jogador, Hugo Azevedo, aproveitar uma defesa de Tuga para a frente, para fugir à oposição de Pedro Vaz, encostar fácil e inaugurar o marcador. Três minutos depois Bruno Pinto “Serôdio” fugiu a André Moreira pela direita e, já no interior da área turquelense caiu no chão, naquilo que pareceu uma queda bem forçada. A dupla de arbitragem acabou por ir na “cantiga” do camisola 55 do Riba d’Ave e apontou para a marca da grande penalidade. O mesmo Serôdio assumiu a conversão do castigo e bateu Tuga pela segunda vez no encontro, fazendo o momentâneo 2-0. O técnico Jorge Godinho pediu o seu timeout, fez alguns ajustes e alterações e a equipa teve então o seu melhor período no encontro. As oportunidades finalmente apareceram e a equipa do Riba d’Ave foi encostada ao seu último reduto. O jovem Tiago Mateus atirou à trave e Diogo Fernandes, guardião da formação minhota, foi tirando tudo o que lhe aparecia pela frente. Com quatro minutos para jogar na primeira metade Daniel Matias errou um passe na transição ofensiva quando era o último homem e colocou a bola nos patins do jovem Miguel Castro (ex-H.C. Braga), o camisola 3 visitado arrancou pela direita, ludibriou a oposição de Matias e stickou em zona frontal, colocando a bola no canto direito da baliza de Tuga. Estava feito o 3-0 com que se chegou ao descanso.                 

Na etapa complementar a equipa do HCT teria forçosamente de alterar a sua atitude e o seu padrão de jogo e foi o que fez, o conjunto alvinegro subiu linhas e conseguiu recuperar muitas bolas em zona subida, no entanto nunca conseguiu superar a oposição dos defensores contrários e principalmente de Diogo Fernandes, o guarda-redes minhoto, que teve uma tarde inspirada q.b. e sempre que foi chamado a intervir disse…presente. Aos nove minutos Serôdio fugiu a Janeka pelo meio da defensiva turquelense e tentou assistir um colega, mas Luís Silva, “de carrinho”, fez um corte à margem da lei, no interior da área de Tuga e levou Serôdio de novo para a marca da grande penalidade, sendo que desta vez o experiente jogador do Riba d’Ave teve pela frente o recém-entrado Samuel Santos, que também não conseguiu parar a eficácia de Serôdio e o 4-0 foi mesmo uma realidade difícil de digerir. Seis minutos volvidos, e depois de mais algumas oportunidades desperdiçadas, Raul Meca passou por trás da baliza e quando tentava passar para a frente da mesma, foi derrubado por Tuga no interior da área alvinegra. O guarda-redes turquelense viu a cartolina azul e Samuel Santos voltou a entrar para novo frente a frente com Serôdio e, infelizmente para os visitantes, a história voltou a repetir-se, com Serôdio a completar o seu “hat trick” (três golos de penalty) e a colocar o marcador nos 5-0. No minuto seguinte caiu a 10ª falta de equipa do Riba d’Ave e, na tentativa de conversão do respetivo livre direto, Vasco Luís permitiu boa intervenção a Diogo Fernandes. Não marcou Vasco Luís e o Riba d’Ave aproveitou para voltar a crescer no jogo e a atuar como bem gosta, com espaço e em vantagem no marcador. Foi sem surpresa que chegou o 6-0, numa transição rápida 2x2 com Hugo Azevedo a assistir Raul Meca e o capitão visitado a encostar de primeira, perante um Samuel Santos completamente desamparado. A dois minutos do fim, num contra-ataque 2x1 muito bem gizado, Vasco Luís assistiu André Moreira e o atleta natural de Vila Franca de Xira passou por Diogo Fernandes e fez o tento de honra dos da “aldeia do hóquei”, tento esse que fixou o resultado final em 6-1 e que soube a muito pouco, naquela que foi uma exibição bastante “cinzenta” e que marcou a eliminação do HCT da edição 2017/2018 da Taça de Portugal.

Ficha Técnica:

Local: Pavilhão do Parque das Tílias – Riba de Ave

Dia/Hora: 10 de fevereiro de 2018, às 16H

Competição: Taça de Portugal de Hóquei em Patins 2017/18 (16 Avos-de-Final)

Árbitros: Florindo Cardoso (Minho), Jerónimo Moura (Porto) e Domingos Carvalho (3º Árbitro) (Porto)

Riba d’Ave H.C.: [10] Diogo Fernandes (GR), [55] Bruno Pinto “Serôdio” (3), [5] Raul Meca Lopes (C) (1), [4] Vítor “Viti” Oliveira, [33] Hugo Azevedo (1), [44] Daniel Pinheiro, [3] Miguel Castro (1) e [7] João Abreu. Não jogaram: [29] João Ferreira (GR) e [2] João Campos “TT”.

Treinador/Jogador: Hugo Azevedo

H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [4] Daniel Matias, [9] Vasco Luís (C), [7] André Moreira (1), [10] Samuel Santos (GR), [22] Luís Silva, [58] Tiago Mateus, [24] André Pimenta e [57] João Silva “Janeka”.

Treinador: Jorge Godinho

Faltas de Equipa: 12-8

Disciplina: Cartão Azul a [13] Marco Barros “Tuga” (GR) [HCT].

Resultado ao intervalo: 3-0

Resultado Final: 6-1

No próximo sábado, dia 17 de fevereiro de 2018 pelas 21 horas (22 horas em Itália), o HCT joga em casa a 1ª Mão dos quartos-de-final da Taça CERS, frente ao atual quarto classificado da Série A1 italiana, o Faizane Lanaro Hockey Breganze. Um triunfo turquelense trará um aporte importante de confiança e permitirá ir a Itália em março discutir a passagem à Final Four da competição. Perante um conjunto transalpino com executantes de “primeira água” do hóquei internacional, como são os casos do italo-argentino, Federico Ambrosio (internacional por Itália), do capitão Mattia Cocco (também internacional por Itália), do guarda-redes, Bruno Sgaria (internacional Sub-20 italiano), do espanhol, Alvaro Borja Gimenez, do internacional argentino, Franco Platero (irmão de Matias Platero do Sporting C.P.) e ainda do bem conhecido dos portugueses, Cláudio Filho, mais conhecido por “Cacau”, ele que é internacional Brasileiro e jogou, entre outros, no Sporting e no Benfica. A equipa orientada pelo argentino Diego Mir (substituiu no início de janeiro o italiano Massimo Belligio) forma um conjunto muito forte e, desde que Mir assumiu o comando, soma por vitórias os sete jogos que disputou, entre Série A1 e Taça CERS. O apoio de todos é fundamental e só um Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel muito bem composto, e a “puxar” pelo HCT ao longo dos cinquenta minutos, poderá levar a nossa equipa a um bom resultado. Unidos nos momentos mais delicados seremos sempre mais fortes!

Foto: Dinis Vicente