Após duas vitórias (3-5 com o Infante Sagres e 8-1 com o Grândola) e uma derrota em Tomar (7-4), o Hóquei Clube de Turquel jogava uma “cartada” decisiva nas contas da manutenção, na receção à Juventude Viana. Diante de um adversário muito experiente que trocou de treinador recentemente, os alvinegros rubricaram uma exibição sólida, assente numa rotatividade constante dos seus jogadores, que permitiu frescura e uma vantagem de 3-0 ao intervalo. No segundo tempo a equipa comandada por Nelson Lourenço mostrou a espaços alguma intranquilidade, e apesar de ter conseguido gerir a posse e fazer subir as linhas do adversário, sentiu sempre algum desconforto. No entanto, o resultado avolumou-se até ao 7-3 final, perante um oponente sério, que mostrou poucos argumentos e com uma arbitragem complicativa de Jaime Vieira (Alentejo) e Joaquim Sequeira (Lisboa), o que lesou o espetáculo e prejudicou ambos os conjuntos.

Primeira metade “nervosa”, principalmente para os de Turquel, que fruto da sua posição complicada na tabela classificativa entraram intranquilos. Quem também não entrou bem foi a dupla de arbitragem chefiada pelo experiente Jaime Vieira (Alentejo), que desde o início assinalou faltas de equipa em catadupa, não beneficiando a fluidez que se impunha para um encontro desta natureza, com as queixas a surgirem dos dois lados, mas com mais veemência por banda dos minhotos. O novo técnico da Juventude, André Azevedo, tem às ordens um plantel algo curto em termos quantitativos, mas a experiência dos seus atletas compensa essa primeira fragilidade apontada e o início foi duro e quezilento, com 9 faltas de equipa (6 para o HCT e 3 para a Juventude) a serem assinaladas nos primeiros cinco minutos. O apito fácil dos árbitros e a intensidade que as equipas estavam a colocar em rinque deram, nessa fase, um penalty sofrido por André Pimenta (falta de Emanuel Garcia), castigo que Vasco Luís não conseguiu transformar (boa intervenção do guardião Jorge Correia), mas na sequência do lance, o mesmo Emanuel Garcia derrubou Vasco Luís de novo no interior da área vianense e nova penalidade para os de Turquel. Desta vez foi Luís Silva que foi chamado para a conversão, mas também esbarrou na qualidade de Jorge Correia, numa primeira instância, sendo que na recarga atirou ao poste. Como não há duas sem três, alguns minutos depois Luís Silva foi derrubado por Nuno Santos (viu a cartolina azul) de novo no interior da área visitante, e à terceira foi mesmo de vez, com Janeka a saltar do banco e a inaugurar o marcador com um remate seco e colocado. No minuto seguinte caiu a 10ª falta de equipa do Turquel e o “especialista” Emanuel Garcia avançou para o livre direto, mas não conseguiu vencer a oposição de um Tuga que esteve a bom nível na baliza turquelense. Cinco minutos depois também caiu a 10ª falta de equipa do Viana e na tentativa de transformação do devido livre direto Luís Silva voltou a não conseguir bater Correia, que se cotava como uma das figuras do encontro. Com dois minutos para jogar até ao descanso, o HCT deu duas “machadadas” quase consecutivas no encontro, a primeira num lance de entendimento entre André Moreira e Pedro Vaz, com o primeiro a assistir o segundo e este todo no ar a desviar de forma sublime para fazer o 2-0. E a segunda a surgir um minuto depois com Janeka a descobrir André Moreira ao segundo poste de uma forma fantástica e o camisola 7 turquelense a encostar para fazer o 3-0 com que se chegou ao intervalo.                 

A etapa complementar abriu com o 4-0, depois de Emanuel Garcia ter dado uma stickada na mão de Janeka e de ter visto uma cartolina azul, que levou o mesmo Janeka para a marca do livre direto. Desde aí Janeka avançou e “quebrou os rins” ao guardião visitante, fazendo o seu “bis” e dando uma vantagem confortável aos da casa. Este foi um golo que marcou a tendência dos restantes vinte e quatro minutos do segundo tempo, pois a partir daqui o HCT tentou gerir os seus ataques com longas trocas de bola (nem sempre o que conseguiu) e o Viana subiu linhas para tentar recuperar a bola em zonas próximas da baliza de Tuga. Aos oito minutos caiu a 15ª falta de equipa do Turquel, mas Emanuel Garcia voltou a não conseguir ultrapassar Tuga, ainda que na sequência do lance Garcia tenha sofrido um toque de Luís Silva no interior da área turquelense e Joaquim Sequeira (Lisboa) assinalou mais um penalty. Chamado à conversão do castigo máximo o veterano Tó Silva (41 anos) atirou forte, mas ao lado da baliza de Tuga e na recarga o guardião alvinegro parou a bola com o pé direito de forma fenomenal, mantendo a sua equipa em branco, no que a golos sofridos diz respeito. Dois minutos depois, num lance feliz, André Moreira enrolou uma bola desde longa distância e a ação de Luís Silva (não tocou na bola) no campo de visão de Jorge Correia condicionou a intervenção do guardião forasteiro, que não conseguiu parar o 5-0 e o “bis” de Moreira. Com cinco golos à maior a equipa orientada por Nelson Lourenço relaxou perigosamente e sofreu o 5-1 no minuto seguinte numa meia-distância de João Ramalho que surpreendeu Tuga. O encontro arrastou-se até aos cinco minutos finais e ficou sentenciado num ataque rápido em que Vasco Luís descobriu André Moreira na direita e este stickou forte junto ao primeiro poste para fazer o 6-1 e o seu “hat trick”. No minuto seguinte Janeka ainda desperdiçou o livre direto da 15ª falta de equipa do Viana e dois minutos depois Emanuel Garcia reduziu para 6-2, num lance confuso na área de Tuga. No mesmo minuto Tuga deu uma stickada na mão de Emanuel Garcia, viu a cartolina azul e Samuel Santos entrou para tentar defender nova bola parada de Emanuel Garcia, que desta vez não desperdiçou e anotou o 6-3, “bisando” na partida. Nos últimos segundos de jogo Vasco Luís também “picou o ponto”, depois de roubar uma bola a Nelson Pereira em zona subida e surgir isolado perante Correia, tendo depois um momento de inspiração, com uma fantástica “picadinha” que levou o pavilhão ao delírio e encerrou as contas.  

Ficha Técnica:

Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

Dia/Hora: 5 de maio de 2018, às 21H

Competição: Campeonato Nacional da 1ª Divisão de Hóquei em Patins 2017/18 (22ª jornada)

Árbitros: Jaime Vieira (Alentejo), Joaquim Sequeira (Lisboa), Sílvia Coelho [3º Árbitro] (Porto), Bruno Antão [4º Árbitro] (Minho)

H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [4] Daniel Matias, [24] André Pimenta, [9] Vasco Luís (C) (1), [7] André Moreira (3), [10] Samuel Santos (GR), [22] Luís Silva, [53] Pedro Vaz (1) e [57] João Silva “Janeka” (2). Não jogou: [58] Tiago Mateus.

Treinador: Nelson Lourenço

A. Juventude Viana: [28] Jorge Correia (GR) (C), [37] Nelson Pereira, [8] Tó Silva, [6] Francisco “Chico” Silva, [84] Emanuel Garcia (2), [7] João Ramalho Guimarães (1), [22] Nuno Santos e [2] Gustavo Lima. Não jogou: [1] Telmo Fernandes (GR).

Treinador: André Azevedo

Faltas de Equipa: 18-16

Disciplina: Cartão Azul a [22] Nuno Santos (AJV), [84] Emanuel Garcia (AJV) e [13] Marco Barros “Tuga” (HCT).

Resultado ao Intervalo: 3-0

Resultado Final: 7-3

No próximo fim-de-semana a competição sofre novo interregno para a realização da Final Four da Liga Europeia e a ação volta na semana seguinte, mais precisamente a 19 de maio de 2018 pelas 17 horas, com o HCT a deslocar-se até Oliveira de Azeméis, para defrontar a União local. Depois da saída de Tó Neves do comando técnico dos oliveirenses, Renato Garrido assumiu o leme da equipa do distrito de Aveiro e tenta agora segurar o quarto lugar, que lhe dará acesso à Liga Europeia em 2018/2019. Por seu lado, o HCT quer prolongar o bom momento que atravessa (três vitórias nos últimos quatro jogos), e parte para este jogo sem nada a perder, tal como na primeira volta em dezembro, em que causou uma das surpresas da jornada e empatou a duas bolas no seu reduto. Será um encontro interessante, que coloca frente a frente duas equipas com a “cara lavada”.   

Fotos: Carmo Honório e Catarina Maria